Os Dez Mandamentos (filme de 2016)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Dez Mandamentos, veja Dez Mandamentos (desambiguação).
Os Dez Mandamentos - O Filme
Cartaz do filme
 Brasil
2016 •  cor •  120 min 
Direção Alexandre Avancini
Coprodução Paris Filmes
Rede Record
Roteiro Vivian de Oliveira [1]
História Êxodo dos hebreus
Baseado em Os Dez Mandamentos
(telenovela de Vívian de Oliveira)
Elenco Guilherme Winter
Sérgio Marone
Camila Rodrigues
Giselle Itié
Petrônio Gontijo
Gabriela Durlo
Larissa Maciel
Denise del Vecchio
Marco Antônio Gimenez
Vera Zimmerman
Paulo Gorgulho
Gênero Épico
Música Daniel Figueiredo
Companhia(s) produtora(s) RecNov
Distribuição Paris Filmes
Downtown Filmes
Lançamento Brasil28 de janeiro de 2016
Angola06 de maio de 2016
Portugal22 de setembro de 2016
Moçambique10 de outubro de 2016
Argentina23 de fevereiro de 2017
Uruguai02 de março de 2017
Bolívia06 de abril de 2017
Coreia do Sul13 de abril de 2017
Idioma Português
Receita R$ 116 milhões [2]

Os Dez Mandamentos é um filme épico brasileiro de 2016, lançado pela Record Filmes em parceria com a Paris Filmes. O filme é uma adaptação da novela homônima apresentada pela Rede Record em 2015, obtendo cenas inéditas e desdobramentos distintos dos que foram exibidos em seu último capítulo na televisão.[3] A adaptação foi escrita por Vivian de Oliveira e dirigida por Alexandre Avancini, contando com Guilherme Winter, Sérgio Marone, Camila Rodrigues, Petrônio Gontijo, Giselle Itié, Sidney Sampaio, Denise Del Vecchio, Larissa Maciel e Paulo Gorgulho no elenco principal.[4] O filme contou com um grande investimento em efeitos especiais e narra uma das mais conhecidas passagens da Bíblia: a história de Moisés desde o seu nascimento até sua velhice, destacando o encontro com Deus no Monte Sinai, as pragas lançadas sobre o Egito, a sua participação no êxodo dos hebreus, a passagem pelo Mar Vermelho, e a revelação dos dez mandamentos. Portanto, o filme cobre mais de cem anos de história.

Durante a pré-venda, o filme bateu vários recordes. Em duas semanas vendeu mais de 2 milhões de ingressos e bateu também o recorde de salas de cinema ocupadas no Brasil, cerca de 1.000 salas, algo inédito no Brasil.[5][6][7] Os Dez Mandamentos se tornou o filme com maior bilheteria do cinema brasileiro com 11,215 milhões de ingressos vendidos, superando Tropa de Elite 2: o Inimigo agora É Outro, que era o recordista até então.[8] Entretanto, diversas fontes da mídia brasileira noticiaram que igrejas adquiriram uma grande quantidade de ingressos que não foram totalmente repassados semanas após o lançamento do filme, que ocorreu em 28 de janeiro de 2016. Portanto, o número de espectadores é uma incógnita.[9]

As resenhas dos críticos especializados foram, em geral, negativas. Entre os vários fatores que geraram desagradamento estão: o cenário, o roteiro, o som e o mal uso de câmeras lentas; a narrativa, o elenco e a edição também foram criticadas. Os principais elogios da crítica foram para os efeitos especiais em cenas de ações.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A adaptação cinematográfica da novela homônima, conta a saga de Moisés guiando o povo hebreu para a terra prometida. O enredo conta com a adaptação de quatro livros da Bíblia que contam essa trajetória: Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

Acolhido pela filha do faraó ainda bebê, Moisés cresce como príncipe do Egito, mas volta-se contra sua família adotiva em favor do sofrido povo de Israel, que por ele deverá ser conduzido à libertação. Com sua coragem ele desafiou um rei, mas foi com sua fé em Deus que ele salvou seu povo. As pragas do Egito, a jornada para a Terra Prometida e toda a emoção do maior fenômeno dos últimos anos com cenas inéditas e um final exclusivo para o cinema.

