Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

The Remix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros significados, veja Remix (desambiguação).
The Remix
Álbum de remixes de Lady Gaga
Lançamento 3 de março de 2010 (2010-03-03)
Gravação 2008–09
Gênero(s) Pop, eletrônica, dance
Duração 77:15
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, download digital, vinil
Gravadora(s) Interscope, Streamline, Kon Live, Cherrytree
Produção Alphabeat, Chew Fu, Crookers, Deewaan, Frankmusik, Rob Fusari, Fernando Garibay, Guéna LG, Grum, Rodney Jerkins, Kaskade, Martin Kierszenbaum, Lady Gaga, Manhattan Clique, Monarchy, Passion Pit, Pet Shop Boys, Stuart Price, RedOne, Robots to Mars, Skrillex, The Sound of Arrows, Space Cowboy, Starsmith, Richard Vission, Yuksek
Cronologia de Lady Gaga
The Fame Monster
(2009)
Born This Way
(2011)
Capa alternativa

The Remix é o primeiro álbum de remixes da artista musical estadunidense Lady Gaga. Lançado no Japão em 3 de março de 2010, o trabalho contém remixes das canções de seu primeiro disco de estúdio, The Fame (2008), e seu terceiro extended play (EP), The Fame Monster (2009). Uma versão revisada das faixas foi preparada para ser distribuída em outros mercados, começando no México em 3 de maio. Vários músicos produziram as composições, incluindo Pet Shop Boys, Passion Pit e The Sound of Arrows. As versões editadas caracterizam ambos andamentos acelerados e lentos, com alterações nos vocais de Gaga.

O disco recebeu revisões mistas da mídia especializada, mas alguns críticos notaram como a cantora foi capaz de vender as músicas de The Fame de maneiras novas e inovadoras. Alcançou o topo das tabelas na Grécia e na Dance/Electronic Albums da revista estadunidense Billboard. Entrou no repertório dos dez mais vendidos em países como Canadá, Estados Unidos, Japão, México e Reino Unido. Foi certificado como platina no Japão e no Brasil, e como ouro na Bélgica e na Rússia. A obra vendeu meio milhão de cópias mundialmente.

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

Edição internacional[1]
N.º Título Compositor(es) Remixador(es) Duração
1. "Just Dance" (Richard Vission Remix) (com Colby O'Donis) Lady Gaga, RedOne, Aliaune Thiam RedOne (remixagem e produção adicional de Richard Vission) 6:15
2. "Poker Face" (LLG vs. GLG Radio Mix Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne (remixagem e produção adicional de Guéna LG) 4:03
3. "LoveGame" (Chew Fu Ghettohouse Fix) (com Marilyn Manson) Lady Gaga, RedOne Chew Fu 5:21
4. "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" (Frankmusik Remix) Lady Gaga, Martin Kierszenbaum Kierszenbaum (remixagem e produção adicional de Frankmusik) 3:49
5. "Paparazzi" (Stuart Price Remix) Lady Gaga, Rob Fusari Fusari, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Stuart Price) 3:21
6. "Boys Boys Boys" (Manhattan Clique Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne (remixagem e produção adicional de Manhattan Clique) 2:50
7. "The Fame" (Glam as You Remix) Lady Gaga, Kierszenbaum Kierszenbaum (remixagem e produção adicional de Guéna LG) 3:57
8. "Bad Romance" (Starsmith Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Starsmith) 4:57
9. "Telephone" (Passion Pit Remix) (com Beyoncé) Lady Gaga, Rodney Jerkins, LaShawn Daniels, Lazonate Franklin, Beyoncé Jerkins, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Passion Pit) 5:14
10. "Alejandro" (The Sound of Arrows Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de The Sound of Arrows) 3:59
11. "Dance in the Dark" (Monarchy 'Stylites' Remix) Lady Gaga, Fernando Garibay Garibay, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Monarchy) 6:10
12. "Just Dance" (Deewaan Remix) (com Ashking, Wedis, Lush, e Young Thoro) Lady Gaga, RedOne, Thiam RedOne (remixagem e produção adicional de Deewaan) 4:16
13. "LoveGame" (Robots to Mars Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne (remixagem e produção adicional de Robots to Mars) 3:12
14. "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" (Pet Shop Boys Remix) Lady Gaga, Kierszenbaum Kierszenbaum (remixagem e produção adicional de Pet Shop Boys) 2:49
15. "Poker Face" (Live at The Cherrytree House Piano & Voice Version) Lady Gaga, RedOne RedOne 3:39
16. "Bad Romance" (Grum Remix) Lady Gaga, RedOne RedOne, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Grum) 4:53
17. "Telephone" (Alphabeat Remix) (com Beyoncé) Lady Gaga, Jerkins, Daniels, Franklin, Beyoncé Jerkins, Lady Gaga (co) (remixagem e produção adicional de Alphabeat) 4:48

