Artpop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Artpop
Álbum de estúdio de Lady Gaga
Lançamento 6 de novembro de 2013
Gravação 2012—13
Género(s) EDM  · synth-pop
Duração 59:16
Formato(s) CD  · download digital  · streaming  · vinil
Gravadora(s) Streamline  · Interscope
Produção Lady Gaga  · Infected Mushroom  · will.i.am  · David Guetta  · Hugo Leclercq  · Nick Monson  · Rick Rubin  · DJ White Shadow  · Zedd  · Giorgio Tuinfort  · Dino Zisis
Cronologia de Lady Gaga
A Very Gaga Holiday
(2011)
Cheek to Cheek
(2014)
Singles de Artpop
  1. "Applause"
    Lançamento: 12 de agosto de 2013
  2. "Do What U Want"
    Lançamento: 21 de outubro de 2013
  3. "G.U.Y."
    Lançamento: 8 de abril de 2014

Artpop (estilizado em letras maiúsculas) é o terceiro álbum de estúdio da cantora americana Lady Gaga, lançado em 6 de novembro de 2013 pelas gravadoras Streamline e Interscope. Gaga começou a planejar o projeto em 2011, logo após o lançamento de seu segundo disco, Born This Way (2011), e no ano seguinte, seus primeiros conceitos "começaram a florescer", enquanto a cantora viajava pelo mundo com a The Born This Way Ball e se recuperava de uma cirurgia devido a uma lesão que sofreu durante a digressão. Ela começou a trabalhar com produtores, incluindo DJ White Shadow, Zedd e Madeon.

Ao contrário das obras anteriores da artista, RedOne escreveu apenas uma música e, pela primeira vez, Gaga trabalhou com David Guetta, Will.i.am. e T.I., entre outros. No que diz respeito à sonoridade, o álbum foca principalmente nos gêneros electronic dance music (EDM) e synth-pop, com elementos e influências de rock, hip hop, dubstep, funk e R&B, entre outros derivados. Em termos líricos, Artpop contém canções que abrangem vários temas, como o amor, o abuso de drogas, sexo, feminismo, a arte e a fama, além de aludir à astrologia e à mitologia grega e romana. Gaga descreveu a obra "como uma celebração e uma jornada musical poética" e uma exploração reversa do fenômeno "warholiano" na cultura pop. O material exibe uma "falta de maturidade e responsabilidade" intencional, em comparação com a natureza mais sombria e antêmica conceituada em Born This Way.

O lançamento de Artpop foi antecedido por uma festa de dois dias, nomeada ArtRave. O material recebeu respostas mistas de críticos especializados em música contemporânea, embora tenha sido incluído em várias listas de final de ano de críticos e publicações. No âmbito comercial, o material conseguiu estrear na liderança da parada americana de álbuns Billboard 200 — com a venda de duzentas e cinquenta e oito mil cópias na primeira semana — tornando-se o segundo disco consecutivo de Gaga a alcançar o primeiro lugar no país. Paralelamente, também conquistou a liderança em cinco países adicionais e ficou entre os dez primeiros em mais de vinte nações. Segundo a International Federation of the Phonographic Industry (IFPI), Artpop foi o nono álbum mais comprado em 2013, com dois milhões de réplicas comercializadas em todo o globo até junho de 2014. Apesar disso, o disco foi considerado por alguns como um fracasso comercial quando comparado aos álbuns anteriores de Gaga.

Como parte de sua promoção, as canções "Applause", "Do What U Want" e "G.U.Y." tornaram-se singles oficiais do projeto. Os dois primeiros obtiveram uma recepção comercial amistosa, já que ambos alcançaram as dez primeiras posições nas paradas de muitos países, além de se posicionarem nas vinte primeiras colocações da tabela de singles dos Estados Unidos. Por outro lado, "G.U.Y." não obteve uma recepção comercial tão favorável, apesar de ter entrado em algumas paradas musicais. A fim de promover ainda mais o disco ao redor do mundo, a cantora lançou sua quarta turnê, ArtRave: The Artpop Ball, que visitou várias cidades da Ásia, Europa, América do Norte e Oceania. A turnê arrecadou mais de 80 milhões de dolares e recebeu críticas favoráveis ​​dos críticos especializados. Além disso, Gaga se apresentou em vários festivais de música e programas de televisão de vários países, ao mesmo tempo em que cantou algumas músicas do projeto em sua primeira residência de concertos, Lady Gaga Live at Roseland Ballroom.

Antecedentes e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O processo de desenvolvimento de Artpop, iniciou após uma colaboração de Gaga e Fernando Garibay.

Em setembro de 2011, Gaga anunciou ao radialista Ryan Seacrest que já estava desenvolvendo o sucessor de Born This Way, lançado meses antes.[1] Pouco após o anúncio, o produtor DJ White Shadow, que havia trabalhado com ela anteriormente, confirmou o seu envolvimento no projeto. Fernando Garibay, outro profissional que colaborou em Born This Way, também declarou estar presente no trabalho seguinte da cantora, esperando "superar" as gravações anteriores. Os conceitos do álbum "começaram a florescer" no ano seguinte, conforme a intérprete trabalhava com ambos os músicos.[2][3] As gravações inicias do material coincidiram com as datas das apresentações da turnê The Born This Way Ball, feita em 2012: mais de cinquenta faixas foram esboçadas e consideradas para inclusão.[4][5] Em maio de 2012, a obra estava tomando forma definitiva com o coempresário de Gaga, Vincent Herbert, prometendo muitas "músicas insanas e boas" no projeto.[6] A própria vocalista admitiu seu desejo de fazer com que o público "se divertisse muito" com o álbum, posteriormente intitulado Artpop, o disco é estruturado para transmitir ao ouvinte a sensação de "[estar em] uma noite na boate"; em entrevista para a MTV, ela declarou: "Quando você o ouvi ele flui muito bem. É [um álbum] muito divertido [para] dançar com seus amigos. Eu o escrevi para que meus amigos e eu dançássemos do começo ao fim".[7] Enquanto isso, a americana começou a apresentar canções para sua gravadora e esperava revelar o título do disco em setembro de 2012, no entanto, a revelação acabou sendo feita um mês antes.[8][9] Mais tarde, a artista disse que Artpop era seu primeiro trabalho "sincero", que representaria uma "fênix renascendo das cinzas", refletindo sua confiança elevada nas composições da obra, em comparação aos seus projetos anteriores.[10]

Gaga recrutou Jeff Koons para o projeto no início de 2013. Koons a conheceu três anos antes, em um evento de moda realizado no Museu Metropolitano de Arte, onde a cantora estava se apresentando. De acordo com Koons, ela "me agarrou e me deu um grande abraço em volta da minha cintura" e respondeu: "Sabe, Jeff, eu sou muito sua fã, e quando eu era criança, eu conversava com meus amigos sobre o seu trabalho".[11] Após realizar uma cirurgia no quadril em fevereiro de 2013, a cantora foi forçada a entrar em um hiato de seis meses, período no qual ela estudou literatura e música com sua equipe criativa, a Haus of Gaga, além de compartilhar "descobertas criativas".[12] Essa etapa permitiu à Gaga revisar e aprimorar sua direção criativa, admitindo ser um meticuloso "processo de observação"; "Eu tenho que olhar para o trabalho por longos períodos de tempo até que esteja bom", acrescentando que, ao analisar suas ideias, ela recebia "aquele sentimento maravilhoso" que dizia que "aquilo era o único".[12]

Gravação[editar | editar código-fonte]

Record Plant
Hit Factory
Os produtores musicais Zedd (esquerda) e Madeon (à direita), assinam a produção e a escrita de algumas das canções presentes na obra.

Gaga compôs e produziu todas as músicas presentes em Artpop em conjunto com DJ White Shadow, Zedd e Madeon, entre outros produtores.[13] White Shadow disse à MTV que a cantora mandou uma mensagem para ele em menos de uma semana após o lançamento do álbum anterior dela, Born This Way, dizendo a ele que "já tinha o nome e o conceito geral do [seu próximo] projeto".[14] Em sua entrevista para a Rolling Stone, ele mais tarde falou sobre o processo de trabalho juntos: "Eu estava apenas tentando criar algo que levasse as pessoas a pensar um pouco, algo um pouco fora da norma para fazê-las pensarem nas possibilidades. [Gaga] escreveu este álbum enquanto viajávamos pelo mundo nos últimos dois anos e escrevíamos várias canções juntos".[15] White Shadow também lembrou que em uma ocasião os dois ficaram acordados por cerca de 20 horas para finalizar uma faixa, acrescentando: "Nós nunca trabalhamos em uma música e [logo] terminamos e seguimos em frente. Todas elas são feitas em rotação até literalmente o dia em que temos que entrega-las a Interscope."[15]

Zedd acompanhou Gaga durante a turnê dela, Born This Way Ball. Ele já havia feito um remix para o single anterior da cantora, "Marry the Night", e trabalhou no disco de remixes dela, Born This Way: The Remix, enquanto Gaga havia contribuído com os vocais para uma versão alternativa da faixa "Stache" de Zedd. Ele disse à MTV News que os dois "não amam nada além de fazer canções, então era natural que trabalhemos com música".[16][17] Mais tarde, Zedd falou sobre ter dificuldade em concluir o projeto devido às agendas lotadas e que o trabalho deles progredia principalmente enquanto estavam na estrada durante a turnê.[18] Para o DJ francês Madeon, essa foi sua primeira experiência colaborando com um cantor, acrescentando que ele "sempre quis trabalhar com artistas pop e a número 1 na minha lista era Lady Gaga. Então, quando tive a oportunidade de fazer isso fiquei realmente emocionado".[19][20] Gaga elogiou as habilidades de produção de Madeon dizendo: "Ele é tão incrível. Ele tem um entendimento musical tão jovem. Me lembra tanto eu mesma. Ele é obcecado por música".[21] Madeon também falou que como a cantora não tinha tempo livre para a gravar a música, então, ela geralmente iniciava as sessões após o término das apresentações da Born This Way Ball.[19] A faixa "Fashion!" marca a primeira vez que em Gaga trabalhou com will.i.am, colaboração na qual a intérprete disse estar tentando fazer acontecer há anos, mas ambos eram muito "exigentes" e estavam esperando a música e o "groove certo" para colaborarem juntos.[22]

Em meados de 2013, Gaga entrou em contato com os rappers T.I., Too $hort e Twista para gravar uma faixa, mais tarde revelada como "Jewels n 'Drugs". Durante uma entrevista à MTV, eles revelaram que gravaram seus versos separadamente, principalmente devido à agenda apertada dos quatro. Twista explicou ainda que Gaga queria "reunir a vibe de certos artistas" para "capturar a essência" na qual ela queria imprimir na música.[23] A intérprete também trabalhou com a rapper Azealia Banks em duas canções, intituladas "Red Flame" e "Ratchet", mas ambas permanecem inéditas por motivos desconhecidos.[24] O DJ White Shadow explicou ao Chicago Tribune que enquanto ele estava trabalhando em "Do What U Want" com Gaga, durante a etapa europeia da Born This Way Ball, ele teve a ideia de unir o rapper R. Kelly na música, dizendo que "lhe parecia lógico" colocar "[os] dois gênios de composição/canto em uma única faixa".[25] Kelly disse à Billboard que gostou do processo de gravação da canção, graças ao profissionalismo da cantora.[26] Em uma entrevista coletiva no Japão em 2013, Gaga foi perguntada por que aceitou trabalhar com Kelly, dizendo: "[nós] às vezes tivemos muitas coisas falsas escritas ao nosso respeito, de certa forma, este era um vínculo [em comum] entre nós".[27] No entanto, após a exibição do documentário Surviving R. Kelly, em janeiro de 2019, que detalhou as alegações de abuso sexual contra Kelly, Gaga pediu desculpas por ter trabalhado com ele. A cantora disse que seu pensamento foi "explicitamente distorcido" e que ela teve uma "impressão equivocada" sobre o rapper naquele momento.[27] A música foi removida posteriormente de todas as versões digitais e novas prensas de vinil e CD de Artpop.[28]

Composição[editar | editar código-fonte]

Comentários críticos apontaram Artpop como um álbum de electronic dance music (EDM) e synthpop.[29][30] A obra foi ainda descrita por "canalizar coerentemente rhythm and blues (R&B), techno, disco e rock" segundo a Billboard.[31] Seu elemento eletrônico foi inicialmente preparado para ser incluído em Born This Way, no entanto, Gaga e Fernando Garibay optarem por uma sonoridade influenciada pelo rock.[32] Mof Gimmers, do The Quietus, notou uma "enorme quantidade de [canções] pop" no quadro do álbum,[33] enquanto Helen Brown, do The Daily Telegraph, brincou "é como andar bêbado por uma boate vasta e labiríntica e espiar uma série desorientadora de salas escuras nas quais ela experimenta vários gêneros musicais como se fossem chapéus", em referência à diversificada paisagem sonora do álbum.[34] Ben Kelly, da Attitude, descreveu a sonoridade de Artpop como uma "odisséia implacável de sons eletrônicos" perfurada por "fortes refrões melódicos".[35] Aizlewood, do London Evening Standard, disse que a obra foi construída para inspirar "movimentos agitados nos shows em estádios", definindo "teclados barulhentos, eletro-percussão e batidas fortes" como o alicerce de produção da obra.[36]