Adaptação cinematográfica baseada na Bíblia e na novela Os Dez Mandamentos da Rede Record, um dos maiores fenômenos de audiência dos últimos tempos da televisão brasileira.

Segundo alguns críticos o filme segue mesmo roteiro do filme Os Dez Mandamentos (1956) de Cecil B. DeMille onde a luta se dá entre o povo Hebreu monoteísta contra a repressão do tirano faraó do Egito politeísta.[10]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Antecedentes e contexto[editar | editar código-fonte]

A novela Os Dez Mandamentos é considerada uma teledramaturgia bíblica.[11] Em 2010, a Rede Record lançou o primeiro produto na televisão com essa temática, com a estreia da minissérie de 10 episódios, A História de Ester. Em 2011, estreia a minissérie de 18 episódios, Sansão e Dalila. Em 2012, foi a vez de Rei Davi, minissérie com 30 episódios. No ano de 2013, estreia José do Egito, minissérie em 38 episódios. Em 2014, a série Milagres de Jesus com 18 episódios na primeira temporada, e em 2015 a segunda temporada com 17 episódios. [12]

O filme é uma adaptação da novela Os Dez Mandamentos, produzida e exibida pela Record de 23 de março a 23 de novembro de 2015, sendo a primeira novela bíblica produzida a nível mundial[13] e que quebrou recordes de audiências e liderou por várias noites o Ibope no horário nobre.[14] Após os últimos capítulos da primeira temporada em 2015, a emissora anunciou o filme em 19 de novembro de 2015.[14]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

A Rede Record fez uma parceria com a Paris Filmes e divulgou em novembro de 2015, durante o término da exibição de um capítulo da trama e nas redes sociais que a novela de grande audiência Os Dez Mandamentos ganharia uma versão cinematográfica, divulgando a data de lançamento para 28 de janeiro de 2016.[15] O trailer oficial do filme foi lançado na última semana de dezembro, e foi compartilhada pelos fãs nas redes sociais, que ficaram na expectativa para a estreia do filme.[16]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Guilherme Winter interpreta Moisés, protagonista do filme.
Sérgio Marone interpretou Ramsés.
Petrônio Gontijo é interprete de Aarão.
Giselle Itié interpretou Zípora.
Ator/Atriz[17] Personagem
Guilherme Winter Moisés
Sérgio Marone Ramsés
Camila Rodrigues Nefertari
Giselle Itié Zípora
Petrônio Gontijo Aarão
Sidney Sampaio Oséias/Josué
Larissa Maciel Miriã
Denise Del Vecchio Joquebede 
Paulo Gorgulho Anrão
Gabriela Durlo Eliseba
Giuseppe Oristânio Paser
Vera Zimmermann Henutmire 
Eduardo Lago Disebek
Lisandra Souto Amália
Luciano Szafir Meketre
Vitor Hugo Corá
Juliana Didone Leila
Felipe Cardoso Zelofeade
Marcela Barrozo Betânia
Babi Xavier Tais
Nanda Ziegler Judite
Victor Pecoraro Ikeni
Rayana Carvalho Adira
Tammy di Calafiori Ana
Thierry Figueira Aníbal
Pérola Faria Deborah
Licurgo Spinola Num
Roberta Santiago Karoma
Paulo Reis Eldade
Rafael Sardão Uri
Renato Livera Simut
Rocco Pitanga Jahi
Jorge Pontual Menahem
Kiko Pissolato Bakenmut
Fernando Sampaio Gahiji
Bruno Padilha Datã
Sandro Rocha Abirão
Bianka Fernandes Abigail
Thaís Müller Jerusa
Carlos Bonow Ahmós
Brendha Haddad Inês
Bernardo Velasco Eleazar
Rodrigo Vidigal Calebe
Kátia Moraes Bina
Julio Oliveira Chibale
Jeniffer Setti Safira
Aisha Jambo Radina
Marco Antônio Gimenez Nadabe
Binho Beltrão Aoliabe
Erich Pelitz Jairo
José Victor Pires Amenhotep
Igor Cosso Bezalel
Adriana Garambone Yunet
Heitor Martinez Apuki

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Samara Felippo Joquebede (1ª fase)[18]
Roger Gobeth Anrão (1ª fase)[19]
Mel Lisboa Henutmire (1ª fase)[20]
Zé Carlos Machado Seti I[21]
Angelina Muniz Tuya[22]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Giselle Itié e Guilherme Winter na pré-estreia do filme.

