The Incredibles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Incredibles
The Incredibles - Os Super-Heróis (PT)
Os Incríveis (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
2004 • cor • 115 min 
Direção Brad Bird
Produção John Walker
Roteiro Brad Bird
Elenco Craig T. Nelson
Holly Hunter
Sarah Vowell
Spencer Fox
Jason Lee
Samuel L. Jackson
Elizabeth Peña
Brad Bird
Gênero Ação
Comédia
Idioma Inglês
Música Michael Giacchino
Direção de arte Lou Romano
Cinematografia Andrew Jimenez
Patrick Lin
Janet Lucroy
Edição Stephen Schaffer
Estúdio Pixar Animation Studios
Distribuição Walt Disney Pictures
Buena Vista International
Lançamento Estados Unidos 5 de novembro de 2004
Portugal 25 de novembro de 2004
Brasil 10 de dezembro de 2004
Orçamento US$ 92 milhões
Receita US$ 631.442.092
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

The Incredibles (no Brasil, Os Incríveis; em Portugal, The Incredibles - Os Super-Heróis) é um filme americano de 2004, a sexta animação da Pixar Animation Studios/Estúdios de Animação Pixar, distribuída pela Walt Disney Pictures. O filme foi lançado nos Estados Unidos em 5 de novembro de 2004.[1]

Foi escrito e desenvolvido por Brad Bird, ex-diretor de Family Dog e Os Simpsons, mais conhecido por ter dirigido o filme de animação O Gigante de Ferro. Os Incríveis foi originalmente desenvolvido para o processo de animação tradicional, onde os desenhos eram feitos à mão. Mas depois do fracasso de "Looney Tunes Back in Action", de 2003, a Warner Bros. decidiu fechar sua divisão de animação. Bird então comentou sobre o projeto com seu ex-colega de faculdade, John Lasseter, que gostou da ideia e o convidou para trabalhar na Pixar. Lasseter também convenceu Bird a produzir o filme em animação por computador.[2]

Diversas empresas lançaram produtos promocionais relacionados ao filme. A Dark Horse Comics lançou uma série limitada de quadrinhos baseada no filme. A Kellogg's lançou um cereal com o tema dos Incríveis, assim como pop tarts e lanches com frutas.[3] Nas semanas antes da estreia do filme também houve esforços promocionais com a SBC Communications e o McDonald's.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

"Supers" — seres humanos dotados de superpoderes — uma vez foram vistos como heróis, mas os danos colaterais de suas várias boas ações levaram o governo a criar um "programa de realocação de Supers", forçando os Supers a se encaixarem entre os civis, não usando mais seus superpoderes. Beto e Helen Parr, que são Supers, se casaram e agora têm três filhos: Violeta, Flash e o bebê Zezé, na cidade de Metroville.

Violeta é uma jovem de cabelos negros muito insegura, e que tem superpoderes inatos de controlar escudos de plasma. Já Flash, irmão do meio, tem poder de super velocidade, e adoraria competir nas corridas de seu colégio, mas seus pais nunca deixam. Por fim, o bebê Zezé ainda não apresenta ter nenhum poder.

Beto se vê preso no trabalho em uma agência de seguros, e sempre relembra de seus antigos dias como o Sr. Incrível - ele é extremamente forte -, e foge nas noites de quarta-feira com seu amigo Super, Lúcio Barro (Gelado), para combater a criminalidade na rua.

Um dia, Beto perde a paciência com o seu chefe, que se recusa a ajudar uma vítima de assalto do lado de fora do prédio, o que resulta na revelação de sua super-força, o que acaba por fazer Beto perder o emprego. Enquanto tenta descobrir o que (e como) dizer a Helen, ele encontra uma mensagem de uma mulher chamada "Mirage" (lê-se "Mirràg"), que pede para o Sr. Incrível a ajuda para parar um robô em uma ilha distante. Se conseguisse isso, receberia uma recompensa lucrativa.

Assim, Beto alega para Helen que está saindo em uma viagem de trabalho, aceitando a oferta de Mirage. Com êxito, Beto derrota o grande robô. Em seu retorno a Metroville, Beto passa seus dias trabalhando fora, para voltar a ficar em forma. Logo mais, o Sr. Incrível leva seu traje de batalha rasgado no combate para Edna Moda, uma designer de moda aparentemente especializada em trabalhar para os Supers, e pede a ela para repará-lo. Ela até faz o pedido, mas insiste em criar uma nova roupa para Beto. Ao falar da ideia, ele acaba pensando em outra: acrescentar uma capa. Mas Moda recusa seu pedido para adicionar este incremento, destacando como este acessório condenou vários Supers outros antes dele, por ter engatado em coisas e levado os donos da roupa juntos.

