Messier 106

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Messier 106
Messier 106, Telescópio Espacial Spitzer
Descoberto por Pierre Méchain
Dados observacionais (J2000)
Constelação Canes Venatici
Tipo SAB(s)bc[1]
Asc. reta 12h 18m 57.5s[1]
Declinação +47° 18′ 14″[1]
Distância 23,7 ± 1,5Mal[2] [3] (7 ± 0,5 Mpc)
Redshift 448 ± 3 km/s[1]
Magnit. apar. 9,1[1]
Dimensões 18′,6 × 7′,2[1]
Outras denominações
NGC 4258, UGC 7353, PGC 39600[4] [1]
Mapa
Messier 106
Canes Venatici constellation map.png

Messier 106 (também conhecida por M106 ou NGC 4258) é uma galáxia espiral na constelação de Cães de Caça. Foi descoberto por Pierre Méchain em 1781. A M106 está localizada a cerca de 25 milhões de anos-luz da Terra. Ela também é uma galáxia do tipo Seyfert II, que significa que, devido a incomum emissão de raios X, está supostamente caindo num buraco negro supermassivo no seu centro.

Descoberta e visualização[editar | editar código-fonte]

Messier 106, GALEX

A galáxia espiral foi descoberta originalmente por Pierre Méchain, que pretendia adicioná-la a uma quarta versão do catálogo de objetos do céu profundo do astrônomo francês Charles Messier, nunca concretizada. William Herschel, descobridor de Urano, descobriu o objeto independentemente em 9 de março de 1788.[5]

Em meados so século XX, a astrônoma canadense Helen Sawyer Hogg adicionou o objeto à versão moderna do catálogo de Messier, juntamente com M105 e M107.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

A galáxia espiral está situado aproximadamente a uma distância entre 21 e 25 milhões de anos-luz em rellação à Terra e se afasta radialmente a uma velocidade de 537 km/s. É o principal membro de seu grupo galáxia, o grupo M106.[5]

Sua vista em relação à Terra é semelhante à vista da Galáxia de Andrômeda e seus braços aprentam ser muito proeminentes devido à posição favorável de vista, de acordo com Allan Sandage: seus braços podem ser muito bem traçados a partir de seu núcleo e terminam em pontos azuis, aglomerados de estrelas jovens.[5]

Desde a década de 1950 sabe-se que Messier 106 emite muito mais radiação eletromagnética na região do rádio do que no espectro visível e Carl Keenan Seyfert listou-a como uma galáxia Seyfert, cujo núcleo galáctico ativo emite radiações de gases ionizados e contém um buraco negro supermaciço com massa equivalente a 36 milhões de massas solares.[5]

Em torno desse objeto existe um anel que funciona como um maser (amplificador de micro-ondas por emissão estimulada de radiação), que permite a medição da distância em relação à Terra sem o auxílio de estrelas variáveis Cefeidas. De acordo com James Herrnstein, a partir desse método, pôde-se estimar sua distância em 23,8 milhões de anos-luz.[5]

Seu núcleo ativo também emite jatos de matéria, de modo semelhante a outras galáxias com núcleo galáctico ativo. Apenas uma supernova foi observada na galáxia: a supernova SN 1981K foi descoberta em agosto de 1981 e alcançou a magnitude aparente máxima de 16.[5]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g NASA/IPAC Extragalactic Database Results for Messier 106. Visitado em 2006-12-07.
  2. (2001) "The SBF Survey of Galaxy Distances. IV. SBF Magnitudes, Colors, and Distances". Astrophysical Journal 546 (2): 681–693. DOI:10.1086/318301. Bibcode2001ApJ...546..681T.
  3. (2006) "A New Cepheid Distance to the Maser-Host Galaxy NGC 4258 and Its Implications for the Hubble Constant". Astrophysical Journal 652 (2): 1133–1149. DOI:10.1086/508530. Bibcode2006ApJ...652.1133M.
  4. SIMBAD Astronomical Object Database Results for Messier 106. Visitado em 2006-12-07.
  5. a b c d e f g Hartmut Frommert e Christine Kronberg (21 de agosto de 2007). Messier Object 106 (em inglês) SEDS. Visitado em 7 de junho de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um objeto do céu profundo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Science.jpg    NGC 4256  •  NGC 4257  •  NGC 4258  •  NGC 4259  •  NGC 4260