Angatuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Angatuba
Bandeira de Angatuba
Brasão de Angatuba
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 11 de março de 1862
Gentílico angatubense
Prefeito(a) Carlos Augusto Moraes Turelli (PSDB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Angatuba
Localização de Angatuba em São Paulo
Angatuba está localizado em: Brasil
Angatuba
Localização de Angatuba no Brasil
23° 29' 24" S 48° 24' 46" O23° 29' 24" S 48° 24' 46" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Itapetininga IBGE/2008 [1]
Microrregião Itapetininga IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Itatinga, Bofete, Guareí, Itapetininga, Campina do Monte Alegre, Buri e Paranapanema
Distância até a capital 210 km
Características geográficas
Área 1 028,702 km² [2]
População 22 211 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 21,59 hab./km²
Altitude 624 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,762 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 291 722,149 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 12 751,77 IBGE/2008[5]
Página oficial

Angatuba é um município brasileiro do estado de São Paulo. Sua população estimada em 2010 era de 22.211 habitantes.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Angatuba é termo indígena que significa abundância de espíritos, ou de forma poética "Mansão das almas". Do tupi: angá, espírito; e tuba: grande quantidade, abundância.

História[editar | editar código-fonte]

Angatuba foi fundada em 1862, quando o capitão José Marcos de Albuquerque comprou por duzentos e cinquenta mil réis, um vasto terreno de matas virgens de propriedade de Maria Genoveva dos Santos, e seus herdeiros João Martins dos Santos e Domingos Leite do Prado. Nessa época, o terreno situado no município de Itapetininga, chamava-se "Bairro Palmital". Esta seria a primeira denominação do município.

Ali, José Marcos de Albuquerque juntamente com Teodoro Arruda, Salvador Pereira de Albuquerque, Salvador Rodrigues, Felisberto Ramos, Teodoro Rodrigues, José Vicente Ramos e Dominiciano Ramos iniciaram a construção de uma capela.

A construção foi interrompida com o falecimento do Capitão José Marcos de Albuquerque e retomada após a viúva, D. Paula Maria de Camargo, casar-se com o tenente-coronel Tomás Dias Batista Prestes.

O coronel Prestes constituiu comissão para retomada da construção com o Alferes José Antônio Vieira, Salvador Ferreira de Albuquerque, Salvador Rodrigues dos Santos, Teodoro José Vieira e Domiciano Ramos. Estes, apoiados pela população do local, concluíram a construção da capela feita em madeira que foi denominada "Capela do Ribeirão Grande do Palmital". E este foi o segundo nome dado a Angatuba: "Capela do Ribeirão Grande do Palmital".

Tomás Dias Batista Prestes presenteou a comunidade com um pombo de prata, imagem que representa o Divino Espírito Santo, que se tornou o padroeiro da capela.

Em 11 de março de 1872, a lei provincial nº. 7, elevou o povoado à categoria de Freguesia do Espírito Santo da Boa Vista.

Em maio de 1873, o tenente Tomás Dias Batista Prestes, consegue a escritura do terreno da capela e em setembro o terreno é anexado ao patrimônio da "Capela do espírito Santo da Boa Vista".

Em 1885 a Freguesia teve anexado território desmembrado de Itapetininga e foi elevada a município pela lei nº. 27 de 10 de março do mesmo ano.

A instalação efetuou-se em 5 de fevereiro de 1887.

Em 1908 a Lei n. 115, alterou o nome para Angatuba que, em tupi-guarani significa "assembleia dos espíritos", "morada dos espíritos" ou "mansão das almas". Existem historiadores que afirmam que Angatuba significa, em tupi-guarani, "fruta-doce", ou Anga= fruta e tuba= doce.

O primeiro vigário da paróquia da Vila foi o padre Caetano Tedeschi.

A comarca criada pela lei 5285 de 18 de fevereiro de 1959, foi instalada no dia 29 de maio de 1966.

