Gael García Bernal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde julho de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Gael García Bernal
Gael García Bernal em 2015
Nome completo Gael García Bernal
Nascimento 30 de novembro de 1978 (38 anos)
Guadalajara, Jalisco  México
Nacionalidade México mexicano
Ocupação Ator, Produtor e Diretor
Atividade 1992 - presente
Globos de Ouro
Melhor Ator em Televisão - Comédia ou Musical
2016 - Mozart in the Jungle
Festival de Cannes
Trophée Chopard
2003
IMDb: (inglês)

Gael García Bernal (Guadalajara, 30 de Novembro de 1978) é um ator, produtor e diretor mexicano. É conhecido pelos seus papéis em filmes como O Crime do Padre Amaro, La mala educación, Diarios de motocicleta e Babel e pela série Mozart in the Jungle, que lhe valeu um Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator em Televisão - Comédia ou Musical em 2016.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gael García Bernal nasceu em Guadalajara, no México, filho de pais atores, José Ángel García e Patricia Bernal.[2] Gael iniciou sua carreira na televisão quando tinha apenas um ano de idade e passou a adolescência a trabalhar em telenovelas. Quando tinha 14 anos, Gael ensinou indígenas mexicanos a ler e, no ano seguinte, participou numa demonstração pacífica durante a insurreição do Exército Zapatista de Libertação Nacional em 1994.

Ele começou a estudar Filosofia na Universidade Nacional Autónoma do México, mas desistiu do curso durante uma manifestação estudantil prolongada. Depois de desistir do curso, decidiu tirar um ano de pausa para viajar pela Europa, acabando por se mudar para Londres, onde se tornou no primeiro mexicano a ser aceite na prestigiada escola de representação Central School of Speech and Drama.

Gael já se relacionou com a atriz Natalie Portman e atualmente viveu vários anos com a companheira, a atriz argentina Dolores Fonzi,de quem se separou em 2014.[3][4] Da união do casal, vieram dois filhos: Lázaro, nascido no dia 8 de Janeiro de 2009, em Madrid, na Espanha[5], e Libertad, nascida em 4 de Abril de 2011 em Buenos Aires, na Argentina.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Participou na versão de 1989 da telenovela mexicana Teresa. Desde então participou de numerosas produções de diversos países: México, Espanha, Inglaterra e Brasil.

Começou sua carreira de ator muito cedo, atuou na produção da rede Televisa a telenovela El abuelo y yo, interpretando o órfão Daniel ao lado da atriz Ludwika Paleta e, foi nessa novela que conheceu o seu amigo de longa data, Diego Luna.

O seu primeiro papel de maior destaque a nível internacional foi o de Octavio em Amores perros, de Alejandro G. Iñárritu. O filme, que segue a história de três pessoas cujas vidas se entrecruzam através de um acidente de automóvel, foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira e catapultou Gael para o estrelato. Em 2001, Gael trabalhou com o realizador Alfonso Cuarón no filme Y tu mamá también, que conta a história de dois rapazes adolescentes que fazem uma road trip com uma mulher mais velha e descobrem coisas sobre a vida, o amor, a amizade e o sexo. O filme foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Original em 2003 e Gael venceu o prémio Mercello Mastrioanni de Melhor Jovem Ator no Festival de Cinema de Veneza (que partilhou com Diego Luna, com quem contracena no filme), entre outros prémios.

Em 2002, protagonizou uma adaptação ao cinema do romance O Crime do Padre Amaro de Eça de Queirós que, à semelhança de Amores perros, foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. Ainda nesse ano, participou no seu primeiro filme em língua inglesa: I'm With Lucky, uma comédia romântica que passou despercebida. No ano seguinte, participou em mais dois filmes em língua inglesa: Dot the I e Dreaming of Julia, ambos falhanços comerciais e com a crítica.

Em 2004, foi o protagonista de La mala educación do realizador espanhol Pedro Almodóvar, onde interpreta três personagens: Angél, Juan e o travesti Zahara. No mesmo ano, interpretou o papel de Che Guevara no filme Diarios de Motocicleta do realizador brasileiro Walter Salles. O filme baseia-se num livro de memórias que Che Guevara escreveu aos 23 anos sobre uma viagem de moto que fez com Alberto Granado pela América do Sul em 1952. O filme valeu a primeira nomeação de Gael García Bernal para os prémios BAFTA na categoria de Melhor Ator Principal.