Antecedentes e composição[editar | editar código-fonte]

Em 15 de abril de 2010, o portal britânico The Guardian informou que vários músicos, incluindo Pet Shop Boys, Passion Pit e o cantor de rock Marilyn Manson haviam "contribuído" para um álbum de remixes de Lady Gaga.[4] Manson participou na nova versão de "LoveGame" feita por Chew Fu, enquanto a banda Passion Pit trabalhou em "Telephone" e o duo Pet Shop Boys em "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)". Outros artistas também colaboraram no disco, sendo eles Alphabeat, Frankmusik, Stuart Price, Monarchy e Robots to Mars.[4]

Chuck Campbell, da California Chronicle, notou que o "truque" principal adotado pelos produtores por trás de The Remix, foi preservar a integridade das nuances de Gaga em suas canções, ao mesmo tempo, trazendo algo novo para sua música.[5] De acordo com Campbell, o remix de "Dance in the Dark" feito por Monarchy "traz uma onda de força" para o número.[5] A segunda faixa do disco é a produção aperfeiçoada de "Poker Face" pelo músico Guéna LG e apresenta um sistema computadorizado de canto do gancho "mum-mum-mum-mah".[5] Stuart Price misturou "Paparazzi" em uma versão eletrônica, mudando o andamento mediano da composição original da canção.[5] Novos vocais foram adicionados sobre o single, dando-lhe "um ambiente selvagem", segundo Nicki Escuerdo, do periódico Phoenix New Times.[6][5] A produção de Richard Vission na música "Just Dance" introduz um ritmo gradual na canção, enquanto Frankmusik alterou a obra suave de "Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)" para uma mais otimista, além de modificar os vocais da cantora no processo.[6] O trabalho do grupo sueco The Sound of Arrows em "Alejandro", contrastou a natureza escura da composição a uma mais luzente, enquanto "Bad Romance" tem a produção a cago de Starsmith, que torna-a em uma faixa do gênero dance music.[6]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3 de 5 estrelas.[7]
Bloomberg Television 3 de 5 estrelas.[8]
Daily Express 3 de 5 estrelas.[9]
Digital Spy 4 de 5 estrelas.[10]
Rolling Stone 3 de 5 estrelas.[11]

The Remix recebeu avaliações mistas da mídia especializada, acumulando cinquenta pontos de uma escala de cem no portal Metacritic, indicando "análises mistas ou medianas".[12] Simon Cage do tabloide britânico Daily Express deu ao álbum três de cinco estrelas e sentiu que o verdadeiro talento de Gaga está em vender o mesmo disco repetidas vezes. "É bom, mas... já chega!"[9] O crítico musical J.D. Considine do periódico The Globe and Mail, elogiou a versão acústica de "Poker Face", acrescentando que foi "a faixa mais inteligente de seu novo álbum de remixes". Sentindo que a música "traz à tona seu Elton John interior."[13] Robert Copsey da Digital Spy notou que a distribuição de The Remix foi uma progressão mais natural do que lançamentos de algumas gravadoras que tentam ganhar dinheiro em algo que não está associado ao artista, elogiando também os remixadores apresentados no disco, dizendo que eles mantiveram as músicas frescas.[10]

