Mysterious Ways

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Mysterious Ways"
Single de U2
do álbum Achtung Baby
Lançamento 24 de novembro de 1991
Formato(s) CD, cassete, 7", 12"
Gravação 1990–1991, na Irlanda e Alemanha
  • STS Studios (Dublin)
  • Hansa Ton Studios (Berlim)
  • Elsinore (Dublin)
  • Windmill Lane Studios (Dublin)
Gênero(s) Rock alternativo, funk rock
Duração 4:04
Gravadora(s) Island
Composição Bono, The Edge, Adam Clayton, Larry Mullen Jr.
Letrista(s) Bono
Produção Brian Eno, Daniel Lanois
Cronologia de singles de U2
"The Fly"
(1991)
"One"
(1992)

"Mysterious Ways" é uma canção da banda irlandesa de rock U2. É a oitava faixa e segundo single do álbum Achtung Baby e foi lançado como segundo single do álbum, em 24 de novembro de 1991. A música alcançou o top 10 das paradas de singles em vários países, incluindo a Irlanda, onde obteve a posição de número #1. Nos Estados Unidos, a canção chegou ao topo da Alternative Songs e Hot Mainstream Rock Tracks, e na posição de número #9 na Billboard Hot 100.

A canção começou como um improviso chamado de "Sick Puppy", com a banda só gostando da parte do baixo, que o baixista Adam Clayton tinha composto. A banda se esforçou para fazer uma música em cima disso, com o vocalista Bono e o produtor Daniel Lanois discutindo intensamente durante uma sessão da composição. O avanço da canção só veio quando o guitarrista The Edge introduziu um novo pedal de guitarra. "Mysterious Ways" traz uma batida dançante, com um gancho na guitarra funky, o uso da conga na percussão, bem como as letras místicas de Bono sobre o romance e as mulheres.

A canção recebeu elogios da crítica após o lançamento de Achtung Baby, muitos dos quais afirmaram que era uma das faixas destacadas e que melhor ilustra a evolução musical da banda no álbum. Um vídeo da música foi filmado no Marrocos e incorporando imagens distorcidas de Bono e uma dançarina do ventre. "Mysterious Ways" fez sua estréia ao vivo na Zoo TV Tour em 1992, quando performances foram acompanhadas por uma dançarina do ventre no palco. O grupo continuou a executar a canção em turnês subseqüentes.

Escrita e gravação[editar | editar código-fonte]

"Mysterious Ways" começou como um improviso de demo chamado de "Sick Puppy" que o grupo gravou no STS Studios, em Dublin,[1][2] com o vocalista Bono, o guitarrista The Edge e a interferência do baixista Adam Clayton através da bateria eletrônica.[3] A banda gostou da parte do baixo de Clayton, que se originou durante a gravação de uma versão cover da canção "Night and Day", e por um tempo, consistia um pouco mais do que uma "nota em ranhura".[3] No entanto, a banda teve dificuldades para completar o restante da melodia da canção. Bono disse que era "uma linha do baixo em busca de uma canção", enquanto The Edge afirmou que "a chave para a canção foi encontrar maneiras para utilizar cordas por cima sem ter que mudar o baixo".[3]

A banda estagnou no processo de produzir novas ideias fora da canção, e brevemente, o clima tenso nas sessões de gravação no Hansa Ton Studios em Berlim, cobrou seu preço. O produtor Daniel Lanois chegou nos estúdios de manhã cedo, antes da banda trabalhar em ideias que ele teve sobre a música. Quando Bono chegou nos estúdios, ele começou a cantar e contribuindo com novas ideias novas ideias nos vocais, mas este entrou em conflito com o que Lanois tinha em mente sobre a canção. Bono e Lanois frustrados, discutiram intensamente por mais de duas horas, com o engenheiro Joe O'Herlihy preocupando-se, observando que uma agressão física iria acontecer. Bono olha para trás sobre o episódio com um senso de humor: "É por isso que eu gosto tanto de Lanois. Ele se preocupa tanto com o registro que ele está fazendo do que qualquer outra banda ou artista está trabalhando em um álbum".[4]

