Nossa Senhora da Ortiga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nossa Senhora da Ortiga
A imagem original de Nossa Senhora da Ortiga
Virgem da Ortiga
Instituição da festa 1758 (que foi reforçada pela indulgência plenária concedida pelo Papa Pio VII em 1801)
Venerada pela Igreja Católica
Principal igreja Santuário de Nossa Senhora da Ortiga
Festa litúrgica 1º Domingo de Julho
Atribuições Nossa Senhora terá prometido conceder muitas graças no lugar da Sua aparição (na Ortiga)

Nossa Senhora da Ortiga é uma das designações atribuídas à Santíssima Virgem Maria após as aparições que ocorreram no século XVIII a uma pastorinha muda, no lugar da Ortiga, na freguesia de Fátima, em Portugal.

História das aparições[editar | editar código-fonte]

De acordo com a tradição, a Virgem Maria apareceu por volta do ano de 1758 – no lugar onde atualmente se ergue o Santuário de Nossa Senhora da Ortiga[1][2][3] – a uma pastorinha que andava a guardar o seu rebanho e a quem pediu uma ovelhinha. A menina, que era muda de nascença, sentiu a sua língua soltar-se e respondeu à Senhora que não Lhe daria a ovelha sem a permissão do seu pai que morava no Casal de Santa Maria. Então, a menina foi a correr para contar ao pai o pedido da Senhora, o qual se encheu de espanto e de alegria por ver a filha conseguir falar e logo lhe ordenou que fizesse tudo o que a Senhora pedisse. A pastorinha regressou ao local da aparição para falar à Mãe de Deus que, em resposta, lhe pediu que fosse construída uma capela naquele lugar e onde prometeu que haveria de conceder muitas graças. Tendo ido o pai da menina ao local por esta indicado, encontrou uma imagem da Virgem Maria sobre uma pedra entre urtigas (ou ortigas) e que levou consigo para o Casal de Santa Maria, mas a imagem desapareceu dali para ser vista novamente no local original entre as urtigas.[2][3]

Foi construída uma pequena capela no local da aparição de Nossa Senhora, a qual, depois, foi ampliada dando lugar a um santuário.[4]

Indulgência papal[editar | editar código-fonte]

Em 1801, o Papa Pio VII concedeu uma indulgência plenária (por ocasião do encerramento do atribulado Ano Jubilar de 1800) a todos os peregrinos que visitem o referido santuário mariano no primeiro Domingo de Julho e nos dois dias seguintes, sendo que os fiéis devem observar as condições prescritas: terem-se confessado previamente, terem recebido a Sagrada Comunhão (em estado de graça) e rezarem pelo Sumo Pontífice. Esta indulgência pode lucrar-se todos os anos.[5]

Festa litúrgica[editar | editar código-fonte]

A festa em honra de Nossa Senhora da Ortiga realiza-se, anualmente, no primeiro Domingo de Julho. Nesta data, e nos dois dias seguintes, a população da freguesia de Fátima, para além de cumprir algumas promessas e assistir às cerimónias religiosas, partilha uma refeição comunitária.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Festa de Nossa Senhora da Ortiga, em Fátima». 24 de junho de 2015. Consultado em 14 de Julho de 2016. 
  2. a b Carreira, Manuel (2 de julho de 2006). «Festas em honra de Nossa Senhora da Ortiga». Consultado em 14 de Julho de 2016. 
  3. a b «Fátima: Festas de Nossa Senhora da Ortiga são tradição secular». 3 de julho de 2014. Consultado em 14 de julho de 2016. 
  4. Peregrinações à Nossa Senhora da Ortiga, Fátima e a epidemia de “aparições” in Observador, 08/05/2017.
  5. «Santuários de Portugal – Caminhos de Fé». Consultado em 13 de fevereiro de 2018.