Monsters, Inc.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Monstros e Companhia)
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde agosto de 2012.

NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Monsters, Inc.
Monstros e Companhia (PT)
Monstros S.A. (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
2001 • cor • 92 min 
Direção Pete Docter
Codireção David Silverman
Lee Unkrich
Produção Darla K. Anderson
Produção executiva John Lasseter
Roteiro Pete Docter
Jill Culton
Jeff Pidgeon
Ralph Eggleston
Andrew Stanton
Daniel Gerson
Elenco John Goodman
Billy Crystal
Steve Buscemi
James Coburn
Jennifer Tilly
Mary Gibbs
John Ratzenberger
Steve Susskind
Frank Oz
Daniel Gerson
Bonnie Hunt
Jeff Pidgeon
Sam Black
Gênero Animação
Comédia
Idioma Inglês
Música Randy Newman
Estúdio Pixar Animation Studios
Distribuição Walt Disney Pictures
Lançamento Estados Unidos 2 de novembro de 2001
Brasil 16 de novembro de 2001
Portugal 22 de março de 2002
Orçamento US$ 115.000.000
Receita US$ 562.816.256
Cronologia
Último
Último
Monsters University (2013)
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Monsters, Inc. (Monstros S.A. (título no Brasil) ou Monstros e Companhia (título em Portugal)) é um filme de animação e comédia americano de 2001, produzido pela Pixar Animation Studios em parceria com a Walt Disney Pictures, com direção de Pete Docter. Lançado em 2 de novembro de 2001, com orçamento de US$ 115 milhões, rendeu US$ 255.873.250 no país de origem e US$ 525.366.597 mundialmente.[1] Recebeu em geral críticas positivas, tendo aprovação de 95% dos críticos no Rotten Tomatoes. Foi lançado em DVD em 17 de setembro de 2002.[2]

A Disney-Pixar anunciou para 2013 uma prequela do filme, Monsters University. O filme se passa num momento anterior a Monsters, Inc., quando Mike e Sulley estavam na universidade preparando-se para entrar na fábrica do primeiro filme.

Enredo[editar | editar código-fonte]

O filme conta a história sobre monstros que assustam crianças para conseguir seus gritos e gerar energia para seu mundo.

A cidade em que se desenrola boa parte da ação, Monstrópolis - é bem similar ao mundo dos humanos, exceto pelos seus habitantes: monstros, com todos os caracteres - chifres, dentes afiados, cores berrantes, partes do corpo com tamanho desproporcional, pêlos, garras ou aspecto asqueroso.

Mike e Sulley são monstros empregados da firma Monstros S/A (Monsters Inc., no original). Sua tarefa é assustar crianças pequenas todas as noites. Assim, quando as crianças gritam, é armazenada uma certa quantidade de energia, vital para a sobrevivência e a comodidade do mundo dos monstros.

O ponto de contato entre os dois mundos é a porta do armário dos quartos de crianças por toda a Terra. É por esse canal que os monstros invadem momentaneamente o mundo humano, assustam as crianças e depois retornam. A empresa mantém um imenso depósito de portas, e as processa por um sistema industrial e automatizado, qual uma linha de produção. É uma verdadeira fábrica, com turnos, gerentes, recepcionista, vestiários, e etc. A Monstros S/A é responsável pela captação e pela posterior distribuição da energia em Monstrópolis.

Os dois monstros formam uma equipe: Sulley é quem assusta as crianças, e Mike é seu auxiliar - manuseia o equipamento que controla as portas e armazena a energia. Dividem o mesmo apartamento e são muito amigos. Eles são os recordistas da empresa em quantidade de energia armazenada, e participam dos comerciais da companhia. Apesar de sua popularidade, Sulley também conquista algumas rivalidades. A maior delas é com Randall, o qual não se contenta e ser o segundo melhor da empresa e quer bater o recorde de seu rival. malandro e provocador, Randall costuma provocar Sulley e Mike enquanto tenta usurpar a liderança tida por Sulley.

Existe a crença, no mundo dos monstros, de que humanos são potenciais transmissores de doenças. Há uma preocupação, por parte dos monstros assustadores, em evitar ao máximo o contato com os infantes e os objetos que fazem parte de seu quarto. Quando um desses objetos é trazido acidentalmente para o mundo dos monstros, há a adoção de medidas profiláticas urgentes e extremas. O órgão responsável por isso é a CDA - Child Detection Agency.

