Innervisions

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Innervisions
Álbum de estúdio de Stevie Wonder
Lançamento 3 de Agosto de 1973
Estúdio(s) The Record Plant
(Los Angeles, California)
Media Sound Studios
(Nova Iorque)
Gênero(s) Soul psicodélico, Funk, Soul
Idioma(s) inglês
Gravadora(s) Tamla
Produção Stevie Wonder
Robert Margouleff
Malcolm Cecil
Cronologia de Stevie Wonder
Último
Último
Talking Book
(1972)
Fulfillingness' First Finale
(1974)
Próximo
Próximo

Innervisions é o décimo sexto álbum de estúdio do músico norte-americano Stevie Wonder, lançado em 3 de agosto de 1973, pela Motown Records. Uma gravação marco de seu "período clássico", [1] as nove faixas de Innervisions abrange um vasto leque de temas e questões que vai a partir de abuso de drogas em "Too High", através da desigualdade e racismo sistemático em "Living for the City", o amor nas baladas em "All in Love Is Fair" e "Golden Lady" até a crítica mordaz sobre o então presidente Richard Nixon em "He's Misstra Know It All".

Assim como muitos outros álbuns de Stevie Wonder, as letras, composições e produção são totalmente realizadas por ele, com o sintetizador ARP utilizado de forma proeminente em todo o álbum. Este instrumento foi amplamente utilizado por músicos da época, devido à sua capacidade de construir, de forma completa, um ambiente sonoro. Wonder foi o primeiro artista da black music a experimentar esta tecnologia em uma escala maior, e "Innervisions" seria extremamente influente sobre o futuro da música soul comercial. Ele também tocou, virtualmente, todos os instrumentos em "Too High", "Living for the City", "Don't You Worry 'bout a Thing", "Higher Ground", "Jesus Children of America", e "He's Misstra Know-It-All", fazendo de Innervisions o representante de uma "banda de um homem só".

Com este álbum, Stevie Wonder ganhou dois prêmios Grammy em 1973 (Melhor Performance Vocal Pop Masculina e Melhor Álbum do Ano) e em 1974 (melhor canção de rhythm and blues por Living For The City).[2]

Innervisions ficou quarto lugar na Billboard Pop Albums Chart e em primeiro no Billboard Black Albums Chart.

O álbum está na posição 23 na lista dos 500 melhores álbuns de sempre feita pela revista Rolling Stone.[3]

Como mais uma prova do status de clássico do álbum, Innervisions foi re-lançado no Reino Unido em 15 de Setembro de 2008, para coincidir com a com a aclamada turnê européia de Wonder em outono de 2008.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Too High" - 4:36
  2. "Visions" - 5:23
  3. "Living In The City" - 7:22
  4. "Golden Lady" - 4:40
  5. "Higher Ground" - 3:42
  6. "Jesus Children Of America" - 4:10
  7. "All In Love Is Fair" - 3:41
  8. "Don't Worry 'Bout A Thing - 4:44
  9. "He's Misstra Know It All" - 5:35

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Bogdanov, Vladimir; Woodstra, Chris; Erlewine, Stephen Thomas (2001). All music guide: the definitive guide to popular music (4 ed.). Hal Leonard Corporation. pp. 447–448. ISBN 0-87930-627-0. Cramer, Alfred William (2009). Musicians and composers of the 20th century 5. Salem Press. p. 1645. ISBN 1-58765-517-9. Brown, Jeremy K. (2010). Stevie Wonder: Musician. Black Americans of Achievement. Infobase Publishing. p. 57. ISBN 1-60413-685-5.
  2. ↑ (en) Archives des Grammy Awards [archive]
  3. ↑ Le top 500 des meilleurs albums de tous les temps [archive]
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.