Indiana Jones and the Last Crusade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
Indiana Jones e a Última Cruzada
Indiana Jones e a Grande Cruzada (PT)
Indiana Jones e a Última Cruzada (BR)
Pôster do filme
 Estados Unidos
1989 • cor • 127 min 
Direção Steven Spielberg
Produção Robert Watts
Roteiro Jeffrey Boam
Baseado em George Lucas
Menno Meyjes
Elenco Harrison Ford
Denholm Elliott
Alison Doody
John Rhys-Davies
Julian Glover
Sean Connery
Género Aventura
Idioma Inglês
Alemão
Grego
Música John Williams
Cinematografia Douglas Slocombe
Edição Michael Kahn
Estúdio Lucasfilm
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento Estados Unidos 24 de maio de 1989
Orçamento US$ 48 milhões
Receita US$ 474.171.806
Cronologia
Último
Último
Indiana Jones e o Templo da Perdição
Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Indiana Jones and the Last Crusade (Indiana Jones e a Última Cruzada (título no Brasil) ou Indiana Jones e a Grande Cruzada (título em Portugal)) é um filme estadunidense de 1989[1] , de aventura, dirigido por Steven Spielberg e baseado em história de George Lucas[2] .

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Utah 1912: O jovem escoteiro Indiana Jones encontra a Cruz de Coronado e a perde para um colecionador particular. Passados 26 anos, na costa de Portugal o arqueólogo Indiana recupera a Cruz, e ao voltar para os Estados Unidos recebe um misterioso envelope contendo um diário com todas as informações sobre o paradeiro do Santo Graal (o cálice que Jesus Cristo teria usado na Última Ceia e que também recebeu o seu sangue após a crucificação) escrito por seu pai, o professor Henry Jones. Também é informado de que seu pai fora capturado pelos nazistas, que sob o comando do espião Walter Donovan, tinham convocado Henry Jones para conseguir encontrar o Graal. Com a ajuda da cientista austríaca Drª. Elsa Schneider, Indiana encontra a localização do Graal em uma catacumba de Veneza, e resgata seu pai em um castelo na fronteira da Alemanha com a Áustria. Após Elsa revelar trabalhar para os Nazistas, Indiana e seu pai fogem do castelo e vão para a república de Hatay junto com seus amigos Marcus Brody (curador do museu em que Indy trabalha) e Sallah (um árabe que aparecera em Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida) para tentar resgatar o Graal antes dos Nazistas.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem Dublagem
Brasil: Delart (DVD) Portugal
Harrison Ford Indiana Jones Julio Cesar (1ª voz) Guilherme Briggs
Sean Connery professor Henry Jones André Filho (1ª voz) Antônio de Padua Moreira dos Santos (2ª voz)
Denholm Elliott Marcus Brody Carlos Seidl
Alison Doody Dra. Elsa Schneider Sylvia Salustti
John Rhys-Davies Sallah Hamilton Ricardo
Julian Glover Walter Donovan Roberto Macedo
River Phoenix Jovem Indiana Jones Sérgio Cantú
Michael Byrne coronel Vogel Ronaldo Júlio ou Reinaldo Pimenta
Kevork Malikyan Kazim Samir Murad
Robert Eddison cavaleiro do Graal Jomeri Pozzoli
Richard Young Fedora Ricardo Schnetzer
Alexei Sayle sultão Sérgio Fortuna
J. J. Hardy Herman Erick Bougleaux
Paul Maxwell Chapéu do Panama
Bradley Gregg Roscoe Phillip Maia
Jeff O'Hare Half Breed Mário Tupinambá Filho
Ilsa Blair Sra. Donovan Iara Riça
Michael Sheard Adolf Hitler

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Lucas e Spielberg tinham a intenção de fazer uma trilogia dos filmes de Indiana Jones desde que Lucas apresentou o primeiro filme Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida para Spielberg em 1977.

Lucas sugeriu inicialmente fazer "um filme mansão mal-assombrada", para o qual a escritora Diane Thomas, de Tudo por uma Esmeralda, escreveu um script. Spielberg rejeitou a ideia por causa da semelhança com Poltergeist, que ele co-escreveu e produziu. Lucas inicialmente introduziu o Santo Graal como uma ideia para o prólogo do filme, que seria locado na Escócia. Ele pretendia que o Graal tivesse uma base pagã, com o resto do filme girando em torno de um outro artefato cristão diferente na África. Spielberg não se importou com a ideia do Graal que ele achou muito esotérica, mesmo depois que Lucas sugeriu dar-lhe poderes de cura e a capacidade de conceder a imortalidade. Em setembro de 1984, Lucas completou uma pré-elaboração de oito páginas intitulada Indiana Jones e o Rei Macaco, que logo em seguida tornou-se um esboço de 11 páginas. A história viu Indiana lutando contra um fantasma, na Escócia, antes de encontrar a Fonte da Juventude na África.