Acidentalmente, aparece uma garotinha humana no mundo dos monstros. A princípio, a culpa pelo acidente parece ser de Sulley, que havia retornado à linha de produção fora do horário de expediente, a fim de resolver uma pendência burocrática de Mike. No local, ele nota uma porta fora do depósito e resolve abri-la. É surpreendido então por Boo, uma pequena garotinha que com ele passa a brincar.

A reação de Sulley é de espanto e horror. Ele, que todos os dias assustava dezenas de crianças com seu rugido, foge apavorado do pequeno ser de olhos brilhantes e sorriso maroto que o persegue sem cessar, pois o enxerga como um grande e bonito brinquedo com o qual deseja se divertir. Inicialmente, ele a repele como quem repele um ser abjeto, e ela, em sua inocência, é toda ternura para com ele. Com o passar do tempo, o monstro vai se afeiçoando à criança.

A partir daí, Mike e Sulley passam a experimentar grandes e cômicos sobressaltos a fim de encobrir a presença de Boo em Monstrópolis e para devolvê-la a seu mundo. Por fim, eles acabam descobrindo que a presença da garotinha na empresa não fora acidental, mas sim integrava um plano urdido pelo chefe da empresa em conluio com Randall, a fim de aumentar a produção de energia por intermédio de tortura infligida a crianças trazidas para esse fim à fábrica.

Durante a convivência com Boo, Sulley percebe que o riso das crianças gera muito mais energia que o grito de pavor. Uma vez descoberta a trama do chefe, a empresa passa por uma reformulação em seus princípios, e as turmas de assustadores passam a ser de "divertidores". O clima na fábrica também melhora muito, torna-se mais ameno e divertido.

Então é revelado que Mike reconstruiu a porta de Boo.Sulley então coloca o ultimo pedaço da porta, permitindo que ela abra novamente. No final, Sulley reencontra Boo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco
Personagem Dublagem EUA Dublagem BRA Dublagem POR
James P. "Sulley" Sullivan John Goodman Mauro Ramos Fernando Luís
Michael "Mike" Wazowski Billy Crystal Sérgio Stern João Baião
Boo Mary Gibbs Ana Elena Lisa Fernandez
Randall Boggs Steve Buscemi Márcio Simões Carlos Freixo
Henry J. P. Waternoose James Coburn Ednaldo Lucena Paulo Alexandre
Celia Mae Jennifer Tilly Miriam Ficher Carla de Sá
Roz Bob Peterson Gottsha António Montez
Homem das Neves John Ratzenberger Claudio Galvan Ruben Leonarado
Jerry Steve Susskind Francisco José Informação não disponível
Fungus Frank Oz Marco Ribeiro Informação não disponível
Needleman & Smitty Daniel Gerson Garcia Júnior
Anderson Coutinho
Informação não disponível
Flint Bonnie Hunt Izabel Lira Informação não disponível
Bíllis Jeff Pidgeon Garcia Júnior Informação não disponível
George Sanderson Sam Black Hélio Ribeiro Informação não disponível

Créditos da dublagem brasileira:
Estúdio (Diálogos e Vocais): Double Sound, RJ
Direção, Tradução e Adaptação: Garcia Júnior
Direção Dos Vocais: Marcelo Coutinho
Engenheiros de Gravação (Diálogos): Ricardo Raposo & Marcelo Calvario
Engenheiro de Gravação (Vocais): Ricardo Raposo
Edição dos Diálogos: Marcelo Calvario
Gerente Senior de Criação: Garcia Júnior
Versão Brasileira Produzida Por: Disney Character Voices International, Inc.

