Drum and bass

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Drums n' bass
Origens estilísticas Rave - Techno - Hip hop - Dub - Dancehall - Reggae
Contexto cultural final da década de 1980. Londres e Bristol, Inglaterra
Instrumentos típicos Sampler - Caixa de ritmos - Teclado Sintetizador - Sequenciador - Computador Pessoal
Popularidade Pequeno, grande parte baseada no Reino Unido, no resto do mundo, ainda é considerada música underground em muitos países
Subgêneros
Darkcore - Darkstep - Drumfunk - Hardstep - Intelligent drum and bass - Jazzstep - Jump-Up - Neurofunk - Techstep - Techno-DNB - IDM
Gêneros de fusão
Liquid funk - Ragga jungle - Industrial drum'n'bass - Raggacore - Drill and Bass - Drumstep
Formas regionais
Drum 'n' Bossa

Drum and bass (também abreviado como D&B, DnB ou simplesmente d'n'b) é um estilo de música eletrônica que se originou a partir do jungle. Surgiu na metade dos anos 90 na Inglaterra. O gênero é caracterizado por batidas rápidas, próximas a 170 BPM .

O início do D&B remete ao fim dos anos 80. No decorrer de sua história, incorporou elementos de culturas musicais como o dancehall, electro, funk, Hip-Hop, house, jazz, metal, pop, reggae, rock, techno e trance.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A etimologia do termo "Drum and Bass", ou ainda drum n'bass, vem do inglês, sendo a tradução "Bateria e Baixo". É a característica marcante das produçōes de drum and bass, em que os principais elementos sāo batidas, de bateria acústica em algumas delas, e som forte e grave do baixo, em basslines contagiantes.

O Dub, cuja forma originária eram remixes de faixas de reggae dando ênfase ao baixo e a bateria com algumas passagens vocais e efeitos sonoros, teve influência direta no drum'n'bass(Visionary, por exemplo). Pode-se dizer que a cultura drum'n'bass, na sua forma primária, o Jungle tem uma forte ligação com o reggae.

Cultura[editar | editar código-fonte]

"Drum and Bass" é um estilo de música electrónica , surgido em Inglaterra nos finais dos anos 80, que se caracteriza por batidas rápidas próximas das 170 batidas por minuto. Esta designação deriva do inglês em que "drum" significa bateria e "bass" é baixo, uma vez que este estilo musical tem como principais elementos as batidas de bateria acústica e o som forte e grave do baixo, com influência de vários estilos musicais como o hip-hop, funk, rock, música jamaicana etc.

O drum and Bass vem se destacar na cultura mundial no começo dos anos 90, porém, nos guetos londrinos, algo conhecido como hardcore breakbeat já era conhecido.[1] O hardcore breakbeat é uma evolução do hip-hop com batidas quebradas, e o termo hardcore vem de rápido, acelerado, que nos dá a entender que o ritmo se destaca por batidas quebradas rápidas. Após passar por várias influências, como a música jamaicana (consequência da aglomeração de imigrantes jamaicanos nesses guetos), ragga e dub, o hardcore breakbeat tomou um novo rumo, chamado Jungle. O Jungle, sonoramente falando, se trata dessas batidas do hardcore breakbeat, com fusões do ragga, dub, funk, e sons presentes na música jamaicana. A hipótese mais conhecida pelo aparecimento do nome jungle é a de que tal nome se refere justamente do gueto, ou seja, da selva que era o gueto, ou dando a entender que o jungle era música do gueto. Dando um certo ar preconceituoso esse termo logo começou a causar problemas, as hipóteses para que o nome tenha virado drum and bass seriam de que, por o termo ser preconceituoso, as pessoas estavam querendo dar um ar étnico correto ao ritmo, mudando-o para drum and bass. Já outra hipótese seria a de que, com as festas de jungle, o uso de crack e drogas estava aumentando, e com a violência que o próprio consumo estava causando, o termo jungle teria ficado "sujo", logo, os promoters dessas festas receberam a idéia de mudar o nome para algo que seria lógico ao ouvir a música, e logo assim, teria surgido o termo drum and bass. Entretanto, o drum and bass se trata mesmo de uma evolução cultural e sonora do jungle, sendo a "nata" do jungle, ou seja, um som mais menos sincopado, misturando funk, hip-hop, house music, acid jazz, rock e até ritmos latinos na sua composição. Quando falamos de cultura "drumbazista", estamos nos referindo a uma cultura bastante ligada à cultura urbana, ou seja, a uma nova cultura, uma cultura jovem, diferente. O drum and bass se destaca de outras vertentes da música eletrônica por ter batidas rápidas, acima de 160 BPM, pela variedade de ritmos que se podem fundir com ele, exemplo disto são várias produções de DJs nacionais com cantores e artistas de bossa nova, e também, sua possibilidade de representar vários contextos culturais, como o hip-hop, o ragga e a cultura urbana em si. O drum and bass está "escondido" na nossa cultura, se prestarmos atenção, iremos vê-lo como fundo de comerciais, documentários ou programas de TV, assim como feito com outras vertentes eletrônicas como o chill out e o dub.

