Escudo humano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Escudo Humano é um termo militar e político que descreve a colocação deliberada de civis dentro ou ao redor de alvos em combate para deter um inimigo de atacar os alvos. Também pode se referir ao uso de civis para, literalmente, blindar combatentes durante os ataques, forçando os civis a marcharem à frente dos soldados. Isto é feito na esperança de que a outra parte ficará relutante em atacá-los. Além disso, caso a outra parte ataque esses alvos de qualquer maneira, as vítimas civis resultantes têm valor propaganda.

Os escudos humanos são uma forma particularmente cruel da guerra, porque os civis estão expostos a um risco muito elevado. Os atacantes são confrontados com a escolha de matar os civis ou de se abster de atacar o alvo militar - com possíveis consequências .[1]

Usando esta técnica, aumenta a taxa de baixas civis, e é ilegal por qualquer nação que seja parte da Quarta Convenção de Genebra.[2]

Referências

  1. Deutsche Gesellschaft für Auswärtige Politik (Hrsg.:) Internationale Politik. ISSN 0014-2476, Band 61, 2006, Ausgaben 5-8, S. 30.
  2. Gaza civilians endangered by the military tactics of both sides Amnesty International (9 de janeiro de 2009). Visitado em April 1, 2010.