Stephen Thomas Erlewine da Allmusic pontuou o álbum com três estrelas de cinco, mas disse que os números poderiam ter sido encurtados. Erlewine congratulou alguns remixes, incluindo os trabalhos de Pet Shop Boys e Space Cowboy, adicionando que The Remix "não é um complemento essencial para a discografia Gaga... mas há brilho e glamour para desfrutar nele".[7] Enquanto analisava o álbum para Bloomberg Television, Mark Beech notou que as faixas já conhecidas da artista "recebem um novo brilho feito pelo duo Pet Shop Boys e as vezes pelo produtor de Madonna, Stuart Price."[8] Nicki Escudero do Phoenix New Times deu uma resenha positiva ao trabalho listando a nova versão de "LoveGame" com Marilyn Manson como destaque da coletânea.[6] Monica Herrera da Billboard elogiou a obra dizendo que "Gaga tem empregado um conjunto de ótimos produtores capazes de fazer as músicas de The Fame e The Fame Monster ficarem mais dançantes."[14] Dando-lhe três de cinco estrelas, Caryn Ganz da Rolling Stone notou um sequenciamento desigual entre as faixas de The Remix. Ela sentiu que o trabalho de Passion Pit em "Telephone" foi a melhor produção do disco.[11]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de The Remix, de acordo com a Allmusic:[15]

  • Vocais: Lady Gaga, Marilyn Manson, Beyoncé, Colby O'Donis, Ashking, Wedis, Lush, Young Thoro e Kardinal Offishall.
  • Mixagem e produção adicional: Alphabeat, Crookers, Passion Pit, Stuart Price, Skrillex, Space Cowboy, Starsmith e Yuksek.
  • Produtor executivo: Vincent Herbert.
  • Gerente: Troy Carter.
  • Fotografia: David Chappelle.
  • Compositores: Lady Gaga, Beyoncé, LaShawn Daniels, Lazonate Franklin, Rob Fusari, Martin Kierszenbaum, RedOne e Aliaune Thiame.

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Após ser lançado no Japão, The Remix estreou em número nove na parada discográfica da Oricon.[16] Na edição de 17 de maio de 2010, o álbum moveu-se para um novo pico de sete e desde então tem sido certificado como platina pela Recording Industry Association of Japan (RIAJ) após ter sido exportada 250 mil edições comercializadas.[17][18] Na Austrália, o disco entrou na tabela de álbuns da ARIA obtendo a décima segunda colocação em 16 de maio de 2010, na qual permanceceu por cinco semanas consecutivas.[19] No Reino Unido, alcançou o terceiro lugar na UK Albums Chart em 22 de maio, vendendo 132 mil exemplares de acordo com a compilação britânica The Official Charts Company.[20][21] No gráfico continental European Top 100 Albums da Billboard o trabalho estreou na sétima colocação.[22] Também atingiu o topo do periódico da versão grega da Federação Internacional da Indústria Fonográfica, listando-se entre os dez mais vendidos na Bélgica (Flandres e Valónia), República Checa, Irlanda, Países Baixos e Nova Zelândia.[23]

Na tabela estadunidense Billboard 200, situou-se no sexto posto, comercializando 39 mil edições.[24] Também estreou em primeiro lugar na parada Dance/Electronic Albums da revista Billboard, tornando deste o terceiro disco Gaga a ficar na primeira colocação da listagem.[25] De acordo com o Nielsen SoundScan, o disco já vendeu 249 mil exemplares nos Estados Unidos.[26] No Canadá, a obra estreou no quinto emprego da Canadian Albums Chart na publicação de 22 de maio, e permaneceu no gráfico por dez semanas.[27][28][29] The Remix já vendeu mais de meio milhão de cópias mundialmente.[30]

Posições[editar | editar código-fonte]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

The Remix foi lançado originalmente no Japão em 3 de março de 2010, contendo dezesseis dos remixes. A versão revisada, composta por dezessete faixas, começou a ser vendida em 3 de maio, iniciando-se no México. O disco foi distribuído no Reino Unido em 10 de maio e contou com uma capa diferente para a região. Em 8 de julho, a gravadora Interscope Records, confirmou que o trabalho também estaria disponível nos mercados estadunidenses em seu seguinte mês.