O álbum inicia-se com "Aura", uma canção do gênero eletrônico com fortes elementos de dubstep, mariachi e música árabe.[37][38][39] Sua instrumentação inicial consiste em guitarras de estilo ocidental, vocais distorcidos e uma "risada maníaca", enquanto suas batidas pulsantes levam ao refrão no qual a cantora pergunta: "Você quer ver a garota que vive atrás da aura, atrás da aura?".[n 1][39][40][41] Segundo Gaga, suas letras são sobre vários tópicos, mas principalmente sobre a percepção que ela provoca nas pessoas por suas ideias criativas e estilo visual; ela também explicou que esses "véus" protegem sua criatividade e que "minha aura é, na verdade, o modo como lido com minha loucura".[22][42] A segunda canção, "Venus", é uma faixa que apresenta "temas retro-futuristas" e remete a uma jornada psicodélica.[22][43] Suas letras ainda fazem menção a Vênus, a deusa romana do amor, ao planeta homônimo e a relações sexuais.[44] Em termos musicais, o tema é derivado do electropop, synthpop e dance-pop[45][46] com elementos da música disco da década de 1980 e uso de "sintetizadores pesados, baterias elétricas e auto-tune".[47] A interprete disse que a música é "sobre encontrar fé em outros lugares, no além", e também "sobre conceber o sexo de maneira mais mitológica".[22] "G.U.Y." (acrônimo para "Girl Under You") é uma faixa de electronic dance music (EDM) com elementos de música industrial, R&B e música house,[48][49][50] que foi descrita como uma "sirene dance [e] trêmula que faz a distinção entre igualdade de gênero e a intencional submissão sexual".[44] A música envolve o conceito da terceira onda feminista e é sobre "se sentir confortável em estar abaixo porque você é forte o suficiente para saber que não precisa estar no topo para ter o seu valor".[22] "Sexxx Dreams" tem sonoridade synthpop e R&B,[42][44] suas letras propõem um encontro sexual com um amante cujo o namorado se foi no fim de semana.[50] Ao longo da canção, a cantora alterna suas técnicas vocais entre cantar e falar; os versos cantados são endereçados ao parceiro ao seu lado e os falados à pessoa em sua fantasia.[22] A quinta faixa do disco é "Jewels n 'Drugs", uma música de hip hop com fortes influências de trap, que conta a "história de um sujeito viciado em fama".[42][44] As letras são uma "homenagem ao narcotráfico amoroso" e mostra uma estrutura clássica para o rap".[51][52] A próxima música, "Manicure" (estilizada como "MANiCURE") inclui palmas, a cantora gritando "MAN! CURE!" e arranjos de funk promovidos por uma guitarra.[44] Suas letras ambíguas são uma "ode a regalias superficiais", e fala sobre se renovar física e espiritualmente antes de "se preparar para sair e pegar alguém".[22]

Uma amostra de 21 segundos de "Aplause", que ilustra as batidas hi-NRG e possui "sintetizadores pulsantes e gaguejantes".[53][54] As acrobacias vocais da cantora durante os versos da música foram comparadas com as de Annie Lennox e Grace Jones.[55]

"Artpop", faixa que da título ao álbum, é instrumentado por piano e guitarras tocados pela intéprete e Monson. Gaga explicou que a letra era uma metáfora sobre o amor com o refrão; "Nós poderíamos pertencer um ao outro, Artpop".[n 2] Ela acreditava que, se seus fãs e ela pudessem estar juntos, isso provavelmente significaria uma ligação entre arte e o pop também.[22]

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

"Do What U Want" é derivado do electropop e R&B,[56] atraindo influência de sintetizadores pulsantes, inspirados na década de 1980 e uma batida eletrônica.[57] Tem um "gancho um tanto atrevido"[58] com Gaga e Kelly alternando os vocais em frases como; "Faça o que você quer / O que você quiser com o meu corpo / Escreva o que quer, diga o que quiser sobre mim / Se você está se perguntando, saiba que eu não me arrependo".[n 3][59] As letras da música representam temas de submissão sexual, com Gaga dizendo aos seus detratores e a imprensa que seus pensamentos, sonhos e sentimentos são seus, não importa o que se fale sobre seu corpo.[22][57] A faixa-título do álbum é uma música techno,[60] que tem uma batida semelhante ao single "Love You like a Love Song" de Selena Gomez em 2011, com sua composição eletrônica, e um groove comparável ao sucesso "Can't Get You Out of My Head" de 2001, da cantora Kylie Minogue.[40][61] Suas letras foram deduzidas como uma declaração "a subjetividade da arte"[62] e um manifesto virtual da cantora com a linha; "Minha arte pop pode significar qualquer coisa",[n 4][61] dizendo ao público que ela é "uma artista que cria para o bem da criação".[44] "Swine" é uma música industrial e dubstep com leves influências do rock and roll.[44][63][64] Apresenta "lavagens de sintetizadores, uma linha de baixo agitada, teclados nervosos, amostras vocais que crescem e levam a quedas",[64] com a cantora "gritando por toda a faixa".[22] Liricamente, a gravação deprecia um pretendente, ao compará-lo a um porco.[65]

A décima música é "Donatella", um "hino para os marginalizados"[44] e uma "ode a chefe da casa de moda Versace" e amiga pessoal de Gaga, Donatella Versace.[22] A cantora o descreveu como "uma música pop incrível e louca com batidas eletrônicas cada vez maiores, sobre ser uma mulher destemida que orgulha-se de si mesma".[66] "Fashion!" é uma música dance com instrumentais influenciados por Daft Punk que retrata o amor da cantora por roupas de alta-costura.[43] Acompanhada por uma batida funk, um conteúdo lírico que fala sobre "ser capaz de se vestir e sentir como se fosse o dono do mundo".[22][67] A apresentação vocal de Gaga na música foi comparada à de David Bowie.[67][68] "Mary Jane Holland" é uma música de dance e synthpop com "batidas vibrantes" que fala sobre o uso de maconha e "divertir-se".[44] "Dope" é um rock eletrônico,[69] onde o canto de Gaga é o ponto focal da música, com apenas poucos sons de piano e sintetizadores distantes acompanhando seus vocais "intoxicantes" e "insultuosos". Para dar à produção uma sensação íntima e emocional, nenhuma correção de tom foi usada na voz da cantora.[70] "Gypsy" é uma canção de europop[38] e electropop[42] com influências de rock e house.[44][71] A composição é em um estilo de cantar junto, com Gaga gritando; "Eu não quero estar só para sempre, mas eu posso ficar esta noite"[n 5] durante o refrão, fala sobre navegar por uma estrada desconhecida baseada apenas em seus instintos.[44] A última música de Artpop é "Applause", abrange gêneros como o electropop e eurodance.[55][72] Segundo Gaga, a letra da música destaca a diferença entre um artista e uma celebridade.[73] Ela elaborou; "Eu vivo pelos aplausos, mas não vivo pela atenção das pessoas para que me amem simplesmente porque sou famosa. Eu realmente vivo para me apresentar para as pessoas e ser aplaudida porque as fiz entreter."[22] A cantora também confronta aqueles que tentam depreciar seu trabalho, com a seguinte frase; "Fico aqui de pé esperando / Você bater o gongo / Para esmagar a crítica dizendo 'O que é certo ou errado?".[n 6][74]

Conceito[editar | editar código-fonte]

O Nascimento de Vênus obra de Sandro Botticelli (esquerda) é visto no fundo da arte da capa do álbum. Também influenciou a imagem de Gaga durante eventos promocionais, incluindo sua performance no Festival iTunes

Gaga descreveu Artpop como "uma celebração e uma jornada musical poética" que exibia uma "falta de maturidade e responsabilidade", ao contrário da natureza sombria e antêmica de Born This Way,[75][76] em última análise, ela reiterou o que chamou de "inverter a fórmula warholiana".[77] Em uma entrevista para a revista V em agosto de 2013, Gaga afirmou ter passado por uma "experiência cósmica com palavras" ao examinar nomes potenciais para o projeto. "Popart" foi inicialmente levado em consideração, mas como a intéprete questionou "a implicação cultural das palavras" e a evolução do título após o lançamento, ela logo encontrou em "Artpop" uma tentativa de injetar vulnerabilidade ao seu trabalho; A pintura O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli, foi citada como fonte de inspiração criativa à cantora, além do personagem Pierrot.[12][78] Gaga admitiu estar cada vez mais autoconsciente, desde o ápice da era Born This Way.[79] Os temas do álbum giram principalmente em torno da fama,[48] sexo,[31][80] e empoderamento,[48] enquanto aborda brevemente os papéis sociais de gênero e a maconha.[70] As referências incluem mitologia grega e romana, jazz clássico e o músico Sun Ra.[22] Spencer Kornhaber, do The Atlantic, sentiu Artpop como um "manifesto monstruoso de atenção" e interpretou a exploração do desejo carnal no disco como uma faceta da ideia mais ampla de "reconhecer o próprio desejo por atenção".[80]

A capa de Artpop foi feita pelo artista americano Jeff Koons, que trabalhou com a cantora no conceito artístico do álbum.[81] Em 7 de outubro de 2013, Gaga apresentou a capa do disco através de um jogo feito com seus seguidores. A dinâmica consistia que eles estivessem usando a hashtag #iHeartARTPOP no Twitter, para serem mostrados trechos visíveis da imagem de capa nas telas da Times Square de Nova Iorque.[82][83] A imagem de capa apresenta uma estátua da cantora usando uma peruca loira, cobrindo os seios e segurando uma esfera azul metálica que cobre suas partes íntimas.[81][84] O único texto presente é "Lady Gaga" em rosa e também o título do álbum em branco.[85] As primeiras quinhentas mil cópias físicas do disco contêm o design original de Jeff Koons, que vem com papel de cor rosa e prata brilhante.[86] O fundo consiste em obras de arte, incluindo O Nascimento de Vênus, que inspirou a cantora ao criar o videoclipe de "Applause" e a performance da música no VMA.[85] Em 8 de novembro de 2013, em entrevista à MTV, Koons falou sobre todo o processo envolvido na criação da capa, onde ele disse:

"Com a capa, eu queria Gaga nela como uma escultura de forma tridimensional e com a bola refletora, porque essa bola se torna uma espécie de símbolo para tudo [...] Eu não queria Gaga lá apenas isolada, então, no fundo, há 'Apolo e Dafne' de [Gian Lorenzo] Bernini — e esse é o trabalho em que Apolo persegue Dafne e ela se transforma em uma árvore. Apolo é o Deus da música e onde quer que ele tocasse, ele transcenderia, mudaria e se tornaria mais feminino. E esse é o significado que você pode experimentar com arte e vida. Você pode mudar, suas possibilidades podem se transformar, seus perímetros podem se alterados — Existem também partes triangulares de O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli — apresentando Gaga, é claro, no papel de Vênus — a essência da energia vital contínua e a busca e o gozo da estética e da beleza, também".[84]

O interior do álbum, além de incluir seus créditos e notas, tem fotografias diferentes de Gaga nua ao lado da esfera azul metálica.[87][88] Também contém imagens de ilusões de ótica, esculturas de Apolo e Dafne e uma das esculturas de Jeff Koons encomendada pela cantora exclusivamente para o projeto.[89] As cores predominantes são branco e rosa e apresenta um agradecimento especial aos produtores e amigos mais próximos de Gaga, além de sua equipe técnica e criativa.[90] Devido ao conteúdo lírico de algumas músicas, Artpop recebeu um parental advisory, sendo o primeiro álbum de Gaga a receber o selo.[91]

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2012, depois de fazer uma tatuagem correspondente, Gaga anunciou em sua mídia social que o álbum seria intitulado Artpop, afirmando preferi-lo estilizado.[92] O álbum era originalmente esperado para ser lançado no início de 2013, mas foi adiado indefinidamente depois que a cantora desenvolveu sinovite e fraturou o quadril, o que exigiu correções cirúrgicas.[93][94] Isso resultou no cancelamento do restante de sua Born This Way Ball. Em julho de 2013, Gaga confirmou que Artpop seria lançado em 11 de novembro nos Estados Unidos. A pré-encomenda do produto deveria começar em 1º de setembro, mas foi transferido para 19 de agosto "devido à expectativa do público". Mais tarde, isso foi alterado para 12 de agosto para coincidir com o lançamento antecipado de "Applause".[95] Além do lançamento tradicional em CD e nas plataformas digitais, Gaga anunciou planos para um software de aplicação multimídia que "combinava música, arte, moda e tecnologia com uma nova comunidade interativa em todo o mundo".[96][97] Foi desenvolvido pela TechHaus, divisão de tecnologia da Haus of Gaga.[98][99] O aplicativo era compatível com dispositivos móveis Android e iOS, e apresentava conteúdo bônus.[100][101] Foi o terceiro aplicativo a ser lançado para um álbum nos principais mercados comerciais, após Biophilia da cantora Björk e Magna Carta Holy Grail do rapper Jay-Z.[102]

Gaga durante a ArtRave: The Artpop Ball, em 2014.