Chris Columbus - que havia escrito Gremlins, The Goonies e Young Sherlock Holmes, produzidos por Spielberg - foi contratado para escrever o roteiro. Sua primeira versão, datada de 03 de maio de 1985, mudou o enredo principal. O roteiro de Columbus vazou na Internet em 1997, e muitos acreditavam que era um rascunho para o quarto filme porque foi erroneamente datado de 1995.

Insatisfeito, Spielberg sugeriu a introdução do pai de Indiana, Henry Jones, Sr. Lucas ficou em dúvida, acreditando que o Graal deveria ser o foco da história, mas Spielberg o convenceu de que o relacionamento entre pai e filho serviria como uma grande metáfora na busca de Indiana pelo artefato. Spielberg contratou Menno Meyjes para começar um novo roteiro em 1 de Janeiro de 1986. Meyjes concluiu seu roteiro 10 meses mais tarde.

Spielberg sugeriu Jeffrey Boam para executar a próxima reescrita. Boam passou duas semanas retrabalhando a história com Lucas. Boam disse a Lucas que Indiana deveria encontrar seu pai no meio da história. Boam disse que sentia que não houve suficiente desenvolvimento do personagem nos filmes anteriores.

A reescrita de Boam de fevereiro de 1988 utilizou muitas das sugestões cômicas de Connery. Ele incluiu o prólogo que acabou por ser filmado. Lucas teve que convencer Spielberg para mostrar Indiana como um menino. Spielberg teve a ideia de fazer Indiana como um escoteiro. Tom Stoppard reescreveu o roteiro em 8 de maio de 1988 sob o pseudônimo de Barry Watson. Ele poliu muito do diálogo e criou a figura do "Chapéu Panamá" para ligar os segmentos do prólogo que caracterizam os Indianas jovem e adulto.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • Oscar:
    • Premiado na categoria de "Melhores Efeitos Sonoros".
    • Indicado em outras duas categorias: "Melhor Som" e "Melhor Trilha Sonora".
  • Globo de Ouro:
    • Indicado na categoria de "Melhor Ator Coadjuvante" (Sean Connery).
  • Saturn Award (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA):
    • Indicado nas categorias de "Melhor Ator" (Harrison Ford), "Melhor Figurino", "Melhor Roteiro" e "Melhor Filme de Fantasia".
  • BAFTA:
    • Indicado nas categorias de "Melhor Ator Coadjuvante" (Sean Connery), "Melhor Som" e "Melhores Efeitos Especiais".
Locais do filme em Petra, Jordânia.

Locais de filmagem[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O filme teve um tom mais leve para tentar compensar o sombrio capítulo anterior Indiana Jones and the Temple of Doom.
  • Spielberg filmou no final Indiana cavalgando em direção ao pôr do sol por achar que estaria concluindo a trilogia - um sentimento que George Lucas compartilhava por não conseguir imaginar um elemento para puxar a trama de outro filme. Mas os apelos do público por mais um Indiana Jones levaram um quarto filme a ser considerado por um longo período, até Lucas, Spielberg e Harrison Ford concordarem em um roteiro - Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, lançado em 2008.
  • O diretor Steven Spielberg incluiu no prólogo do filme um tributo pessoal à sua experiência como escoteiro quando garoto.
  • Sean Connery, que interpreta o pai do personagem de Harrison Ford, é apenas doze anos mais velho que Ford. A sua presença no filme deve-se à declarada vontade frustrada de Spielberg de dirigir um filme de James Bond, e ao fato de que Spielberg e Lucas consideravam que o único que podia interpretar o pai de Indiana era 007.
  • Indiana Jones e a última cruzada explica a origem do medo por cobras que o personagem Indiana tem, citado em Os caçadores da arca perdida. Também explica a origem de seu chapéu e de seu chicote.
  • A origem da cicatriz no queixo de Indiana Jones é explicada, no filme, como um ferimento sofrido pelo jovem Indiana com um chicote ao enfrentar um leão. Na verdade, foi o resultado de um acidente de carro vivido por Harrison Ford.
  • O ator Ronald Lacey, que interpretou o misterioso oficial nazista Toht, vilão principal de Os Caçadores da Arca Perdida, faz uma participação especial como Heinrich Himmler.
  • O ator Pat Roach, que interpretou cinco papéis nos dois filmes anteriores, fez em A última cruzada sua última aparição na franquia Indiana Jones: um cameo como o oficial que acompanha Vogel até o dirigível. Falecido em 2004, Pat Roach foi o único ator além de Harrison Ford a aparecer em todos os três primeiros filmes da série.
  • Isla Blair, que interpreta a esposa de Walter Donovan, é realmente esposa do ator Julian Glover. Nos créditos, ela aparece como "Mrs. Glover" ("Senhora Glover").

Referências

  1. Clássicos de 1989 Almanaque - Tribuna do Paraná
  2. imdb. Visitado em 1/6/2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]