Trívia[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Quando Sulley está para se despedir de Boo, ela quer brincar com ele lhe oferecendo uma bola amarela com uma faixa azul e uma estrela vermelha de Toy Story, a boneca Jessie de Toy Story 2 e Nemo de Procurando Nemo, filme seguinte da Disney/Pixar, de 2003.
  • Star Wars Episódio II: O Ataque dos Clones teve seu trailer pela primeira vez mostrado na estreia de Monstros S.A.
  • O homem das neves descreve as crianças de uma vila no Himalaia como "Crianças fortes, crianças fracas, crianças que sobem em pedras", uma linha tirada de uma música do exército americano.
  • Existem posters da Disneyland na loja de viagens em Monstrópolis e nos quartos de algumas crianças.
  • Os controles de mecanismo das portas em Monstros S.A. incluem um botão que começa o processo entiquetado como "FIZT" - Fiz-T na verdade é o mais novo software desenvolvido pela Pixar Animation Studios para deixar mais reais modelos complexos - notável no filme com o pêlo de Sulley e a roupa de Boo.
  • Na cena de abertura quando Mike e Sulley estão indo para o trabalho, a cafeteria por onde eles passam oferece Expresso, Capuccino e Diesel.
  • A última metade do clássico desenho de 1952 de Chuck Jones "Alimentando o Gato" é incluído cena por cena quando Sulley acha que Boo foi jogada no compactador de lixo.
  • O restaurante que Wazowski e Celia vão é chamado Harryhausen. Ray Harryhausen foi o inventor do desenho stop-motion.
  • Existe um caminhão da Pizza Planet de Toy Story e Toy Story 2. Esse mesmo caminhão aparece também em Vida de Inseto e no filme Carros
  • A criança artificial que aparece no começo é incrivelmente idêntica ao garoto Andy de Toy Story.
  • John Lasseter (pioneiro diretor dos estúdios Pixar) fez um desenho animado de cinco minutos, ainda quando era estudante de cinema, chamado "Pesadelo" em que aparecem monstros no quarto de uma criança. E a criança descobre que eles são inofensivos.
  • Quando Boo pega um DVD no apartamento de Sulley e todos caem, o DVD que ela está segurando é nitidamente o de Vida de Inseto.
  • O papel de parede de nuvens do quarto de Andy de Toy Story é rapidamente visto como um dos papéis de parede que Radall usa para testar suas habilidades de camaleão.
  • Em um dos quartos que os monstros entram tem um pôster de Paul Bunyon. No quarto de Sid em Toy Story também tem um pôster de Paul Bunyon, provavelmente o mesmo pôster.
  • Em uma cena, Randall Boggs, vocalizado por Steve Buscemi, ameaça um companheiro de trabalho de jogá-lo em um triturador. O personagem de Steve Buscemi em Fargo foi morto por um parceiro no crime que o jogou em um triturador.
  • O disfarce de Boo é idêntico ao brinquedo Babuska de Toy Story.
  • Durante a perseguição de portas, dois quartos especificam sua localização (França e Japão) onde se encontram os dois parques temáticos da Disney.
  • Após a perseguição de portas, quando Sully captura Randall para jogá-lo em um quarto e Mike abre a porta, dá pra ver claramente um boneco de Procurando Nemo.
  • O quarto em que Randall é arremessado por Sulley é o mesmo Trailer que aparece em Vida de Inseto e ao lado aparece o carro do Pizza Planet.
  • Em um dos erros, há referência a Toy Story: quando Mike e Sulley vão atravessar a rua e encontram um monstro, que no filme é Ted Pauley. No erro, é Rex, de Toy Story.
  • Mike faz uma pequena aparição nos créditos de Procurando Nemo, nadando.
  • É a 3ª e última animação da Pixar a exibir os erros de gravação nos créditos finais, anteriormente foi Vida de Inseto de 1998 e Toy Story 2 de 1999.
  • Na cena em que Sully atrai Boo para o quarto com uma trilha de biscoitos, é uma paródia de ET o extraterrestre.
  • No final de 2010/Início de 2011 foi anunciado a produção do segundo filme da série. O filme tem previsão de estréia para Junho de 2013.
  • Na cena quando o Sulley, Randall e outros monstros assustadores estão se aproximando em direção a camera, faz a referencia dos astronautas do filme Armageddon 1998
  • O nome do protagonista James P. "Sulley" Sullivan não é influenciada pelo nome do ex-baterista da banda Californiana Avenged Sevenfold "James Owen Sullivan", mais conhecido como The Rev.

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 2002 (EUA)

Ano Categoria Obs. Resultado
2002 Melhor Filme de Animação Pete Docter Indicado
Melhor Edição de Som Gary Rydstorm e Michael Silvers Indicado
Melhor Trilha Sonora Randy Newman Indicado
Melhor Canção Original If I Didn't Have You Venceu

Grammy 2002 (EUA)

Ano Categoria Obs. Resultado
2002 Melhor Canção (Filme/Televisão/Mídia Visual) If I Didn't Have You Venceu
Melhor Álbum (Filme/Televisão/Mídia Visual) Randy Newman Indicado

BAFTA 2002 (Grã-Bretanha)

Ano Categoria Obs. Resultado
2002 Melhor Filme Infantil Pete Docter Venceu
Melhor Som Randy Newman Indicado
Prêmio Anthony Asquith de Melhor Música Gary Rydstorm, Michael Silvers e Randy Newman Indicado

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o