Barão du Potet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barão du Potet
Nome completo Jules Denis du Potet Sennevoy
Conhecido(a) por Sistematizar e propagar o Mesmerismo; fundar os jornaisLe Propagateur du Magnétisme animal” e “Journal du Magnétisme
Nascimento 12 de abril de 1796
Sennevoy-le-Haut, França
Morte 1 de julho de 1881 (85 anos)
Paris, Ile-de-France
Nacionalidade francês
Ocupação magnetizador, autor, médico, barão
Blason du Potet.jpg

Família du Potet

Jules Denis du Potet Sennevoy mais conhecido por Barão du Potet (Sennevoy-le-Haut, 12 de abril 1796 - Paris, 1 de julho 1881) filho de família nobre, foi um influente Magnetizador francês. Barão du Potet notabilizou-se como fundador dos jornaisLe Propagateur du Magnétisme animal” e “Journal du Magnétisme”, o último, sendo o maior vinculador do tema Magnetismo animal.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Ele nasceu em Sennevoy-le-Haut, filho de Charles Jean-Baptiste du Potet (Ricey-le-Haut, 1763Paris, 1832), Lord de La Chapelle e Sennevoy e de sua esposa Simone Pierrette Babeau. Jules casou-se por duas vezes, a primeira, com Aglaia (Aglaé) Saunier ao 21º dia de novembro de 1833, em Paris. E tomou como sua segunda esposa Marie Isaure Herault.[1]

Inicio do trabalho com o mesmerismo[editar | editar código-fonte]

Em Paris no ano 1819 Dr. Martorell o catalão, cirurgião-dentista faz a primeira extração dentária indolor[2] em um paciente magnetizado, removendo os dentes e otimizando outros tratamentos dolorosos no pacientes magnetizado pelo Barão

Não demorou muito, ele se mostrou um magnetizador extremamente eficaz, e quando Dr. Henri-Marie Husson , responsável pelo Hospital Hotel Dieu, de Paris, estava procurando alguém para ajudá-lo com seus experimentos de sonambulismo provocado, du Potet foi escolhido[3]

A efetivação como Magnetizador[editar | editar código-fonte]

Ele criou uma escola livre de mesmerismo em Paris no ano de 1826.[4] E como médico homeopata prático na cidade Londres,[5] onde tratou, com sucesso, garotas com problemas epiléticos no North London Hospital[1][6] e de acordo com uma carta ao editor da revista The Lancet Seus experimentos tornaram-se referenciais.[7]

Canuto Abreu, em sua obra O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária, Allan Kardec integrava o grupo de pesquisadores formado pelo Barão du Potet na Sociedade Mesmeriana “La Chaîne Magnétique”.[8]

Inicio da vulgarização do Magnetismo[editar | editar código-fonte]

No ano de 1827 juntamente Dr. Chaplain, o barão Jules, inicia a publicação do jornalLe Propagateur du Magnétisme animal” que continuou a ser publicado até o ano de 1845.[3]

Jornal do Magnetismo

Em 1837 , exporta a prática do magnetismo animal para a Inglaterra e instrui o médico inglês John Elliotson tornando-o um magnetizador.[1] No ano de 1845 ele inicia-se a publicação do “Journal du Magnétisme” que esvai até 1861, sendo reaberto mais tarde por Hector Durville.[3]

Em Paris no ano de 1852 Barão du Potet lança o livro "Magia desvendada ou princípios de ciência oculta". A obra foi ilustrada com um retrato gravado e figuras desenvolvidas ao autor. Esta edição original, não foi comercializada, sendo impressa em quantidade mínima. Estava reservada aos iniciados e du Potet a cedida pela enorme soma de 100 francos em ouro e o juramento por escrito de não divulgá-la e de não revelar seus segredos…

O reconhecimento[editar | editar código-fonte]

O barão atingiu um reconhecimento imenso, alguns atribuíram isso ao fato de ele ter perdido o polegar da mão direita,[6] sua reputação era tal, aparentemente, que um homem foi condenado por assassinato e executado com base em provas fornecidas por "um dos vidente do Barão du Potet".[9]

Seus escritos foram amplamente citado por Helena Blavatsky, a qual considerava-o como um membro da Sociedade Teosófica[5] Em A descoberta do inconsciente, Henri Ellenberger o descreve Dr Potet tendo "ilusões de grandeza..."[10]

Victor Hugo possuía como propriedade, no mínimo, dois de seus livros que incluem; Introdução ao Estudo do Magnetismo Animal e A magia revelada.[11]

Entre seus últimos atos de vida organiza congressos de férias referentes ao Mesmerismo; tendo entre os interessados: Alphonse de Lamartine, Honoré de Balzac, Gautier, Alexandre Dumas,[12] Jean Baptiste Henri Dominique Lacordaire[13].

