Teoria da conspiração da Big Pharma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

As teorias da conspiração da Big Pharma são teorias da conspiração que alegam que a medicina em geral e a indústria farmacêutica em particular, especialmente as grandes farmacêuticas, operam em função de objetivos sinistros contra o interesse público.[1][2] Estas teorias da conspiração apresentam quatro características clássicas: a crença de que a conspiração é perpetrada por um pequeno grupo maléfico, a crença de que o grande público ignora "a verdade", a alegação de que a falta de evidências é uma evidência, e a irracionalidade dos argumentos usados a favor da teoria.[1]


Variações da teoria incluem a alegação de que remédios alternativos naturais para problemas de saúde estão sendo suprimidos, que os medicamentos para o tratamento do HIV/AIDS são ineficazes e prejudiciais e de que uma cura para todos os cânceres já foi descoberta, mas é escondido do público. Em cada caso, os teóricos da conspiração culparam a busca por lucros das empresas farmacêuticas. Vários autores mostraram que essas afirmações eram falsas, embora alguns desses autores sustentem que outras críticas à indústria farmacêutica são legítimas.[3][4][5]

Referências

  1. a b Blaskiewicz, Robert (2013). «The Big Pharma conspiracy theory». Medical Writing. 22 (4): 259. doi:10.1179/2047480613Z.000000000142 
  2. Dunning, Brian. «The Big Pharma Conspiracy». skeptoid.com. Consultado em 25 de junho de 2018 
  3. Grimes, David Robert (1 de março de 2016). «Correction: On the Viability of Conspiratorial Beliefs». PLOS ONE (em inglês) (3): e0151003. ISSN 1932-6203. PMC PMC4773114Acessível livremente Verifique |pmc= (ajuda). PMID 26930072. doi:10.1371/journal.pone.0151003. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  4. Kreidler, Marc (12 de janeiro de 2016). «Big Pharma Conspiracy Debunked | Center for Inquiry» (em inglês). Consultado em 25 de setembro de 2021 
  5. «Demonizing "Big Pharma" | Science-Based Medicine». sciencebasedmedicine.org (em inglês). 22 de abril de 2010. Consultado em 25 de setembro de 2021