País Data Formato Gravadora
 Japão[3][48] 3 de março de 2010 CD, download digital Universal Music
 Austrália[49] 30 de abril de 2010
 Polónia[50]
 Canadá[51] 4 de maio de 2010
 Colômbia[52]
Filipinas[53]
 Itália[54]
 México[55]
 Reino Unido[56] Interscope
 Brasil[57] 5 de maio de 2010 Universal Music
 Alemanha[58] 7 de maio de 2010
 Estados Unidos[59][60] 3 de agosto de 2010 CD, download digital, disco de vinil Streamline, Kon Live, Cherrytree, Interscope

Referências

  1. «Lady Gaga: The Remix» (em inglês). Allmusic  Parâmetro desconhecido |acessdata= ignorado (ajuda)
  2. «Lady Gaga: The Remix» (em inglês). Allmusic. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  3. a b «Lady Gaga: The Remix» (em jp). Universal Music Japan. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  4. a b Martin, Dan (15 de abril de 2010). «Lady Gaga remix album to feature Pet Shop Boys and Marilyn Manson». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  5. a b c d e Campbell, Chuck (10 de agosto de 2010). «Lady Gaga prevails through makeovers». California Chronic (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  6. a b c d Escuerdo, Nicki (10 de agosto de 2010). «Marilyn Manson Gives Lady Gaga's 'The Remix' a Boost». Phoenix New Times (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  7. a b Erlewine, Stephen Thomas (12 de maio de 2010). «allmusic ((( The Remix > Overview )))» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  8. a b Beech, Mark (2 de junho de 2010). «Jack White Rages, Lady Gaga Remixes, Fleming Goes Rock: Review» (em inglês). Bloomberg Television. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  9. a b Cage, Simon (7 de maio de 2010). «Lady Gaga: The Remix». Daily Express (em inglês). Northern & Shell. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  10. a b Copsey, Robert (16 de maio de 2010). «Music Review: Lady GaGa: 'The Remix'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  11. a b Ganz, Caryn (3 de agosto de 2010). «Lady Gaga, The Remix: Polydor». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  12. «The Remix Reviews, Ratings, Credits, and More at Metacritic» (em inglês). Metacritic. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  13. Considine, J. D. (3 de maio de 2010). «Essential Tracks: Lady Gaga». The Globe and Mail (em inglês). CTVglobemedia. Consultado em 15 de novembro de 2011 
  14. Herrera, Monica (12 de agosto de 2010). «Lady Gaga, "The Remix"». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 16 de novembro de 2011 
  15. «Lady Gaga: The Remix Credits» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  16. «検索結果- アーティスト/CD検索 Japanese Oricon Top 30 Albums». Oricon (em jp). Consultado em 16 de novembro de 2011 
  17. a b «検索結果- アーティスト/CD検索 Japanese Oricon Top 30 Albums». Oricon (em jp). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  18. a b «Japan sales certification in March, 2011» (em jp). Recording Industry Association of Japan. 12 de maio de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  19. «Lady Gaga, The Remix Australia» (em inglês). ARIA Charts. Hung Medien. Consultado em 16 de novembro de 2011 
  20. a b «UK Albums Chart: 22 May 2011» (em inglês). The Official Charts Company. 15 de maio de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  21. Alan, Paul (3 de maio de 2011). «Gaga On Verge Of 3M UK Sales». Music Week (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2011 
  22. a b Sexton, Paul (20 de maio de 2010). «AC/DC Extends Run Atop Euro Albums Chart». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  23. a b c d e f g h i j k l «Lady Gaga – The Remix (album)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  24. a b Caulfield, Keith (11 de agosto de 2010). «Arcade Fire and Taylor Swift Sweep in With New No. 1s». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  25. a b «Billboard – The Remix – Lady Gaga». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 12 de agosto de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  26. «Ask Billboard: J. Cole Helps Bring R&B/Hip-Hop Back To No. 1» (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2011 
  27. a b «Canadian Albums Chart: Week Ending May 22, 2010». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  28. Williams, John (12 de maio de 2010). «BSS, Godsmack battle for No. 1». Toronto Sun (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2011 
