Assassinato de Robert F. Kennedy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Assassinato de Robert F. Kennedy
Ambassador Hotel, onde Robert Kennedy foi assassinado.
Local Los Angeles, Califórnia,  Estados Unidos
Data 5 de junho de 1968
12:15
Mortes 1 morto
Responsável(is) Sirhan Sirhan

O Assassinato de Robert F. Kennedy, senador dos Estados Unidos e irmão do presidente assassinado John F. Kennedy. O senador foi atingido por três tiros no dia 5 de junho de 1968 pelo imigrante palestino Sirhan Sirhan, no hall central do Hotel Ambassador durante a campanha para a eleição presidencial de 1968.[1][2] O assassino se encontrava na cozinha, num dado momento, andou até o local onde o candidato Robert Kennedy já se despedia dos seus correligionários. Suas palavras, no momento, eram de otimismo com a candidatura a presidente dos EUA, momento em que encerrava seu discurso para centenas de partidários reunidos em comemoração a sua presumível vitória. A maioria dos convidados já se aglomerava a sua volta. Robert Kennedy já era vitorioso na fragorosa vitória das eleições primárias do Partido Democrata na Califórnia, em sua campanha à presidência dos Estados Unidos. Kennedy morreu na manhã seguinte ao atentado, dia 6 de junho.[3][2]

Sirhan Sirhan foi condenado e cumpre pena de prisão perpétua pelo crime.

Assim como seu irmão John, o assassinato de Robert Kennedy é alvo de um grande número de teorias da conspiração.

Referências

  1. «Bullet switch proves Sirhan Sirhan innocent of Robert F Kennedy assassination, claim lawyers» (em inglês). Daily Record.co.uk. Consultado em 1 de dezembro de 2011 
  2. a b «Hoje na História: 1968 - Senador Robert Kennedy é baleado após discurso» 
  3. Michael Martinez (30 de abril de 2012). «RFK assassination witness tells CNN: There was a second shooter» (em inglês). CNN 
Ícone de esboço Este artigo sobre um crime, organização ou atividade criminosa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.