Jeremy Irons

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jeremy Irons
Jeremy Irons no Festival de Berlim, em 2013
Nome completo Jeremy John Irons
Nascimento 19 de setembro de 1948 (66 anos)
Ilha de Wight, Inglaterra
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Ocupação ator
Oscares da Academia
Melhor Ator Principal
1990 - O Reverso da Fortuna
Emmy Awards
Melhor Ator em Minissérie ou Filme
2006 - Elizabeth I
Prêmios Globo de Ouro
Melhor Ator (Drama)
1990 - O Reverso da Fortuna 1990
Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme
2006 - Elizabeth I
Prémios Screen Actors Guild
Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme
2006 - Elizabeth I
César
César Honorário 2002
Outros prêmios
National Board of Review de melhor ator
1990 - O Reverso da Fortuna
IMDb: (inglês)


Jeremy John Irons (St. Helen's, Ilha de Wight, 19 de setembro de 1948) é um premiado ator britânico nascido a Inglaterra. Ganhador do Oscar, Emmy e Globo de Ouro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jeremy Irons estudou arte dramática na conceituada escola Bristol Old Vic School e acabou por entrar para a companhia de teatro Bristol Old Vic, onde ganhou experiência a trabalhar em diversas peças, desde obras de Shakespeare até dramas contemporâneos.

Em 1971, mudou-se para Londres e acabou por conseguir o papel de João Baptista na peça de teatro Godspell. Iniciou uma carreira bem sucedida no teatro no West End e na televisão, tendo-se estreado no cinema no filme Nijinski (1980), que conta a história deste famoso bailarino russo. Sendo extremamente elegante e bem-falante, Jeremy Irons encaixava perfeitamente em papéis que retratassem membros da aristocracia. Assim, em 1981, desempenhou o papel principal na famosa série da BBC Brideshead Revisited (Reviver o Passado em Brideshead), que contava, entre outros nomes consagrados, com a presença de Laurence Olivier e a sua fama ultrapassou as fronteiras da Europa, chegando aos Estados Unidos. Nesse mesmo ano, contracenou com Meryl Streep no filme The French Lieutenant's Woman (A Mulher do Tenente Francês). Volta a dar provas do seu talento no papel de um missionário no filme The Mission (A Missão, 1986), ao lado de Robert DeNiro, trabalho que lhe valeu uma nomeação para o Globo de Ouro.

Dois anos depois, Irons desempenhou o papel de dois gémeos ginecologistas com uma relação bastante forte e que vão caminhando, ao longo do filme, para a separação, no controverso e chocante trabalho do realizador David Cronenberg, Dead Ringers (Irmãos Inseparáveis, de 1988). Em 1990, desempenhou o papel de um milionário suspeito de assassínio no filme Reversal of Fortune (O Reverso da Fortuna), onde contracenou com Glenn Close, desempenho que lhe valeu o Óscar de Melhor Ator (principal) e o Golden Globe Award para Melhor Ator (filme dramático).

Consagrado como um dos actores mais respeitados tanto na Europa como nos Estados Unidos, a sua carreira conta com outros filmes de renome como Kafka (1990), damage (Perdas e Danos, de 1992), uma película do aclamado realizador francês Louis Malle na qual Irons contracena com Juliette Binoche, M. Butterfly (1993), novo encontro do actor com o realizador David Cronenberg, num filme que narra uma história, passada na China, de um diplomata francês, desempenhado por Jeremy Irons, que se apaixona por uma misteriosa cantora de ópera.

Ainda nesse ano, Jeremy Irons deslocou-se a Portugal, onde se desenrolou parte das filmagens de The House of the Spirits (A Casa Dos Espíritos), um filme inspirado no livro de Isabel Allende. Para além de Irons, o elenco de luxo desta película contou com nomes como os de Glenn Close e Meryl Streep, com quem já trabalhara anteriormente, Winona Ryder e Antonio Banderas.

No ano seguinte, dá a voz ao sinistro "Scar", no filme de animação The Lion King (O Rei Leão, de 1994), e, em 1995, participa de Die Hard with a Vengeance (Die Hard: A Vingança, de 1995), um filme de acção, género até então pouco habitual para este ator, que desempenha o papel do terrorista vilão Simon, com Bruce Willis no papel do "Herói".

Em 1996, participa no drama romântico de Bernardo Bertolucci, Stealing Beauty (Beleza Roubada) e, um ano depois, o actor oferece ao público um desempenho subtil e comovente, vestindo a pele de "Humbert Humbert", no filme Lolita (1997), adaptado do romance homónimo pelo realizador Adrian Lyne. No ano seguinte, juntou-se a outros nomes famosos - John Malkovich, Gérard Depardieu, Gabriel Byrne, e Leonardo DiCaprio - como um dos "Mosqueteiros", no filme The Man in the Iron Mask (O Homem da Máscara de Ferro, de 1998). Em 2002, foi o vencedor do César de Honra francês, em homenagem à sua carreira. Nesse ano, participou também em The Time Machine (A Máquina do Tempo de 2002).

Em 2006, ganhou o Golden Globe Award de melhor ator coadjuvante em televisão e o Emmy de Melhor Ator Coadjuvante por Elizabeth I. Em 2011 ele protagonizou uma série "Os Bórgias" do canal TCM no papel do Papa Alexandre VI, que conta a trajetória da família Bórgias no poder do Vaticano. Mostrando o lado obscuro da igreja e a perversidade do papado daquele século. Jeremy é pai do também ator Max Irons.

Filmografia selecionada [1] [editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Jeremy Irons