A canção "One", que provou ser uma descoberta nas difíceis sessões de gravação para Achtung Baby,[5] originou-se durante a escrita de "Mysterious Ways". The Edge chamou a atenção de Lanois enquanto brincava ao redor com progressões de acordes diferentes para a ponte da canção.[1] Encorajados por Lanois de combinar duas progressões de acordes, The Edge compôs um riff, que inspirou o resto do grupo a acompanhá-lo e improvisar uma canção nova, "One".[5]

A banda fez progresso em "Mysterious Ways", depois que The Edge começou a experimentar com uma efeitos de guitarra em uma Korg A3; e Bono disse-lhe para usá-lo na canção.[3][6] Bono disse que fez um "sobrescrito do som que se tornaria um acorde da guitarra funky com marteladas".[3] O baterista Larry Mullen Jr. adicionou uma bateria na faixa perto do final da gravação, introduzindo "uma batida bastante ranhurada", e que "demonstrou a diferença de uma bateria eletrônica e uma bateria de verdade".[3] Bono disse que a canção era um "U2 mais funky... Sly & the Family Stone encontra a dança Madchester".[3] Lanois forneceu a percussão adicional, tocando a conga. "Mysterious Ways" e a faixa que inspirou "One", foram as duas únicas canções que foram concluídas principalmente no Hansa Studios antes das sessões do álbum mudar-se para Dublin, em 1991.[1] Assim como eles fizeram por outras canções de Achtung Baby, o U2 continuou a trabalhar em "Mysterious Ways" até o prazo final de gravação, acrescentando uma guitarra overdub após a mixagem já estar concluída.[7]

Diferentes versos foram escritos, mas The Edge preconizava aqueles com uma "canção de ninar", como o verso: "Johnny, take a walk with your sister the moon, Let her pale light in, to fill up your room" ("Johnny dê um passeio com sua irmã a lua, Deixe sua luz pálida entrar, para encher seu quarto").[3] Ele também compôs o refrão: "It's alright, it's alright, it's alright" ("Tudo bem, tudo bem, tudo bem"), querendo provar um ponto, uma vez que antes, nenhuma música do U2 continha o verso.[3]

Composição[editar | editar código-fonte]

"Mysterious Ways" é tocado em um tempo de 99 batidas por minuto em um compasso de 4/4.[8] A introdução da música, que possui o gancho bem conhecido da guitarra, consiste em "1/7 friccionada no acorde barre, um par de riscos rítmicos e duas notas" tocado em uma chave de B♭.[9] Os versos seguem uma progressão de acordes de B♭–E♭–B♭–F.[10]

A letra da canção são dirigidas a um homem que vive sem romance, que estava em acordo com um título proposto para o álbum, Fear of Women.[3] A letra descreve como as mulheres, muitas vezes, aparecem e dominam os homens; Bono disse: "Às vezes, costumo idealizar as mulheres", explicando que sua esposa Ali, às vezes, reclama que ele a coloca em um pedestal. Alguns encontram interpretações religiosas para a canção. Scholar Atara Stein, em um ensaio analisando as canções do U2, descreve "Mysterious Ways" como uma das várias faixas de Achtung Baby que idealiza as mulheres e cria uma falsa ilusão delas. Stein descobriu o significado religioso no verso "She moves in mysterious ways" ("Ela anda por caminhos misteriosos") e Bono pedindo para sua esposa "Lift my days, light up my nights" ("Levanta meus dias, ilumina minhas noites"). Segundo ela, "Paradoxalmente, este processo de idealização, simultaneamente, eleva a mulher como um ídolo a ser adorado, apresentando-a como uma força potencialmente perigosa que o vocalista tem de controlar".[11]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

"Mysterious Ways" foi lançado como segundo single do álbum em 24 de novembro de 1991. Nos Estados Unidos, a canção alcançou a posição de número #9 na Billboard Hot 100, tornando-se um dos singles da banda no topo das paradas americana; apenas três singles do U2 ("With or Without You", "I Still Haven't Found What I'm Looking For" e "Desire") chegaram nas posições mais elevadas. "Mysterious Ways" também ficou no topo na Alternative Songs e Hot Mainstream Rock Tracks da Billboard. Alcançou a posição de número #8 nas paradas da Holanda. "Mysterious Ways", no entanto, é uma das poucas canções da banda a não estar presente no top 10 da UK Singles Chart, onde apenas alcançou a #13 posição no Reino Unido.

