José Fanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Fanha
José Fanha, convidado na Escola Básica e Secundária de Santa Maria (Vila do Porto, ilha de Santa Maria, Açores), como parte do evento "Festejar Abril em Maio" promovido pelo Clube Asas do Atlântico.
Nome completo José Manuel n´Krusse Fanha Vicente
Nascimento 19 de fevereiro de 1951
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portuguesa
Gênero literário masculino
Magnum opus Alex Ponto Com - Joe Silicone vai à escola

José Manuel Krusse Fanha Vicente (Lisboa, 19 de fevereiro de 1951) é um arquiteto, poeta e escritor de literatura infanto-juvenil português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de um oficial do Exército Português e de uma professora de música. Fez o Ensino Primário no Colégio Marista de Lisboa e no Colégio da Luz (de padres Franciscanos). Fez os seus estudos liceais no Colégio Militar em Lisboa entre 1961 e 1968.

Em 68/69 frequentou o Curso de Formação Artística da Sociedade Nacional de Belas Artes , onde foi aluno de Rolando Sá Nogueira, Fernando Conduto, António Sena, José Ernesto de Sousa, Rui Mário Gonçalves, José Augusto França entre outros.

Em 1969 entrou para o curso de Arquitectura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa.

Entre 1969 e 1976, enquanto estudava, trabalhou como jornalista no Record e na "Mosca", suplemento humorístico do Diário de Lisboa, como desenhador de Arquitetura no Ministério das Obras Públicas e nos ateliers dos arquitetos Maurício de Vasconcelos, Frederico George e Manuel Vicente. Fez ainda alguns trabalhos como "copy" de publicidade.

Licenciou-se em Arquitectura pela Escola Superior de Belas-Artes da de Lisboa (ESBAL) em 1976.

De 1974 a 1977 trabalhou como Arquitecto na empresa ESTIL.

Foi professor do ensino secundário entre 1978 e 2009, tendo lecionado diversas disciplinas, entre as quais "História das Artes Visuais", "História da Arte em Portugal", "Teoria do Design", "Geometria Descritiva", "Técnicas de Expressão e Práticas de Representação", e "Educação Visual".

Foi orientador pedagógico na formação de professores da área de Estudos Artísticos na Escola Superior de Educação de Lisboa, entre 1986 e 1989.

Tem o estatuto de formador de formadores, concedido pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua da Universidade do Minho.

É Mestre na área de Educação e Leitura pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa com uma tese sobre Comunidades de Leitores intitulada "NOVOS MODOS DE LEITURA – NOVAS IDENTIDADES”.

Cumpriu a parte curricular do doutoramento na área de "História da Educação e da Cultura Escrita" na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa e prepara a tese intitulada “A LEITURA E AS ESTRATÉGIAS EDITORIAIS NO ESTADO NOVO DURANTE O PERÍODO DE 1958/74”

Começou a dizer poesia em público no ano de 1969. e continua a atuar frequentemente como poeta, divulgador de poesia e declamador. Como tal, e desde essa data, tem participado em milhares de sessões de animação cultural, sozinho ou acompanhando o grupo dos chamados baladeiros ou cantores de protesto como José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, Francisco Fanhais e outros.

Guionista de televisão e cinema, dramaturgo e dramaturgista de teatro, autor de letras para canções e textos para rádio.

Possui participações pontuais como ator em teatro, televisão e cinema.

É sócio da Associação Portuguesa de Escritores e da Sociedade Portuguesa de Autores.

Obras[editar | editar código-fonte]

Ficção

Autor em conjunto com Alice Vieira, João Aguiar, José Jorge Letria, Luísa Beltrão, Mário Zambujal e Rosa Lobato Faria dos romances:

  • “Os novos mistérios de Sintra” (Ed. Oficina do Livro, 2005)
  •           “O código d’Avintes” (Ed. Oficina do Livro, 2006)
  •           “Eça agora” (Ed. Oicina do Livro, 2007)

          Autor em conjunto com Afonso Cruz, Alice Vieira, André Gago, Catarina Fonseca, David Machado, Isabel Stilwell do romance:

  • “A misteriosa Mulher da Ópera” (Ed. Casa das Letras, 2013)

Poesia

  • "Cantigas da dúvida e do perguntar" (1970)
  • Olho por olho (1976);
  • "Busca" (1977)
  • "Cartas de marear" (1985)
  • "O riso das aves" (1987)
  • "Breve tratado das coisas da arte e do amor" (1995);
  • "Eu sou português aqui" (1995);
  • "Elogio dos peixes das pedras e dos simples" (1999);
  • "Tempo azul" (2003);
  • "Poemas da linha da frente: a guerra" em conjunto com José Jorge Letria(2003);
  • "Poesia" (2012)
  • "Francisco", com colagens de João Abel Manta (2015)