Gael Garcia Bernal numa apresentação do filme The King em Londres em 2006.

No ano seguinte, Gael continuou a trabalhar em filmes de língua inglesa ao interpretar o papel de Elvis em The King, um filme independente sobre um soldado da marinha que procura o pai que nunca conheceu. Em 2006, protagonizou The Science of Dreams do realizador Michel Gondry, um filme surrealista sobre um homem cujos sonhos e imaginação vívidos afetam a sua relação com a realidade. No mesmo ano, reuniu-se com o realizador Alejandro G. Iñarrítu em Babel, um filme que cruza várias narrativas que ocorrem em vários locais do mundo. Foi um dos filmes mais bem recebidos desse ano e recebeu sete nomeações para os Óscares. Nesse ano foi ainda nomeado para o BAFTA de Estrela em Ascenção, mas perdeu para James McAvoy.

Em 2007, realizou o seu primeiro filme: Déficit, sobre uma reunião familiar que junta membros de classes sociais distintas. No ano seguinte, interpretou o papel do vilão, o Rei da Camarata 3, na adaptação ao cinema da obra Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago, realizada por Fernando Meirelles e voltou a trabalhar com Diego Luna no filme Rudo y Cursi sobre dois meios-irmãos que rivalizam no futebol profissional.

Em 2009, participou em dois filmes independentes de língua inglesa: Mammoth (onde contracena com Michelle Williams) e The Limits of Control. Em 2010, participou no filme romântico Letters to Juliet no papel de Victor e protagonizou a coprodução mexicana, espanhola e francesa También la lluvia que venceu vários prémios em festivais de cinema por todo o mundo e foi um dos grandes vencedores dos Prémios Goya de 2011.

Em 2011, contracenou com Kate Hudson na comédia romântica A Little Bit of Heaven, que recebeu críticas bastante negativas, tendo uma pontuação de apenas 4% no site Rotten Tomatoes.[7] No ano seguinte, voltou a entrar numa comédia, desta vez Casa de mi padre, uma sátira das telenovelas mexicanas protagonizada por Will Ferrell e onde voltou a contracenar com Diego Luna. Ainda em 2012, protagonizou No, um filme sobre um executivo de publicidade (Bernal) que é convidado a gerir a campanha a favor do "Não" num referendo convocado pelo ditador Augusto Pinochet onde se perguntava se o povo apoiava a sua permanência no cargo de Presidente durante mais oito anos. O filme foi bastante elogiado pela crítica e, entre outros prémios, foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme em Língua estrangeira em 2013.

Gael García Bernal com o restante jurí do Festival de Cannes de 2014.

Em 2014, protagonizou Rosewater, a estreia na escrita e na realização de Jon Stewart. O filme conta a história verídica de Maziar Bahari, um jornalista canadiano-iraniano que foi preso em 2009 sob acusações de espionagem depois de ter aparecido no programa The Daily Show. Nesse ano fez parte do júri da competição principal do Festival de Cinema de Cannes. Também em 2014, estreou a série Mozart in the Jungle, uma série de drama e comédia transmitida pelo serviço de streaming Amazon Video. Na série, Gael interpreta o papel de Rodrigo, o condutor excêntrico de uma banda sinfónica. Este papel valeu-lhe um Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator Numa Série de Comédia ou Musical em 2016 e uma nomeação na mesma categoria em 2017.

Em 2015, protagonizou os filmes Zoom (um coprodução brasileira e canadiana), Eva no duerme e Desierto. No ano seguinte, foi um dos protagonista do filme chileno Neruda sobre a perseguição política que o poeta Pablo Neruda sofreu depois de críticar o Presidente Gabriel González Videla. O filme foi bastante elogiado pela crítica e foi escolhido pelo Chile para representar o país nos Óscares na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira, porém, acabou por não conseguir a nomeação. No mesmo ano, Gael protagonizou os filmes Me estás matando Susana e Salt and Fire.

