Duloxetina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Molécula de duloxetina.

A Duloxetina é um antidepressivo. Mostra-se eficaz não só no tratamento da depressão como também em outros distúrbios (incontinência urinária). É uma substância classificada como inibidor selectivo de recaptação de serotonina e noradrenalina

Nomes comerciais[editar | editar código-fonte]

  • Cymbalta, Xeristar, Yentreve, Ariclaim, Velija

A duloxetina é um novo antidepressivo, criado pelo laboratório norte-americano Eli Lilly. Pertence a uma classe de drogas conhecidas como duplos inibidores de recaptação.

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

Os neurotransmissores são liberados por um neurônio e são captados por outro. Uma pequena quantidade de neurotransmissor é enviada de cada vez, de um neurônio para outro. Após o envio e recebimento dessa quantidade, o neurotransmissor que ficar "sobrando" no espaço entre um neurônio e o outro é absorvido pelo primeiro, aquele que o liberou. Esse processo recebe o nome de recaptação. Um inibidor da recaptação de um dado neurotransmissor impede esse processo, o que significa que sob a vigência da duloxetina, certos neutrotransmissores são enviados em fluxo contínuo e sentido único, e não mais da forma natural, pulsátil e em "mão dupla". Os neurotransmissores afetados pela duloxetina são a serotonina e a noradrenalina. O termo duplo inibidor de recaptação refere-se a uma droga que afeta a recaptação de dois neurotransmissores ao invés de um.