Ficção infanto-juvenil

  • "A porta" (1990);
  • "A noite em que a noite não chegou" (2001);
  • "Cantigas e cantigos" (2004);
  • "Diário inventado de um menino já crescido" (2004);
  • "Poemas com animais" - antiologia de poemas portugueses sobre animais (2004)
  • "O dia em que o mar desapareceu" (2005);
  • "Poemas da natureza" - antologia de poemas portugueses sobre a natureza (2006)
  • "Alex ponto com: uma aventura virtual" (2006);
  • "Poemas para um dia feliz" - antologia de poemas felizes portugueses (2007)
  • "O dia em que a mata ardeu" (2007)
  • "Alex Ponto Com - Joe Silicone vai à escola" (2007)
  • "Zulaida e o poeta" (2007)
  • "Missão em Happy-Cosmos", em conjunto com Luísa Beltrão (2008)
  • "Os sapatos do Pai Natal" (2008)
  • "Alex ponto com: Mary Lob, a lagosta assassina"(2009);
  • "O dia em que a barriga rebentou" (2009);
  • "Sol negro" em conjunto com Luísa Beltrão (2009)
  • "Histórias para contar em noites de luar" (2010);
  • "Esdrúxulas, graves e agudas, magrinhas e barrigudas" (2010);
  • "O meu amigo Zeca Tum-Tum e os outros" (2010);
  • "Era uma vez a República" (2010)
  • "Cantigas e cantigos para formigas e formigos" (2010);
  • "Dentinho dentola dentão" (2011);
  • "A namorada japonesa do meu avô" (2011);
  • "Quando o sol está a brilhar" (2013);
  • "As orelhas voadoras" (2013);
  • "Mão no chão e pé no ar" em conjunto com Daniel Completo (2014);
  • "Era uma vez o 25 de Abril" (2014)
  • "Histórias na ponta de um sorriso" (2014)
  • "Ailé ailé - Zeca Afonso cantado e contado às crianças" em conjunto com Daniel Completo (2015)
  • "Era uma vez eu" (2015)
  • "Alfredo Keil - A Pátria acima de tudo" (2015)
  • "A mulher árvore" (2015)
  • "O Baile do Bê-Á-Bá" em conjunto com Daniel Completo (2016)

Textos para televisão

  • "Zarabadim" (RTP/84)
  • "Rua Sésamo" participação em cerca de 5oo episódios (RTP/88/94)
  • "Histórias como o diabo gosta" série de 3 3pisódios em conjunto com António Torrado e Mário de Carvalho (RTP/89)
  • Giras e pirosas” 12 episódios (SIC/92)
  • "Procura-se" 6 episódios em conjunto com Doc Comparato (RTP/92)
  • "Clube Disney" 3ª série (RTP/93/94)
  • "Na Paz dos Anjos", telenovela, 160 episódios, com a colaboração de Jorge Paixão da Costa e assessoria criativa de Doc Comparato, produção CCA (RTP/93/94)
  • “Docas” 13 episódios, produção CCA (TVI/96)
  •           “Nós os ricos” 114 episódios, ideia original de Mário Zambujal, produção CCA (RTP 96/99)
  •           “Meu querido avô”  13 episódios,produção CCA (RTP/97)
  •           “Docas 2”     26 episódios, produção CCA (RTP/98/99)
  •           “CRIANÇAS SOS”, 26 episódios, produçã NBP (TVI, 2000)
  •           Elsa uma mulher assim” 13 episódios, produção Miragem (RTP/2000/2001)
  •           “ANA e os sete”, adaptação das 1ª e 2ª séries, produção NBP (TVI/2003/2004)
  •           “O Bando dos 4”, adaptação dos romances juvenis de João Aguiar, (produção da NPE para a TVI, 2006).

Cinema

  •           "Ilhéu de Contenda", adaptação do romance do romancista caboverdeano Teixeira de Sousa, realizado por Leão Lopes, 1993.
  •           "Damas do Longe", co-autoria do guião com Maria Velho da Costa.
  •           "Viúva rica solteira não fica", do-autor do guião com José Fonseca e Costa, realização de José Fonseca e Costa. 2006.
  •           "Os dois irmãos", adaptação do romance do escritor caboverdeano Germano de Almeida com apoio do ICAM para realização de Francisco Manso, 2015/2016.

Teatro

  • "Ubu português" em conjunto com Vera San Payo Lemos e João Lourenço , encenação de João Lourenço no Teatro Aberto em 84
  • “Conversa da treta”, com José Pedro Gomes e António Feio em 1997.
  • "O Mar é azul azul" sobre canções de Bertolt Brecht, em conjunto com Vera San Payo Lemos e João Lourenço ,encenação de João Lourenço no Teatro Aberto em 98
  • Tem a palavra a revista” co-autoria com Nuno Nazareth Fernandes e Mário Rainho, com Maria João Abreu e José Raposo no Teatro Maria Vitória em /2000/2001
  • "O trombone", encenação de Maria Henrique, com Jorge Mourato e Rui Quintas em 2002
  • "A Porta", encenação de João Mota, Teatro Nacional D. Maria, 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.