Revolução de 1932[editar | editar código-fonte]

Por uma semana, durante os embates da Revolução de 1932, o município de Angatuba foi ocupado por tropas gaúchas. Consta que com a previsão da invasão do "exército-do-sul" e o medo da população devido a fama de que os gaúchos "destruíam casas e atacavam mulheres", os moradores esconderam suas esposas e filhos pequenos em sítios e/ou cidades vizinhas. Fato curioso foi que com a demora da chegada dos soldados, aos poucos o povo foi retornando para suas casas. Os Gaúchos chegaram quando não mais se imaginava que o município seria tomado. Felizmente nenhum incidente foi registrado e os dias de ocupação foram tranquilos.

Clubes de serviços e associações[editar | editar código-fonte]

  • Rotary Club de Angatuba: Fundado em 27 de dezembro de 1995, tendo como padrinho o Rotary Club de Itapetininga qual está sob administração do Distrito 4620 de Rotary Internacional desde Mairinque até Ourinhos, passando pelos municípios de Sorocaba, Avaré e Itapeva. O mesmo mantém diversos projetos sociais e ambientais, cabe destaque a edição anual da Limpeza do Rio Paranapanema, a qual retira certa 100m³ de detritos das margens, lembrando que é o único rio no estado de São Paulo livre de poluição.
  • Associação Comercial e Industrial de Angatuba

Campina do Monte Alegre[editar | editar código-fonte]

Fato importante na história de Angatuba foi o desmembramento de parte de seu território para criação do município da Campina do Monte Alegre.

A área assemelha-se a um apêndice situado a sul do centro geográfico e foi criado pela Lei Estadual nº 7.664, de 30 de dezembro de 1991. O município foi instalado em 1993.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 22.211

  • Urbana: 15.954
  • Rural: 6.257
    • Homens: 11.246
    • Mulheres: 10.965

Densidade demográfica (hab./km²): 24.12

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 19,37

Expectativa de vida (anos): 69,45

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,53

Taxa de alfabetização: 90,38%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,762

  • IDH-M Renda: 0,695
Gráfico progressão populacional 1920-2000 - (fonte dados:IPEADATA).
  • IDH-M Longevidade: 0,741
  • IDH-M Educação: 0,850

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz - Praça Monsenhor Ribeiro - Centro.

Intendentes e prefeitos[editar | editar código-fonte]

desde 1887

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Personalidades[editar | editar código-fonte]

  • Carlos Alberto da Costa Nunes - poeta e tradutor
  • José Carlos de Morais ("Tico-tico") - repórter pioneiro da televisão brasileira
  • Antonio Lisboa 1889/1985 - músico e maestro
  • Dina Lisboa - atriz
  • João Francisco Benedan o "João Gordo" - ativista do "Punk-Rock", vocalista do Ratos de Porão, grupo de renome mundial, apresentador de programas do tipo "talk show" na televisão e no rádio.
  • Fernando Prestes de Albuquerque - presidente do estado de São Paulo no período de 1898 a 1900.
  • João Francisco Turelli, Angatuba, 1943, Rio de Janeiro 1993 filho de Cetézio Turelli e Oswalda Mádero, estudou em São Paulo no colégio Visconde de Porto Seguro. Dominava completamente o idioma inglês, por isso consegui emprego no consulado Americano em São Paulo, onde trabalhou por vários anos. Após, transferiu-se para o município do Rio de Janeiro, foi locutor da rádio Continental e também teria trabalhado na radio Jornal do Brasil, porém João Francisco destacou-se com seu trabalho no estúdio Herbert Richers onde foi diretor, tradutor e dublador em diversos filmes principalmente de desenho animado. Entre um de suas dublagens, registra-se no ano de 1986 quando fez o personagem Lanterna Verde no seriado Super Amigos levado ao ar pela Rede Globo, SBT e Gazeta.
  • Francesco Turelli, nasceu em Bondeno, Provincia di Ferrara (Italia), 5 Novembro 1851 - faleceu em Angatuba 7 Agosto 1923, filho de Mariano Turelli. Sua familia era de Pievepelago, Provincia di Modena. Imigrou para o Brasil em 1873. Francesco (Francisco, no Brasil) foi plantador de café e dono da principal loja de comércio da Angatuba, localizada na praça central. Foi Prefeito de Angatuba em 1911.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Angatuba