Sururu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Portal A Wikipédia tem o portal:

Mytella charruana (conhecido popularmente como sururu) é um molusco bivalve (inserido em uma concha com duas valvas) da ordem Mytiloida, muito conhecido no Nordeste do Brasil por sua importância comercial. Outras espécies da mesma família (Mytilidae) também são conhecidas como sururu.

Mytella charruana (d'Orbigny, 1842) já foi denominada anteriormente por M. falcata (d'Orbigny, 1846), nome que não é mais aceito. Esta espécie ocorre nos Estados Unidos como invasora e é nativa no Pacífico (do México ao sul do Equador) e no Atlântico desde a Colômbia até a Argentina[1].

É semelhante à ostra e o prato típico mais conhecido feito dessa espécie é o "caldo de sururu", à base de leite de coco e azeite de dendê. É referência nas cozinhas pernambucana, alagoana, baiana, sergipana e maranhense. No Espírito Santo é tradição fazer a "moqueca do Sururu", que pode ser feita com o sururu da pedra (os maiores, com coloração rosada, que ficam agarrados às pedras do mar) ou o dos manguezais, de menor tamanho e com molusco mais escuro. Tanto um como o outro tem o mesmo sabor característico.[2][3]

Referências

  1. «WoRMS - World Register of Marine Species - Mytella charruana (d'Orbigny, 1842)». www.marinespecies.org (em inglês). Consultado em 23 de agosto de 2018. 
  2. «Sururu». Britannica Escola. Consultado em 3 de junho de 2017. 
  3. «Iguaria pernambucana quente como o verão». Pernambuco.com. Consultado em 3 de junho de 2017. 
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.