Zine El Abidine Ben Ali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 29 de setembro de 2019) Twemoji 1f464.svg
Zine El Abidine Ben Ali
زين العابدين بن علي
2Presidente da Tunísia
Período 7 de novembro de 1987
a 14 de janeiro de 2011
Antecessor Habib Bourguiba
Sucessor Fouad Mebazaâ
Primeiro-Ministro da Tunísia
Período 2 de outubro de 1987
a 7 de novembro de 1987
Antecessor Rachid Sfar
Sucessor Hédi Baccouche
Dados pessoais
Nascimento 3 de setembro de 1936
Hammam Sousse, Protetorado Francês da Tunísia
Morte 19 de setembro de 2019 (83 anos)
Jidá, Arábia Saudita
Alma mater Escola Militar Especial de Saint-Cyr
Escola de Artilharia Aplicada
Cônjuge Naïma Kéfi (divorciado)
Leïla Ben Ali
Partido RCD
Religião Islã
Profissão militar
Serviço militar
Anos de serviço 1964-1980
Graduação General

Zine El Abidine Ben Ali (Hammam-Sousse, 3 de setembro de 1936Jidá, 19 de setembro de 2019) foi um militar, político e general tunisiano, foi presidente do seu país de 7 de novembro de 1987 até 14 de janeiro de 2011, na sequência dos protestos de 2010-2011, origem da chamada Revolução de Jasmim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A 2 de Outubro de 1995 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[1]

Protestos e destituição[editar | editar código-fonte]

Diante de protestos generalizados da população e da perda de confiança por parte dos militares, Ben Ali foi obrigado a renunciar no dia 14 de janeiro de 2011 e fugir para a Arábia Saudita. No dia 20 de junho de 2011, ele e sua mulher, Leïla Ben Ali, foram condenados a 35 anos de prisão por desvio de verbas públicas.[2][3]

Em 13 de junho de 2012, ainda asilado na Arábia Saudita, Ben Ali foi condenado à prisão perpétua à revelia por um tribunal militar de seu país, por crimes ocorridos durante a repressão aos manifestantes da Primavera Árabe na Tunísía.[4]

Morte[editar | editar código-fonte]

Ben Ali faleceu em 19 de setembro de 2019, aos 83 anos de idade, exilado na Arábia Saudita.

Referências

  1. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Ben Ali". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  2. «Tunisia: President Zine al-Abidine Ben Ali forced out». BBC. 14 de janeiro de 2011. Consultado em 15 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2011 
  3. Ganley, Elaine; Charlton, Angela; Keaten, Jamey; Al-Shalchi, Hadeel (14 de janeiro de 2011). «Tunisian leader flees amid protests, PM takes over». The Atlanta Journal-Constitution. Associated Press. ISSN 1539-7459. Consultado em 14 de janeiro de 2011 
  4. «Ex-presidente da Tunísia é condenado à prisão perpétua». BBC Brasil. Consultado em 13 de junho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Media relacionados com Zine El Abidine Ben Ali no Wikimedia Commons

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
Habib Bourguiba
Presidente da Tunísia
1987 - 2011
Sucedido por
Mohamed Ghannouchi