Nelson Sirotsky

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Nelson Sirotsky
Nelson Sirotsky
Nome completo Nelson Pacheco Sirotsky
Nascimento 17 de março de 1953 (66 anos)
Porto Alegre
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Progenitores Mãe: Ione Pacheco Sirotsky
Pai: Maurício Sirotsky Sobrinho
Parentesco Eduardo Sirotsky Melzer (sobrinho)
Ocupação Empresário
Cargo Membro do Conselho de Administração do Grupo RBS

Fundador da Maromar Investimentos

Nelson Pacheco Sirotsky (Porto Alegre, 17 de março de 1953) é um empresário brasileiro, ex-presidente do Grupo RBS (1991 a 2012) e ex-presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS (2008 a 2015). Atualmente, continua como membro dos conselhos de Administração e de Acionistas da RBS[1], contribuindo em questões editoriais e institucionais, mas sem funções executivas.[2] É filho do fundador da RBS, Maurício Sirotsky Sobrinho, e tio do atual chairman e presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer.

Em 2016, fundou a Maromar Investimentos[3], empresa que administra os investimentos de sua família e apoia causas como Empreendedorismo, Esporte e Cidadania. Por meio da Maromar, Nelson lidera iniciativas sociais como a do Instituto Tênis[4][5] – Núcleo Porto Alegre, projeto concebido por Jorge Paulo Lemann e que busca a massificação do Tênis como esporte no Brasil. É atual membro do Conselho Nacional da Endeavor Brasil[3], entidade que fomenta o Empreendedorismo no país, e embaixador da instituição no Rio Grande do Sul.  

Formou-se em Administração de Empresas e Administração Pública pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1974 e fez cursos de especialização, como o Executive Management Course na Universidade do Sul da Califórnia, realizado em 1979, e o Harvard YPO-President's Seminar, realizado no ano de 2000.[3]

Toda a sua atividade profissional, iniciada em 1971, foi desenvolvida no Grupo RBS, empresa em que trabalhou por 45 anos, dos quais 21 anos como presidente.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nelson Sirotsky teve contato com os veículos de comunicação desde cedo. Na infância, quando Maurício Sirotsky Sobrinho iniciava sua trajetória na Rádio Gaúcha, Nelson assistia ao pai no comando do Programa Maurício Sobrinho, no Cinema Castelo, em Porto Alegre. Aos 17 anos, estudando Administração de Empresas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), começou a atuar na empresa do pai como auxiliar de contabilidade. Um ano depois, assumiu a remontagem do prédio do Canal 12, destruído parcialmente por um incêndio. Além disso, tornou-se assistente da gerência da Rádio Gaúcha. Em 1978, introduziu a RBS TV em Santa Catarina. Depois, entre 1982 e 1986, ocupou a superintendência de mídia eletrônica da RBS.

Com a morte de Maurício Sirotsky Sobrinho, em 24 de março de 1986, Nelson assumiu como vice-presidente executivo, cargo que ocupou até 1991. Em 15 de maio daquele ano, tomou posse à frente do Grupo RBS quando seu tio Jayme Sirotsky passou a presidir o Conselho de Administração da empresa. Também em 1991, Nelson Sirotsky criou o Comitê Editorial do Grupo RBS, órgão responsável pela linha editorial da empresa.

A partir de 1997, trabalhou no lançamento da televisão por assinatura no Brasil quando o Grupo RBS, através da empresa NetSul, começou a operar com sistema de TV a cabo na região sul do Brasil. Atualmente, a RBS é sócia estratégica, junto com as Organizações Globo/Microsoft e Bradesco, da Globocabo SA, maior plataforma latino-americana de TV por assinatura. Em 2008, Nelson passou a acumular também a Presidência do Conselho de Administração da RBS quando Jayme Sirotsky foi designado Presidente Emérito do Grupo.

