Marcelo Cañete

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcelo Cañete
Informações pessoais
Nome completo Marcelo Cañete
Data de nasc. 16 de abril de 1990 (24 anos)
Local de nasc. Villa Lugano,  Argentina
Nacionalidade Argentina Argentino
Altura 1,79 m
Destro
Apelido Chelo, Román Jr
Informações profissionais
Clube atual Brasil Náutico
Número 15
Posição Meio-campista
Clubes de juventude
2008-2009 Argentina Boca Juniors
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
20102011
2011
2011
2013
2014
Argentina Boca Juniors
Chile Universidad Católica (emp.)
Brasil São Paulo
Brasil Portuguesa (emp.)
Brasil Náutico (emp.)
0008 0000(1)
0019 0000(3)
0023 0000(1)
0018 0000(2)
0006 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 12 de setembro de 2014.

Marcelo Cañete[1] (Villa Lugano, 16 de abril de 1990) é um futebolista argentino que atua no meio-campo. Atualmente, está no Náutico emprestado pelo São Paulo.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Formado nas categorias de base do Boca Juniors, Cañete despontou como o sucessor de Riquelme na equipe argentina. Sua estréia pela equipe principal foi num amistoso contra o Palmeiras, em jogo realizado no Palestra Itália. Marcou seu primeiro gol contra o Melbourne Victory, numa excursão do Boca pela Oceania.

Sua estréia na Primera División Argentina ocorreu em 8 de agosto de 2010, contra o Godoy Cruz, entrando no segundo tempo da partida.

Em dezembro de 2010, sem chances no Boca, Cañete é emprestado ao Universidad Católica para jogar o Campeonato Chileno e a Copa Libertadores de 2011, chegando até as quartas de final com a equipe chilena.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em 20 de julho de 2011, após árduas negociações, Cañete é anunciado como novo reforço do São Paulo, acertando um vínculo válido por três anos.[3] Entretanto, devido a repetidas lesões, Cañete mal pode jogar no ano de 2011, tendo entrado apenas no final da partida em duas ocasiões. Começou o ano de 2012 no departamento médico do São Paulo após passar por uma cirurgia. Depois de 13 meses sem jogar, ele reestreia[4] no dia 25 de julho de 2012, no jogo contra a Ponte Preta, jogo válido pelo Campeonato Brasileiro.

Em dezembro de 2012, durante as férias, o jogador prometeu retribuir em campo o carinho e o apoio proporcionados pelos torcedores são-paulinos enquanto esteve se recuperando de contusão.[5] Após a estreia do São Paulo na temporada 2013, na vitória de 2 a 0 sobre o Mirassol, Cañete foi elogiado pelo técnico Ney Franco, que afirmou a possibilidade de o argentino virar uma alternativa a Lucas, vendido ao PSG.[6]

Marcou seu primeiro gol pelo São Paulo contra o Atlético Sorocaba, pelo Campeonato Paulista. Na ocasião, Cañete chegou a se emocionar com o gol. Apesar do triunfo e da boa atuação diante da agremiação sorocabana, o argentino crê que precisa de mais ritmo para conseguir brigar mais concretamente pela titularidade.[7]

A crescente produção do jogador não é abalada nem quando o Tricolor é derrotado. No revés de 3 a 1 no clássico diante do Santos, na Vila Belmiro, Ney Franco elogiou Cañete, colocado em campo no segundo tempo e responsável, segundo o treinador, por desequilibrar em alguns momentos.[8]

Em maio de 2013, após as eliminações são-paulinas na Libertadores e no Paulistão, Cañete, junto com outros seis colegas, foi afastado do elenco. Dessa maneira, o argentino seria negociado.[9]

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Afastado pelo presidente Juvenal Juvêncio, Cañete foi emprestado para a Portuguesa até o mês de novembro de 2013.[10]

Cañete, que chegou a ser cotado para jogar na Ponte Preta, numa negociação que levaria o lateral Cicinho ao Morumbi[11] , foi, no entanto, para o Canindé sob uma curiosa condição: a de que os dirigentes da Lusa desistissem de contratar o técnico Emerson Leão, sondado para dirigir o clube no Brasileirão, pois, segundo os dirigentes tricolores, o ex-goleiro tinha problemas, quando treinou o São Paulo, com o argentino, fator que provavelmente diminuiria suas chances de atuar pela nova agremiação. Assim, ainda pertencente ao São Paulo, o jogador poderia se desvalorizar no mercado ao não atuar.[12]

Volta ao São Paulo[editar | editar código-fonte]

Por causa de dores no púbis, Cañete retorna no início de dezembro de 2013, antes mesmo do término de empréstimo com a Portuguesa.

Após desembarcar em São Paulo, o meio-campista, sabendo que será aproveitado pelo clube no Campeonato Paulista para alongar a pré-temporada de seus principais jogadores, Cañete fez planos ousados para a próxima temporada:

Cquote1.svg Vai ser o meu ano, vou brilhar em 2014. A minha prioridade é mostrar o meu futebol de uma vez por todas. Cquote2.svg

Náutico[editar | editar código-fonte]

No náutico, no jogo contra o Vasco, jogo válido pelo campeonato Brasileiro, Cañete estreou com expulsão, levando o time a perder por 1 x 0. Já no jogo contra o Oeste, pelo brasileirão, fez o gol da vitória por 3 x 2 num chute de fora da área, recebendo vários elogios do técnico Dado Cavalcanti.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 12 de setembro de 2014
Clube Temporada Campeonato
Nacional
Copa
Nacional
Competição
Internacional¹
Outros
Torneios²
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
São Paulo
2011
2
0
0
0
0
0
0
0
2
0
2012
2
0
0
0
0
0
0
0
2
0
2013
0
0
0
0
4
0
13
1
17
1
2014
0
0
0
0
2
0
2
0
Total 4 0 0 0 4 0 15 1 23 1
Portuguesa
2013
17
2
1
0
18
2
Total 17 2 1 0 18 2
Náutico
2014
6
1
6
1
Total 6 1 6 1
Total na Carreira 27 3 0 0 5 0 15 1 47 4

¹Em competições continentais, incluindo jogos e gols da Copa Libertadores e Copa Sul-Americana.
²Em outros, incluindo jogos e gols pelo Campeonato Estadual.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]