No dia 1 de janeiro de 2016 a rede de cinema Cinemark disponibilizou a pré-venda dos ingressos para o filme.[23] Em 7 de janeiro já haviam sido vendidos mais de 401 mil ingressos.[24]

A Igreja Universal do Reino de Deus divulgou o filme e fez solicitações em seus cultos para que seus fiéis comprassem ingressos do filme e doassem para outas pessoas.[25] Em Recife uma única pessoa comprou 22.700 ingressos por R$ 220 mil, segundo o site UOL.[26] O site Universo Online também informou que, apesar dessa estratégia, os jornalistas observaram salas vazias na estreia do filme em São Paulo.[27] Em uma primeira nota no seu site oficial, a IURD negou veementemente as informações e classificou-as como acusações, afirmando ainda que a igreja jamais obrigou ninguém a praticar qualquer ato e criticou duramente o site.[28] Em outra nota a IURD também negou as informações do UOL sobre lugares vagos em sessões esgotadas, afirmando que não eram de pré-venda e sim comercializados de forma avulsa.[28]

Em abril de 2016, cerca de 11,204 milhões de ingressos haviam sido vendidos para Os Dez Mandamentos, fazendo da obra o maior público do cinema nacional de toda a história.[29] Contudo, a Folha de S.Paulo ressalta que a lista da Ancine menciona público e não bilhetes comercializados, ao passo que várias sessões de Os Dez Mandamentos tiveram poltronas vazias mesmo com todos os ingressos vendidos.[30] O Globo acrescentou que bilhetes podiam ser recebidos em cultos da IURD.[29] Após duas semanas, a arrecadação era R$42 milhões,[31] chegando a R$115 milhões em abril.[32]

Crítica[editar | editar código-fonte]

O filme teve uma má recepção da crítica especializada, que reprovou sua narrativa, interpretações dos atores, edição de cenas e adaptação em duas horas de duração dos 176 capítulos da telenovela de sua origem. Escrevendo para o site especializado em cinema CinePop, Renato Marafon deu ao filme 1 estrela e meia em uma classificação que vai até 5, dando ênfase às "cenas desconexas e a falta de foco nos personagens principais" e ressaltou as "gírias modernas" usadas pelo roteiro em uma produção sobre o Antigo Egito.[33] Renato Hermsdorff, do site AdoroCinema, também deu ao filme uma avaliação de 1 estrela e meia em 5, dando destaque a adaptação da telenovela em um filme, escrevendo que "personagens entram e saem de cena em um ritmo alucinante, sem que o espectador familiarizado com o folhetim tenha instrumentos para poder compreender exatamente o que se passa", e contestou o ponto de vista técnico do filme como "baseada no exagero e, paradoxalmente, pobre [...] Dos cenários ao figurino, tudo lembra um grande desfile de carnaval".[34] O jornal Folha de S.Paulo, em sua versão online escrita por Inácio Araújo, criticou a narrativa, roteiro, elenco e edição do filme, mas elogiou as cenas de ação, "em particular as com efeitos especiais", mas também criticou o uso de câmera lenta nestas.[35] Giovanni Rizzo, do Observatório do Cinema, deu ao filme uma classificação de 1 estrela em 5, dizendo que "a mixagem de som é mal trabalhada e algumas vezes o áudio estoura e é impossível entender o que algum personagem diz".[36] Roberto Sadovski, escrevendo uma resenha em seu blogue no UOL, fez duras críticas ao filme, como a falta de contexto em partes importantes como as relações entre Moisés e o Faraó, e a "pobreza visual e da inadequação de elenco e cenários".[37]

Edição Especial[editar | editar código-fonte]

No dia 24 de março de 2016, foi exibido uma edição especial de Páscoa durante a Semana Santa. O título foi nomeado como ''Os Dez Mandamentos - O Filme: Edição Especial de Páscoa''. O filme teve uma versão estendida com cinco minutos de acréscimo, mostrando as cenas inéditas da segunda temporada da novela e os símbolos sagrados da Páscoa (ou Pessach, que significa ''passar por cima'', em hebraico). Como o sangue que passavam nas ombreiras das portas para evitar a entrada do anjo destruidor, segundo a ordem de Deus descrita na Bíblia e os pães ázimos e as ervas amargas. Para os cristãos, a Páscoa é celebrada a Sexta-feira Santa que é a crucificação de Jesus e o domingo, que é o dia da ressurreição.[38]