Quando o single "Even Better Than the Real Thing", "The Fly", "Who's Gonna Ride Your Wild Horses" e "Mysterious Ways" são arranjados, uma foto dos integrantes da banda aparecem dirigindo um Trabant.

Vídeo da música[editar | editar código-fonte]

O vídeo teve como tema, uma dançarina do ventre, que incluía fotos distorcidas de Bono dançando, e outras imagens místicas. Foi filmado por Stéphane Sednaoui no Marrocos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3.5 de 5 estrelas.[12]

Após o lançamento de Achtung Baby, "Mysterious Ways" recebeu críticas positivas dos críticos musicais. A Rolling Stone afirmou que a canção é uma das faixas de destaque entre as novas músicas de influência dance, elogiando seu gancho musical "efervescente e um solo de guitarra, na qual The Edge segue com rajadas de luz como sua marca em seu insidioso riff punk".[13] Steve Morse, da The Boston Globe, chamou-a de uma "canção de amor excepcional (...) com um refrão arrebatador", observando que, apesar dos vocais de Bono do álbum diferirem significativamente do seu estilo anterior, "Mysterious Ways" caracteriza-se pelo retorno em relação ao "seu desejo".[14] A The New York Times elogiou a canção como a melhor faixa do álbum, comentando que "é cheio de correntes cruzadas e rítmicos distorções sombrios", citando-o como um exemplo de que a banda tinha "lições de sessões de Bo Diddley e James Brown para suas novas canções dance sincopados".[15] A The Austin Chronicle destacou a canção como um dos três momentos do álbum, onde o U2 nunca soou melhor.[16] Denise Sullivan, da Allmusic, elogiou "Mysterious Ways", dizendo que é "uma canção bem estruturada, como um cântico gospel" e "mantém sua ranhura profunda com ajuda de alguns riffs de guitarra, uma batida percussiva persistente, e o que soa como espontâneas rajadas vocais de Bono na tradição R&B".[17] Em uma revisão do aniversário de 20 anos de reedição do álbum, Kit O'Toole do Seattle Post-Intelligencer, disse que "Mysterious Ways", exemplificou a evolução de soar da banda. Na sua opinião, apesar da sonoridade próspera da canção, esta partida não abala aos fãs de longa data, uma vez que mantém a cerne do U2 — estrondoso, guitarra arrebatadora, uma grande voz, e batidas poderosas. Muito simples, é um exemplo clásico de como os artistas podem alterar seu som sem comprometer suas crenças essenciais".[18] A canção terminou empatado em #25 posição na "Lista de Melhores Singles" da crítica de pesquisa da The Village Voice.[19]

Performances ao vivo[editar | editar código-fonte]

"Mysterious Ways" fez sua estréia ao vivo em 29 de fevereiro de 1992 em Lakeland, Flórida, na noite de abertura da Zoo TV Tour, e foi posteriormente tocado em todos os shows da turnê.[20] As performances da canção na Zoo TV contou com uma dançarina do ventre em palco, que iria seduzir Bono e The Edge. As etapas de 1992 caracterizou a moradora da Flórida Christina Petro como a dançarina. A coreógrafa da turnê Morleigh Steinberg assumiu o papel de iniciar a etapa Outside Broadcast; Steinberg começou a namorar The Edge durante a turnê, e os dois se casaram em 2002.[21] Durante as apresentações, os vídeos na tela da Zoo TV exibia imagens da cabeça de Marilyn Monroe girando com fita sobre ela.[22] As performances da turnê foi estendido a duração da versão original de estúdio da canção, com um slide de guitarra solo após o ponto da música onde termina a versão em estúdio, e uma longa introdução que incluía um interlúdio com The Edge no piano. Tanto a introdução e letra adicional de Bono, muitos dos quais foram cantados em falsete. A performance ao vivo da canção está presente no filme-concerto Zoo TV: Live from Sydney (1994)[23]