Embora o jungle ser um som oriundo dos guetos londrinos, e ter mudado para o nome de drum´n´bass, em 2003 nos EUA um grupo de amantes do jungle e do ragga-jungle decidu criar um fórum (www.ragga-jungle.com) na internet que fez ressuscitar o gênero. Hoje ragga-jungle e jungle tem o seu próprio mercado e o seu nicho e as produções e festas ficaram mais centradas no cenário underground eletrônico americano, na Rússia, na Espanha, no Leste Europeu e é claro, na Inglaterra. Com isso, novos gêneros foram criados como: dubwise dnb, raggacore, full metal jungle, drumstep, ragga dubstep e jungle-tek, que é um jungle com batida 4x4.

E agora que se aproxima nova década, mais os ritmos se diluem. Surgiu o Future Jungle (ou denominado também de 140jungle ou jungle breaks) e faz uma mescla da rave dos anos 90, dubstep e breakbeat em cima do ritmo jungle, girando em torno de 140 a 150 bpm.

Dizem que jungle e drum´n´bass são gêneros diferentes hoje em dia, embora alguns noventistas insistem em dizer que são a mesma coisa. Discussão que vai se perder no tempo porque hoje com a nova geração de internautas e com a vastidão de informação e de gêneros e sub-gêneros musicais que despontam na rede, o ideal é cada um procurar o seu próprio público!

Glossário[editar | editar código-fonte]

Junglist - Junglist primeiramente era o nome dado à quem era da selva, do gueto, mas hoje, é um termo para quem aprecia jungle, drum and bass, sem distinção de classe social, raça, nacionalidade, qualquer um que tenha amor ao jungle é um junglist.

Drumbeizero - um termo pouco conhecido, porém, é uma forma, mesmo estranha de se dizer, para quem aprecia o drum and bass, esse nome foi bastante "aportuguesado".

Big Up - Um cumprimento, uma forma de elogio, na verdade é um cumprimento de uma pessoa que goste do ritmo para outra.

Boooh ! - Grito entusiasmado, dado pelo público ou MC da noite, quando após a entrada de uma faixa ela cause um grande impacto na pista, com ênfase em uma linha de baixo forte 'como um soco'.

Scratch - é o nome dado para o ato de fazer ruídos, com o vinil, ou seja, é uma forma de som que acontece quando se pressiona, gira, para ou faz peripécias com as mãos no vinil. O scratch não só está no drum and bass, mas vem do hip-hop, e está em vários gêneros. Para muitos, scratch é a forma perfeita de expressar arte e demonstrar suas habilidades como Disc-Jocker*, o famoso DJ. (*que por sua vez, ao pé da letra, significa "Coringa dos Discos" como um menestrel que brinca com as notas e diferentes efeitos, ritmos).

