Retrofuturismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Representação artística retrofuturística de uma locomotiva voadora

O retrofuturismo é uma tendência em artes de criação em demonstrar a influência de representações do futuro produzidas antes de 1960.1 Caracterizada por uma mistura de estilos "retrô" à moda antiga com tecnologia futurística, o retrofuturismo explora temas de tensão entre o passado e o futuro, e entre os efeitos de alienação e fortalecimento advindos da tecnologia. A princípio refletido em criações artísticas e tecnologias modificadas que pretendem transformar em realidade os artefatos imaginados em uma realidade paralela, o retrofuturismo se manifestou também nos mundos da moda, arquitetura, literatura e cinema.

De acordo com a revista de arte Retrofuturism, publicada de 1988 a 1993, o termo foi criado por Lloyd Dunn em 1983.2 3

Características[editar | editar código-fonte]

O retrofuturismo incorpora duas tendências sobrepostas que podem ser resumidas como "o futuro visto a partir do passado" ou "o passado visto a partir do futuro".

A primeira tendência - correspondendo ao retrofuturismo propriamente dito - é diretamente inspirada pelo futuro imaginado que existia nas mentes dos escritores, artistas e cineastas no período anterior a 1960, os quais tentavam prever o futuro, quer através de projeções da tecnologia existente (ex.: em revistas científicas) quer em romances e contos de ficção científica. Essas visões futuristas são remodeladas a atualizadas para o presente, oferecendo uma visão nostálgica e não factual do que o futuro poderia ter sido mas que não é.

A segunda tendência é o inverso da primeira: o retro futuristíco. Começa com a atração retro pelos velhos estilos de arte, vestuário, usos e costumes, enxertando-lhes tecnologias modernas ou futuristas e criando uma mistura de elementos do passado, do presente e do futuro. O steampunk - termo que se refere tanto à retroprojeção de tecnologia futurista a uma era vitoriana alternativa como à aplicação de estilos neo-vitorianos à tecnologia moderna - é uma versão bem sucedida desta segunda tendência.

Na prática, não pode ser estabelecida uma fronteira precisa entre as duas tendências, uma vez que ambas contribuem para visões semelhantes. O retrofuturismo do primeiro tipo está, inevitavelmente, influenciado pela consciência científica, tecnológica e social do presente, oque faz com que as modernas criações retrofuturísticas não sejam simples cópias das suas fontes de inspiração anteriores à década de 1960. Em vez disso, é lhes dado um novo toque - frequentemente retorcido ou irónico - por serem abordadas a partir de uma perspetiva moderna.

Ao mesmo tempo, muito do condimento do futurismo retro deve-se à primeira ficção científica (ex.: as obras de Júlio Verne e de H. G. Wells) e, numa busca por uma autenticidade estilística, pode continuar a gerar atração pelos escritores e artistas do período desejado.

Nenhuma das tendências retrofuturistas se refere a uma era específica. Quando uma história se passa num período específico, este pode ser um presente na factual com uma tecnologia única, uma versão fantástica do futuro ou um passado alternativo com invenções imaginadas (fictícias ou projetadas). Exemplos incluem o filme Sky Captain and the World of Tomorrow que se passa num 1939 imaginário e a série Rocketeer passada em 1938. Outros exemplos notáveis são os filmes do Batman dirigidos por Joel Schumacher.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jenkins, Henry. "The Tomorrow That Never Was: Retrofuturism in the Comics of Dean Motter", Confessions of an Aca-Fan, 2007
  2. Paul McFedries (2000-12-13). "retrofuturism". Word Spy
  3. "PSRF Retrograde Archive: p28". Psrf.detritus.net
Ícone de esboço Este artigo sobre Arte ou História da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.