Logo mais tarde, Mirage entra em contato com Beto, dizendo que tem novos trabalhos na mesma ilha. Ao chegar, ele encontra o Robô Omnidroid novamente, todo reconstruido e reprogamado para ser mais forte do que antes. Beto acaba vacilando, e assim, enquanto preso pelo robô, ele encontra com o grande vilão da história. O grande susto é que Beto reconhece-o, como sendo seu antigo fã, um jovem sem poderes chamado Gurincrível, que quando adolescente queria ser o Sr. Incrível Ajudante, mas foi recusado - Beto preferia trabalhar só. Gurincrível prometeu vingança, e definiu o Robô Omnidroid para matá-lo. Beto cai de um penhasco, e organiza o que parece ser uma morte.

Com curiosidade, Beto invade a base de Gurincrível, vê um computador, que descreve o trabalho obsessivo de Síndrome em rastrear super heróis. Beto fica avaliando e descobre que sua família está marcada para ser eliminada pelo robô.

Enquanto isso, Helen ficou desconfiada, depois de descobrir o reparo no terno antigo de Beto. Logo mais tarde, Helen fala com Edna, e descobre que ele encomendou novos ternos para a família inteira, todos equipados com um dispositivo de rastreamento. Helen o rastreia e o terno de Beto começa a fazer barulhos estranhos, ativando o alarme na base do Gurincrível, e fazendo com que armas potentes o capture. Helen pede emprestado um jato particular de um velho amigo e viaja para a ilha de Midway. Mas então ela descobre que Violeta e Flecha estão juntos dentro do jato, deixando o bebê Zézé em casa com uma babá.

Logo que eles chegam perto da ilha, são recebidos com tiros, e o jato explode. No entanto, eles conseguem se salvar com seus poderes próprios. Logo depois, Helen resgata Beto e se reúne com Violeta e Flecha para saber como fugir dos guardas.

Em Metroville, o Robo Omnidroid começa um caminho de destruição e Síndrome/Gurincrível encena seu plano, de parar o robô, resultando em aplausos das pessoas. Com a ajuda de Lúcio Barro (o Gelado), a família de Beto consegue parar o robô. Mas na volta para casa, a família se depara com Síndrome levando o bebê Zezé, mas então o pequeno revela seus absurdos poderes de transformação, obrigando Síndrome deixá-lo solto, à espera de Helen. Síndrome tenta fugir, mas por causa de sua capa, ele é sugado pelo motor de um avião. Arruinado, o avião cai na casa d'Os Incríveis, mas Violeta é capaz de proteger a família do dano.

No fim, a família se acerta, e é reconhecida pelo heroísmo em ter protegido as possíveis vítimas do grande robô. Flash ganha a permissão de competir com seus colegas de escola, e com cuidado e atenção dos pais, fica em segundo lugar - para não dar bandeira. Na cena final, um inimigo aparece, e quando a tela volta para nossa família, todos os integrantes estão com suas máscaras colocadas, indicando que sempre que houver problemas, eles nos protegerão.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Personagem[4] Original Estados Unidos Dublador Brasil (1ª dublagem) Dublador Brasil (2ª dublagem) Dobrador Portugal
Roberto Beto Pêra (Sr. Incrível) Craig T. Nelson Márcio Seixas Luiz Feier Motta João Lagarto
Helena Pêra (Mulher-Elástica) Holly Hunter Márcia Coutinho Márcia Coutinho Paula Fonseca
Lúcio Barros (Gelado) Samuel L. Jackson Luiz Carlos Persy Márcio Simões Rui Unas
Flecha Roberto Pêra Spencer Fox Bernardo Coutinho Matheus Périssé Afonso Maló
Violeta Pêra Sarah Vowell Lina Mendes Lina Mendes Leonor Machado
Síndrome Jason Lee Alexandre Moreno
Cesar Cardareiro
Alexandre Moreno
Yan Gesteira
Renato Godinho
Edna Mode Brad Bird Nádia Carvalho Nádia Carvalho André Maia
Bomb Voyage Dominique Louis Garcia Júnior
Locutor Teddy Newton Carlos Alberto
Dona Alzira Jean Sincere Ruth Gonçalves
Zezé Pêra Eli Fucile
Maeve Andrews
Gilberto Lima Wallace Shawn Julio Chaves
Bernardo Braga Lou Romano Guilherme Briggs
Diretor Wayne Canney Leonardo Serrano
Toninho Rodrigues Michael Bird Peterson Adriano Marcos Souza
Mirage Elizabeth Peña Andréa Murucci Andréa Murucci Carla de Sá
Ricardo Dicker Bud Luckey Ednaldo Lucena
Karen Bret Parker Izabella Bicalho
Mel Kimberly Adair Clark Márcia Morelli
Escavador John Ratzenberger Garcia Júnior