Em 2017, protagoniza o filme Z, realizado por Jonás Cuarón, no papel de Zorro e faz a dobragem da personagem de Hector no filme de animação da Disney e da Pixar, Coco.

A biografia de Gael está incluída na Enciclopédia Britânica. A revista People incluiu-o na lista de "Artista Melhor Vestido", "Solteiro Mais Desejado" e "Las 50 Bellezas Latinas". A revista GQ, o elegeu um dos "Homens do Ano" em 2004, ao lado de Tom Cruise e o britânico Jude Law.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1996 De tripas, corazón Martin
2000 Amores perros Octavio
2001 The Last Post Jose Francisco[8][9]
Vidas Privadas Gustavo 'Gana' Bertolini
Y tu mamá también Julio Zapata
El ojo en la nuca Pablo Urrutia
Sin noticias de Dios Davenport
2002 Fidel Ernesto "Che" Guevara de la Serna
O Crime do Padre Amaro Padre Amaro
I'm With Lucky Gabriel
2003 Sangre de Cuba Ricky
Dot the I Kit Winter
Dreaming of Julia Ricky
2004 La mala educación Ignacio Rodriguez (falso) / Zahara / Juan / Ángel
Diarios de motocicleta Ernesto "Che" Guevara de la Serna
2005 The King Elvis
2006 Babel Santiago
La science des rêves Stéphane Miroux
2007 Déficit Cristobal
El pasado Rímini
2008 Ensaio sobre a Cegueira Rei da ala/Camarata 3
Rudo e Cursi Tatto
2009 Mammoth Leo Vidales
The Limits of Control The Mexican
2010 Letters to Juliet Victor
También la lluvia Sebastián
José e Pilar Ele mesmo
2011 A Little Bit of Heaven Julian Goldstein
The Loneliest Planet Alex
2012 No René Saavedra
Casa de Mi Padre Onza
Zalet
Vamps Diego Bardem (não creditado)
2013 Deserted Cities Eligio
Who is Dayani Cristal? Gael García Bernal
2014 El Ardor Kaí
Rosewater Maziar Bahari
2015 Zoom Edward
Eva no duerme Massera
Desierto Moises
2016 Me estás matando Susana Eligio
Neruda Óscar Peluchonneau
Salt and Fire Dr. Fabio Cavani
2017 Si tu voyais son coeur
Coco Hector (voz)

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1989 Teresa Peluche
1992 El abuelo y yo Daniel
2000 Queen of Swords Churi
2014-2016 Mozart in the Jungle Rodrigo

Prêmios & Indicações[editar | editar código-fonte]

Ariel[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Trabalho Resultado
2001 Melhor Ator Amores Brutos Venceu

BAFTA[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Trabalho Resultado
2005 Melhor Ator Diários de Motocicleta Indicado

Premios Juventud[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Trabalho Resultado
2010 ¡Qué Actorazo! Rudo e Cursi Indicado

Prêmio TVyNovelas[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Trabalho Resultado
1993 Melhor Atuação Infantil El abuelo y yo Venceu

Referências

  1. «Gael García Bernal». www.goldenglobes.com. Consultado em 2017-01-03 
  2. «José Angel Garcia y su hijo Gael García sufrieron con el divorcio». www.lametiche.com. Consultado em 2017-01-03 
  3. (2014-09-17) "Gael Garcia Bernal: The Intellectual Woman's Hearththrob". ELLE.
  4. Flores, Griselda. (2014-09-03). "Gael García Bernal y Dolores Fonzi se separan" (em en-US). Variety Latino.
  5. «Celebrity Babies and Kids – Moms & Babies – People.com». celebritybabies.people.com. Consultado em 2017-01-03 
  6. "Gael García Bernal es un papá divertido con su hija Libertad" (em es-MX). Quién.
  7. A Little Bit Of Heaven, https://www.rottentomatoes.com/m/a_little_bit_of_heaven_2011, visitado em 2017-01-04 
  8. «BAFTA Awards». www.bafta.org 
  9. «The BAFTA Award Nominations». Daily Mail [S.l.: s.n.] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Gael García Bernal