  29. Williams, John. (10 de setembro de). "Eminem stays on top" (em inglês) 21.
  30. Ziegbe, Mawuse (8 de julho de 2010). «Lady Gaga Remix Album Due In The U.S. Next Month» (em inglês). MTV (MTV Networks). Consultado em 16 de novembro de 2011 
  31. «CD – TOP 20 Semanal». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. 3 de maio de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  32. «Top Lista Stranih Za» (em croata). HDU-toplista.com. 9 de junho de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  33. «Hungarian Albums Chart» (em húngaro). Mahasz. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  34. «Irish Top 75 Artist Album, Week Ending May 13, 2010» (em inglês). Irish Recorded Music Association. Chart-Track. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  35. «Italian Albums Chart» (em italiano). Federation of the Italian Music Industry. 19 de maio de 2010. Cópia arquivada desde o original em 16 de novembro de 2011. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  36. «Oficjalna lista sprzedaży – 24 May 2010». OLiS (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  37. «TOP50 Prodejní – Lady Gaga – The Remix» (em cz). International Federation of the Phonographic Industry. IFPIcr.cz. 3 de junho de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  38. «Russian Albums Chart: Weeku ziga 20 May 2011» (em russo). 2M-Online.ru. National Federation of Phonogram Producers. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  39. «Gold & Platinum Albums 2010» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. 14 de outubro de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  40. «Certificações (Brasil) – Lady Gaga». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 16 de outubro de 2012 
  41. «Russian Albums Charts, certifications» (em russo). 2M-Online.ru. 15 de agosto de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  42. «Jaaroverzichten 2010 (Flanders)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  43. «Ultratop Belgian Charts» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. 26 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  44. «Charts Year End 2010: Canadian Albums Chart». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. 11 de dezembro de 2011. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  45. «Best of 2010: Top Dance/Electronic Albums». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  46. «アルバム 年間ランキング-ORICON STYLE ランキング» (em jp). Oricon. 10 de dezembro de 2010. Cópia arquivada desde o original em 20 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  47. «Best of 2010: Top Dance/Electronic Albums». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  48. «Gaga Remixes» (em jp). HMV Japan. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  49. «Lady GaGa – The Remix Australian release» (em inglês). Sanity music store. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  50. «Lady Gaga – The Remix Poland release» (em polaco). Universal Music Poland. 30 de abril de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  51. «Lady Gaga – The Remix Canadian release» (em inglês). HMV Canada. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  52. «Lady Gaga – The Remix Colombian release» (em espanhol). Entertainment Store. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  53. «Lady Gaga – The Remix Colombian release» (em inglês). Tower Records. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  54. «Lady Gaga – The Remix Italian release» (em italiano). IBS. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  55. «Mixup Mexico: Lady GaGa The Remix» (em espanhol). Mixup. 28 de abril de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  56. «Lady Gaga – The Remix UK release» (em inglês). HMV UK. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  57. «Lady Gaga – The Remix Brazil release». livrariacultura.com.br. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  58. «Lady Gaga – The Remix German release» (em alemão). Amazon.de. Consultado em 12 de novembro de 2011 
  59. Vozick-Levinson, Simon (8 de julho de 2010). «Lady Gaga preps 'Remix' album for U.S. release». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2011 
  60. «The Remix by Lady GaGa on amazon.com» (em inglês). Amazon. 11 de agosto de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2011