José Luiz Datena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Datena)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
José Luiz Datena
O apresentador José Luiz Datena
Nascimento José Luiz Datena
19 de maio de 1957 (56 anos)
Ribeirão Preto,  São Paulo
Ocupação Jornalista, apresentador de TV e locutor esportivo
Outros nomes "Fenômeno (dado por Jorge Kajuru), A Voz do Povo"
Nacionalidade  brasileiro(a)

José Luiz Datena[1] (Ribeirão Preto, 19 de maio de 1957) é um jornalista, locutor esportivo e apresentador de televisão brasileiro.[2] [3] Em julho de 2012, foi eleito um dos "100 maiores brasileiros de todos os tempos" em concurso realizado pelo SBT com a BBC de Londres.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O primeiro trabalho de José Luiz Datena foi em uma rádio de sua cidade natal. Ele era repórter do programa Plantão Esportivo, no qual também exercia a função de locutor. Ainda em Ribeirão Preto, Datena trocou o rádio pela televisão. Além das reportagens esportivas, passou a cobrir outros temas. Foi justamente uma reportagem em que ele fez para a TV Ribeirão (atual EPTV Ribeirão Preto) sobre um lixão da cidade que lhe rendeu o primeiro de dois prêmios Vladimir Herzog. Mais tarde, estreou na Rede Bandeirantes como jornalista esportivo, onde atuou como repórter e locutor, participando da cobertura dos principais eventos esportivos no Brasil e no exterior. Aliás, foi nessa época que ele criou o acrônimo que a emissora de João Jorge Saad mantém até hoje: "Band".

Em 1996, entra para a equipe de esportes da Rede Record. Na emissora, o já consagrado repórter esportivo ganhou mais notoriedade comandando o programa policial Cidade Alerta.[2] Depois de uma brevíssima passagem pela Rede TV! em 2002, apresentando o Repórter Cidadão também policial, volta para a Record e em seguida, vai para a Bandeirantes, apresentando o Brasil Urgente (semelhante ao "Cidade Alerta") e o No Coração do Brasil, no qual viaja para vários lugares do país apresentando aspectos pitorescos do país, formato já exaustivamente utilizado desde os tempos do jornalista Amaral Netto. Datena apresentou o Brasil Urgente e o telejornal local São Paulo Acontece, na Rede Bandeirantes, além do programa Manhã Bandeirantes, na Rádio Bandeirantes, até junho de 2011. Em 2011 o jornalista foi condenado a pagar 60 mil reais em um processo movido por um juiz em virtude de danos morais.[4]

Polêmica com os ateus[editar | editar código-fonte]

Na edição do programa Brasil Urgente exibida a 27 de julho de 2010, Datena, após comentar dois casos extremos de assassinatos brutais mostrados anteriormente, fez associações consideradas preconceituosas entre criminalidade e descrença religiosa, acusando os que não acreditam em Deus como responsáveis pela degradação da sociedade.[5] No começo de dezembro o Ministério Público Federal em São Paulo moveu ação em tribunal pedindo uma retratação com duração mínima do dobro do tempo dos comentários.[5] [6] A justiça condenou a Band em 31 de janeiro de 2013 à promover uma campanha a favor da diversidade religiosa com a mesma duração que teve o comentário do apresentador em 2010, ou seja, 50 minutos, o processo ainda cabe recurso por parte da emissora.[7]

Troca de emissoras[editar | editar código-fonte]

