Biodança

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Festival de biodança em Valência

A biodança (do espanhol biodanza, neologismo do grego bio (vida) com o espanhol danza (dança): literalmente, "dança da vida"), também chamada de psicodança,[1] é um sistema de integração afetiva e desenvolvimento humano baseado em "vivências" (experiências intensas no "aqui e agora") criadas através de movimentos de dança com músicas selecionadas que geram a catarse purificadora do praticante,[2] e através de situações de encontro não verbal dentro de um grupo, contribuindo para a renovação orgânica e para a reaprendizagem das funções originárias da vida (instintos). Visa a permitir, ao ser humano, o pleno desabrochar de suas potencialidades.[3]

Utilizando fundamentos da biologia, da antropologia e da psicologia, a biodança se define oficialmente como um sistema de integração afetiva, de renovação orgânica e de reaprendizagem das funções originais da vida. A biodança é indicada no tratamento do estresse, mal de Parkinson, mal de alzheimer, anorexia, bulimia, deficiência sensorial e deficiência motora.[4] Mas, apesar de produzir efeitos terapêuticos, a biodança não é, apenas, uma terapia, esporte ou dança. É uma verdadeira pedagogia da arte de viver, uma poética do reencontro humano e um convite para que se crie uma nova cultura baseada no som da vida. Seus objetivos são a promoção da saúde, da consciência ética e da alegria de viver.

História[editar | editar código-fonte]

O "Sistema Biodanza" foi criado nos anos 1960 pelo antropólogo e psicólogo chileno Rolando Toro Araneda. Em 1964, Rolando iniciou as primeiras experiências de danças com doentes mentais internados no hospital psiquiátrico de Santiago.[5] Inicialmente, o seu sistema tinha o nome de "psicodança".[6] Atualmente, se encontra difundido em diversos países, incluindo países da América Latina, Europa, Canadá, Japão e África do Sul.[7]

Principais elementos da biodança[editar | editar código-fonte]

As cinco linhas experienciais da biodança são:

  • vitalidade – vista como fonte e expansão da energia vital profunda e do impulso existencial;
  • sexualidade – vista amplamente como o desenvolvimento do contato sensível e progressivo natural;
  • criatividade – vista como o desenvolvimento da capacidade de renovação do ser e de renascimento interior;
  • afetividade – tratada como pesquisa e obtenção da nutrição emocional oriunda da expressão afetiva espontânea, com os outros e por extensão com a natureza;
  • transcendência – segundo a evolução da consciência e o desenvolvimento da consciência como ser participante e integrante da harmonia cósmica.[8]

Biodança e religião[editar | editar código-fonte]

A biodança não surgiu como uma seita de matriz ideológica nem como um movimento de tendência religiosa. De todo modo, não se descarta uma abordagem que busque ao sagrado, embora para a biodança e seus adeptos seja absurda a separação entre o sagrado e o profano, operada por diversas religiões.

Esta passagem carece de fontes

Definições de Rolando Toro[editar | editar código-fonte]

Nas intenções de Rolando Toro, a biodança se destina à integração do núcleo de identidade profunda do ser humano, com a consequente revelação da sensibilidade quanto à vida e suas manifestações, assim como uma autoevolução no sentido ontológico do termo, através de um processo de transformação natural. Nas palavras do próprio Toro, a biodança é "um sistema que reintegra os seres humanos para viver a vida plenamente, com toda a sua intensidade. Temos, pouco a pouco, esquecido a importância de coisas tão fundamentais para conseguir uma vida feliz como respirar, caminhar, comunicar nossas emoções e sentimentos, compartilhar, amar... Como dizer, nos esquecemos de sentir. A biodança pretende despertar estas funções inatas do ser humano que estão quase totalmente reprimidas em nossa civilização. Utilizamos uma metodologia simples e efetiva que facilita a conexão de cada um consigo mesmo (suas necessidades e desejos), com os semelhantes (amigos, familiares, companheiros...) e com o universo (o entorno imediato e mais além). Porque é indispensável que esses três níveis de comunicação estejam integrados".

Esta passagem carece de fontes

Sessão de biodança[editar | editar código-fonte]

As sessões de biodança acontecem uma vez por semana e duram duas horas, sendo que meia hora é preenchida com atividade verbal e a hora e meia restante é preenchida com a vivência propriamente dita.[9]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 411.
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 411.
  3. Asociación Cultural Biodanza Valencia. Disponível em http://biodanzavalencia.com/web/biodanza. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  4. Biodanza Rio. Disponível em https://biodanzario.bio.br/aplicacoes-e-extensoes/. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  5. Aulas de biodanza com Marlize e Angelina. Disponível em http://www.biodanzasp.bio.br/rolando.htm. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  6. Biodanza. Disponível em http://biodanza.org/pt/rolando-toro-araneda/biografia. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  7. Asociación Cultural Biodanza Valencia. Disponível em http://biodanzavalencia.com/web/biodanza. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  8. Biodanza Rio. Disponível em http://www.biodanzario.bio.br/linhas.htm. Acesso em 9 de setembro de 2016.
  9. Asociación Cultural Biodanza Valencia. Disponível em http://biodanzavalencia.com/web/biodanza. Acesso em 9 de setembro de 2016.