Em 25 de dezembro de 2012, Gaga anunciou um documentário em comemoração "a vida, a criação de Artpop+você", que ela descreveu como um presente para seus fãs.[103][104] O documentário, que permanece inédito, foi dirigido por Terry Richardson, um antigo colaborador do livro de fotografias Lady Gaga x Terry Richardson.[103][105] Gaga abriu os Prêmios MTV de Música de 2013 com uma performance de "Applause".[106] Em seguida, encabeçou o Festival iTunes realizado em 1º de setembro de 2013, onde apresentou seu novo material para uma multidão de cinco mil pessoas.[107] O concerto foi gravado e posteriormente incluído em um segundo disco com a edição de luxo de Artpop.[108] Em 9 do mesmo mês, a cantora apresentou "Applause" no Good Morning America, onde apareceu vestida como vários personagens de The Wizard of Oz.[109] Em 24 de outubro, sessões promocionais de audição para Artpop foram organizados em Berlim, com a cantora fornecendo uma versão ao vivo de "Gypsy".[110] Ela então fez uma aparição sem aviso prévio na boate G-A-Y de Londres, dois dias depois, onde apresentou "Venus", gerando controvérsia quando despiu-se durante o show.[111][112][113] Em 27 próximo, Gaga também tocou "Venus", ao lado de "Do What U Want", na décima temporada do The X Factor do Reino Unido.[114] O desempenho levou uma enxurrada de reclamações para a rede de televisão ITV e para o regulador da indústria Ofcom.[115][116] A cantora retornou aos Estados Unidos na semana seguinte para uma apresentação de "Dope" na inauguração dos Prêmios de Música do Youtube,[117] e continuou a tocar composições de Artpop nos programas The Howard Stern Show,[118] Saturday Night Live,[119] e nos Prêmios da Música Americana.[120]

Na noite anterior a liberação de Artpop, 10 de novembro, Gaga organizou uma festa de lançamento, apelidada de "ArtRave". O evento, realizado em um grande armazém no Brooklyn Navy Yard, em Nova Iorque, incluiu uma conferência de imprensa e uma performance ao vivo. O concerto composto por nove músicas do disco, foi transmitido ao vivo pelo Vevo e mais tarde retransmitido através dos parceiros de distribuição do site.[121][122] Já no dia 28 foi ao ar Lady Gaga and the Muppets Holiday Spectacular, seu segundo especial de televisão, gravado no Dia de Ação de Graças; a atração conteve apresentações de músicas do álbum, cantadas ao lado de artistas como Elton John, RuPaul e Kermit the Frog.[123] A promoção perdurou por dezembro, com aparições aos programas Alan Carr: Chatty Man,[124] Jingle Bell Ball,[125] e na quinta temporada do The Voice.[126] Em 18 de fevereiro de 2014, Gaga apresentou a faixa-título no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, onde também foi entrevistada.[127] No dia 13, do mês seguinte, ela encabeçou o festival SXSW, onde interpretou algumas faixas de Artpop.[128] De 28 de março a 7 de abril, Gaga deu voz à obras do disco no Roseland Ballroom de Nova Iorque, antes do local ser encerrado.[129] Sua residência intitulada Lady Gaga Live at Roseland Ballroom, foi anunciada originalmente com quatro apresentações, com três datas sendo posteriormente adicionadas devido à demanda popular.[130][131] Como uma homenagem ao local, o palco foi decorado com rosas, assim como o figurino da cantora.[132] A residência recebeu críticas positivas de críticos profissionais, que a consideraram uma melhor representação das habilidades de Gaga como artista do que suas ações anteriores para Artpop.[133][134] Os shows foram esgotados, com os preços dos ingressos acima do custo médio do local, e as sete datas comercializaram mais de 24 mil bilhetes, além de gerar um lucro de um 1 milhão de dólares.[135][136] Em 4 de maio, Gaga embarcou na turnê ArtRave: The Artpop Ball, em apoio ao álbum, que tinha 79 datas no total, com o último show sendo realizado em Paris, França e transmitido ao vivo pela Internet.[137] A digressão recebeu elogios de avaliadores profissionais por seu valor em entretenimento e pelas habilidades vocais da cantora,[138][139] embora a lista de faixas tenha sido criticada.[140][141] Ela arrecadou 83 milhões de 920 mil ingressos vendidos nas 74 apresentações relatadas à Billboard Boxscore.[142]

Singles[editar | editar código-fonte]

Em 28 de julho de 2013, Gaga confirmou que o título do primeiro single de Artpop seria "Applause", após muita especulação, e anunciou que este seria lançado em 19 do mês seguinte.[143] Em uma entrevista para Ryan Seacrest em 13 de agosto, a artista revelou que o presidente da Interscope Records, Jimmy Iovine, foi quem pediu a ela para lançá-lo como o primeira música de trabalho, o que Gaga concordou.[144] Em geral, a música teve um desempenho comercial positivo, atingindo o topo das tabelas da Coreia do Sul,[145] Espanha,[146] Hungria[147] e do Líbano[148] e listando-se nas dez primeiras colocações de diversos países, como Alemanha,[149] Bélgica,[150] Canadá,[151] Dinamarca,[152] França,[153] Nova Zelândia[154] e Reino Unido.[155] Nos Estados Unidos, tornou-se a décima segunda canção de Gaga a constar nas dez melhores posições na Billboard Hot 100, atingindo a quarta como melhor, e foi certificada como platina tripla pela Recording Industry Association of America (RIAA), tendo vendido mais de 2,5 milhões de cópias no país até abril de 2015.[156][157][158] O vídeo musical correspondente foi dirigido pela dupla holandesa de fotógrafos Inez & Vinoodh e lançado em 19 de agosto de 2013 no programa matutino Good Morning America.[159][160] As cenas retratam Gaga em cenas artísticas e complexas, feitas em um cenário de fundo preto, e foram filmadas tanto em cores quanto em preto-e-branco.[161] O projeto inclui referências à pinturas de Sandro Botticelli e Andy Warhol e foi recebido positivamente por críticos especializados, os quais visualizaram-no como um perfil de Gaga e notaram referências à trabalhos de Warhol e ao cinema alemão expressionista.[161][162]

Gaga cantando "Do What U Want" na ArtRave: The Artpop Ball enquanto está sentada em uma cadeira em forma de garra.

Gaga lançou "Do What U Want" como um single promocional, mas dada sua recepção global, tornou-se o segundo foco de promoção do registro.[163] Foi igualmente bem recebido no campo comercial e listou-se nas dez primeiras ocupações de mais de 10 territórios, como Canadá, França, Reino Unido.[155][151][164] No entanto, depois de chegar apenas à 13ª posição nos Estados Unidos, converteu-se no segundo single de Gaga a não adentrar nos dez primeiros.[157] Depois de apresentar a música ao vivo no The Voice com Christina Aguilera, Gaga lançou uma versão de estúdio da mesma apresentação através da Amazon.com.[165] Um vídeo musical para a música sob a direção de Terry Richardson foi anunciado, mas nunca lançado por razões desconhecidas. Escritora Meghan O'Keefe, do canal Vh1, escreveu um artigo especulando quais eram os possíveis motivos; Uma das teorias afirmava que Gaga havia se distanciado de Kelly e Richardson depois que ambos foram fortemente atacados pela mídia após o processo que foi apresentado a eles por supostamente terem tido relações sexuais com menores. Outra teoria afirmava que a cantora pretendia se retirar temporariamente da mídia para resolver seus problemas recentes, que incluíam a demissão de seu ex- empresário, Troy Carter.[166] Em junho de 2014, o TMZ vazou um pequeno trecho de trinta e três segundos do vídeo, mostrando alto conteúdo sexual nas cenas, que incluía cenas de Gaga se masturbando com jornalistas e Kelly realizando um exame ginecológico. No entanto, o vídeo inteiro nunca foi lançado.[167]

Embora "Venus" tenha sido lançado apenas de forma promocional, obteve um desempenho comercial favorável, listou-se nas 20 primeiras ocupações em países como Canadá e Nova Zelândia.[151][168] Além disso, "Dope" foi o segundo a ser distribuído como foco promocional. Graças a um aumento de streaming após uma apresentação nos Prêmios de Música do YouTube e alguns downloads, a canção estreou no oitavo lugar no Billboard Hot 100, sendo a 13ª entrada da artista no gráfico.[169][157] Em 20 de março de 2014, "G.U.Y." foi confirmado como o terceiro single oficial de Artpop, com lançamento em 8 de abril.[170] Nos Estados Unidos, alcançou a posição 76 na Billboard Hot 100, convertendo-se na música de menor sucesso da artista e a terceira depois de "Marry the Night" e "Do What U Want" a não alcançar os dez melhores lugares.[157] Além disso, não obteve posições notáveis em qualquer outro país, exceto Israel e Filipinas, onde alcançou o número 1 e 3, respectivamente.[171][172] O vídeo musical correspondente foi dirigido por Gaga e filmado no Castillo Hearst, em San Simeón, Califórnia.[173] Estreou em 22 de março através da conta VEVO da artista no YouTube.[174] Com duração total de quase 11 minutos, a obra mostra Gaga como um anjo caído e ferido, que renasce em uma piscina graças a seus seguidores. Uma vez rejuvenescida, a protagonista se vinga dos homens que a caçavam e os substitui por clones de homens perfeitos.[175][176]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 61/100[177]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3.5 de 5 estrelas.[178]
The A.V. Club C–[179]
Entertainment Weekly B[180]
The Guardian 3 de 5 estrelas.[38]
The Independent 3 de 5 estrelas.[181]
Los Angeles Times 2.5 de 4 estrelas.[50]
NME 6/10[182]
Rolling Stone 3 de 5 estrelas.[13]
Slant 3.5 de 5 estrelas.[183]
Spin 6/10[184]

No geral, Artpop deixou os analistas especializados em música divididos. O agregador Metacritic, com base em 30 análises profissionais recolhidas, concedeu ao álbum um total de 61 pontos de uma escala que vai até cem, indicando "análises geralmente positivas".[185] Stephen Thomas Erlewine, do banco de dados Allmusic, o avaliou com quatro estrelas e meia de cinco permitidas, positivando o conteúdo sexualmente exagerado presente na primeira metade do disco, enquanto negativou a falta de momentos brilhantes na segunda. Ele também elogiou a variedade de gêneros, batidas e a versatilidade musical da obra.[178] Adam Markovitz, da revista eletrônica Entertainment Weekly, destacou "Dope" e "Gypsy" como as melhores canções de Artpop, comentando que: "Como um [trabalho] pop, o álbum é uma turnê bem feita e divertida dos truques testados e comprovados de Gaga. Mas, como arte, é insuficiente quando se trata de sua função básica: causar impacto". Markovitz encerrou sua crítica dando-lhe uma nota B.[180] Escrevendo para o jornal USA Today, Jerry Shriver, emitiu três pontos e meio de quatro e opinou que o álbum não era "consistentemente divertido", embora admitisse que o disco era destinado principalmente aos fãs da cantora e não a ouvintes em geral.[48] Sal Cinquemani, da revista Slant, concedeu três estrelas e meia de cinco e enalteceu canções como "Artpop" e "Gypsy", mas não outras como "G.U.Y." e "Jewels n 'Drugs". O jornalista comparou "Fashion!" à "Holiday" e "Material Girl", ambas de Madonna, dizendo que "Gaga ainda é [sua] aluna".[183] Jason Lipshutz, da revista Billboard, deu uma nota 84 de 100 para o álbum e destacou o esforço de Gaga para garantir "absolutamente a certeza de que cada centímetro de seu ofício evolui e inova".[31] Adjetivando-o como "tão irritante, frustrante e contraditório quanto sua autora, mas também tão brilhante, provocante e tão emocionante quanto ela pode ser", John Aizlewood do Evening Standard considerou o álbum "um emocionante salto de bungee jumping musical".[186]

Robert Copsey, da publicação Digital Spy, sentiu que várias músicas pareciam "semi-acabadas", embora sugerisse que o álbum tenha mais músicas boas do que ruins.[187] Resenhando para o jornal britânico The Daily Telegraph, Helen Brown, concedeu quatro estrelas de cinco totais e criticou a escolha de Gaga em fazer outro disco "com temática em torno de seu próprio estrelato" (após The Fame e The Fame Monster) e comentou que, embora a cantora tenha abordado diferentes gêneros de música", ela não faz nada muito original com eles". Brown, no entanto, considerou o projeto como "ótimo para dançar".[34] Alexis Petridis, do periódico The Guardian, avaliou o álbum com a mesma classificação e sugeriu que havia "algum pop decente" em Artpop mas achava que a arte era "um pouco mais difícil de discernir".[38] Premiado com três estrelas de cinco atribuíveis, Darryl Sterdan, do jornal canadense Toronto Sun, destacou que, quando se tratava de compor, a arte em questão nunca estava realmente presente na mente da cantora. Sterdan também comentou que além da capa, o álbum não tem nada de artístico, mas sim músicas produzidas em excesso.[188] Andy Gill, do The Independent, entregou-lhe a mesma nota, observando que "não era difícil se sentir desapontado com Artpop" e que "musicalmente, é basicamente o [mesmo] estilo eletrônico padrão explorado por dezenas de artistas como Kylie Minogue e Britney Spears".[181] Caryn Ganz, da Rolling Stone, também entregou-lhe três estrelas de cinco possíveis e elogiou a variedade de gêneros da obra, mas não a sexualidade de suas letras, já que elas "não são as mais sexys".[13] Com uma pontuação de quatro estrelas de dez, Evan Sawdey do PopMatters disse que certas canções, "GUY" em particular, têm uma temática fora do lugar que ficaria melhor em Born This Way (2011). Ele também definiu "Do What U Want" como a "salvação" da primeira metade do álbum, enquanto na outra metade disse que embora as canções não pareçam ser sucesso, elas remetem a "clássica Gaga".[189] Maura Johnston da Spin garantiu que a "grande tragédia" de Artpop acontece quando começam músicas de "sonoridade plana" como "Donatella" e "Fashion!".[184]