Lançamento em DVD e Blu-ray[editar | editar código-fonte]

Os Dez Mandamentos estreou batendo recordes de bilheteria, a sua versão Home Video (versão em DVD e Blu-Ray) as pré-vendas foram lançadas pela Paris Filmes enquanto o filme ainda estava em cartaz nos cinemas, o lançamento ocorreu em 12 de abril, nas principais lojas do Brasil.[39]

Aparição do filme na TV aberta[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de dezembro do mesmo ano, iniciando a programação especial de fim de ano, foi ao ar na emissora pela primeira vez na TV. A repercussão nas redes sociais foi imediata durante a exibição, repetindo o mesmo sucesso que aconteceu no cinema, e alcançando o pico de 13 pontos, marcando média de 10 pontos, e com share de 18%.[40]

Referências

  1. «Novela "Os Dez Mandamentos" vai virar filme». Correio do Povo. 23 de julho de 2015. Consultado em 4 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2016 
  2. «Bilheteria Brasil». Omelete. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 5 de abril de 2016 
  3. «Após sucesso de audiência, 'Os Dez Mandamentos' vai virar filme». IG. 24 de novembro de 2015. Consultado em 4 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2016 
  4. «Cinemark abre pré-venda de ingressos para "Os Dez Mandamentos"». A Tribuna. 1 de janeiro de 2016. Consultado em 4 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2016 
  5. «Filme 'Os Dez Mandamentos' supera 2 milhões de ingressos na pré-venda». VEJA.com. Consultado em 21 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2016 
  6. «'Os Dez Mandamentos' vai estrear em número recorde de salas». VEJA.com. Consultado em 21 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2016 
  7. Moraes, Camila (29 de janeiro de 2016). «'Os Dez Mandamentos - O Filme', o milagre da multiplicação dos ingressos». El País. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2016 
  8. «É recorde! Os Dez Mandamentos é o filme brasileiro com maior número de ingressos vendidos na história». Consultado em 30 de junho de 2016. Cópia arquivada em 13 de abril de 2016 
  9. Bruno Carmelo (3 de janeiro de 2017). «Retrospectiva 2016: As 20 maiores bilheterias do cinema brasileiro». AdoroCinema. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2017 
  10. Os Dez Mandamentos de 2016 segue clássico do filme Os Dez Mandamentos (1956) de Cecil B. DeMille
  11. «Novela bíblica da Record peca no didatismo e parece Carnaval». Notícias da Tv. 28 de março de 2015. Consultado em 4 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 29 de março de 2016 
  12. «A História de Ester». R7. Consultado em 3 de março de 2016. Cópia arquivada em 16 de março de 2016 
  13. Fernando, João (22 de março de 2015). «Record lança 'Dez Mandamentos', primeira novela bíblica». Estadão.com.br. Consultado em 4 de janeiro de 2015. Cópia arquivada em 24 de março de 2015 
  14. a b Russo, Francisco (20 de novembro de 2015). «Novela Os Dez Mandamentos ganhará versão para o cinema». Adoro Cinemas. Consultado em 4 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2015 
  15. Ricco, Flávio (19 de novembro de 2015). tvefamosos.uol.com.br http://tvefamosos.uol.com.br/colunas/flavio-ricco/2015/11/19/o-dez-mandamentos-vira-filme-com-final-diferente.htm. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  16. «Divulgado trailer de 'Os Dez Mandamentos - O Filme'; assista». atarde.uol.com.br. 23 de dezembro de 2015. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  17. «Elenco da novela». R7. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  18. «Samara Felippo interpreta a personagem Joquebede na novela 'Os Dez Mandamentos'...». Pure People. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  19. «Roger Gobeth e Paulo Gorgulho farão o papel de Anrão em diferentes fases de 'Os Dez Mandamentos'...». Pure People. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  20. «Mel Lisboa». Pure People. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  21. «Zé Carlos Machado é Seti I...». Pure People. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  22. «Angelina Muniz interpreta a personagem Tuya na novela 'Os Dez Mandamentos'...acessodata=19 de julho de 2016». Pure People. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  23. «Rede abre pré-venda de ingressos para filme de 'Os Dez Mandamentos'». Folha de S.Paulo. 1 de janeiro de 2016. Consultado em 4 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2016 