Ideias e obras[editar | editar código-fonte]

Ideias[editar | editar código-fonte]

Diferente da visão mecânica de Mesmer, determinou como sendo o magnetismo animal uma ponte entre o espírito e a matéria. Na visão de Jules Sennevoy, o Barão du Potet, os magnetizadores que reconheciam a verdadeira natureza do magnetismo poderiam produzir verdadeiras “mágicas”, com curas milagrosas e vários outros fenômenos[3] como na “mágica da antiguidade”, Fenômenos de aporte, resistência ao fogo, levitação de corpos humanos e comunicações com Espíritos referenciados com os frequentemente observados e estudados por ele.[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Publicou o Jornal do magnetismo, de 1845 a 1861.
  • Cours de magnétisme en sept leçons (Curso de magnetismo em sete lições), 1840.
  • Le magnétisme opposé à la médecine (O magnetismo em oposição à medicina), Paris, 1840.
  • Manuel de l’étudiant magnétiseur (Manual do estudante magnetizador), Paris, Baillière, 1851.
  • Magie dévoilée ou príncipes de science occulte (Magia desvendada ou princípios de ciência oculta). Paris, 1852.
  • Traité complet de magnétisme animal (Tratado completo de magnetismo animal) - Curso em doze lições. Paris, Baillière, 1882.[14]

Fim da Jornada[editar | editar código-fonte]

A despedida[editar | editar código-fonte]

Certidão de Óbito

Transcrição Morte: Certidão de Óbito - Morte Barão du Potet Sennevoy Jules Denis - Arquivos de Paris; -Fotocópia Certidão de Óbito - ano 1881

Paris Arquivos:

O ano de 1881, 2 de julho, às dez da manhã; Ato de morte de Jules Denis Barão du Potet Sennevoy, com idades entre 85 anos , masculino, Doutor em Letras e membro de várias sociedades científicas; morreu em sua casa em Paris, na rua du Dragon, 10 ao 1 de julho corrente deste; nascido em Sennevoy-le-Haut (Yonne) filho do falecido Jean-Baptiste Charles du Potet Sennevoy e da falecida Simone Pierrette Babeau, sua esposa. Viúvo do primeiro casamento de Aglae Saunier, e se casou com sua segunda esposa Mary Isaure Hérault 61 anos, sem profissão. Preparado por nós, Diretor de Estado Ernest Fouineau, Assistente Civil, Sexto prefeito do distrito de Paris, Oficial da Legião de Honra, Diretor da Instrução púbica, na declaração de Auguste Letellier, com idade entre vinte e cinco, Sitiado a Feroy rua, 1, e Jean Chevalier, Sitiado a, 37 anos, rua, sambre e Meuse, 9, que assinou com após a leitura.

Após lavrada a certidão, no dia seguinte a 3 de julho de 1881, o corpo de Jules Denis du Potet Sennevoy é enterrado em Paris no cemitério de Montmartre, sepultura C.A.P 291. Ano 1843, na 23ª Divisão, 3 linha, 15ª tumba (a partir da esquerda) com o monólito quebrados.

Portal A Wikipédia possui o
Portal sobre o Magnetismo Animal

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c "Editora Conhecimento", Barão Du Potet Sennevoy. Visitado em 25/02/2015
  2. Hispanic American Society of Applied Psichology, historia da hipnose. Visitado em 25/02/2015
  3. a b c d e «Espiritas Clássicos»  Visitado em 16/02/2015.
  4. Deveney, John Patrick (1997). Paschal Beverly Randolph: A Nineteenth-Century Black American Spiritualist, Rosicrucian, and Sex Magician. Col: SUNY series in Western esoteric traditions. Albany, New York: State University of New York. pp. 53–55. ISBN 9780585042800 
  5. a b Goodrick-Clarke, Nicholas (2008). The Western Esoteric Traditions: A Historical Introduction. Oxford/New York: Oxford University. p. 183. ISBN 9780195320992 
  6. a b Clarke, James Fernandez (1874). Autobiographical Recollections of the Medical Profession. London: Churchill. p. 161. OCLC 559634098 
  7. «Animal Magnetism». The American Journal of the Medical Sciences: 507–509. 1837 
  8. Canuto Abreu, O Livro dos Espíritos e sua Tradição Histórica e Lendária, ed. "lFU", São Paulo-SP
  9. «Black Magic in Science». Lucifer Magazine. 6 (34): 265–75. 1890 
  10. Ellenburger, Henri F. (1970). The Discovery of the Unconscious: The History and Evolution of Dynamic Psychiatry. New York: Basic Books. p. 156 
  11. Matlock, Jann (2000). «Ghostly Politics». Diacritics. 30 (3): 53–71 
  12. Bordalo, Francisco Maria (1854). Um passeio de sete mil leguas: cartas a um amigo. [S.l.]: TYP. p. 252. 238 
  13. LAFONTAINE, Charles Leonard (1852). L'ART DE MAGNÉTISER. [S.l.]: BAILLIÈRE,. p. 356. 37531030868633 
  14. «Traitè complet de magnetisme animal cours en douze leçons par le baron du Potet : Jules Du Potet De Sennevoie : Free Download & Streaming». Internet Archive. Consultado em 20 de setembro de 2015