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Com "Os Incríveis", o diretor Brad Bird pediu para sua equipe da Pixar inovar, extrapolar e descobrir novas maneiras de levar esse processo a seus extremos mais criativos. De acordo com o produtor John Walker: "Esse filme começou com uma visão pessoal e uma paixão que contagiou toda a Pixar. É estimulante avançar, ser pioneiro em novas técnicas e convidar o público a participar de uma experiência que é tão emocional e divertida quanto inovadora".[5]

Animação[editar | editar código-fonte]

Com o filme, a Pixar fez muitas novas renovações. Em uma das grandes cenas, ela filmou usando um simples modelo geométrico. Após o diretor aprovar a tomada, modelos mais complexos foram construídos para a câmera. Isso permitiu mais flexibilidade. Por exemplo: a cena da batalha final na cidade foi tão grande que não fazia sentido construir uma cidade e depois descobrir como filmá-la. Assim, a equipe da Pixar pré-visualizou a cena e depois filmou a ação. Somente depois os cineastas construíram um modelo final ao qual acrescentaram mais detalhes.[6]

A pele das personagens ganhou um novo nível de realismo de uma tecnologia para produzir o que é conhecido como espalhamento de subsuperfície. Os desafios não pararam com os seres humanos de modelagem. Brad Bird decidiu perto do final do filme que bebê Zezé iria passar por uma série de transformações, e em um dos cinco planejados ele iria se transformar em uma espécie de gosma. Diretores técnicos acreditavam que levaria mais de dois meses para trabalhar o efeito, e a produção estava em um ponto onde dois meses de seu tempo era indescritivelmente precioso. Eles pediram para o produtor do filme, John Walker ajuda Bird, que trouxe mais de Walker da Warner Bros, teve grande exceção à ideia de que Zezé pode sofrer apenas quatro transformações. Eles discutiram sobre o assunto em várias reuniões invectiva-atado por dois meses.[5] [7]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Indenização aos dubladores[editar | editar código-fonte]

As empresas The Walt Disney Company Brazil Ltda e Delart Estúdio Ltda foram condenadas a para uma indenização por danos, no valor de R$ 25 mil, para cada integrante da equipe de dublagem brasileira do filme "Os Incríveis", por reprodução não autorizada.[8]

A Anad (Associação Nacional dos Artistas de Dublagem), a qual alegou que os artistas foram contratados pela Delart para dublar o desenho "Os Incríveis", apenas para o cinema, mas houve reprodução não autorizada do filme, em outros meios, como DVDs e televisão, sem autorização da Associação e sem remuneração. Segundo a Anad, a Delart teria enviado à Walt Disney o arquivo de dados contendo a versão dublada, sem fazer qualquer ressalva, permitindo a reprodução do desenho dublado em outros meios de veiculação.[8] [9]

Temas adultos[editar | editar código-fonte]

Os Incríveis difere de outras produções Disney/Pixar por conter alguns temas adultos: família, morte, violência e a importância de modelos. Como no filme anterior de Brad Bird, O Gigante de Ferro, os personagens e as situações que eles vivem são bem realistas, o que dá um tom de "realidade" no filme. Esse foi o primeiro filme da Pixar a usar personagens "humanos", e também foi o primeiro a receber uma classificação PG. Como alguns personagens possuem traços mais humanos, também foram despertadas discussões sobre a beleza deles, especialmente das personagens femininas.

Sequência[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos a Pixar anunciou muitas continuações, e em outubro de 2011, Brad Bird anunciou que quer fazer um novo filme. Brad Bird relatou que "conseguir pensar em algo que seja legal o quanto foi Toy Story 2", segundo ele foi uma sequência perfeita, pois respeitou absolutamente o primeiro filme.[10] No dia 18 de março de 2014 uma sequência foi anunciada e confirmada.[11]

Referências

  1. AdoroCinema. Os Incríveis. Sinopse e detalhes. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  2. Carstereo. Heróis por acaso. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  3. Kokogiak. The Incredibles, by Disney/Pixar pictures open... Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  4. Embromaction. Dubladores de Os Incríveis. Página visitada em 9 de outubro de 2012
  5. a b Como funciona o filme Os Incríveis. Página visitada 9 de outubro de 2012.
  6. Minilua. Animações que marcaram época: Os Incríveis #17. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  7. MichaelBarrier. Brad Bird. Página visitada em 9 de outubro de 2012
  8. a b TRT. Walt Disney é condenada por produção não autorizada de "Os Incríveis". Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  9. JornalJurid. Walt Disney e Dalar condenadas a indenização a dubladores. Página visitada em 9 de outubro de 2012
  10. Omelete. Brad Bird só quer continuação se tiver ideia melhor que a do primeiro. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  11. Walt Disney Pictures Announces Cars 3 and The Incredibles 2 Read more: Walt Disney Pictures Announces Cars 3 and The Incredibles 2 (em inglês). ComingSoon.net (18 de março de 2014). Página visitada em 21 de março de 2014.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]