Em 2012, após 21 anos como Presidente do Grupo RBS, Nelson foi sucedido no cargo por seu sobrinho Eduardo Sirotsky Melzer a partir de um processo sucessório planejado por anos.[2][6]

Internet[editar | editar código-fonte]

Com Nelson à frente do Grupo RBS, Zero Hora foi o segundo jornal do país a oferecer conteúdo na internet, disponibilizando, em junho de 1995, um caderno de informática. Um ano depois, foi lançado o ZH Digital, que reproduzia na rede as informações do jornal impresso do dia. Em 1997, o Diário Catarinense, de Florianópolis, inaugurou seu portal, com a publicação virtual da edição impressa. No ano anterior, a RBS havia obtido o controle da Nutec[7], então maior provedora de acesso à internet do país, com 6 mil assinantes, e evoluiu com o ZAZ, uma das primeiras experiências de uma empresa brasileira com a internet. Em 16 de junho de 1999, o controle acionário do provedor de internet ZAZ foi adquirido pelo Grupo espanhol Telefônica. Sob o controle da Nutec, do Grupo RBS, o ZAZ já possuia 190 mil assinantes em 95 cidades brasileiras e 13,5 milhões de visitantes mensais[8]. Em 3 de julho de 2000, a RBS lançou o clicRBS, um portal de conteúdo voltado às comunidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

Atuação em entidades[editar | editar código-fonte]

Em 2004, Nelson Pacheco Sirotsky assumiu a presidência da ANJ (Associação Nacional de Jornais), permanecendo à frente da entidade por dois mandatos. Atualmente, é membro dos conselhos de Administração da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e da ANJ.[9] Também foi membro do conselho deliberativo do Grêmio, com mandato de 2007 a 2013 e atualmente é conselheiro efetivo do clube.[10]

Denúncia por crime financeiro[editar | editar código-fonte]

Em 16 de novembro de 2010, a juíza Salise Monteiro Sanchotene solicitou redistribuição da carta precatória n.º 5027955-60.2010.404.7100 para a 1.ª Vara Federal Criminal de Porto Alegre da Subseção Judiciária do Rio Grande do Sul, com o seguinte despacho: Compulsando os autos, verifico que a presente deprecata foi expedida em Ação Penal na qual os réus foram denunciados como incursos no artigo 21, § único, da Lei 7492/86. Considerando que a Resolução n.º 20, de 26.05.03, do Presidente do Egrégio Tribunal Regional Federal da 4ª Região, especializa a 1ª Vara Federal Criminal para processar e julgar, na Justiça Federal, na Seção Judiciário do Rio Grande do Sul, crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, caso no qual incide a denúncia constante desta Carta, reputo a 1ª Vara Federal Criminal desta Subseção Judiciária, como competente, portanto, para processar o feito. Conseqüentemente, remetam-se os presentes autos à SRIP para que os redistribua ao Juízo acima mencionado.[11] A carta se refere ao processo judicial originário n.º 2009.72.00.007958-8.

Em 19 de fevereiro de 2011, a Justiça Federal do Rio Grande do Sul acatou denúncia do Ministério Público contra Nelson Sirotsky, acusando-o de crime financeiro. Os dados do processo foram considerados sigilosos pela Justiça e não foram disponibilizados publicamente, mas com base o artigo no qual foi enquadrado — Art. 21 da Lei 7.492, que define os crimes contra o sistema financeiro nacional[12] —, sabe-se que a denúncia é aplicada a quem "atribuir-se, ou atribuir a terceiro, falsa identidade, para realização de operação de câmbio", ou para quem "sonega, para o mesmo fim, informação que devia prestar ou presta informação falsa."[13] Carlos Eduardo Schneider Melzer, conselheiro do grupo RBS, também foi denunciado no mesmo processo judicial.[14]

Mesmo sob sigilo, o processo 5027955-60.2010.404.7100 tinha seus trâmites disponíveis. Por algum motivo desconhecido, a tramitação desapareceu do sítio do TRF4 logo após a divulgação do indiciamento de Nelson Sirotsky.[15][16]

Ainda em fevereiro de 2011, o Grupo RBS publicou nota classificando as acusações de crime financeiro — que haviam sido divulgadas pelo R7, da Rede Record — de "infundadas e caluniosas", e que os nomes de Sirotsky e Melzer foram citados somente porque, na época, eles eram os representantes legais da Rural Trading, a empresa investigada.[17][18]

