Ernesto Alonso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Ernesto Alonso
Nome completo Ernesto Ramírez Alonso
Nascimento 28 de fevereiro de 1917
Aguascalientes,  México
Morte 7 de agosto de 2007 (90 anos)
Cidade do México,  México
Ocupação Produtor e Diretor
IMDb: (inglês)

Ernesto Ramírez Alonso (Aguascalientes, 28 de fevereiro de 1917 - Cidade do México, 7 de agosto de 2007) foi um ator, diretor e produtor de cinema e televisão mexicano, chegando a produzir 157 telenovelas, ficando assim conhecido como "El Señor Telenovela".

Entre suas mas exitosas telenovelas se encontram El derecho de nacer, Tu o Nadie, El Maleficio, Bodas de Odio, De Pura Sangre, La Otra e Amarte es mi pecado. Foi precursor das chamadas "Telenovelas Históricas" cujos tramas e argumentos relatavam distintos feitos da história do México como La Independencia, La Revolución e La Guerra de Reforma, Alguns destes melodramas foram: Senda de Gloria, Los Caudillos, El Carruaje, La Tormenta, El Vuelo del Águila e La Antorcha Encendida.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ernesto era irmão do toureiro Alfonso Ramírez, "El Calesero". Desde pequeno queria ser ator. Estudou teatro na universidade de Bellas Artes, já com vinte anos trabalhava como figurante em "La Zandunga", único filme que Lupe Vélez filmou no México. Mas sua grande oportunidade chegou quando a companhia de teatro das irmãs Blanch passou por Aguascalientes. Isabel e Anita Blanch pediram emprestado ao jovem Ernesto um toca-discos e ao saber que sonhava em ser ator, elas o levaram para a Cidade do México com elas.

Já na capital, Ernesto Alonso ingressa no mundo do cinema com "La Gallina Clueca" junto Dona Sara García. Então filma mas de quinze filmes ns anos 40's, seu grande triunfo chega ao final dessa década quando encarrega magistralmente San Felipe de Jesús, mártir mexicano, no filme com o mesmo nome. Nos anos 50's sua carreira de ator tem um salto com filmes como "Otra primavera", junto a Libertad Lamarque, onde interpreta um esquizofrênico; a adaptação da obra de Ibsen, "Casa de muñecas" junto a Marga López; e dos excelentes filmes dirigidos pelo legendário Luis Buñuel: "Abismos de pasión", uma adaptação de "Cumbres Borrascosas" de Emily Brontë, ao lado de Lilia Prado e Irasema Dilian, "Ensayo de un crimen" ao lado de Miroslava Stern. Em "Los Olvidados", a narração introdutiva de cenas corre a cargo dele.

Sendo um ator de renome, a televisão o atrai e entra ao que será seu mundo a partir de 1960. A telenovela mexicana dos anos 60's sera suas criações. Como ator trabalhou em dez telenovelas, em 1969 tem uma de suas melhores caracterizações em "Más Allá de la Muerte", uma história de época onde um homem que perdeu sua esposa no dia do casamento, fica obcecado com a sobrinha da falecida esposa. Nas telenovelas, Ernesto explora outras facetas de sua arte, se torna em diretor e produtor e bem pode se dizer que quase todas as produções desses anos foram suas.

É ele quem leva as obras de Caridad Bravo Adams ao televisão, fazendo adaptações de famosas obras literárias, inventa o gênero de época com "Corazón Salvaje", a produção histórica com "Carlota y Maximiliano", e até a biografia dramatizada com "Sor Juana Inés de la Cruz". Também ele dirigiu mas de trinta de suas produções.

Os anos que seguiram, aumentaram a fama dele, agora apelidado, Sr. Telenovela. Como ator comoveria o público em "Cartas Sin Destino", interpretando um velho fracassado que serve de mensageiro a um jovem taxista e se apaixona da destinatária de suas cartas; aterrorizou como o satânico mafioso de El Maleficio, realizando uma versão cinematográfica de "El Maleficio" com Lucía Méndez; e surpreendeu em um duplo papel como um perverso empresário e seu místico gêmeo em "Lo Blanco y lo Negro".

Nesta última interpretaria seu protagonista final. A partir de 1990, Ernesto se dedicou a produzir as telenovelas. Mesmo não querendo se retirar da atuação, o novo milênio o viu voltar a aparecer diante das câmeras um par de vezes. Em ambas ocasiões interpretou sacerdotes: o exorcista de Abrázame muy fuerte e o frei de monastério onde se refugia a heroína de Entre el amor y el odio.