Em 16 de junho de 2011, Datena assinou um contrato de cinco anos com a Rede Record[8] para apresentar o novo Cidade Alerta.[9] Ele já esteve na Rede Record entre 1996 e 2003 (com uma passagem breve pela RedeTV!). Na Band, ele apresentava o local SP Acontece e o nacional Brasil Urgente.[10] No dia 29 de julho, Datena encerra o Cidade Alerta com a seguinte frase: “Muito obrigado e até um dia!” É que ele entregara a carta de rescisão de contrato para a Record, apenas 43 dias após estrear o programa (seriam mais cinco anos pela frente e o atual compromisso só se encerraria em junho de 2016). Depois de tornar públicas algumas das suas insatisfações, houve por parte da direção de jornalismo da referida rede de televisão uma solicitação ao apresentador para que não aceitasse mais pedidos de entrevistas. Isso só aumentou o desconforto entre as partes. As frequentes mudanças no horário do Cidade Alerta e a quebra da rede em meio a sua exibição foram outras causas que acabaram precipitando o desgaste das relações entre as partes.[11] Sua assessoria de imprensa, assim como a da Rede Record, não se pronunciaram até a atualização desta página.

Contudo, a TV Bandeirantes já havia admitido, por meio de seu departamento de comunicação, que as negociações para que Datena voltasse a integrar o quadro de funcionários da emissora estariam para acontecer.[12] Desde o momento em que resolveu trocar a Band pela Record, em junho de (2011), José Luiz Datena nunca deixou de conversar com diretores da sua antiga emissora. Entre trocas de telefonemas e encontros em restaurantes, também aconteceu uma reunião informal com Johnny Saad. O acerto definitivo, após se ter em mãos pareceres de advogados das partes interessadas (por causa da questão da multa), aconteceu na noite do dia 28 de julho (de 2011). Datena e José Emílio Ambrósio, então diretor de Jornalismo e Esporte da TV Bandeirantes, jantaram e conversaram por mais de três horas, quando tudo foi acertado. O seu retorno ao Brasil Urgente aconteceu no dia 8 de agosto[13] e ele voltou a fazer o programa de todas as manhãs na Rádio Bandeirantes.[14]

Programa de auditório[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de abril de 2012, Datena estreou um game show chamado Quem Fica em Pé?. Dez pessoas participam do programa, e o participante cai em um buraco ao ser eliminado.[15]

Ameaça de morte e suposta pressão de Kassab[editar | editar código-fonte]

De acordo com o colunista Alberto Pereira Jr, do site F5, às 9h55 da manhã de terça-feira o Disque Denúncia havia recebido uma ligação afirmando que Datena seria assassinado no número 13 da rua Radiantes, localizado no Jardim Leonor, em São Paulo. O Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol) recebeu a informação às 11h37. Não é a primeira vez que o apresentador do jornalístico Brasil Urgente sofre ameaças de criminosos. Em 28 de março, a polícia conseguiu interceptar um plano de sequestro, que ocorreria na rodovia Castelo Branco, em São Paulo, onde ele costuma transitar.

"Nesta quarta-feira a polícia entrou em contato comigo para avisar que um grupo criminoso me sequestraria hoje, às 21h, em um ponto em que eu passo sempre com meu carro", havia declarado Datena, ao vivo durante o seu programa na TV. Na rádio, o jornalista ameaçou pedir as contas por não aguentar mais ser pressionado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, por causa da repercussão que o apresentador estaria dando em seu programa sobre a denúncia de que o ex-assessor do prefeito, Hussain Aref Saab, teria acumulado aproximadamente R$ 50 milhões em imóveis durante a última década. Aref era chefe do Departamento de Aprovação de Obras. No dia 28 de fevereiro, após Datena se irritar e abandonar o seu programa ao vivo na rádio, ele afirmou à coluna do F5 que poderia se aposentar do veículo.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Natural de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, Datena é casado com a mesma esposa há mais de três décadas e tem cinco filhos, dois dos quais frutos de um relacionamento extraconjugal, durante um período de três anos em que esteve separado da mulher (um dos filhos desse período é a modelo Letícia Wiermann).[16] O jornalista teve alguns problemas de saúde ao longo da vida, parte em razão da ingestão imoderada de álcool na juventude. Retirou metade do pâncreas e extraiu o baço, além de ter ainda feito uma cirurgia na garganta em 2012.[17] [18] O apresentador convive ainda com uma diabetes, o que o tornou dependente de injeções de insulina.

Trabalhos na TV[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: José Luiz Datena