VIP - Versão geralmente exclusiva de uma faixa. Ela é feita pelo próprio autor da música para amigos próximos ou apenas para si mesmo, surpreendendo a pista acostumada a ouvir a versão lançada de uma faixa de sucesso. Ocasionalmente a versão 'VIP' atinge tal sucesso que para não perder a oportunidade de vender discos o autor lança a faixa em um novo disco. Versões 'VIP' também podem ser releituras feitas pelo próprio autor de suas faixas muito antigas, dando uma roupagem moderna a ela para ser mais facilmente mixada com as novas tendências do estilo.

Dubplate - Acetato prensado por unidade. Leva-se um DAT, CD ou MD (ou qualquer outra mídia) e a gravação é transferida para uma prensa de vinil onde será confeccionado o dubplate que poderá ser cortado em 10 ou 12' (polegadas), peso aproximado de 400g. O disco deverá ser tocado por tempo limitado, pois como se trata de um acetato, processo anterior ao vinil, ele traz essa desvantagem. Geralmente, os dubplates são prensados para que os DJs 'testem' as músicas na pista antes de seu lançamento, sem ter que fazer uso de mídias digitais.

Rewind - Após um DJ mixar uma faixa que é muito popular e receber um retorno muito especial da pista de dança é comum ele parar o disco e girá-lo ao contrário rapidamente com as mãos, deixando que a faixa seja tocada do começo, especialmente quando a faixa possui uma introdução interessante ou diferente. O "Rewind" tem origens na raiz dos shows de reggae jamaicanos, onde o começo da música sempre é considerado o momento mais importante desta. Sendo assim, os músicos jamaicanos tinham tendência a repetir o início da mesma música várias vezes, o "glissando", com constantes aplausos da platéia. Esta cultura se manteve viva nos soundsystens jamaicanos e londrinos e se estendendo aos djs de drumnbass de hoje.

Vertentes[editar | editar código-fonte]

Dentro desse estilo de música eletrônica ainda surgem vertentes que possuem características próprias que são expressas em elementos musicais como velocidade bpm ou arranjos característicos introduzidos em sua produção. Como exemplo o som feito pelo DJ Makoto, característico por ter elementos de jazz, como o saxofone, sendo classificado como Jazzstep.

[editar | editar código-fonte]

Exemplos de sons de Drum and Bass[editar | editar código-fonte]

  • Pendulum - Blood Sugar
  • Pendulum - Hold Your Colour
  • Andy C - Haunting
  • Dj Marky - Days Go Slow
  • The Sqemists - Stompbox
  • Netsky - I Refuse
  • Netsky - Power of Sound
  • Sub Focus - Airplanes

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Stuart Borthwick,Ron Moy. In: Edinburgh University Press. Popular music genres: an introduction. [S.l.: s.n.]. 219 pp. ISBN 0748617450, 9780748617456.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Drum'n'bass.com.br - Portal brasileiro sobre Drum and bass fundado em 2013.
  • DNBB Recordings - Selo independente de Drum and Bass brasileiro, fundado em 2011. Artistas nacionais e internacionais.
  • LuvDisaster Records - Selo independente de Drum and Bass brasileiro, fundado em 2008. Artistas nacionais e internacionais.
  • drumbass.com.br - Primeiro site Brasileiro sobre drum'n'bass. Desde 2000. MP3, notícias, entrevistas, fotos, videos, sets, podcast, etc...
  • Dub Echoes - Documentário sobre a influência do Dub no nascimento do drum and bass, da música eletrônica e do hip hop
  • History of drum & bass - Linha do tempo com a história do drum and bass, lista de músicas, frases e samples
  • London Someting Dis - Documentário de 1994 com a história do drum and bass, com entrevistas com artistas
  • Positive Bass - Site brasileiro dedicado as batidas quebradas, com sets, videos, e muita informação.
  • Drum n Bass - First Drum and bass blog.
  • Drum and Bass France - The first Drum & Bass social network
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.