O grupo continuou tocando "Mysterious Ways" em sua turnê seguinte, a Popmart Tour, tocando-a nos 93 concertos da turnê,[20] e aparecendo no filme-concerto Popmart: Live from Mexico City (1998).[24] Em 2001 na Elevation Tour, a canção foi excluída de alguns concertos, mas ainda era tocada na maioria dos shows,[20] sendo lançada como faixa bônus do filme-concerto U2 Go Home: Live from Slane Castle.[25] Ao longo das próximas turnês, a banda a tocou na Vertigo Tour, aparecendo no DVD Vertigo 2005: Live from Chicago (2005),[26] no álbum ao vivo Zoo TV Live (2006),[27] no filme-concerto U2 360° at the Rose Bowl da U2 360° Tour,[28] estando menos presente durante esta turnê. A banda também parou de tocar um slide de guitarra solo estendida da canção ao final da U2 360° Tour, com a canção terminando com uma versão estendida;[20] e uma versão ao vivo da canção lançada no álbum U22 (2012).[29]

Referências na cultura popular[editar | editar código-fonte]

No episódio "In the Name of the Grandfather", de Os Simpsons, um outdoor irlandes anuncia um movimento com o slogan "We Move in Mysterious Ways".

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Mysterious Ways" – 4:04
  2. "Mysterious Ways" (Solar Plexus Magic Hour Remix) – 8:14
  1. "Mysterious Ways" – 4:04
  2. "Mysterious Ways" (Solar Plexus Extended Club Mix) – 7:00
  3. "Mysterious Ways" (Apollo 440 Magic Hour Remix) – 4:25
  4. "Mysterious Ways" (Tabla Motown Remix) – 4:27
  5. "Mysterious Ways" (Solar Plexus Club Mix) – 4:09
  • CD duplo (Austrália)[34]
  1. "Mysterious Ways" (The Perfecto Mix) – 7:06
  2. "Mysterious Ways" (Ultimatum Mix) – 5:00

Paradas musicais[editar | editar código-fonte]

Pessoal[editar | editar código-fonte]

U2
Técnica
  • Produção – Daniel Lanois com Brian Eno
  • Engenheiro de somFlood
  • Engenheiro adicional – Robbie Adams
  • Assistente de engenharia – Shannon Strong
  • Mixagem – Flood, Edge e Daniel Lanois
  • Assistente de mixagem – Shannon Strong
  • Assistente de percussão – Daniel Lanois
  • "Solar Plexus Club Mix" – Remixado por Howard Gray, Steve Lillywhite e Trevor Gray

