Marketing de influência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com Influenciador digital. Pode-se discutir o procedimento aqui. (desde maio de 2019)

Marketing de influência é uma abordagem de marketing que consiste em praticar ações focadas em indivíduos que exerçam influência ou liderança sobre potenciais clientes de uma marca. Como benefício, os influenciadores interferem nas decisões de compra dos clientes a favor de uma determinada marca. Isso acontece porque os influenciadores estabelecem uma relação de confiança com seus públicos[1]. É uma forma de operação utilizada no marketing digital e trabalha com influenciadores digitais de diferentes perfis que integram a estratégia de comunicação das marcas[2].

Os influenciadores digitais fazem uso de suas redes sociais para gerar conteúdo que exerce influência sobre seu público. Por meio do engajamento de seus seguidores, eles se tornam relevantes na produção e divulgação de conteúdos[3].

Como é feito[editar | editar código-fonte]

Redes sociais - como Facebook, Instagram Twitter, blogs e outras - são usadas como plataformas para a produção de conteúdo. Como esses perfis têm grande influência junto ao seu público, se tornam fundamentais para seus seguidores no processo de decisão de compra.

No marketing de influência, os influenciadores digitais contribuem para criar uma ponte entre a marca e o público que eles influenciam. Dessa forma, a confiança e a proximidade que os seguidores têm com o influenciador contribuem para que estejam mais abertos à sugestões e dicas. A estratégia é vantajosa para as marcas, pois ajuda tanto na aquisição de novos clientes quanto no processo de decisão de compra de produtos ou serviços.

Influenciadores digitais ou inlfluencers[editar | editar código-fonte]

Antes os famosos eram a opção mais recorrente das marcas para impactar o público por meio do marketing. No entanto, com o advento da internet, as redes sociais se tornaram uma realidade e hoje estão presentes no cotidiano. Assim, as pessoas começaram a seguir perfis com os quais se identificavam, que não eram necessariamente artistas, cantores ou celebridades.

E assim surgiram os influenciadores digitais - ou influencers - que são pessoas com um número expressivo de seguidores engajados no conteúdo que elas criam nas redes. No entanto, não são apenas perfis com milhões de seguidores que influenciam. Há também influenciadores de nichos, como os microinfluenciadores ou mesmo os nanoinfluenciadores.

Macroinfluenciadores[editar | editar código-fonte]

São perfis que contabilizam milhares de seguidores e um grande alcance nas redes sociais[4]. Tendem a ter um alto custo para expor marcas e, por serem muito procurados, costumam promover ações menos personalizadas, já que contam com uma alta demanda[5].

Microinfluenciadores[editar | editar código-fonte]

São perfis menores com até 100 mil seguidores, vistos como pequenos quando comparados aos macro[6]. São mais nichados e são uma opção para as marcas alcançarem resultados qualitativos com um custo menor.

Nanoinfluenciadores[editar | editar código-fonte]

São perfis com um número bem menor de seguidores[7]. No entanto, como diferencial, permitem parcerias mais humanizadas e econômicas. Além disso, podem influenciar um círculo restrito e qualificado de consumidores potenciais, pois interagem com pessoas muito próximas.

Como os influenciadores digitais se conectam com as marcas[editar | editar código-fonte]

Hoje as marcas têm a possibilidade de utilizar o marketing de influência como estratégia de comunicação. E, para isso, há plataformas que atuam fazendo a ponte entre influenciadores e empresas para ações pontuais ou mesmo parcerias[8].

Existem empresas que agenciam os influenciadores digitais, como a CBB Digital. E há também empresas que intermediam campanhas, como a influu[9] - e a Squid, por exemplo.


As plataformas que conectam marcas e influenciadores digitais atuam dos dois lados: com os influenciadores - intermediando valores, quantidade e formato de posts, deadlines - e com as marcas - avaliando perfis, entregando métricas e resultados.

Referências

  1. Politi, Por Cassio (15 de julho de 2019). «O que é marketing de influência ou influencer marketing ?». Influency.me. Consultado em 15 de julho de 2019 
  2. «Marketing de influência é a grande aposta das empresas | Publicado por StartHub Press». EXAME. 11 de março de 2019. Consultado em 3 de maio de 2019 
  3. «Marketing de Influência: descubra como funciona essa estratégia!». Rock Content. 23 de agosto de 2018. Consultado em 3 de maio de 2019 
  4. «Macro, micro e nano-influenciadores: caminhos para o marketing de influência». Race Comunicação. Consultado em 3 de maio de 2019 
  5. «Microinfluenciadores: Como esquematizar a campanha?». Blog Influu. 31 de outubro de 2017. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  6. «Macro, micro e nano-influenciadores: caminhos para o marketing de influência». Race Comunicação. Consultado em 3 de maio de 2019 
  7. «Macro, micro e nano-influenciadores: caminhos para o marketing de influência». Race Comunicação. Consultado em 3 de maio de 2019 
  8. «O que é marketing de influência e como se beneficiar dele». Blog Opinion Box. 13 de dezembro de 2017. Consultado em 3 de maio de 2019 
  9. «influu | Ecossistema de Influenciadores Digitais - Youtubers e Instagramers | influu». influu.me. Consultado em 3 de maio de 2019