Aos noventa anos, o Sr. Telenovela seguiu ativo e conseguindo êxitos como a trilogia composta por La Otra, Amarte es mi pecado, e Barrera de amor, onde atriz a Yadhira Carrillo, conterrânea de Ernesto, fez seus primeiros trabalhos estrelares. Desde seu início nas telenovelas Ernesto era reconhecido por apadrinhar novos talentos e dar a eles seus primeiros papeis estrelares alguns já são reconhecidos atores, entre eles Jorge Rivero, Eduardo Yáñez, seu sobrinho Jorge Vargas, entre outros. Ao recebir um prêmio TVyNovelas por Apuesta por un amor, o ator Fabián Robles agradeceu a Alonso por ter dado a oportunidade de entrar no mundo das telenovelas.

A contribuição do Sr. Telenovela foi amplamente reconhecida, mas tanto por sua qualidade humana, que o fez ser querido por gente de todas as gerações. Era amigo de novos atores como o foi das grandes estrelas do passado. Sus amizade com María Félix foi legendaria, e ele a convenceu de fazer a única telenovela que ela filmaria: a épica da Revolução Mexicana, "La Constitución". Esta charmosa amizade teve um triste epílogo quando, após a morte da Sra. Félix, Ernesto foi acusado injustamente de "ter ajudado ela a morrer".

Mas esta absurda acusação foi prontamente retirada, é mostra de como os grandes podem ser caluniados. Outra grande amizade foi com a atriz Miroslava Stern, que se suicidou em 1955. Segundo o próprio Ernesto a atriz havia confessado desde tempo a depressão que a levaria a tão trágica decisão, e eles rodavam "Ensayo de un crimen", lhe disse que se não o fazia durante o filme era pela amizade entre eles.

O falecimento do Sr. Telenovela fecha uma etapa na história do gênero. No futuro tomará se produzam histórias boas, mas não com a qualidade, nem a pureza, nem com esse selo único que Ernesto Alonso impulsionou nas telenovela mexicana.[1]

Como produtor[editar | editar código-fonte]

Como ator[editar | editar código-fonte]

  • Entre el amor y el odio (2002) .... Abad
  • Abrázame muy fuerte (2000) .... Padre Bosco
  • A propósito de Buñuel (2000) .... ele mesmo (documentário) (co-produão con Espanha, França e Estados Unidos)
  • Un Bunuel Mexican(1997)
  • Bajo un mismo rostro (1995) .... Melchor
  • Lo Blanco y lo negro (1989) .... Angel y Silvio de Castro
  • El Maleficio filme (1986) .... Enrique de Martino
  • El Maleficio telenovela (1983) .... Enrique de Martino
  • Aprendiendo a amar (1980) .... Cesar
  • Coronación (1976) .... Andrés Ávalos
  • México de mis amores (1976) .... narrador
  • Ensayo de un crimen (1955) .... Archibaldo de la Cruz
  • Abismos de pasión (1953) .... Eduardo
  • Reportaje (1953)
  • La cobarde (1952) .... Arturo
  • Trotacalles (1951) .... Rodolfo o Rudy
  • Los olvidados (1950) .... voz
  • Mujer de medianoche (1949) .... Hugo
  • El precio de la gloria (1947) .... Alberto Reyes
  • Crimen en la alcoba (1946) .... Federico Alarcón
  • La mujer de todos (1946) .... Carlos
  • Bodas trágicas (1946) .... Octavio
  • El monje blanco (1945) .... frei Can
  • El jagüey de las ruinas (1944) .... Ramón
  • Marina (1944) .... Pascual
  • La corte de faraón (1943) .... Micelino
  • El Globo de Cantolla (1943)
  • El Jorobado (1943) .... Gonzága
  • La Virgen que forjó una Pátria (1942) .... Capitão Ignacio Allende.
  • Historia de un Gran Amor (1942) .... Sacristão
  • La Gallina Clueca (1941) .... Roberto
  • Papacito Lindo (1939) .... figurante
  • La Zandunga (1937) .... figutante

Documentários[editar | editar código-fonte]

  • Ernesto Alonso, El genio de la Telenovela (2000) Dir. Arturo Pérez Velasco.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]