Atribuindo ao produto uma nota 4 de 5, Robbie Daw da Idolator alegou que a "inocência de Gaga" em The Fame e The Fame Monster e seu "esforço" em Born This Way estavam ausentes em Artpop. Observando que embora a cantora não tenha dado 100% de si nesse álbum, ela "está na direção certa".[190] Para Chris Bosman da revista Time, o trabalho é "chato e normal" e destacou apenas "Jewels n 'Drugs" e "Artpop" como faixas essenciais.[191] Matt Bagwell do The Huffington Post expressou que, musicalmente, Artpop é realmente imprevisível, além de mencionar "GUY" como sua música favorita. No entanto, ele expressou seu desgosto pelas letras abaixo do padrão que às vezes não fazem sentido aparente.[192] Bernard Zuel da publicação australiana The Sydney Morning Herald, elogiou a música de Artpop, além de garantir que ele tem muitos assuntos para discutir. No entanto, o negativou por sua ausência de "humor" e "profundidade lírica". O profissional concluiu que o álbum está bom, mas nada além disso, já que soa "ultrapassado". Sua avaliação final foi de três estrelas de cinco totais.[193] Por sua vez, Adrian Thrills, do Daily Mail, argumentou que o conteúdo lírico da obra explora os dois tópicos favoritos de Gaga; "ela mesma e a natureza bizarra de sua fama global" e concluiu que, para uma cantora cujo olhar é "forte e confrontador", Artpop é "decepcionante [e] convencional".[194] Emily Mackay, jornalista do NME, deu uma nota seis de dez e criticou as metáforas da obra. Ela resumiu dizendo que Artpop é um "álbum pop decente", "bobo", "espirituoso", "ridículo" e "gay", mas não muito artístico.[182] De sua parte, Bill Lamb, da seção de música pop do portal About.com, atribuiu ao trabalho três estrelas de cinco, observando que "Do What U Want", "Swine", "Dope" e "Gypsy" são suas melhores canções; acrescentando que as batidas estavam tão pesadas e intensas que ouvir Artpop é uma competição de resistência. Finalizou dizendo que a cantora estava se tornando muito "pretensiosa" com seus lançamentos experimentais.[195]

Alguns jornalistas sentiram que a resposta mais mista dos críticos e as comparações com os discos anteriores de Gaga era injusta o que resultou em um foco na própria cantora e não puramente no conteúdo do material. Nick Messitte, da revista Forbes, reagiu as avaliações negativas dos críticos de música, considerando-as "incoerentes" e concentrando-se na "artista ao invés da arte em si". Ele resumiu que Artpop "oferece uma saída bem-vinda das estruturas padronizadas de versos e coro" e é, em última análise, um trabalho "ousado".[196] Ed Potton, do britânico The Times, concordou, afirmando que "é uma maravilha você poder ouvir o terceiro álbum de estúdio de Lady Gaga, que tem uma sonoridade de facas afiadas" após o anterior Born This Way, um trabalho que ele considerou Artpop muito superior.[197] Robert Christgau, escrevendo para o portal The Barnes & Noble Review, afirmou que a "reação crítica [foi] sem noção", finalmente nomeando Artpop "o disco mais subestimado de 2013".[198]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Antes mesmo de ser lançado, Artpop chamou a atenção de vários veículos de comunicação. Em uma pesquisa realizada pela Billboard, mais de 50% de seus leitores consideravam Artpop o "álbum mais esperado" de 2013.[199] Da mesma forma, os portais HitFix e Yahoo! formou uma contagem dos lançamentos musicais mais aguardados do ano, onde o trabalho foi eleito em 1º lugar.[200][201] Finalmente, os canais de televisão E!, MTV e MuchMusic também o listaram entre os discos mais previstos para 2013.[202][203][204]

Posteriormente, Artpop foi incluído em várias listas dos melhores de 2013. Segundo o Metacritic, Artpop foi o décimo álbum mais predominante citado nas listas de melhores do ano de 2013, tendo uma clara vantagem nos votos contra Yeezus de Kanye West, que terminou em segundo lugar.[205] A Billboard o colocou na décima quarta posição de sua lista dos 15 melhores, com Chris Coplan escrevendo: "Artpop é a declaração de uma cantora e compositora que quer ser mais do que uma artista pop, e embora os detalhes extravagantes em torno do álbum cimentaram o status de Gaga como uma provocadora, ela não perdeu seu toque para criar ganchos sobrenaturais".[206] Além disso, é o álbum número 1 na Billboard 200 em 2013 favorito dos leitores da revista, que também catalogarem o retorno de Gaga como o melhor do ano.[207] O site britânico POPJustice classificou-o em sexto lugar na contagem dos 33 melhores, com a colunista Carolyn Bernucca escrevendo que a cantora "costumava fazer o incrível parecer fácil. Hoje em dia, ela faz com que pareça um trabalho árduo, mas ela ainda consegue no final".[208] Da mesma forma, o Digital Spy posicionou-o em 21º em sua compilação de trinta, comentando que o "número de acertos em Artpop é consideravelmente maior do que os erros — existem dez canções brilhantes para ser exato — embora nem todos eles necessariamente se apresentem [assim] na primeira audição".[209] O crítico Robert Christgau, da The Barnes & Noble Review, o ranqueou em sexto lugar dentre os 85 melhores discos do ano, sendo a posição mais alta para uma mulher e entre qualquer artista solo.[210] Colocando-o no 4º entre os 10 melhores de 2013, Joseph Apodaca, da On the Red Carpet, comentou que "embora talvez não seja saudado pela imensa repercussão e fanfarra que cercou seus três álbuns anteriores, Artpop [...] ainda foi um dos discos pop mais bem produzidos e contagiosos do ano".[211] Citando-o numa lista com os projetos de maior destaque naquele período, Jael Goldfine, do portal Entertainment Wise, definiu Artpop como um trabalho "original e inovador".[212]

Por outro lado, durante os Prêmios Disco de Ouro do Japão de 2014, atribuído pela Recording Industry Association of Japan (RIAJ), Artpop venceu na categoria "Álbum Internacional do Ano", que partilha com Take Me Home, de One Direction, e Unorthodox Jukebox, de Bruno Mars.[213] Nos Prêmios Billboard de Música do mesmo ano, foi indicado para "Melhor Álbum Dance/Eletrônico", mas perdeu para Random Access Memories do duo francês Daft Punk.[214] Apesar de ter recebido aprovação da maioria da crítica especializada, Artpop não recebeu nenhuma indicação aos Prêmios Grammy, fato que foi criticado pelo escritor Kevin Fallon do The Daily Beast, que garantiu que embora não tenha sido o melhor álbum pop de Gaga e era um tanto pretensioso, "havia momentos geniais, dignos de consideração pelo Grammy".[215]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Desde o processo de gravação até o nome das canções, Artpop gerou um grande número de controvérsias, variando de debates com outros artistas a fortes críticas da imprensa. Uma das controvérsias mais importantes foram as múltiplas acusações que a rapper Azealia Banks fez a Gaga; Anteriormente, as duas haviam trabalhado juntas em duas músicas chamadas "Red Flame" e "Ratchet", mas por razões desconhecidas, nenhuma delas apareceu na versão final do álbum.[216] Depois disso, Banks começou a enviar vários comentários negativos para Gaga via Twitter. A rapper afirmou que a ideia de Gaga aparecer vestida como Vênus na apresentação realizada durante os Prêmios MTV de 2013 e no videoclipe de "Applause", fora dela e não de Gaga. Consequentemente, a música com o mesmo título também tinha sido uma ideia que lhe fora roubada.[217][218] Para apoiar suas alegações, Banks publicou gratuitamente no YouTube a música "Venus", que ela disse ter sido gravada muito antes do lançamento de Gaga.[219] Mais tarde, após o lançamento do álbum de estreia de Banks, Broke with Expensive Taste, uma admiradora da rapper perguntou sobre o que era a música "JFK", à qual ela respondeu: "é sobre uma certa estrela pop que gosta de roubar minhas ideias e fingir que partiram dela". Isso gerou intrigas na mídia, que garantiu que era uma clara acusação contra Gaga.[220] No entanto, a mesma rapper garantiu que não era dirigido a ela.[221] Em relação a toda a controvérsia, Gaga disse que não queria se expressar muito para não prejudicar seus fãs, se limitando a dizer que as acusações de Banks era "uma atitude ruim".[222]

A menção aos trajes de burca nas letras de "Aura" provocou queixas da comunidade muçulmana que considerou desrespeitosas com a religião islâmica.

Outra controvérsia gerada foi a suposta rivalidade entre Gaga e a cantora Katy Perry. Em 12 de agosto de 2013, Perry lançou "Roar", primeiro single de seu quarto álbum de estúdio, Prism, enquanto Gaga planejava lançar "Applause" no dia 19 do mesmo mês. No entanto, após vários vazamentos deste último, a intérprete tomou a decisão inesperada de antecipar o lançamento em uma semana, coincidindo com o dia de liberação de "Roar".[223] Isso causou várias comparações entre as duas músicas, principalmente entre críticos e seguidores de ambas as cantoras, que queriam determinar qual música era melhor e qual seria mais bem-sucedida.[224][225] Então, Gaga e Perry apresentaram ao vivo seus lançamentos pela primeira vez em 19 de agosto no Prêmio da MTV, o que desencadeou novas comparações e, ao mesmo tempo, intrigou-se ao ver que estreia obteria o topo da contagem semanal Billboard Hot 100.[226][227] A esse respeito, Gaga disse que os fãs de ambas deveriam parar com os conflitos e apenas apreciar as músicas, porque nenhuma delas detinha rivalidades entre si.[228] Além dos dois primeiros singles, a mídia comparou o desempenho de vendas de Prism e Artpop, cujos os lançamentos foram separados por pouco mais de duas semanas. Quando perguntada sobre isso, Perry negou que houvesse alguma rivalidade entre as duas e disse: "Gaga e eu gostamos de evitar essas brigas de publicidade porque não é saudável".[229] A controvérsia foi tanta que a série de televisão Glee fez um episódio especialmente voltado para a suposta contenda, chamada "A Katy or a Gaga"; Além disso, a revista Billboard publicou um artigo chamado "Quem já vendeu mais? Katy Perry ou Lady Gaga?", onde eles comparavam as vendas de ambas as intérpretes nos Estados Unidos.[230][231]

Além dos confrontos com outros artistas, Artpop gerou um grande número de acusações de plágio a cantora, além das feitas por Banks. Em julho de 2013, após o lançamento da primeira imagem promocional do álbum, Gaga foi acusada de copiar Giorgio Moroder.[232] Após o lançamento de "Do What U Want", a música recebeu comparações com "The Deep" da dupla de música eletrônica Dance with the Dead, pelo ritmo de ambas. Embora Gaga não tenha comentado nada, o grupo demonstrou pelo Facebook que, para eles, as duas faixas não tinham qualquer semelhança.[233] A mesma situação ocorreu com "Artpop", que recebeu comparações com "Love You like a Love Song" de Selena Gomez & the Scene, enquanto "Applause" foi comparada a "Girl Gone Wild" de Madonna.[40][234] O artista russo Sasha Frolova tentou iniciar um processo de plágio contra a cantora depois de afirmar que Gaga tinha roubado a ideia principal de suas roupas de látex usado na Artrave: The Artpop Ball Tour.[235] No entanto, a cantora havia sido vetada pelo governo da Rússia de ir ao país dois anos antes, após os shows da digressão Born This Way Ball, de modo que a demanda não prosseguiu.[236] Além das comparações, o conteúdo lírico das faixas foi objeto de discussão. Após o vazamento de "Burqa" no início de agosto de 2013, houve protestos da comunidade muçulmana sobre a menção aos trajes de burca usados por mulheres islâmicas.[237][238] Vários meios de comunicação falaram a esse respeito e consideraram que a mensagem da música era errônea. Por esse motivo, "Burqa" foi renomeada para "Aura" na edição oficial do álbum.[239][240]