  24. Feltrin, Ricardo. «Filme "Os Dez Mandamentos" já vendeu 401 mil ingressos antecipados 4». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 7 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 8 de janeiro de 2016 
  25. «Universal pede dinheiro a fiéis para lotar cinemas de Os Dez Mandamentos». UOL. Consultado em 19 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 19 de janeiro de 2016. A reportagem do Notícias da TV presenciou um pedido de "oferta" para a compra de ingressos no templo da avenida João Dias, em Santo Amaro (zona Sul de São Paulo), na última terça-feira (12). Durante o culto, os obreiros (ajudantes) entregavam um envelope com o logotipo de Os Dez Mandamentos, enquanto os pastores pediam para os fiéis depositarem a quantia que pudessem para ajudar na "causa". O envelope com o dinheiro podia ser devolvido no mesmo dia ou na próxima reunião. 
  26. «Uma única pessoa compra 22 mil ingressos para Os Dez Mandamentos no Recife». Diario de Pernambuco. 19 de janeiro de 2016. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  27. Cruz, Felipe Branco; Nogueira, Renata (19 de janeiro de 2016). «"Os Dez Mandamentos" estreia com lugares vagos em sessões esgotadas». cinema.uol.com.br. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2016 
  28. a b Medeiros, Janaina (7 de fevereiro de 2016). «Por que Os Dez Mandamentos incomoda tanto?». Igreja Universal do Reino de Deus. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 19 de julho de 2016 
  29. a b «'Os dez mandamentos' se torna a maior bilheteria do cinema nacional». O Globo. 12 de abril de 2016. Consultado em 17 de abril de 2016. Cópia arquivada em 20 de abril de 2016 
  30. «'Dez Mandamentos' tem 3.º 'maior público' do cinema brasileiro». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de março de 2016. Cópia arquivada em 26 de março de 2016 
  31. «"Os Dez Mandamentos" segue na liderança das bilheterias e bate "O Regresso"». cinema.uol.com.br. 12 de fevereiro de 2016. Consultado em 7 de março de 2016. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2016 
  32. Hessel, Marcelo (19 de abril de 2016). «Batman vs Superman passa Os Dez Mandamentos e tem a maior bilheteria do ano no Brasil». Omelete. Consultado em 19 de julho de 2016. Cópia arquivada em 20 de abril de 2016 
  33. Marafon, Renato (31 de janeiro de 2016). «Crítica: Os Dez Mandamentos – O Filme». CinePop. Consultado em 1 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2016 
  34. Hermsdorff, Renato (2016). «Os Dez Mandamentos - O Filme: Crítica». AdoroCinema. Consultado em 1 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2016 
  35. Araujo, Inácio (30 de janeiro de 2016). «Título do filme deveria ser 'Os Dez Mandamentos - O Pesadelo'». Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2016 
  36. Rizzo, Giovanni (29 de janeiro de 2016). «Crítica: Os Dez Mandamentos – O Filme». Observatório do Cinema. Consultado em 1 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2016 
  37. Sadovski, Roberto (29 de janeiro de 2016). «Como cinema, Os Dez Mandamentos é um fracasso completo». UOL. Blog do Sadovski. Consultado em 1 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2016 
  38. Sousa, Camila (21 de março de 2016). «Os Dez Mandamentos ganha edição especial de Páscoa». edição especial de Páscoa. Omelete. Consultado em 21 de março de 2016. Cópia arquivada em 27 de março de 2016 
  39. «DVD e Blu-Ray de "Os Dez Mandamentos - O Filme" já estão em pré-venda». 17 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de julho de 2016. Cópia arquivada em 27 de março de 2016 
  40. TV, Notícias da (5 de dezembro de 2016). «Filme Os Dez Mandamentos bate Silvio Santos e deixa SBT em terceiro lugar». Notícias da TV  line feed character character in |titulo= at position 31 (ajuda)