Bernardin Gantin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bernardin Gantin
Cardeal da Santa Igreja Romana
Decano do Colégio dos Cardeais de
1993 a 2002
Dom Bernardin, celebrando o sacramento da Confirmação, em San Fiorano, Itália

Título

Cardeal-bispo de Palestrina e Óstia
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 14 de janeiro de 1951
Ouidah
por Dom Louis Parisot, S.M.A.
Nomeação episcopal 11 de dezembro de 1956
Ordenação episcopal 3 de fevereiro de 1957
Florença
por Dom Eugène-Gabriel-Gervais-Laurent Cardeal Tisserant
Nomeado arcebispo 5 de janeiro de 1960
Cardinalato
Criação 27 de junho de 1977
por Papa Paulo VI
Ordem Cardeal-diácono (1977-1986)
Cardeal-bispo (1986-2008)
Título Sagrado Coração do Cristo Rei (1977-1986)
Palestrina (1986-2008)
Óstia(1993-2002)
Brasão
Coat of arms of Bernardin Gantin.svg
Lema IN TUO SANCTO SERVITIO
no teu santo serviço
Dados pessoais
Nascimento Toffo
8 de maio de 1922
Morte Paris, França
13 de maio de 2008 (86 anos)
Nacionalidade benineseo
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Bernardin Gantin (Toffo, Benin, 8 de maio de 1922Paris, 13 de maio de 2008) Foi um sacerdote católico, Arcebispo, Cardeal e Decano do Colégio Cardinalício da Igreja Católica.

Sacerdócio[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado sacerdote em 14 de janeiro de 1951 em Ouidah pelo arcebipo Louis Parisot. Por dois anos ensinou línguas no seminário maior da Ouidar, dedicado a Santa Joana d'Arc. Foi licenciado em teologia e direito canônico pela Universidade Lateranense, estudou no Ateneu da Propaganda Fide e era aluno do Colégio Urbano, enquanto se preparava para a tese em direito, foi eleito bispo Titular de "Tipasa in Mauretania" e Auxiliar de Cotonou em 11 de dezembro de 1956 e ordenado bispo, aos 34 anos em 3 de fevereiro de 1957 pelo Cardeal Eugène Tisserant, então decano do Sacro Colégio, na capela do Colégio da Propaganda Fide. Adotou como lema episcopal In tuo sancto sevitio.

Arcebispo[editar | editar código-fonte]

Em 5 de janeiro de 1960 foi promovido a Arcebispo de Cotonou, o primeiro Metropolita negro em toda a África. Criou o Instituto Superior de Cultura Religiosa em Abidjã e organizou a catequese em toda a África francófona. Promoveu a ereção das dioceses de Abomey (1963), Parakou e Natitingou (1964) e Lokossa (1968), foi eleito presidente da Conferência Episcopal formada por Dahomey, Togo, Costa do Marfim, Burquina Faso, Mali, Guiné, Senegal e Níger, participou na preparação e de todas as sessões do Concílio Vaticano II.

Em Roma[editar | editar código-fonte]

Por Paulo VI foi nomeado em 5 de março de 1971, Secretário Adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e, dois anos mais tarde, tornou-se titular daquela secretaria. Foi o primeiro africano a assumir cargos na Cúria Romana. Em 1975 foi nomeado vice-presidente e logo depois presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz. Em 1976 assumiu a presidência do Pontifício Conselho Cor Unum.

Dom Bernardin celebrando uma missa em San Fiorano (LO), Itália, 1984

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

  • Foi criado cardeal por Paulo VI no consistório de 27 de junho de 1977 juntamente com Joseph Ratzinger, então arcebispo de Munique e Frisinga, e Frantisek Tomasek, Giovanni Benelli e Luigi Mario Ciappi. Em 8 de abril de 1984 foi nomeado Prefeito da Congregação para os Bispos e Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latinaa. Em 5 de junho de 1993 foi nomeado Decano do Colégio dos Cardeais e Titular da Igreja Suburbicária de Óstia, de acordo com antiga tradição.
  • Foi ainda membro das seguintes Congregações: para as Igrejas Orientais, para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, para a Evangelização dos Povos, para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, e para a Educação Católica; e ainda do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica e do Pontifício Conselho para a Interpretação dos Textos Legislativos, integrou ainda a Comissão Cardinalícia para os Pontifícios Santuários de Pompéia, Loreto e Bari e a Comisão Cardinalícia de Vigilância do Instituto para as Obras de Religião.
  • Por limite de idade, aos 25 de junho de 1998, renunciou ao cargo de Prefeito da Congregação para os Bispos, e em 2002 renúnciou ao título de Decano do Colégio de Cardeais retornando para o Benin.
Precedido por
Dom Dino Cardeal Staffa
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-Diácono do Sagrado Coração do Cristo Rei

1977 - 1986
Sucedido por
Jacques-Paul Cardeal Martin
Precedido por
Carlo Confalonieri
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-bispo de Palestrina

19862008
Sucedido por
José Saraiva Martins, C.M.F.
Precedido por:
Dom Agnelo Cardeal Rossi
CardinalCoA PioM.svg
Cardeal-bispo de Óstia

Sucedido por:
Dom Joseph Aloisius Cardeal Ratzinger
Decano do Colégio dos Cardeais
1993 - 2002

Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • Membro da Academia Real do Marrocos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bernardin Gantin