Julio Salinas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Julio Salinas
Julio Salinas
Informações pessoais
Nome completo Julio Salinas Fernández
Data de nasc. 11 de setembro de 1962
Local de nasc. Bilbau, Flag of Spain.svg Espanha
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes de juventude
Athletic Bilbao
Seleção nacional
1986–1996 Flag of Spain.svg Espanha 56 (22)

Julio Salinas Fernández (Bilbao, 11 de setembro de 1962) é um ex-jogador de futebol profissional basco e da Seleção Espanhola de Futebol, que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Surgiu no principal clube de sua cidade e do País Basco, o Athletic Bilbao, participando da conquista de dois campeonatos espanhóis e de uma Copa do Rei, mas é mais lembrado como jogador do Barcelona, para onde se transferiu em 1988 após duas temporadas no Atlético Madrid.

Salinas integrou o chamado Dream Team ao lado de outros integrantes da grande geração basca do final dos anos 80 e início dos 90, como Ion Andoni Goikoetxea, Andoni Zubizarreta, Txiki Begiristain, José Ramón Alexanko e José Mari Bakero, em um time que deu ao Barcelona seu primeiro título na Liga dos Campeões da UEFA.

Salinas saiu do Barcelona em 1994 para o grande time do Deportivo La Coruña daquele tempo, liderado por Bebeto, mas ficou apenas uma temporada no clube, o suficiente para ser vice-campeão espanhol, atrás de sua ex-equipe, o Barcelona. Encerraria a carreira em 2000 após passar pelo Sporting Gijón, Yokohama F. Marinos e Deportivo Alavés.[1]

Seleção Espanhola[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Espanhola, marcou 22 vezes em 56 jogos, disputando três Copas do Mundo e marcando um gol em cada uma; na de 1986, na vitória por 2 a 1 sobre a Irlanda do Norte, na primeira fase; na de 1990, na derrota por 2 a 1 para a Iugoslávia, nas oitavas-de-final; e na de 1994, em empate de 2 a 2 contra a Coréia do Sul. Nesta, entretanto, ficou mais lembrado pela grande chance de gol que perdeu no final do jogo contra a Itália, que venceu por 2 a 1.

Referências

  1. «Perfil na BDF». Consultado em 4 de março de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]