Protestos em Marrocos em 2011–2012

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os Protestos em Marrocos em 2011 são uma onda de protestos populares sociais e políticos, que ocorrem desde 20 de fevereiro de 2011 em Marrocos. Estes protestos se enquadram no contexto dos protestos no mundo árabe.[1] Como na Tunísia ou Egito, os manifestantes exigem mais liberdade e democracia, menos corrupção [2] e um maior respeito pelos direitos humanos.

O protesto marroquino manifesta a impaciência crescente contra a monarquia do rei Mohammed VI que subiu ao trono em 1999 e o desejo de reformas constitucionais que impediriam a prática para que o soberano assegure o poder de tomada de decisão dada a assuntos diversos, enquanto o país possui um governo e um parlamento sem poderes reais. .[3] O protesto, no entanto, tem um perfil mais equilibrado que os outros países afetados pelos problemas, graças ao consenso mais ou menos comum gozado pelo monarca.[4]

Referências

  1. Hatem, Mohammed (16 de fevereiro de 2011). «Bahrain, Yemen, Libya Face Protests as Region's Unrest Spreads». businessweek.com 
  2. http://www.econostrum.info/Les-manifestations-au-Maroc-se-soldent-par-de-violents-incidents-dans-le-sud_a4854.html
  3. Eliana Di Caro (2011). «La voce della protesta sale anche in Marocco» (em italiano). Consultado em 4 de março de 2011  Parâmetro desconhecido |dia= ignorado (|data=) sugerido (ajuda); Parâmetro desconhecido |pubblicazione= ignorado (ajuda);
  4. Guido De Franceschi (2011). «Marocco, la protesta più contenuta». Il sole 24 ore (em italiano). Consultado em 9 de março de 2011  Parâmetro desconhecido |dia= ignorado (|data=) sugerido (ajuda);