Universidade Estácio de Sá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UNESA)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Universidade Estácio de Sá (UNESA) é uma instituição de ensino superior privada brasileira fundada em 1970 no bairro de Rio Comprido, na Zona Central do Rio de Janeiro, como uma faculdade de Direito. A instituição possui 70 campos, com mais de 220 mil alunos sendo 129,733 mil alunos presencias e 77,717 mil alunos EAD segundo pesquisa feita em 2016 e está presente em 20 estados e no Distrito Federal. É administrada pela Estácio Participações e considerada a melhor faculdade particular do Brasil. A GP Investments adquiriu participação na Estácio em 2008 e vendeu em setembro de 2013, saindo totalmente do negócio. Em 01/07/2016, foi anunciado oficialmente que o grupo seria comprado pelo grupo Kroton, maior grupo de educação privada do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1970 por João Uchôa Cavalcanti Netto, com a implantação do curso superior de Direito. Seu nome é em homenagem ao militar português fundador da cidade do Rio de Janeiro e primeiro-governador geral da capitania do Rio de Janeiro. Durante a década de 1980, a Universidade Estácio de Sá (UNESA) dedicou-se à abertura de outros cursos de Ciências Humanas, tendo se convertido em universidade no ano de 1988.[1] Com isso, na década seguinte, cresceu ainda mais, abrindo cursos pouco tradicionais na área de Comunicação e Negócios; o que foi uma grande inovação na mercadologia do ensino superior no Estado do Rio de Janeiro e, posteriormente, em nível nacional. Nos anos 2000, expandiu-se rapidamente em cursos da área de Ciências Biomédicas.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

A Universidade Estácio de Sá foi pivô de diversas polêmicas e denuncias publicados nos jornais:

  • Em março de 2001 uma passarela do novo campus Barra, desaba ferindo entre 30 e 45 pessoas que prestariam um concurso público no local. Após o acidente o concurso foi adiado. Posteriormente a prefeitura do Rio afirmou não ter autorizado a abertura do campus.[2][3]
  • Em outubro de 2001, seu fundador, João Uchôa Cavalcanti Netto, concede uma entrevista polêmica ao jornal Folha Dirigida, onde afirma, entre outras coisas, que pesquisa é uma inutilidade pomposa, Na cúpula da Estácio quem tem mestrado e doutorado não entra. Isso é uma regra, Eu não me interessei pela educação e nem acho que eu seja uma pessoa muito interessada em educação. Eu sou interessado na Estácio de Sá, isso é que é importante.[4]
  • Em dezembro de 2001, ficou conhecida nacionalmente após matéria do programa Fantástico denunciar a aprovação de um semianalfabeto para seu curso de Direto no vestibular 2002. O padeiro Severino da Silva, semianalfabeto, respondeu somente alternativas A e B em todas as questões da prova, além de não fazer a redação. O então diretor da Unesa, Marcelo Campos, atribuiu o desempenho de Silva a uma questão de sorte, já que o candidato havia escolhido cursar Direito no período vespertino em uma turma que contava com vinte vagas, porém somente 9 candidatos se inscreveram e assim Severino Silva se classificou em 9º lugar. Após o episódio, a realização da redação tornou-se obrigatória.[5]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Interior do campus Madureira da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro.

A Estácio tem ampla estrutura de ensino e oferece cursos de graduação e pós-graduação lato sensu e stricto sensu em diversas áreas do conhecimento. Também é conhecida pela oferta de Cursos de Férias abertos à comunidade, nos meses de julho e janeiro.

A Universidade Estácio de Sá também oferece a formação internacional nas áreas de hospitalidade sem a necessidade de sair do país, através de parcerias com escolas europeias. É parceira da Lausanne Ecóle Hôtelière (Hotelaria), Lausanne Hospitality Consulting (Turismologia), Alain Ducasse Formation (Gastronomia), Universidade de Coimbra (Direito), Greensboro's Northen Caroline University (Gestão de Seguros) e The Walt Disney World Company (Gestão de Negócios Hoteleiros e Turísticos).[6]

Além do investimento em ensino, também administrou um time de futebol profissional, o Estácio de Sá Futebol Clube, entre 2004 e 2011.

Graduações[editar | editar código-fonte]

Ciências Humanas e Sociais[editar | editar código-fonte]

Ciências Exatas[editar | editar código-fonte]

Ciências Biomédicas[editar | editar código-fonte]

Ex-alunos da Universidade Estácio de Sá[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]