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

Artpop — Edição padrão[241]
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Aura"  Stefani Germanotta  · Anton Zaslavski  · Amit Duvdevani  · Erez EisenLady Gaga  · Zedd  · Infected Mushroom 3:55
2. "Venus"  Germanotta  · Paul Blair  · Nick Monson  · Dino Zisis  · Hugo Leclercq  · Le Sony'r RaGaga  · Madeon[a]  · Monson[b] 3:53
3. "G.U.Y."  Germanotta  · ZaslavskiGaga  · Zedd 3:52
4. "Sexxx Dreams"  Germanotta  · Blair  · Martin Bresso  · William GrigahcineGaga  · Blair  · Monson[b]  · Zisis[b] 3:34
5. "Jewels n' Drugs" (com participação de T.I., Too Short e Twista)Germanotta  · Blair  · Monson  · Zisis  · Carl Mitchell  · Todd Shaw  · Clifford Harris Jr.Gaga  · Blair  · Monson[a]  · Zisis[a] 3:48
6. "Manicure"  Germanotta  · Blair  · Monson  · ZisisGermanotta  · Blair  · Monson  · Zisis[a]  · Zisis[a] 3:19
7. "Do What U Want" (com participação de R. Kelly)Germanotta  · Blair  · Bresso  · Grigahcine  · R. Kelly
  • Gaga
  • Blair
3:47
8. "Artpop"  Germanotta  · Blair  · Monson  · ZisisGermanotta  · Blair  · Monson[a]  · Zisis[a] 4:07
9. "Swine"  Germanotta  · Blair  · Monson  · ZisisGermanotta  · Blair  · Monson[a]  · Zisis[a] 4:28
10. "Donatella"  Germanotta  · ZaslavskiGaga  · Zedd 4:24
11. "Fashion!"  Germanotta  · Blair  · Giorgio Tuinfort  · William Adams  · David GuettaGaga  · Tuinfort  · will.i.am  · Guetta 3:59
12. "Mary Jane Holland"  Germanotta  · LeclercqGaga  · Madeon 4:37
13. "Dope"  Germanotta  · Blair  · Monson  · ZisisGaga  · Rick Rubin 3:41
14. "Gypsy"  Germanotta  · Blair  · Leclercq  · Nadir KhayatGaga  · Madeon  
15. "Applause"  Germanotta  · Blair  · Monson  · Zisis  · Bresso  · Grigahcine  · Nicolas Mercier  · Julien AriasGermanotta  · Blair  · Monson[a]  · Zisis[a] 3:32
Duração total:
59:04

Notas

  • ↑[a] – co-produtor
  • ↑[b] – produtor adicional
  • "Venus" contém amostras de "Rocket Number 9", escrito por Sun Ra, e uma amostra de "Rocket n°9" de Zombie Zombie.[90]
  • "Manicure" é estilizado como "MANiCURE".
  • "Artpop" é estilizado totalmente em maiúsculas.
  • Nas versões censuradas do álbum, "Sexxx Dreams" é intitulado "X Dreams", e o título de "Jewels n' Drugs" é arqueado como "Jewels n' *****".[244]
  • "Do What U Want" foi removido das lojas digitais e dos serviços de streaming em 10 de janeiro de 2019, devido às alegações de abuso sexual contra R. Kelly.[245] Em 11 de novembro de 2019, o álbum foi reeditado em CD e vinil. O alinhamento de faixas permaneceu o mesmo da edição padrão original, no entanto, "Do What U Want" foi excluído.[246]

Equipe e colaboradores[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptados do encarte do Artpop.[90]

Produção e gravação

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

No momento de seu lançamento, Artpop deu a Gaga a terceira maior estreia em vendas de 2013 por uma artista feminina na Billboard 200, atrás apenas de Prism de Katy Perry (à esquerda) e Bangerz de Miley Cyrus (à direita).[247]

Artpop foi bem recebido comercialmente na maior parte do mundo. No total, a obra conseguiu conquistar a liderança nas paradas musicais de oito países e as dez primeiras colocações em outras vinte e duas nações. Segundo a International Federation of the Phonographic Industry (IFPI), somente em 2013, o trabalho já havia sido adquirido mais de dois ​​milhões de vezes em todo o mundo.[248][249] Até julho de 2014, sua comercialização já havia excedido a marca de dois milhões e quinhentas mil cópias. No entanto, vários veículos de mídia o catalogaram como um "fracasso comercial" por não conseguir vender o mesmo número de cópias que seu antecessor, Born This Way.[250][251][252]

Nos Estados Unidos, o projeto estreou na posição máxima da parada Billboard 200, durante a edição de 20 de novembro de 2013, acumulando um total de duzentas e cinquenta e oito mil cópias vendidas em sua semana de lançamento. Esta foi a terceira maior estreia em vendas por um álbum de uma artista feminina em 2013, atrás apenas de Prism de Katy Perry e Bangerz de Miley Cyrus.[247] Embora, após o disco homônimo de Beyoncé debutar na tabela, Artpop tenha se tornado a quarta maior estreia daquele ano.[253] Durante sua segunda semana, o trabalho caiu para a oitava posição da Billboard 200, vendendo 46 mil unidades, o que representou uma regressão de 82% em sua comercialização; Essa foi, na época, a quarta maior queda nas vendas na segunda semana.[254] Na atualização seguinte — graças à Black Friday e a participação da intérprete no especial de televisão Muppets — o disco tenha reconquistado uma posição, comercializando 116 mil réplicas.[255] Em menos de dois meses após seu lançamento, o material já se encontrava no centésimo terceiro posto entre os mais bem-sucedidos na Billboard 200, enquanto na tabela de álbuns dance/eletrônico, ocupou a segunda colocação, atrás apenas do disco Random Access Memories, de Daft Punk.[256][257] Em outubro de 2017, a Recording Industry Association of America (RIAA) concedeu uma certificação de platina a gravação, em reconhecimento as suas vendas equivalentes a um milhão de unidades — entre cópias digitais e streaming — em todo território americano.[258] Foi relatado que até 25 de fevereiro de 2018, mais de 775 mil unidades do produto já haviam sido adquiridas no país.[259] No Canadá, alcançou a 3ª colocação em sua tabela semanal e, com apenas três dias de liberação, recebeu uma certificação de platina pela Music Canada (MC) em reconhecimento às 80 mil cópias vendidas nesse território.[260][261] Em adição, em outros países da América também teve boa receptividade comercial; no Brasil, foi certificado de platina por vender quarenta mil cópias, enquanto na Argentina e Colômbia foi certificado com ouro por sua comercialização exceder 25 mil e 5 mil cópias, respectivamente.[262][263][264]

Artpop apresentou maior desempenho na Europa. Em território austríaco, a obra estreou em primeiro lugar, dando a Gaga seu terceiro álbum consecutivo a alcançar a liderança no país.[265] A IFPI Áustria, posteriormente, condecorou o projeto com um certificado de ouro, por ter vendido mais de sete mil unidades por lá.[266] Tanto na região flamenga como na valoniana da Bélgica, a obra conquistou o primeiro lugar.[267][268] Na Irlanda, Itália e Suíça, estreou na segunda posição de suas tabelas.[269][270][271] Nesses dois últimos, ele foi condecorado com certificado de ouro pela compra de trinta mil e dez mil unidades, respectivamente.[272][273] Enquanto na Alemanha e França conseguiu conquistar o terceiro posto como melhor.[274][275] Em território britânico, durante a edição de 17 de novembro de 2013, Artpop estreou no cume da tabela dando a Gaga seu terceiro pódio consecutivo.[276] Mais tarde, foi certificado como ouro pela British Phonographic Industry (BPI), após vender cem mil réplicas no país.[277] A única nação europeia em que Artpop não conquistou o top dez foi a Hungria, onde obteve apenas a 17ª colocação como melhor.[278] Apesar disso, o material conseguiu obter um certificado de ouro nesse território.[279]

Em terras da Australásia desempenhou-se bem; No Japão, Artpop estreou na posição máxima[280] e com apenas vinte e cinco dias à venda, um certificado de platina foi emitido pela Recording Industry Association of Japan (RIAJ), após serem exportadas mais de duzentas mil réplicas do produto na nação.[281] Na Coréia do Sul entrou na terceira colocação de sua parada semanal, sendo esta sua melhor posição alcançada e meses depois Artpop receberia uma condecoração de ouro em reconhecimento as suas vendas de cinco mil cópias.[282][283][284] Tanto na Austrália como na Nova Zelândia chegou à vice-liderança, atrás somente de The Marshall Mathers LP 2 de Eminem. Além de não receber nenhuma certificação nos dois países, o disco permaneceu por apenas algumas semanas dentro de suas contagens semanais.[285][286]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas de rodapé

  1. No original: "Do you wanna see the girl who lives behind the aura, behind the aura?".
  2. No original: "We could belong together, Artpop".
  3. No original: "Do what u want/ What u want with my body/ Do what u want/ What u want with my body/ Write what you want, say what you want about me/ If you're wondering, know that I'm not sorry".
  4. No original: "My artpop could mean anything".
  5. No original: "I don't wanna be alone forever, but I can be tonight".
  6. No original: "I stand here waiting for you to bang the gong/ To crash the critic saying 'Is it right or is it wrong?".
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Artpop», especificamente desta versão.