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Howell, Peter (08-09-2011). «Howell: U2 and TIFF on the brink of middle age». Thestar.com. Torstar Media Group. Consultado em 08-06-2012 
  2. McCormick (2006), p. 216
  3. a b c d e f g h i j McCormick (2006), p. 227
  4. Stokes (1996), p. 104
  5. a b McCormick (2006), pp. 221–224
  6. Leonard, Michael (26-10-2011). «Reinventing U2: The Making of Achtung Baby». Gibson.com. Consultado em 08-06-2012 
  7. Tingen, Paul (03-1994). «U2 & Robbie Adams». Consultado em 08-06-2012 
  8. «U2 - Mysterious Ways Sheet Music». Musicnotes. Consultado em 09-06-2012 
  9. Hiatt, Brian (2009-10-15). "Live from Outer Space". Rolling Stone (1089): 38–47.
  10. «U2 - Mysterious Ways Sheet Music». Musicnotes. Consultado em 09-06-2012 
  11. Stein (1999), pp. 269–272
  12. Mysterious Ways (em inglês) no Allmusic
  13. Gardner, Elysa (09-01-1992). «U2's 'Achtung Baby': Bring the Noise»: 51. Consultado em 29-06-2012 
  14. Morse, Steve (15-11-1991). «U2 bounces back». The Boston Globe. Consultado em 29-06-2012 
  15. Pareles, Jon (17-11-1991). «U2 Takes a Turn From the Universal To the Domestic». The New York Times. Consultado em 29-06-2012 
  16. Gray, Christopher (30-03-2001). «Review - U2: Achtung Baby». Austin Chronicle. Consultado em 29-06-2012 
  17. Sullivan, Denise. «Song Review: 'Mysterious Ways'». Allmusic. Consultado em 29-06-2012 
  18. O'Toole, Kit (29-06-2012). «Music Review: U2 - Achtung Baby 20th Anniversary Edition». Seattle Post-Intelligencer 
  19. Christgau, Robert. «The 1991 Pazz & Jop Critics Poll». robertchristgau.com. Consultado em 29-06-2012 
  20. a b c d «U2 Mysterious Ways». U2Gigs. Consultado em 2010-04-29 
  21. McGee (2008), p. 143
  22. Graham, Bill (21-05-1992). «Achtung Station!». Consultado em 04-07-2012 
  23. U2, David Mallet (Director) (1994). Zoo TV: Live from Sydney (VHS). Island Records.
  24. U2, Popmart: Live from Mexico City (DVD). Island Records, 1998.
  25. U2, U2 Go Home: Live from Slane Castle (DVD). Island Records, 2001.
  26. U2, Hamish Hamilton (Director) (2005). Vertigo 2005: Live from Chicago (DVD). Island Records.
  27. (CD). Zoo TV Live. U2. United Kingdom: Island Records. 2006. U2.com.
  28. U2, Tom Krueger (Director) (2010). U2 360° at the Rose Bowl (DVD). Mercury Records.
  29. "U22 - The Results Are In". (22-01-2012). U2.com. Página visitada em 05-07-2012.
  30. (1991) Release notes for "Mysterious Ways" by U2 (Vinyl). United Kingdom: Island Records (IS509).
  31. (1991) Release notes for "Mysterious Ways" by U2 (Cassette). United Kingdom: Island Records (CIS509).
  32. (1991) Release notes for "Mysterious Ways" by U2 (CD). Island Records.
  33. (1991) Release notes for "Mysterious Ways" by U2 (CD). United Kingdom: Island Records (CID509).
  34. (1991) Release notes for "Mysterious Ways" by U2 (CD). Australia: Island Records (866 189-2).
  35. "German charts - U2 - Mysterious Ways" (em alemão). Media Control Charts. PhonoNet GmbH. Página visitada em 29-06-2012
  36. "Australian Charts - U2 - Mysterious Ways". Australian-charts.com. Página visitada em 29-06-2012.
  37. "Search Results: Mysterious Ways U2". RPM (01-02-1992). Top Singles - Volume 55. Página visitada em 29-06-2012.
  38. «U2 Album & Song Chart History». Alternative Songs. 30-11-1991. Consultado em 29-06-2012 
  39. «U2 Album & Song Chart History». Billboard Hot 100. 25-01-1992. Consultado em 29-06-2012 
  40. «U2 Album & Song Chart History». Hot Dance Club Songs. 01-02-1992. Consultado em 29-06-2012 
  41. «U2 Album & Song Chart History». Billboard Radio Songs. 08-02-1992. Consultado em 05-07-2012 
  42. "French Charts - U2 - Mysterious Ways". Lescharts.com. Página visitada em 29-06-2012.
  43. "Irish Singles Chart". The Irish Charts. Página visitada em 29-06-2012.
  44. "New Zealand Charts - U2 - Mysterious Ways". Charts.org.nz. Página visitada em 29-06-2012.
  45. "Dutchcharts.nl – Radiohead – U2 - Mysterious Ways" (em holandês). Mega Single Top 100. Hung Medien / hitparade.ch. Página visitada em 29-06-2012.
  46. "Top 40 Officail UK Singles Archive" (14-12-1991). The Official Charts Company. Página visitada em 29-06-2012.
  47. "Swedish charts - U2 - Mysterious Ways". Swedishcharts.com. Hung Medien. Página visitada em 29-06-2012.
  48. "Swiss charts - U2 - Mysterious Ways" Hitparade.ch. Página visitada em 29-06-2012.
  49. "Billboard Top 100 - 1992". Página visitada em 29-06-2012.
Bibliografia
  • U2. U2 by U2 McCormick, Neil: . London: HarperCollins Publisher, 2006. ISBN 0-00-719668-7 
  • Stein, Atara. «Even Better than the Real Thing: U2 (Love) Songs of the Self». Reading Rock and Roll: Authenticity, Appropriation, Aesthetics. Ed. Dettmar, Kevin J.H., and William Richey. New York: Columbia University Press, 1999. ISBN 0-231-11399-4 
  • Stokes, Niall. Into the Heart: The Stories Behind Every U2 Song. London: HarperCollins Publishers, 1996. ISBN 0-00-719668-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]