Cléofas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Cléofas
Uma representação de Cleofas como um dos discípulos que encontrou Jesus durante a aparição do Caminho para Emaús , por Joseph von Führich , 1837.
Discípulo
Nascimento  
Século I
Morte  
Século I
Veneração por Igreja Católica; Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 25 de setembro (Igreja Católica)

30 de outubro (Igreja Ortodoxa)

Gloriole.svg Portal dos Santos

Cléofas ou Cléopas foi uma das figuras do antigo Cristianismo, um dos dois discípulos que Jesus encontrou na estrada para Emaús[1].

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Alguns escritores afirmam que o nome Clopas em João 19:25 ("Maria de Clopas" Κλωπᾶς) é uma forma helenizada de um nome aramaico reivindicado Qlopha (קלופא), e que o nome de Cleofas (Κλεόπας) é uma forma abreviada de "Cleopatros", um nome grego que significa "glória do pai" (mais conhecido na forma feminina Cleópatra).[2]

Na Bíblia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discípulos de Emaús

Cléofas aparece em Lucas 24.13-35, como um dos dois discípulos que viajavam de Jerusalém até Emaús. Ele é chamado pelo nome no versículo 18 enquanto que o nome de seu companheiro não ficou registrado[3]. Cléofas e seu amigo correm de volta para Jerusalém para dar as boas novas aos outros discípulos e ficam sabendo que Jesus também já tinha aparecido para um deles. O mesmo evento é mencionado em Marcos 16:12–13.

Documentos Históricos[editar | editar código-fonte]

Cléofas é mencionado na obra literária de Eusébio de Cesaréia, chamada História Eclesiástica. Nesse livro, Eusébio cita a tradição do período dos Apóstolos, no qual foi registrado anteriormente por Hegésipo, que Cléofas era irmão de José.

"Depois do martírio de Tiago e da tomada de Jerusalém, que se seguiu imediatamente, é tradição que os apóstolos e discípulos do Senhor que ainda estavam vivos reuniram-se de todas as partes num mesmo lugar, junto com aqueles que estavam relacionados com o Senhor segundo a carne (pois a maioria deles também estava viva) para se aconselharem sobre quem seria digno de suceder a Tiago, e todos, por unanimidade, decidiram que Simeão, o filho de Cleofas - mencionado também pelo texto do Evangelho - era digno do trono daquela igreja, por ser primo do Salvador, ao menos segundo se diz, pois Hegésipo relata que este Cleofas era irmão de José."
 
, História Eclesiástica, livro III p. 60[4].

Livros Apócrifos[editar | editar código-fonte]

O Evangelho do Pseudo-Mateus , provavelmente escrito no século VII, afirma que Maria de Clopas era filha de Clopas e Ana : [1]

"Jesus os encontrou, com Maria, sua mãe, junto com sua irmã Maria de Clopas, que o Senhor Deus deu a seu pai Clopas e sua mãe Ana, porque eles ofereceram Maria, a mãe de Jesus, ao Senhor. E ela foi chamada pelo mesmo nome, Maria, para o consolo de seus pais."
— Apócrifo, Evangelho Pseudo-Mateus

A interpretação mais comum desse documento, é que "de Clopas" indica o marido de Maria de Clopas e posteriormente o pai de seus filhos, mas alguns vêem "de Clopas" como significando o pai de Maria. A tradição medieval via Clopas como o segundo marido de Santa Ana e pai de "Maria de Clopas".[5]

As tradições Católica e Ortodoxa acreditavam que Clopas é irmão de São José e que ele é a mesma pessoa de Cleofas[6].

Tradições[editar | editar código-fonte]

As vertentes Católica e Ortodoxas, preservam a versão de que Cléofas é o mesmo que Alfeu (citado nos Evangelhos como pai de Tiago e José), pois pela crença na virgindade perpétua de Maria, seria inconcebível a idéia de que Maria teve outros filhos além de Jesus.

Epifânio acrescenta que José e Cleofas eram irmãos, filhos de "Jacó, de sobrenome Pantera".[7]

De acordo com os fragmentos remanescentes da obra Exposição dos Ditos do Senhor do Pai Apostólico Papias de Hierápolis , que viveu 70-163 D. C, Cléofas e Alfeu são a mesma pessoa: "Maria, a esposa de Cleophas ou Alphaeus, que era a mãe de Tiago o bispo e apóstolo, e de Simão e Tadeu, e de um José"[8].

Ele é lembrado no dia 30 de outubro na igreja Ortodoxa[9] e em 25 de setembro no Martirológio Romano.

Referências

  1. «Cleophas» (em inglês). Catholic Encyclopedia. Consultado em 17 de julho de 2010 
  2. Richard R. Losch All the people in the Bible: an A-Z guide to the saints 2008 Page 279 "Clopas (Κλοπας) is the Hellenized form of the Aramaic Qlopa (קלופא), while Cleopas (Κλεοπας) is a common abbreviated form of the Greek name Cleopatros (Κλεοπατρος)."
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 9 de julho de 2012. Arquivado do original em 29 de fevereiro de 2012 
  4. Eusébio de Cesaréia. História Eclesiástica, livro III. História Eclesiástica, livro III, Eusébio de Cesaréia. [S.l.: s.n.] p. 60 
  5. Cite Catholic Encyclopedia: St. Anne.
  6. Online, Catholic. «St. Cleophas - Saints & Angels». Catholic Online (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2020 
  7. of Salamis, Epiphanius; Williams, Frank (2013). The Panarion of Epiphanius of Salamis: De fide. Books II and III Sect 78:7,5 (em inglês). [S.l.]: BRILL. p. 620. ISBN 978-9004228412. Consultado em 10 December 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. «Papias (Roberts-Donaldson)». www.earlychristianwritings.com. Consultado em 2 de novembro de 2020 
  9. «Cleopas and Artemas of the 70 Apostles - Greek Orthodox Archdiocese of America». www.goarch.org (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]