Referências

  1. «"Lady Gaga's 'ARTPOP': What We Know So Far"» (em inglês). Rolling Stone. 27 de novembro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  2. Vena, Jocelyn (28 de novembro de 2011). «Lady Gaga 'Doing Prep' For Tour, Next Album» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  3. Vena, Jocelyn (6 de dezembro de 2011). «Lady Gaga Says Next Album Is 'Beginning To Flourish'». MTV News 
  4. Montogomery, James (26 de setembro de 2011). «Lady Gaga 'Already Working' On Born This Way Follow-Up» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  5. «Lady Gaga has written 50 songs for new album» (em inglês). MSN. 3 de dezembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  6. «Lady Gaga's manager promises singer will deliver an 'insane' third album» (em inglês). NME. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  7. Vena, Jocelyn (18 de setembro de 2013). «Lady Gaga's ARTPOP Isn't An Album, But 'A Night At The Club'» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  8. Carley, Brennanan. «Lady Gaga Teases New Album News» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  9. «Lady GaGa's new album to be called 'ARTPOP'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  10. Iandoli, Kathy (9 de fevereiro de 2013). «Lady Gaga Promises "Fun, Dirty Dance Music" On 'Artpop'» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  11. Ehrlich, Brenna (8 de novembro de 2013). «Lady Gaga's ARTPOP Cover: Artist Jeff Koons Explains What It All Means» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  12. a b c Iredale, Jessica (28 de julho de 2013). «Lady Gaga: 'I'm Every Icon'». Paul Jowdy (em inglês). Women's Wear Daily. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  13. a b c Ganz, Caryn. «Lady Gaga 'Artpop' Review». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  14. Vena, Jocelyn (29 de agosto de 2013). «Lady Gaga Planted a 'Forest' of 'Fun' Songs in Artpop» (em inglês). MTV. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  15. a b Musacchio, Lauren (11 de novembro de 2013). «Gaga Producer: She Was a 'Glittery Mermaid' on 'Artpop' Sessions» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  16. Corner, Lewis (11 de novembro de 2012). «Lady GaGa talks "new-age feminist" track 'G.U.Y (Girl Under You)'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  17. Vena, Jocelyn (8 de outubro de 2012). «Lady Gaga, Zedd 'Made Songs And Songs And Songs' For ARTPOP» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  18. Vena, Jocelyn (22 de janeiro de 2013). «Lady Gaga Has 'A Lot Of Work Left' On ARTPOP Songs» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  19. a b Carol, Grace (20 de março de 2013). «Lady Gaga producer Madeon praises 'amazing' ARTPOP studio sessions» (em inglês). Gigwise. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  20. Vena, Jocelyn (8 de novembro de 2013). «After Lady Gaga, Madeon Wants Kanye West Next». MTV News. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  21. Wass, Mike (26 de agosto de 2013). «Lady Gaga Announces RedOne/Madeon-Produced 'ARTPOP' Track 'Gypsy'» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  22. a b c d e f g h i j k l m n Moran, Rob (4 de dezembro de 2013). «Listen to Lady Gaga's Track-by-Track Explanation of Artpop, 'Cause Maybe You Just Didn't Get It». Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  23. Markman, Rob (12 de dezembro de 2013). «T.I. Knows Lady Gaga's 'Secret' To Recording» (em inglês). MTV. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  24. Grossberg, Josh (18 de setembro de 2013). «Lady Gaga Accused of Stealing Title for New Track From Azealia Banks» (em inglês). E! Online. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  25. Gomez, Luis (21 de outubro de 2013). «How R. Kelly ended up on Lady Gaga's 'Do What U Want'» (em inglês). Chicago Tribune. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  26. «R. Kelly Talks Lady Gaga Collabo & 'Black Panties' Album In CRWN Series: Watch» (em inglês). Billboard. 16 de dezembro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  27. a b Savage, Mark (10 de janeiro de 2019). «Lady Gaga breaks her silence on R Kelly» (em inglês). BBC. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  28. Cirisano, Tatiana (15 de outubro de 2020). «Lady Gaga Lists New 'ARTPOP' Version Without R. Kelly» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  29. Williott, Carl. «2013 In Review: The Beginning Of The End Of Pop's EDM Era» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  30. Matthew, Jennie (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga launches new Artpop album with VIP party» (em inglês). The Daily Telegraph. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  31. a b c Lipshutz, Jason. «Lady Gaga, 'ARTPOP': Track-By-Track Review». Billboard (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  32. «An Interview with DJ White Shadow» (em inglês). PropaGaga. 22 de agosto de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  33. Gimmers, Mof (7 de novembro de 2013). «Lady Gaga: Artpop» (em inglês). The Quietus. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  34. a b Brown, Helen (8 de novembro de 2013). «Lady Gaga, Artpop, review» (em inglês). Londres: The Daily Telegraph. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  35. Kelly, Ben (5 de novembro de 2013). «Lady Gaga: Artpop». Attitude Media Ltd (em inglês). Attitude. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  36. Aizlewood, John (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga: ARTPOP - album review» (em inglês). London Evening Standard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  37. Fossum, Melissa (6 de agosto de 2013). «Lady Gaga's New Song "Burqa" Is Weird and Awesome» (em inglês). Phoenix New Times. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  38. a b c d Petridis, Alexis. «Lady Gaga: Artpop – review». Guardian News and Media (em inglês). The Guardian. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  39. a b Hogan, Marc (6 de agosto de 2013). «Lady Gaga's 'Aura' Leak, if Real, Is a Grasping EDM Mess» (em inglês). Spin. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  40. a b c Stern, Bradley (12 de novembro de 2013). «Lady Gaga, 'ARTPOP' (Album Review)» (em inglês). muumuse. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  41. Kessler, Max (6 de agosto de 2013). «Lady Gaga's New Song Is About Burqas and Dancing (Of Course)» (em inglês). Paper. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  42. a b c d Cragg, Michael (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga: 10 things we learned from hearing ARTPOP» (em inglês). The Guardian. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  43. a b Walker, John (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga's 'ARTPOP': A Track-By-Track Review… In Art!» (em inglês). MTV. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  44. a b c d e f g h i j k Lipshutz, Jason. «Lady Gaga, 'ARTPOP': Track-By-Track Review». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  45. Slater, Tom (15 de novembro de 2013). «Lady Gaga: civiliser of the pop masses» (em inglês). Spiked. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  46. Li, Shirley (28 de outubro de 2013). «Lady Gaga releases new song 'Venus'» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  47. «Lady Gaga's ARTPOP Reviewed: "Venus"» (em inglês). Popdust. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  48. a b c d Shriver, Jerry (5 de novembro de 2013). «Review: Lady Gaga's 'Artpop' bursts with disco energy» (em inglês). USA Today. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  49. Myers, Owen (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga – ARTPOP» (em inglês). Dazed & Confused. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  50. a b c Wood, Mikael (11 de novembro de 2013). «Review: Lady Gaga 'could mean anything' on 'Artpop'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  51. Moody, Nekesa Mumbi (11 de novembro de 2013). «'ARTPOP' Review: Lady Gaga Needs Help With Her Latest Album» (em inglês). The Huffington Post. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  52. Gashparac, Bree (3 de novembro de 2013). «Lady Gaga ARTPOP Album Review» (em inglês). Take 40. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  53. Corner, Lewis (15 de agosto de 2013). «Lady Gaga: 'Applause' – Single review» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  54. Wass, Mike (16 de agosto de 2013). «Pop Perspective: Lady Gaga's 'Applause' Reviewed By All Four Idolator Editors». Idolator 
  55. a b Richards, Chris (12 de agosto de 2013). «Lady Gaga, 'Applause' – It's trending, but is it good?» (em inglês). The Washington Post. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  56. Cuby, Michael (21 de janeiro de 2020). «A New Lady Gaga Song Has Leaked And Fans Are Stupid (In) Love» (em inglês). NYLON. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  57. a b Anderson, Kyle (21 de outubro de 2013). «Lady Gaga may regret telling R. Kelly 'Do What U Want' on new single: Hear it here» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  58. X, Dharmic (21 de outubro de 2013). «Listen: Lady Gaga f/ R. Kelly "Do What U Want"» (em inglês). Complex. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  59. Vena, Jocelyn (17 de outubro de 2013). «Lady Gaga, R.Kelly Rough It Up On 'Do What U Want': Listen» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  60. Miller, Justin (8 de novembro de 2013). «Lady Gaga's Artpop Blasts Off» (em inglês). Harper's Bazaar. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  61. a b Harley, Kevin (11 de dezembro de 2013). «Album Review: Lady Gaga, Artpop (Interscope Records)» (em inglês). The Independent. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  62. Wass, Mike (21 de outubro de 2013). «Lady Gaga Teases a Snippet of 'ARTPOP' Title Track: Listen» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  63. Tucker, Rebecca (13 de novembro de 2013). «With Artpop, Lady Gaga has done the unthinkable: She's gotten a bit boring» (em inglês). National Post. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  64. a b Williott, Carl (24 de outubro de 2013). «Lady Gaga's 'Swine' Hits the Web: Listen» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  65. Martin, Samantha (5 de setembro de 2013). «Lady Gaga "Swine" Lyrics Analysis: Pigs, Drugs, and General Confusion» (em inglês). Popdust. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  66. Lidbury, Olivia (27 de agosto de 2013). «Lady Gaga pens track in honour of Donatella Versace» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  67. a b Barker, Andrew (14 de novembro de 2013). «Album Review: Lady Gaga, 'Artpop'» (em inglês). Variety. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  68. Empire, Kitty (10 de novembro de 2013). «Lady Gaga: Artpop – review» (em inglês). The Guardian. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  69. Cinquemani, Sal (2 de novembro de 2013). «Track Review: Lady Gaga, "Dope"». Slant Magazine. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  70. a b Pareles, Jon (6 de novembro de 2013). «Blurring Art, Artifice and Pop Culture» (em inglês). The New York Times. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  71. Fallon, Kevin (11 de novembro de 2013). «ARTPOP' Review: Lady Gaga's Album Wants to Be Everything, But Is Nothing at All» (em inglês). The Daily Beast. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  72. Percival, Ashley (13 de agosto de 2013). «Lady Gaga Takes Style Inspiration From Marilyn Manson As She Launches New Single 'Applause'» (em inglês). HuffPost. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  73. Lansky, Sam (18 de setembro de 2013). «Lady Gaga Explains The True Meaning Of 'Applause', Sort Of» (em inglês). Idolator. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  74. Montgomery, James. «Lady Gaga Rush-Releases 'Applause' Gaga drops her new single a week early ... just hours after Katy Perry releases 'Roar.'» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  75. Vena, Jocelyn. «Lady Gaga Lacks 'Maturity' On Next Album» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  76. Sierra, Marqina. «Lady Gaga Reveals What Inspired 'ARTPOP'». RyanSeacrest.com. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  77. «Lady Gaga's new album will be 'a reverse Warholian expedition', says Lady Gaga» (em inglês). New York Post. 14 de julho de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  78. Cragg, Michael (8 de outubro de 2013). «Lady Gaga: five things we can learn from her Artpop album cover» (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  79. Lady Gaga Interview 2013 (Audio commentary. Podcast). Roberts, Robin. Good Morning America. 9 de setembro de 2013 
  80. a b Kornharber, Spencer (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga's Artpop Is an Attention-Freak's Manifesto». Jay Lauf (em inglês). The Atlantic. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  81. a b Jason Lipshutz (7 de outubro de 2013). «Lady Gaga Unveils Eye-Popping 'ARTPOP' Artwork» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  82. Andy Swift (7 de outubro de 2013). «Lady Gaga Strips Down Naked For New 'ARTPOP' Album Cover» (em inglês). Hollywood Life. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  83. Lauren Weigle (7 de outubro de 2013). «PHOTOS: Lady Gaga's Art Pop Album Cover Reveal in Times Square» (em inglês). Heavy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  84. a b Ehrlich, Brenna (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga's ARTPOP Cover: Artist Jeff Koons Explains What It All Means - Music, Celebrity, Artist News» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  85. a b John Walker (7 de outubro de 2013). «Lady Gaga's 'ARTPOP' Cover: 'The Birth Of Venus' Meets The Birth Of Jeff Koons (PHOTO)» (em inglês). MTV. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  86. Haley Blum (7 de outubro de 2013). «See Lady Gaga's just-released 'ARTPOP' cover» (em inglês). USA Today. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  87. «Lady Gaga se mostrará desnuda en las fotos de su disco ARTPOP» (em espanhol). Peru.com. 15 de outubro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  88. Brett Malec (14 de outubro de 2013). «Lady Gaga Shows Her Bare Butt in ARTPOP Booklet, Answers Fan Questions During Twitter Q&A» (em inglês). E!. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  89. «Lady Gaga's Japanese fans agog over new album featuring op art 'Artpop' hits No. 1 on the Japanese albums chart» (em inglês). Portland Press Herald. 26 de novembro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  90. a b c Artpop (Encarte). Lady Gaga. Interscope Records. 2013. B0019295-02 
  91. «ARTPOP - Lady Gaga» (em inglês). iTunes. 11 de novembro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  92. «Lady Gaga reveals new album title 'ARTPOP' - News - Music». The Independent (em inglês). 8 de agosto de 2012. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  93. «Lady Gaga Cancels Tour, Needs Hip Surgery». Vibe (em inglês). 19 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  94. «"Gaga cancels rest of tour due to injury"]». Herald Sun. News Corp (em inglês). 27 de outubro de 2013. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  95. «Lady Gaga confirms 'Applause' as first 'ARTPOP' single». Digital Spy (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  96. «Lady Gaga Reveals Lyrics to Upcoming "Applause" Single, Talks ARTPOP App Details» (em inglês). E!. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  97. Kaufman, Gil. «Lady Gaga Announces ARTPOP Release Date, New Single» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  98. «Lady Gaga's 'ARTPOP' Album, App to Arrive This November» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  99. «Lady Gaga confirms 'ARTPOP' release date and app details». NME. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  100. «Lady Gaga Goes Interactive With Plans for 'ARTPOP' App» (em inglês). Rolling Stone. 6 de setembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  101. Abramovitch, Seth (6 de setembro de 2012). «Lady Gaga's 'ARTPOP' Album Will Be an Interactive App». Billboard. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  102. Michaels, Sean (1 de agosto de 2013). «Lady Gaga downplays multimedia expectations for ARTPOP album app» (em inglês). The Guardian. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  103. a b DiMeglio, Mary J. (26 de dezembro de 2012). «Lady Gaga's Gift To Fans: ARTPOP Doc In Works». MTV News (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  104. «Lady Gaga Announces Terry Richardson Documentary on Twitter». Billboard (em inglês). 25 de dezembro de 2012. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  105. Lyons, Margaret (28 de julho de 2011). «Lady Gaga and Terry Richardson Are Publishing a Photo Book Together». New York (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  106. Ehrlich, Brenna (22 de outubro de 2013). «Three Things Lady Gaga's VMA Performance Tells Us About ARTPOP». MTV News (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  107. Ross, India (2 de setembro de 2013). «Live review: Lady Gaga - The Monster-in-Chief takes a conceptual step too far». The Independent (em inglês). Londres: Independent Print Limited. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  108. a b «LADY GAGA | ARTPOP (Deluxe Edition)». Universal Music Germany (em alemão). Consultado em 26 de maio de 2020. Arquivado do original em 26 de maio de 2020 
