Conflitos fronteiriços entre China e Índia (2020)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Conflitos fronteiriços entre China e Índia
Disputa de fronteira sino-indiana
Kashmir Region (2020 skirmish locations).jpg
Data 5 de maio de 2020 – presente
Local Linha de Controle Real
(fronteira indiano-chinesa)
Desfecho Em andamento
Beligerantes
 Índia  China
Comandantes
Índia Ram Nath Kovind
Índia Narendra Modi
Índia Rajnath Singh
Flag of Chief of Defence Staff (India).svg Bipin Rawat
Flag COAS.svg Manoj Mukund Naravane
Flag COAS.svg Yogesh Kumar Joshi
China Xi Jinping
China Xu Qiliang
China Zhang Youxia
Ground Force Flag of the People's Republic of China.svg Han Weiguo
Ground Force Flag of the People's Republic of China.svg Zhang Shulin
Forças
Armed forces logo.png Forças armadas da Índia Flag of the People's Liberation Army.svg Exército de Libertação Popular
Baixas
20 mortos[1] (até 15 de junho) Fontes indianas:
43 mortos ou feridos[2]

Fontes americanas:
35 mortos[3]
Wikinotícias
O Wikinotícias tem uma ou mais notícias relacionadas com este artigo: Dezenas morrem em conflito na fronteira entre Índia e China

Os conflitos fronteiriços entre China e Índia de 2020 fazem parte de um impasse militar na região de fronteira disputada por China e Índia. Desde 5 de maio de 2020, militares chineses e indianos tem tomado ações agressivas nas fronteiras, resultando em combates e tiroteios de pequena e média intensidades. Em uma escalada das tensões entre as duas nações, combates foram reportados em 16 de junho de 2020 que resultaram na morte de vinte soldados indianos (incluindo um oficial).[4] A mídia indiana afirmou que 43 militares chineses também foram mortos ou feridos na ação,[3][5][6] enquanto os Estados Unidos reportou que ao menos 35 soldados chineses morreram, incluindo um oficial de alta patente.[7] Estes incidentes aconteceram na região do lago Pangong Tso, em Ladaque, e em Nathu La, no estado de Siquim. Além disso, tiroteios foram reportados no leste de Ladaque também, ao longo da Linha de Controle Real (LCR), que havia sido criada no final da Guerra sino-indiana de 1962. Mais recentemente, um dos principais pontos de contenda foi a objeção dos chineses quanto a construção de estradas, pelos indianos, na região do vale do Rio Galwan. De acordo com o analista de defesa indiano Ajai Shukla, a China conquistou cerca de 60 km² de território indiano entre maio e junho de 2020.[8][9] O governo chinês nega que tenha acontecido mortes em combates nas fronteiras, com ambos os lados acusando um ao outro de violar seus respectivos territórios.[10]

A revogação do status especial da região de Jammu e Caxemira, em agosto de 2019, pelo governo indiano, também preocupou e irritou as autoridades chinesas. Contudo, a Índia e a China sempre afirmaram que havia mecanismos bilaterais suficientes para resolver a situação pela via diplomática.[11] Após um pequeno combate ter sido reportado no Vale de Galwan, em 15 de junho de 2020, vários políticos indianos afirmaram que isso não deveria atrapalhar as relações comerciais entre as duas nações embora companhias indianas tenham iniciado um boicote contra produtos chineses.[12][13]

Os confrontos fronteiriços de maio-junho de 2020 entre a China e a Índia atraíram grande atenção internacional, com diversas nações no mundo pedindo para que as tensões fossem diminuídas. Inicialmente, nenhum dos dois países engrossou a retórica um para com o outro, embora tivessem reforçado suas presenças na região de fronteira.[14]

Referências

  1. Michael Safi and Hannah Ellis-Petersen. «India says 20 soldiers killed on disputed Himalayan border with China». Consultado em 16 de junho de 2020 
  2. Vedika Sud; Ben Westcott (11 de maio de 2020). «Chinese and Indian soldiers engage in 'aggressive' cross-border skirmish». CNN. Consultado em 17 de junho de 2020. Cópia arquivada em 12 de maio de 2020 
  3. a b «China suffered 43 casualties during face-off with India in Ladakh: Report». India Today. 16 de junho de 2020. Consultado em 17 de junho de 2020 
  4. «India soldiers killed in clash with Chinese forces». BBC News (em inglês). 16 de junho de 2020. Consultado em 17 de junho de 2020 
  5. Commanding Officer of Chinese Unit among those killed in face-off with Indian troops in Galwan Valley
  6. «Chinese military urges India to return to correct track of dialogue, negotiations». People's Daily. Consultado em 17 de junho de 2020 
  7. "Galwan clash: China suffered 35 casualties, say sources quoting US intel". Página acessada em 17 de junho de 2020.
  8. Ajai Shukla (8 de junho de 2020). «China has captured 60 sq km of Indian land!». Rediff (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2020 
  9. Biswas, Soutik. «An extraordinary escalation 'using rocks and clubs'». BBC News. Consultado em 17 de junho de 2020 
  10. «China e Índia: o que há por trás da escalada de tensão que deixou 20 soldados mortos em choque na fronteira». G1. Consultado em 17 de junho de 2020 
  11. Roche, Elizabeth (8 de junho de 2020). «India, China to continue quiet diplomacy on border dispute». livemint.com (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2020. Cópia arquivada em 9 de junho de 2020 
  12. Suneja, Kirtika; Agarwal, Surabhi (17 de junho de 2020). «Is This Hindi-Chini Bye Bye on Trade Front? Maybe Not: No immediate impact likely on business relations, say govt officials» (print version). The Economic Times 
  13. P, Neelam; ey (16 de junho de 2020). «Traders' body calls for boycott of 3,000 Chinese products over 'continued' border clashes». ThePrint (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2020 
  14. «China diz que não deseja mais confrontos com a Índia na fronteira». G1. Consultado em 17 de junho de 2020