Michèle Morgan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Michèle Morgan
Foto promocional para o filme The Chase (1945)
Nome completo Simone Renée Roussel
Nascimento 29 de Fevereiro de 1920 (94 anos)
França Neuilly-sur-Seine, Altos do Sena, França
Nacionalidade França francesa
Ocupação Atriz
Cônjuge William Marshall (1942–1948)
Henri Vidal (1950–1959)
Gérard Oury (1960–2006)
Atividade 19351999
Outros prêmios
Legião de Honra
IMDb: (inglês)

Simone Renée Roussel, mais conhecida como Michèle Morgan (Neuilly-sur-Seine, Altos do Sena, França 29 de Fevereiro de 1920), é uma atriz francesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Michèle Morgan em Joana de Paris.
Michele Morgan em 1942.

Uma beleza clássica e estonteante, a atriz francesa Michèle Morgan foi uma das mais populares e importantes atrizes do cinema francês por cinco décadas. Nascida em 1920, estudou artes sob supervisão de René Simon e começou sua carreira de atriz aos 17 anos, quando foi convidada para um papel em Gribouille, em 1937, direção de Marc Allegret.

Suas características, com um enigmático fascínio, fizeram compará-la a uma nova Greta Garbo. Logo, a bela e loura atriz foi para Hollywood, que já naquela época estava fascinada pelo prestígio do cinema europeu e de suas belas atrizes. Morgan não foi a única importação da Europa para a "meca" do cinema mundial, pois foram trazidas também Ingrid Bergman e Viveca Lindfors.

Em Hollywood, ela participou em filmes norte-americanos famosos, como Joana de Paris, em 1942, ao lado de Paul Henreid, Passagem para Marselha, em 1944, interpretando a esposa de Humphrey Bogart, e no policial noir Perseguição, ao lado de Robert Cummings. Voltando para França, recebeu o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes pelo seu desempenho em La symphonie pastorale, em 1946.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Na vida pessoal, ela casou-se em 1942 com o ator estadunidense William Marshall, de quem se divorciou em 1948. O casal teve um filho, nascido em 1944. Em 1950, casou novamente, desta vez com Henri Vidal, que a conheceu durante as filmagens de Fabiola (1949). Aparecerem juntos em diversas películas francesas, inclusive em Napoleão (1955). Vidal morreu em 1959, vítima de enfarte. Em 1960, Michèle casou-se de novo, desta vez com Gérard Oury, com quem vinha vivendo, até ele falecer em 19 de julho de 2006.

Filmografia parcial[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Foi sagrada Cavaleiro, nomeada pela Legião da Honra da França em 1969.
  • Seu filho com o ator e cantor William Marshall nasceu em 1944, e se tornou também ator na França e em Hollywood.
  • Foi presidente do júri no Festival de Cannes em 1971.
  • Foi membro do júri no Festival de Cannes em 1972
  • Quando viveu em Hollywood durante a II Guerra Mundial, Morgan construiu a mansão localizada no número 10.050, em Cielo, o local do assassinato de Sharon Tate pelos seguidores de Charles Manson, em 1969. Por essa época, Morgan não era mais a proprietária da mansão.
  • Após as filmagens de Benjamin (1968), concentrou-se na arte da pintura, e em escrever poemas.
  • Publicou sua autobiografia, De yeux-là dos ces avec (Com aqueles olhos), em 1977.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.