  109. Lipshutz, Jason. «Lady Gaga Channels 'Wizard Of Oz' For 'Applause' Performance on 'GMA': Watch». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  110. Ehrlich, Brenna (24 de outubro de 2013). «Lady Gaga Slows Down For Sincere 'Gypsy' Premiere». MTV News (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  111. «Lady Gaga makes surprise appearance at G-A-Y». NME (em inglês). 27 de outubro de 2013. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  112. «Lady Gaga Strips Naked At London Nightclub (NSFW)». Vibe (em inglês). 27 de outubro de 2013. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  113. Benjamin, Jeff (28 de outubro de 2013). «Listen: Lady Gaga Blasts Off on Theatrical New Track "Venus"». The Madison Square Garden Company (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  114. «Lady Gaga to perform on The X Factor UK». Ladygaga.co.uk (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  115. Nissim, Mayer (17 de dezembro de 2013). «Lady Gaga's X Factor seashell underwear routine cleared by Ofcom». DigitalSpy (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  116. Kemp, Stuart (30 de outubro de 2013). «Lady Gaga's 'X Factor U.K.' Performance Ignites Hundreds of Complaints». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  117. Lipshutz, Jason (3 de novembro de 2013). «YouTube Music Awards: Eminem, Arcade Fire, Lady Gaga Highlight Gleefully Messy Show». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  118. Lipshutz, Jason (12 de novembro de 2013). «Listen to Lady Gaga on Howard!». HowardStern.com (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  119. Rivera, Zayda (17 de novembro de 2013). «Lady Gaga hosts 'Saturday Night Live,' plays future self without fame or applause». Daily News. Nova Iorque. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  120. Lipshutz, Jason (12 de novembro de 2013). «Lady Gaga, R. Kelly To Perform 'Do What U Want' At American Music Awards». Billboard. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  121. Spangler, Todd (8 de novembro de 2013). «Vevo to Live-Stream Lady Gaga Concert Exclusively on Nov. 10». Variety (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  122. Muller, Marissa G. (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga Shows Off Flying Dress at 'ArtRave'». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  123. Gonzalez, Marcela (29 de novembro de 2013). «'Lady Gaga & the Muppets' Holiday Spectacular' react: Cross-promotional cheer for one and all». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  124. Rogulewski, Charlie (7 de dezembro de 2013). «Lady Gaga Wears An iPad Like You Wear A T-Shirt, Boycotts Sochi Olympics». Vibe (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  125. Walker, John (7 de dezembro de 2013). «Lady Gaga Decks Her Head with Pounds of White Dreadlocks at the Jingle Bell Ball». MTV News. Viacom (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  126. Reiter, Amy (18 de dezembro de 2013). «Christina Aguilera and Lady Gaga get lovey-dovey on 'The Voice'». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  127. Williot, Carl (19 de fevereiro de 2014). «Watch Lady Gaga Perform "ARTPOP" On 'Tonight Show Starring Jimmy Fallon'». Idolator (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  128. Edwards, Gavin (14 de março de 2014). «Lady Gaga Stages Dramatic Performance-Art Spectacle at SXSW». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  129. «More Gaga Gigs At The Roseland Ballroom». Pollstar (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  130. Mansfield, Brian (19 de novembro de 2013). «Lady Gaga to close Roseland Ballroom». USA Today (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  131. Lipshutz, Jason (3 de dezembro de 2013). «Lady Gaga Unveils ARTPOP Ball North American Tour». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  132. Angermiller, Michelle (8 de abril de 2014). «Lady Gaga Closes Roseland Ballroom: Concert Review». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  133. Montgomery, James (29 de março de 2014). «Lady Gaga At Roseland: The Pop Powerhouse Returns». MTV News (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  134. Markovitz, Adam (31 de março de 2014). «Lady Gaga live at New York's Roseland Ballroom: Dispatches from the edge of glory». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  135. Lawrence, Jesse (31 de março de 2014). «Lady Gaga Tickets At Roseland Are Below Average Prices For Rest Of ARTPOP Ball Tour». Forbes (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  136. Allen, Bob (19 de junho de 2014). «Justin Timberlake's Spring Run Tops Hot Tours with $77.3 Million». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  137. Carley, Brennan (24 de novembro de 2014). «Lady Gaga Concludes Her 'Artpop' Tour With a Sprawling Paris Show». Spin (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  138. Saeed, Saeed (24 de agosto de 2014). «Lady Gaga will soon be in Dubai, so what can fans expect of her show?». The National (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  139. Kamin, Debra (14 de setembro de 2014). «Lady Gaga's color-drenched love fest is perfect boost after summer rocket war». The Times of Israel (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  140. Hunter-Tinley, Ludovic (24 de outubro de 2014). «Lady Gaga, O2 Arena, London – review». Financial Times (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  141. Sheffield, Rob (15 de maio de 2014). «Lady Gaga's Live Artflop: NYC Ghosts and Flowers». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  142. Allen, Bob (5 de dezembro de 2014). «Rolling Stones & Lady Gaga Wrap Up Their Tours on Top». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 3 de Janeiro de 2020 
  143. Rigby3, Sam (28 de julho de 2013). «Lady Gaga confirms 'Applause' as first 'ARTPOP' single, reveals cover» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  144. Bychawsky, Adam. «Lady Gaga says new single 'Applause' 'almost didn't make' new album 'ARTPOP'» (em inglês). NME. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  145. «Lady Gaga – Applause (Gaon Music Chart)» (em inglês). Gaon Music Chart. Consultado em 17 de março de 2015 
  146. «Lady Gaga – Applause (Productores de Música de España)» (em inglês). Productores de Música de España. Consultado em 17 de março de 2015 
  147. «Lady Gaga – Applause (Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége)» (em inglês). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 17 de março de 2015 
  148. «Lady Gaga – Applause (The Official Lebanese Top 20)» (em inglês). The Official Lebanese Top 20. Consultado em 19 de abril de 2020 
  149. «Lady Gaga – Applause (Media Control Charts)» (em inglês). Media Control Charts. Consultado em 17 de março de 2015 
  150. «Lady Gaga – Applause (Ultratop 50)» (em inglês). Ultratop 50. Consultado em 17 de março de 2015 
  151. a b c «Lady Gaga – Applause (Canadian Hot 100)» (em inglês). Canadian Hot 100. Consultado em 17 de março de 2015 
  152. «Lady Gaga – Applause (Tracklisten)» (em inglês). Tracklisten. Consultado em 17 de março de 2015 
  153. «Lady Gaga – Applause (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 17 de março de 2015 
  154. «Lady Gaga – Applause (Recording Industry Association of New Zealand)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 17 de março de 2015 
  155. a b «Histórico de Lady Gaga na UK Singles Chart» (em inglês). Official Charts Company. UK Singles Chart. Consultado em 17 de março de 2015 
  156. Trust, Gary (25 de fevereiro de 2018). «Ask Billboard: Lady Gaga's Career Sales, The Biggest No. 2 Hits & Ed Sheeran's Latest Chart Record» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  157. a b c d «Histórico de Lady Gaga na Billboard Hot 100». Billboard Hot 100. Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  158. «Certificações (Estados Unidos) – Lady Gaga» (em inglês). Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, depois selecione Single, depois clique em SEARCH. Recording Industry Association of America. Consultado em 2 de março de 2020 
  159. Vena, Jocelyn (16 de agosto de 2013). «Lady Gaga's 'Applause' Video: What We Know So Far» (em inglês). MTV News. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  160. Corner, Lewis (19 de agosto de 2013). «Lady Gaga wants to 'start over' with new single 'Applause' music video» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  161. a b Hutt, John (20 de agosto de 2013). «An Art History Guide to Lady Gaga's 'Applause' music video» (em inglês). Out. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  162. «Lady Gaga Releases 'Applause' Video: Watch» (em inglês). Billboard. 19 de agosto de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  163. Rutherford, Kevin (10 de outubro de 2013). «Lady Gaga Reveals Second 'ARTPOP' Single, 'Venus'» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  164. «Lady Gaga – Applause (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 17 de março de 2015 
  165. Sophie Schillaci (18 de dezembro de 2013). «Lady Gaga, Christina Aguilera Get All Frisky '70s Housewife On 'Voice' Finale: Watch» (em inglês). MTV. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  166. Meghan O'Keefe (6 de janeiro de 2014). «What Is Going On With Lady Gaga's "Do What U Want?"» (em inglês). Vh1. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  167. Erick Griffith (20 de junho de 2014). «Se filtra "Do What U Want" el video prohibido de Lady Gaga» (em inglês). últimas Noticias. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  168. «Lady Gaga – Venus (Recording Industry Association of New Zealand)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 17 de março de 2015 
  169. Gary Trust (13 de novembro de 2013). «Lorde's 'Royals' Leads Hot 100, Lady Gaga's 'Dope' Debuts At No. 8» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  170. All Access Ltd (ed.). «Top 40 Mainstream/Future Releases» (em inglês). Top 40 Mainstream. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  171. Media Forest Group (ed.). «Media Forest Weekly Chart: International Songs TV» (em hebraico). Media Forest. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  172. ABS-CBN Corporation (ed.). «This WEEK. April 19, 2014 - April 25, 2014». MYX. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  173. Kanika Lal (13 de fevereiro de 2014). «Lady Gaga Shoots 'G.U.Y' Music Video at Hearst Castle». The Hollywood Reporter (em inglês). The Hollywood Reporter. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  174. Randee Dawn (21 de março de 2014). NBC News, ed. «Lady Gaga teases new video 'G.U.Y.' on TODAY». Today.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  175. Daniel Welsh (23 de março de 2014). «Lady Gaga New Video: Singer Unveils 11-Minute Clip For New Single 'G.U.Y.' From 'ARTPOP' Album (VIDEO)» (em inglês). Huffington Post. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  176. «LADY GAGA'S "G.U.Y." VIDEO: THE INTERSECTION OF ART, POP, REAL HOUSEWIVES & UNCHECKED LUNACY» (em inglês). MuuMuse. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  177. «ARTPOP Reviews». Metacritic. CBS Interactive (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  178. a b Erlewine, Stephen Thomas. «Artpop - Lady Gaga». AllMusic. Rovi Corporation (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  179. Zaleski, Annie. «Lady Gaga: ARTPOP». The A.V. Club (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  180. a b Markovitz, Adam. «ARTPOP - Lady Gaga». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  181. a b Gill, Andy (7 de novembro de 2013). «Album review: Lady Gaga, ARTPOP - It's hard not to feel underwhelmed». The Independent (em inglês). London. Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  182. a b Emily Mackay (22 de novembro de 2013). «Lady Gaga - 'Artpop'». NME. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  183. a b Cinquemani, Sal (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga: Artpop» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  184. a b Johnston, Maura. «Lady Gaga, 'ARTPOP' Review». Spin (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2020 
  185. «Metacritic: ARTPOP reviews». Metacritic (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  186. John Aizlewood (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga: ARTPOP - album review». Evening Standard (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  187. Copsey, Robert. «Lady Gaga 'ARTPOP' review: What's the verdict?» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  188. Darryl Sterdan (6 de novembro de 2013). «Lady Gaga's 'Artpop' more style than substance» (em inglês). Toronto Sun. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  189. John Aizlewood (4 de novembro de 2013). «Lady Gaga: ARTPOP - album review» (em inglês). Evening Standard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  190. Robbie Daw (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga's 'ARTPOP': Album Review» (em inglês). Idolator.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  191. Chris Bosman (11 de novembro de 2013). «Lady Gaga's New ARTPOP Doesn't Always Live Up to Title» (em inglês). Time. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  192. Matt Bagwell (5 de novembro de 2013). «Lady Gaga 'ARTPOP' Review: Great Music, Shame About The Lyrics» (em inglês). The Huffington Post. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  193. Bernard Zuel (16 de novembro de 2013). «Artpop review: Lady Gaga takes a dramatic turn but lacks the wit» (em inglês). The Sydney Morning Herald. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  194. Adrian Thrills (7 de novembro de 2013). «ALBUM OF THE WEEK: Artpop review: Is the Lady Gaga show running out of steam?» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  195. Bill Lamb. «Lady Gaga - Artpop» (em inglês). About.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  196. Messitte, Nick (13 de dezembro de 2013). «Artpop Goes The Weasel: Three Glimpses Into The Deflation Of A Superstar» (em inglês). Forbes. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  197. Potton, Ed (8 de novembro de 2013). «Washed up? Far from it. The Lady fights back» (em inglês). The Times. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  198. Christgau, Robert (24 de janeiro de 2014). «The Consensus Has Consequences» (em inglês). The Barnes & Noble Review. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  199. Jason Lipshutz (18 de dezembro de 2012). «Madonna Rules Billboard.com's Readers Poll 2012» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  200. Katie Hasty, Dave Lewis y Melinda Newma (30 de dezembro de 2012). «20 Most Anticipated albums of 2013: Lady Gaga, Eminem, Katy Perry» (em inglês). HitFix. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  201. Rob O'Connor (2 de janeiro de 2013). «New Year! New Music Releases! 2013! Another Odd-Numbered Year!» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  202. «Most Anticipated Albums of 2013» (em inglês). E!. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  203. «Lady Gaga, Justin Bieber, The Wanted: Most Anticipated Pop Albums Of 2013» (em inglês). MTV. 2 de janeiro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  204. «TOP 10 POP ALBUMS TO LOOK FORWARD TO IN 2013» (em inglês). MuchMusic. 27 de dezembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  205. Jason Dietz (7 de janeiro de 2014). «Metacritic Users Pick the Best of 2013» (em inglês). Metacritic. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  206. «15 Best Albums of 2013: Critics' Picks» (em inglês). Billboard. 19 de dezembro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  207. Jason Lipshutz (19 de dezembro de 2013). «Lady Gaga Rules Billboard.com's Readers Poll 2013» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  208. «The Best 33 Albums of 2013» (em inglês). PopJustice. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  209. Robert Copsey y Lewis Corner (16 de dezembro de 2013). «Digital Spy's top albums of 2013 (30-16)» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  210. Robert Christgau (24 de janeiro de 2014). «The 2013 Dean's List» (em inglês). The Barnes & Noble Review. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  211. Joseph Apodaca (31 de dezembro de 2013). «10 Best Albums of 2013 - includes Beyonce, Justin Timberlake (Reviews)» (em inglês). On The Red Carpet. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  212. Rachel McGrath (4 de dezembro de 2013). «From One Direction's 'Midnight Memories' To Lady Gaga's 'ARTPOP' - The Best Albums Of 2013 (POLL)» (em inglês). Entertainment Wise. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  213. «THE 28th JAPAN GOLD DISC AWARD 2014» (em japonês). RIAJ. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  214. «BBMA Winners» (em japonês). Billboard. 2014. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 4 de julho de 2020 