Filantropia[editar | editar código-fonte]

Nelson Pacheco Sirotsky apoia causas como Empreendedorismo, Esporte e Cidadania. Além de liderar iniciativas sociais como a do Instituto Tênis[5], Nelson é presidente da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, o braço social do Grupo RBS, onde executam projetos de alto impacto com foco na Educação e Desenvolvimento Comunitário.[19]

Livro "O Oitavo Dia"[editar | editar código-fonte]

Em 2018, Nelson Sirotsky lançou “O oitavo dia”[20][21]. A obra, escrita em parceria com a romancista Leticia Wierzchowski, narra episódios da vida pessoal e profissional do empresário. O título do livro faz referência ao oitavo dia de vida do bebê judeu, quando é realizada a circuncisão[22] — na cerimônia conhecida como brit-milá, que representa a aliança com Deus. Escrito pelo selo “Primeira Pessoa”[23] da Editora Sextante[24] —  que tem como missão publicar histórias de brasileiros que contribuem para o crescimento da cidadania no Brasil e no mundo, traz reflexões sobre a vida, religião e outros valores. Em uma mistura de depoimentos, pesquisas e histórias, que passeiam entre a narrativa e a liberdade ficcional, “O oitavo dia” conta a trajetória de Nelson, a história da família Sirotsky e do Grupo RBS, além do seu envolvimento com personagens fortes e marcantes da política, economia e sociedade.[25]

Prêmios e homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Mérito Catarinense, concedido pela Acaert (Associação Catarinense de Emissores de Rádio e Televisão) em 2017;[26]
  • Prêmio Libertae, concedido pela ABA (Associação Brasileira de Anunciantes) em 2013;[27]
  • Ordem do Mérito, concedido pelo Ministério Público do RS, 2013, pelos bons serviços prestados;[28]
  • Medalha Jorge Gerdau Johannpeter, concedida pelo Programa Gaúcho de Qualidade em 2012.[29]
  • Prêmio Liberdade de Imprensa, concedido pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE) durante o Fórum da Liberdade 2012;[30]
  • Prêmio Personalidade da Comunicação 2009, concedido pela Mega Brasil;[31]
  • Prêmio Caboré de Empresário de Comunicação do ano 1998;[32]
  • Prêmio Comunicação 1997 da Associação Brasileira de Propaganda (ABP), categoria Personalidade do Ano;[33]
  • Troféu Voluntário Honorário Brasil Sem Grades.[34]

