ZAZ

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ZAZ
Nutecnet S.A.
Tipo Privada
Indústria Internet
Fundação 1 de dezembro de 1996
Fundador(es) Marcelo Lacerda
Sérgio Pretto
Silvia de Jesus
Sandra Pecis
Encerramento 5 de fevereiro de 2000
Sede Porto Alegre, RS,  Brasil
Proprietário(s) Grupo RBS (1996-2000)
Telefônica (1999-2000)
Pessoas-chave Sandra Pecis (Diretora geral)
Empregados 930
Produtos Portal de Internet
Provedor de Internet
Valor
de mercado
Aumento US$ 500.0 milhões (1999)
Faturamento Aumento R$ 25.0 milhões (1999)[1]
Sucessora(s) Terra Networks Brasil
Página oficial www.zaz.com.br

ZAZ foi um portal de Internet, nascido após a compra da Nutecnet pelo Grupo RBS[2] e durou entre 1996 e 2000. Após ter sido comprado pela Telefónica, tornou-se o Terra, um dos maiores grupos de Internet do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Nutec e Nutecnet[editar | editar código-fonte]

Em 1988, foi criada na cidade de Porto Alegre a Nutec, de propriedade de Marcelo Lacerda e Sérgio Pretto. A Nutec era uma empresa de software com filiais em São Paulo e nos Estados Unidos. Após anos de investimento no mercado de TI e na automação comercial, a Nutec decidiu investir na internet a partir do contato com universidades americanas. Para lidar com os investimentos na internet, foi criada a Nutecnet, cujo primeiro produto foi um serviço de e-mail.

O Grupo RBS comprou a Nutecnet e passaram a investir na criação de um canal interativo na internet. Sandra Pecis e Silvia de Jesus, da Nutecnet de Porto Alegre, criaram o pré-projeto que recebeu a colaboração do Grupo e da Nutecnet de São Paulo. No dia 1 de dezembro de 1996 foi lançado o portal e provedor de internet ZAZ, na época com o slogan: ZAZ - O seu canal na internet.

Progresso[editar | editar código-fonte]

Durante seu progresso, o ZAZ apresentou coisas inovadoras para a época, um serviço de e-mail grátis, novelas feitas para a internet, sendo a mais famosa "A Gente ainda nem Começou", uma história em quadrinhos de ficção-científica, a Cybercomix, e o primeiro serviço de webcasting no Brasil, que divulgava notícias de outros veículos de comunicação, como por exemplo os jornais O Globo e ISTOÉ. O ZAZ teve repercussão internacional. Marcelo Lacerda estava na lista dos 20 principais empreendedores da América Latina, feita pela revista Buisness Week e foi chamado de "Bill Gates Brasileiro" pelo The Wall Street Journal.

Em 1997 tinha cerca de 2,5 milhões de page views por dia e recebia diariamente em torno de 100 mil visitas e tinha 59 mil assinantes e 51 pontos de presença em todo o Brasil.[3]

Zaz e Telefônica[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1999 a Telefônica escolheu o ZAZ para iniciar suas operações de Internet na América Latina. A companhia adquiriu 51% da Nutecnet, que era empresa que administrava o ZAZ, o valor da compra não revelado mas as estimativas foram que a transação custou cerca de US$ 250 milhões, pois o valor de mercado na Nutecnet na aquele ano era de mais de 500 milhões de dólares, o Grupo RBS continuou como acionista da empresa e ficou com 49% do capital da companhia.[4][5]

Em janeiro de 2000, o ZAZ foi totalmente adquirido pelo grupo Telefônica, substituindo a marca para Terra. Em maio do mesmo ano, a Lycos Inc se uniram em um acordo, criando a Terra Lycos. Com isto, a empresa se tornou uma das redes mais populares de internet no mundo.[6]

Referências

  1. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi0602200014.htm
  2. Erro Lua em Módulo:Citação/CS1 na linha 2140: attempt to call upvalue 'year_date_check' (a nil value).
  3. http://www.microsoft.com/brasil/pr/rbsnbc.htm
  4. http://www.teletime.com.br/16/06/1999/rbs-vende-51-do-zaz-para-telefonica-interativa/tt/25511/news.aspx
  5. «A segunda onda da internet grátis». Revista Veja Edição 633. 26/1/2000. Consultado em 07/02/2010.  |coautores= requer |autor= (Ajuda)
  6. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi2101200019.htm
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.