Innervisions

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Innervisions
Álbum de estúdio de Stevie Wonder
Lançamento 3 de Agosto de 1973
Estúdio(s) The Record Plant
(Los Angeles, California)
Media Sound Studios
(Nova Iorque)
Gênero(s) Soul psicodélico, funk, R&B, soul
Idioma(s) inglês
Gravadora(s) Tamla
Produção Stevie Wonder
Robert Margouleff
Malcolm Cecil
Cronologia de Stevie Wonder
Último
Talking Book
(1972)
Fulfillingness' First Finale
(1974)
Próximo

Innervisions é o décimo sexto álbum de estúdio do músico norte-americano Stevie Wonder, lançado em 3 de agosto de 1973, pela Motown Records. Uma gravação marco de seu "período clássico", [1] as nove faixas de Innervisions abrange um vasto leque de temas e questões que vai a partir de abuso de drogas em "Too High", através da desigualdade e racismo sistemático em "Living for the City", o amor nas baladas em "All in Love Is Fair" e "Golden Lady" até a crítica mordaz sobre o então presidente Richard Nixon em "He's Misstra Know It All".

Assim como muitos outros álbuns de Stevie Wonder, as letras, composições e produção são totalmente realizadas por ele, com o sintetizador ARP utilizado de forma proeminente em todo o álbum. Este instrumento foi amplamente utilizado por músicos da época, devido à sua capacidade de construir, de forma completa, um ambiente sonoro. Wonder foi o primeiro artista da black music a experimentar esta tecnologia em uma escala maior, e "Innervisions" seria extremamente influente sobre o futuro da música soul comercial. Ele também tocou, virtualmente, todos os instrumentos em "Too High", "Living for the City", "Don't You Worry 'bout a Thing", "Higher Ground", "Jesus Children of America", e "He's Misstra Know-It-All", fazendo de Innervisions o representante de uma "banda de um homem só".

Com este álbum, Stevie Wonder ganhou dois prêmios Grammy em 1973 (Melhor Performance Vocal Pop Masculina e Melhor Álbum do Ano) e em 1974 (melhor canção de rhythm and blues por Living For The City).[2]

Innervisions ficou quarto lugar na Billboard Pop Albums Chart e em primeiro no Billboard Black Albums Chart.

O álbum está na posição 23 na lista dos 500 melhores álbuns de sempre feita pela revista Rolling Stone.[3]

Como mais uma prova do status de clássico do álbum, Innervisions foi re-lançado no Reino Unido em 15 de Setembro de 2008, para coincidir com a com a aclamada turnê européia de Wonder em outono de 2008.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Too High" - 4:36
  2. "Visions" - 5:23
  3. "Living In The City" - 7:22
  4. "Golden Lady" - 4:40
  5. "Higher Ground" - 3:42
  6. "Jesus Children Of America" - 4:10
  7. "All In Love Is Fair" - 3:41
  8. "Don't Worry 'Bout A Thing - 4:44
  9. "He's Misstra Know It All" - 5:35

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Bogdanov, Vladimir; Woodstra, Chris; Erlewine, Stephen Thomas (2001). All music guide: the definitive guide to popular music (4 ed.). Hal Leonard Corporation. pp. 447–448. ISBN 0-87930-627-0. Cramer, Alfred William (2009). Musicians and composers of the 20th century 5. Salem Press. p. 1645. ISBN 1-58765-517-9. Brown, Jeremy K. (2010). Stevie Wonder: Musician. Black Americans of Achievement. Infobase Publishing. p. 57. ISBN 1-60413-685-5.
  2. ↑ (en) Archives des Grammy Awards [archive]
  3. ↑ Le top 500 des meilleurs albums de tous les temps [archive]
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.