Referências

  1. «Governança Corporativa | Grupo RBS». www.gruporbs.com.br (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2018 
  2. a b «Grupo RBS anuncia mudanças na estrutura organizacional». Grupo RBS. 14 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de abril de 2018 
  3. a b c «Nelson Pacheco Sirotsky - Endeavor». Endeavor. Consultado em 9 de abril de 2018. Arquivado do original em 11 de abril de 2018 
  4. «Lançamento do Instituto Tênis reúne empresários em Porto Alegre | Felipe Vieira». felipevieira.com.br. Consultado em 9 de abril de 2018 
  5. a b Loio, Gustavo. «Instituto Tênis lança núcleo em Porto Alegre | Top spin - O Globo». Top spin - O Globo. Consultado em 9 de abril de 2018 
  6. Fontes: SCHIRMER, Lauro. RBS: Da Voz-do-Poste à Multimídia. A história e as histórias nunca contadas da maior rede de comunicação do sul do Brasil. Porto Alegre, LP&M: 2002. Grupo RBS. Comunicação é a nossa vida. Porto Alegre, RBS Publicações: 2007.
  7. Vieira, Eduardo (2003). Os bastidores da Internet no Brasil. [S.l.]: Editora Manole. ISBN 9788520417089 
  8. Rondino, Renata (16 de junho de 1999). «Telefônica Interativa adquire controle acionário do ZAZ». Folha de Londrina. Consultado em 10 de abril de 2018 
  9. «Discurso de Nelson» 
  10. «Conselho Deliberativo | Grêmio FBPA». conselho.gremio.net. Consultado em 10 de abril de 2018 
  11. «PODEROSO CHEFÃO DA RBS É PROCESSADO POR LAVAGEM DE DINHEIRO». Cadoz Wordpress. 12 de fevereiro de 2011. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  12. «Lei Nº 7.492, de 16 de junho de 1986». Presidência da República. 16 de junho de 1986 
  13. «Dono de afiliada da Globo é processado por crime financeiro». R7 Notícias. 19 de fevereiro de 2011 
  14. «Processado por crime financeiro, dono de afiliada da Globo pode pegar até quatro anos de prisão». R7 Notícias. 20 de fevereiro de 2011 
  15. «Processo em que dono de afiliada da Globo foi indiciado desaparece da internet». Conversa Afiada. 17 de fevereiro de 2011 
  16. «Dono de afiliada da Globo é indiciado sob crime financeiro». Conversa Afiada. 11 de fevereiro de 2011 
  17. «RBS se defende de acusações do portal R7». Consumidor RS. 22 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de setembro de 2015 
  18. «Afiliada da Globo acusa R7 de divulgar informações "caluniosas e inverídicas"». Praia de Xangri-Lá. 21 de fevereiro de 2011. Consultado em 3 de setembro de 2015 
  19. uplace. «Equipe». FMSS 
  20. Bom Dia Rio Grande | Nelson Sirotsky e Leticia Wierzchowski lançam 'O oitavo dia' em Porto Alegre | Globoplay, consultado em 31 de outubro de 2018 
  21. «Nelson Sirotsky lança seu primeiro livro». Direto da Fonte 
  22. «Porto Alegre: Nelson Sirotsky autografa dia 24, O Oitavo dia. Livro escrito junto com Leticia Wierzchowski narra fatos da vida pessoal e profissional de um dos maiores empresários de comunicação do País | Felipe Vieira». felipevieira.com.br. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  23. Total, Labcom Comunicação. «Editora Sextante - Selos - Primeira Pessoa». www.esextante.com.br. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  24. Total, Labcom Comunicação. «Editora Sextante - Autores - Nelson P. Sirotsky». www.esextante.com.br. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  25. «O oitavo dia de Nelson Sirotsky». GaúchaZH 
  26. «Acaert entrega homenagem ao empresário Nelson Sirotsky em Florianópolis». ndonline. Consultado em 10 de abril de 2018 
  27. «ABA entrega prêmio Libertae em São Paulo - propmark». propmark. Consultado em 10 de abril de 2018 
  28. «Solenidade de outorga da Ordem do Mérito do Ministério Público acontece nesta sexta-feira». Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. Consultado em 9 de abril de 2018 
  29. «Nelson Sirotsky recebe homenagem durante o 17º Prêmio Qualidade RS». redeglobo.globo.com. Consultado em 10 de abril de 2018 
  30. Millenium, Comunicação (17 de abril de 2012). «Primeiro dia do 25º Fórum da Liberdade destaca "Educação" como prioridade». Também foi entregue o Prêmio Liberdade de Imprensa, ao presidente do grupo RBS Nelson Sirotsky, que afirmou: “A liberdade de imprensa é um dever, um direito de todos os cidadãos”. Consultado em 9 de abril de 2018 
  31. «Congresso Mega Brasil de Comunicação 2010». www.megabrasil.com.br. Consultado em 9 de abril de 2018 
  32. «1998 – Caboré». www.cabore.com.br. Consultado em 9 de abril de 2018 
  33. «ZERO HORA É VEÍCULO DO ANO EM PREMIAÇÃO DA ABP». Coletiva.net - Tá todo mundo aqui. Consultado em 9 de abril de 2018 
  34. www.pontoonline.com.br. «Notícias - Brasil Sem Grades entrega Troféu Voluntário Honorário». www.enfato.com.br. Consultado em 9 de abril de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Jayme Sirotsky
Presidente do Grupo RBS
1991 – 2012
Sucedido por
Eduardo Sirotsky Melzer