Héctor José Cámpora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Héctor José Cámpora Demaestre
Héctor José Cámpora
39º Presidente da Argentina Argentina
Mandato 25 de maio de 1973
a 13 de julho de 1973
Vice-presidente Vicente Solano Lima
Antecessor(a) Alejandro Lanusse
Sucessor(a) Raúl Alberto Lastiri
Vida
Nascimento 26 de março de 1909
Buenos Aires, Argentina
Morte 18 de dezembro de 1980 (71 anos)
Cidade do México, México
Dados pessoais
Partido Partido Justicialista
Profissão Odontologista

Héctor José Cámpora (Buenos Aires, 26 de março de 1909 - 18 de dezembro de 1980) foi um político e odontologista argentino que presidiu o país em 1973.

Cámpora venceu as eleições com 49,5% dos votos, visto que Juan Perón estava inapto a se candidatar por restrições do governo militar que presidia a Argentina. Na sua posse esteve presente o então presidente do Chile Salvador Allende.

Sua primeira medida foi, conforme havia prometido, anistia aos presos políticos. Em 28 de maio de 1973 a Argentina retomou as relações diplomáticas com Cuba, interrompidas durante o período militar. Em 27 de maio de 1973 a lei 20.508 foi promulgada a vangloriar-se a libertação de todos os presos políticos que haviam sido presos durante a ditadura antiperonista, foi estabelecido que ninguém poderia ser processado por suas crenças políticas ou pessoais [1]

procurou estabelecer um pacto social entre a Confederação Geral do Trabalho, o empresariado nacional e do estado, que incluiu aumentos salariais e congelamento de preços. Ele voltou com as diretrizes econômicas do governo Peron anterior, com uma política nacionalista, distribucionista, e destina-se a atrair investimentos. Seus primeiros resultados foram bastante positivos: a inflação diminuiu (de 62% para 17% ao ano), os salários reais recuperado por 13,33%, invertendo a situação da balança de pagamentos, devido ao acúmulo de superávits comerciais fora. O aumento dos salários e do crescimento da despesa pública encorajou a atividade doméstica.[2]

Juan Perón voltou ao país em 20 de junho. Cámpora renunciou em 13 de julho de 1973, para abrir caminho para a eleição de Juan Domingo Peron e convocou novas eleições - nas quais Perón foi reeleito com mais de 62% dos votos.[3]

Ao assumir seu segundo mandato, Perón nomeou Cámpora como embaixador do México. Diante do golpe militar de 1976, refugiou-se na Embaixada do México em Buenos Aires, onde permaneceu por mais de três anos, até que lhe foi dada permissão para voar a este país, onde morreu pouco depois.

Precedido por
Alejandro Agustín Lanusse
Presidente da Argentina
1973
Sucedido por
Raúl Alberto Lastiri

Referências

  1. Art. 5* inc. "e" de la ley 20.508 en Anales de Legislación Argentina tomo XXXIII-C pp. 2951
  2. RAPOPORT, Mario (2007). Historia Económica, política y social de la Argentina. Emecé:Colihue
  3. Bonasso, p. 338