Conflito no Delta do Níger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Conflito no Delta do Níger
NigerDeltaStates.png
Mapa da Nigéria numericamente mostrando estados normalmente considerados parte da região do Delta do Níger: 1. Abia, 2. Akwa Ibom, 3. Bayelsa, 4. Cross River, 5. Delta, 6. Edo, 7 Imo, 8. Ondo, 9. Rivers
Data 2003 – presente
Local Delta do Níger, Nigeria
Desfecho Em andamento
Combatentes
Flag of Nigeria.svg Governo da Nigéria Movimento para a Emancipação do Delta do Níger;
Força Popular de Voluntários do Delta do Níger
Conselho Revolucionário Misto
Vigilante do Delta do Níger
Líderes e comandantes
Flag of Nigeria.svg Olusegun Obasanjo
Flag of Nigeria.svg Umaru Yar'Adua
Flag of Nigeria.svg Goodluck Jonathan
Flag of Nigeria.svg Muhammadu Buhari
Desconhecido;
Alhaji Mujahid Dokubo-Asari
Ateke Tom
Forças
150 000 soldados 15 000 militantes Desconhecido

O conflito no Delta do Níger é uma série de confrontos e conflitos étnico-políticos originados no início dos anos noventa na área do Delta do Níger, na Nigéria, e que continua até os dias atuais. A causa reside nos interesses econômicos e nas tensões entre as corporações multinacionais produtoras de petróleo, o governo nigeriano e vários grupos étnicos da região que se sentiram enganados e explorados, em especial os grupos Ogoni e Ijaw, apoiados por grupos paramilitares. Os conflitos políticos e étnicos continuaram ao longo da década de 1990, apesar da conversão para a democracia na Nigéria, com a eleição do governo de Olusegun Obasanjo em 1999. A concorrência pela riqueza do petróleo tem alimentado a violência entre inúmeros grupos étnicos, levando a militarização de quase toda a região que foi ocupada pelas milícias tribais, pelo exército nigeriano e as forças policiais (incluindo paramilitares da Mobile Police, MOPOL). Vítimas de crimes ligados ao conflito têm medo e quase sempre evitam buscar a justiça com ações judiciais devido a crescente impunidade penal para os indivíduos responsáveis por graves violações dos direitos humanos, [o que] criou um ciclo devastador dos conflitos e a violência cada vez maior" [1]

Referências