  215. Fallon, Kevin (5 de dezembro de 2014). «10 Biggest Grammy Award Snubs and Surprises: Meghan Trainor, Miley Cyrus & More». The Newsweek Daily Beast Company (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  216. James Montgomery (25 de outubro de 2012). «Azealia Banks Confirms Lady Gaga, Kanye West Collabos». MTV (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  217. James Retting (20 de dezembro de 2013). «The 10 Dumbest Azealia Banks Beefs Of 2013». Stereo Gum (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  218. Gabrielle Hung (2013). «Azealia Banks Accuses Lady Gaga of Stealing Her Stuff Again». Celebuzz (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  219. Josh Grossberg (18 de setembro de 2013). «NEWS/ Lady Gaga Accused of Stealing Title for New Track From Azealia Banks». E! Online (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  220. Hannah Ongley (10 de novembro de 2014). «Azealia Banks' 'JFK' Is Probably Definitely a Diss Track Aimed at Lady Gaga». Styleite (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  221. Leandro Ferreira (15 de novembro de 2014). «Azealia Banks nega que tenha feito "JFK" para Lady Gaga». Pop Clash (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  222. Michael Baggs (9 de setembro de 2013). «LADY GAGA: 'AZEALIA BANKS HAS A BAD ATTITUDE'». Gigwise (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  223. Katie Atkinson (18 de agosto de 2013). «Katy Perry vs. Lady Gaga: Who won the singles showdown?». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  224. «The Great Debate: Lady Gaga's 'Applause' vs. Katy Perry's 'Roar'». Celebuzz (em inglês). 2013. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  225. Natasha Shankar (13 de agosto de 2013). «Lady Gaga's "Applause" vs. Katy Perry's "Roar": Which is better?». She Knows (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  226. Eleanor Gower (25 de agosto de 2013). «Pushing the boundaries! Lady Gaga, Katy Perry and Miley Cyrus play dress-up as they battle to be the most outrageous on the MTV VMAs red carpet». Daily Mail (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  227. Kty Kroll (26 de agosto de 2013). «Lady Gaga, 'NSync and Katy Perry Dominate the 2013 VMAs». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  228. Rebecca Macatee (13 de agosto de 2013). «NEWS/ Lady Gaga on Nonexistent Katy Perry Feud: "We Don't Need to Force-Feed This Negativity"». E! Online (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  229. Matthew Jacobs (4 de novembro de 2013). «Katy Perry On Supposed Lady Gaga Rivalry: 'You Can't Look At It Like A Competition». The Huffington Post (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  230. Pat Cerasaro (8 de novembro de 2013). «SOUND OFF: GLEE's Fabulous Feud Featuring Katy Perry & Lady Gaga». Broadway World (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  231. Gary Trust (23 de agosto de 2013). «Ask Billboard: Who's Sold More, Katy Perry Or Lady Gaga?». Billboard (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  232. Dan Avery (13 de julho de 2013). «Lady Gaga Copies Disco Legend Giorgio Moroder With New ARTPOP Look: PHOTO». NewNowNext (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  233. Alicia Diaz Dennis (22 de outubro de 2013). «Dance of the Dead Fans Accuse Lady Gaga of Song Snatching for 'Do What U Want' — Listen to the Similarities». Zimbio.com (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  234. Andrew Trendell (15 de agosto de 2013). «LADY GAGA ACCUSED OF 'RIPPING OFF' MADONNA 'GIRL GONE WILD' ON 'APPLAUSE'». Gigwise (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  235. Igor Miranda (11 de junho de 2014). «Animadora russa quer processar Lady Gaga por plágio». Revista Cifras. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  236. Brenna Ehrlich (8 de maio de 2013). «Lady Gaga Asks Russia: 'Why Didn't You Arrest Me When You Had The Chance?». MTV (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  237. David Bryant (17 de outubro de 2013). «Lady Gaga's new single offends, misrepresents Muslim culture». The Daily Cougar (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  238. «Muslim Women Speak On Lady Gaga's Song 'Burqa' And Its Portrayal Of Their Culture (VIDEO)». The Huffngton Post (em inglês). 23 de agosto de 2013. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  239. Umema Almen (19 de agosto de 2013). «Dear Lady Gaga, 'Burqa' sends the wrong message». The Washington Post (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  240. Virra (8 de agosto de 2013). «Listen to "Burqa", a leaked, controversial track off Lady Gaga's ARTPOP». Consequence of Sound (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  241. «Lady Gaga ‎– Artpop at Discogss». Discogs (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  242. «レディー・ガガの「ARTPOP」を iTunes で». iTunes Store. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  243. «レディー・ガガの「ARTPOP」を iTunes で». iTunes Store (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2020. Arquivado do original em 26 de maio de 2020 
  244. «Artpop by Lady Gaga». iTunes Store US. Apple (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2020. Arquivado do original em 26 de maio de 2020 
  245. «Lady Gaga Pledges to Remove R. Kelly Collab "Do What U Want" From Streaming Services in Apology Note». Complex (em inglês). 10 de janeiro de 2019. Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  246. Blake, Andrew. «R. Kelly collaboration missing from Lady Gaga's re-release of 'Artpop'». The Washington Times (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2020 
  247. a b c «Lady Gaga – Artpop (Billboard 200)» (em inglês). Billboard 200. Billboard. Consultado em 22 de junho de 2020 
  248. a b «Rapport financier et Etats financiers consolidés audités de l'exercice clos le 31 décembre 2013» (PDF). Vivendi (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  249. «IFPI Digital Music Report 2014» (PDF). IFPI (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  250. «ARTFLOP: Why Lady Gaga feels 'betrayed' over album release». The Week UK (em inglês). 8 de janeiro de 2014. Consultado em 22 de junho de 2020 
  251. Maureen Callahan (14 de dezembro de 2013). «What happened to Lady Gaga?». The New York Post (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  252. Gil Kaufman (20 de novembro de 2013). «Here's Why You Shouldn't Judge Lady Gaga On ARTPOP Sales Alone». MTV (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  253. Keith Caulfield (15 de dezembro de 2013). «Beyonce's Sales Grow to 550K+, Set for 2013's Biggest Debut By a Woman». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  254. Gil Kaufman (27 de novembro de 2013). «Lady Gaga's ARTPOP Suffers Second-Week Chart Drop, Eminem Back On Top». MTV (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  255. Keith Caulfield (4 de dezembro de 2013). «One Direction Scores Historic Third No. 1 Album on Billboard 200 Chart». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 
  256. a b «Billboard 200 Albums: Year End 2013». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  257. a b «Dance/Electronic Albums: Year End 2013». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  258. a b «Certificações (Estados Unidos) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em inglês). Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, depois selecione Album, depois clique em SEARCH. Recording Industry Association of America. Consultado em 22 de junho de 2020 
  259. a b Gary Trust (25 de fevereiro de 2018). «Ask Billboard: Lady Gaga's Career Sales, The Biggest No. 2 Hits & Ed Sheeran's Latest Chart Record». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  260. a b «Lady Gaga – Artpop (Canadian Albums Chart)» (em inglês). Canadian Albums Chart. Billboard. Consultado em 22 de junho de 2020 
  261. a b «Certificações (Canadá) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em inglês). Music Canada. Consultado em 22 de junho de 2020 
  262. a b «Certificações (Brasil) (álbum) – Lady Gaga – Artpop». Pro-Música Brasil. Consultado em 22 de junho de 2020 
  263. a b «Lady Gaga con todo, ya es un éxito "ARTPOP" en la Argentina». Todo Noticias (em espanhol). 28 de novembro de 2013. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  264. a b «Lady Gaga obtiene disco de oro en Colombia por Artpop». Los 40 Principales (em espanhol). 17 de dezembro de 2013 
  265. a b «Lady Gaga – Artpop (Ö3 Austria Top 40)» (em alemão). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 22 de junho de 2020 
  266. a b «Certificações (Áustria) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em alemão). IFPI Áustria. Consultado em 22 de junho de 2020 
  267. a b «Lady Gaga – Artpop (Ultratop 40)» (em neerlandês). Ultratop 50. Hung Median. Consultado em 22 de junho de 2020 
  268. a b «Lady Gaga – Artpop (Ultratop 40)» (em francês). Ultratop 40. Hung Median. Consultado em 22 de junho de 2020 
  269. a b «Lady Gaga – Artpop (Irish Recorded Music Association)» (em irlandês). Irish Recorded Music Association. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  270. a b «Lady Gaga – Artpop (Federazione Industria Musicale Italiana)» (em inglês). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 22 de junho de 2020 
  271. a b «Lady Gaga – Artpop (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 22 de junho de 2020 
  272. a b «Certificações (Itália) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em italiano). Para ver a certificação, selecione "Album e Copilation" em "Scegli la sezione", depois "52 - 2013" em "Seleziona settimana e anno" e clique em "Avvia la ricerca". Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 11 de março de 2019 
  273. a b «Certificações (Suíça) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em inglês). IFPI Suíça. Hung Medien. Consultado em 22 de junho de 2020 
  274. a b «Lady Gaga – Artpop (GfK Entertainment Charts)» (em alemão). GfK Entertainment Charts. Musicline.de. Consultado em 22 de junho de 2020 
  275. a b «Lady Gaga – Artpop (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 22 de junho de 2020 
  276. Lauren Kreisler (17 de novembro de 2013). «Lady Gaga bags third Number 1 album with ARTPOP». The Official UK Charts Company (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  277. a b «Certificações (Reino Unido) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em inglês). British Phonographic Industry. Consultado em 22 de junho de 2020 
  278. a b «Lady Gaga – Artpop (Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége)» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 15 de maio de 2020 
  279. a b «Adatbázis – Arany- és platinalemezek – 2013» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  280. a b «Lady Gaga – Artpop (Oricon)». Oricon (em japonês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  281. a b «Certificações (Japão) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em japonês). Recording Industry Association of Japan. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  282. a b «Lady Gaga – Artpop (Gaon Music Chart)» (em coreano). Gaon Music Chart. Consultado em 20 de janeiro de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  283. a b «ko:キム・ヨナ、アルバム販売10万枚超でユニバーサル殿堂入り». JoongAng Ilbo (em coreano). 3 de julho de 2014. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  284. a b «2013년 총결산 Album Chart». Gaon Music Chart (em coreano). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  285. a b «Lady Gaga – Artpop (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 22 de junho de 2020 
  286. a b «Lady Gaga – Artpop (Recorded Music NZ)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 15 de maio de 2020 
  287. «Lady Gaga – Artpop (Recording Industry of South Africa)» (em inglês). Recording Industry of South Africa. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  288. «Lady Gaga – Artpop (Hrvatska diskografska udruga)» (em croata). Hrvatska diskografska udruga. Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2020 
  289. «Lady Gaga – Artpop (Hitlisten)» (em inglês). Hitlisten. Consultado em 15 de maio de 2020 
  290. «Lady Gaga – Artpop (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 22 de junho de 2020 
  291. «Lady Gaga – Artpop (Productores de Música de España)» (em inglês). Productores de Música de España. Consultado em 22 de junho de 2020 
  292. «Lady Gaga – Artpop (Top Dance/Electronic Albums)» (em inglês). Top Dance/Electronic Albums. Billboard. Consultado em 22 de junho de 2020 
  293. «Lady Gaga – Artpop (IFPI Finlândia)» (em finlandês). IFPI Finlândia. Consultado em 18 de março de 2010 
  294. «Lady Gaga – Artpop (Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas)» (em espanhol). Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 15 de maio de 2020. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  295. «Lady Gaga – Artpop (VG-lista)» (em inglês). VG-lista. Consultado em 22 de junho de 2020 
  296. «Lady Gaga – Artpop (MegaCharts)» (em neerlandês). MegaCharts. Hung Medien. Consultado em 22 de junho de 2020 
  297. «Lady Gaga – Artpop (Związek Producentów Audio Video)» (em polaco). OLiS. Związek Producentów Audio Video. Consultado em 15 de maio de 2020 
  298. «Lady Gaga – Artpop (Associação Fonográfica Portuguesa)» (em inglês). Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 15 de maio de 2020 
  299. «Lady Gaga – Artpop (UK Albums Chart)» (em inglês). UK Albums Chart. The Official Charts Company. Consultado em 22 de junho de 2020 
  300. «Lady Gaga – Artpop (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 22 de junho de 2020 
  301. «2010s Dance/Electronic Decade End Chart». Billboard (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  302. «El álbum más vendido durante 2013 en Argentina: "Violetta – Hoy somos más"». Argentine Chamber of Phonograms and Videograms Producers (em espanhol). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  303. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Albums 2013». Australian Recording Industry Association (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  304. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 50 Dance Albums 2013». Australian Recording Industry Association (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  305. «Jaaroverzichten 2013 – Albums». Ultratop. Hung Medien (em neerlandês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  306. «Rapports Annuels 2013 – Albums». Ultratop. Hung Medien (em francês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  307. De Toledo, Giuliana (19 de março de 2014). «Disco do padre Marcelo Rossi foi o mais vendido em 2013». Folha de S.Paulo. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  308. «Összesített album- és válogatáslemez-lista – eladási darabszám alapján – 2013». MAHASZ (em húngaro). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  309. a b Tabelas de Fim de ano no Japão e vendas totais:
  310. «Los Más Vendidos 2013». Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas (em espanhol). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  311. «IFPI Global Music Report 2014» (PDF). IFPI (em inglês). p. 12. Consultado em 22 de junho de 2020 
  312. «End of year album chart – 2013». Official Charts Company (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  313. «Årslista Album – År 2013». Sverigetopplistan. Swedish Recording Industry Association (em sueco). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  314. «Swiss Year-End Charts 2013». swisscharts.com. Hung Medien (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2020 
  315. «2013년 Album Chart». Gaon Chart (em coreano). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 25 de Maio de 2009 
  316. a b «Lady Gagan ARTPOP-albumi myi kultaa Suomessa» (em finlandês). 12 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 15 de Outubro de 2019 
  317. «Certificações (França) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (PDF) (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  318. «Lady GaGa – Artpop». Pure Charts by Charts in France (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020. Arquivado do original em 15 de Outubro de 2019 
  319. «Certificações (Polônia) (álbum) – Lady Gaga – Artpop» (em polaco). Związek Producentów Audio Video. 18 de julho de 2006. Consultado em 3 de agosto de 2009. Arquivado do original em 22 de junho de 2020 
  320. Jones, Alan (27 de novembro de 2014). «Official Charts Analysis: Trainor matches Clean Bandit for longest-running No.1 single of 2014». Music Week (em inglês). Consultado em 22 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal.svg A Wikipédia possui o
Portal Lady Gaga