Buffy the Vampire Slayer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Junho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Buffy the Vampire Slayer
Buffy - A Caçadora de Vampiros (PT)
Buffy, a Caça-Vampiros (BR)
BuffyPoster.jpeg
Informação geral
Formato Série
Duração 45 min / 50 min com Propagandas
Criador(es) Joss Whedon
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
Produção
Produtor(es) Joss Whedon
David Greenwalt
Marti Noxon
Elenco Sarah Michelle Gellar
Nicholas Brendon
Alyson Hannigan
Anthony Stewart Head
Charisma Carpenter
David Boreanaz
James Marsters
Emma Caulfield
Michelle Trachtenberg
Amber Benson
Seth Green
Marc Blucas
Eliza Dushku
Kristine Sutherland
Juliet Landau
Robia LaMorte
Bianca Lawson
Julie Benz
Nathan Fillion
Armin Shimerman
Tema de abertura Nerf Herder (Compositor)
Tema de
encerramento
Nerf Herder (Compositor)
Exibição
Emissora de
televisão original
Estados Unidos The WB (1997-2001)
Estados Unidos UPN (2001-2003)
Formato de exibição 480i (SD - 4:3) (1997-2003)
480i (SD - 16:9) (De 1999 a 2003, a série foi também gravada em formato 16:9, o qual só está disponível nos DVDs de edição europeia)
Transmissão original 10 de março de 1997 - 20 de maio de 2003
N.º de temporadas 7 Temporadas: TV
3 Temporadas: HQ
N.º de episódios 145
Cronologia
Último
Último
Buffy the Vampire Slayer (filme de 1992)
Buffy the Vampire Slayer Season Eight (HQ)
Próximo
Próximo
Programas relacionados Angel

Buffy the Vampire Slayer (Buffy, a Caça-Vampiros, no Brasil, e Buffy - Caçadora de Vampiros, em Portugal) é uma série de televisão americana criada por Joss Whedon, aclamada pela crítica e considerada uma série cult. Foi criada em 1997 por Joss Whedon, o seu argumentista e director, com a sua Mutant Enemy Productions e com os posteriores co-produtores executivos sendo Jane Espenson, David Fury, e Marti Noxon. A narrativa segue a vida de Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar), a mais recente numa linha de jovens mulheres conhecidas como Caçadoras. As Caçadoras são escolhidas pelo destino para a batalha contra vampiros, demónios, e outras forças das trevas. Tal como anteriores Caçadoras, Buffy é auxiliada por um Conselho de Observadores, que orienta, ensina, e as conduz. Contrariamente às suas antecessoras, Buffy tinha um círculo de amigos leais, que se tornou conhecido como o "Scooby Gang".

A série alcançava normalmente entre quatro e seis milhões de telespectadores nas exibições originais.[1] A série posicionou-se sempre entre os programas mais vistos do canal e ajudou o novo e pequeno canal WB Television Network a subir audiometricamente.[2] A série foi positivamente aclamada pela crítica.[3] No seu canal de origem, The WB, atingiu recordes de audiência. Foi classificada como a 41ª melhor série de todos os tempos na lista (de entre 50) da revista TV Guide, bem como na 2ª na lista dos 50 melhores programas de sempre da Revista Empire. Buffy também foi votada como 3ª série com forte estatuto de culto da Revista TV Guide e incluída na "Time Magazine's" entre os 100 melhores programas de TV de todos os tempos. Foi nomeada para os Emmy e os Globos de Ouro. A rede WB cessou a operação a 17 de Setembro de 2006 após uma "homenagem" às suas "mais memoráveis séries", incluindo o episódio piloto de Buffy e a sua série derivada Angel.[4] O sucesso de Buffy levou à venda de centenas de produtos, incluindo romances, banda desenhada, e e jogos de vídeo, entre outros. A série tem recebido atenção da crítica, dos fãs, tendo já sido parodiada. Serve como tema de debate nas Universidades dos Estados Unidos da América e tem influenciado a direcção de outras séries televisivas.

Origens[editar | editar código-fonte]

Escritor Joss Whedon diz que "Rhonda- a Garçonete Imortal" foi realmente a primeira encarnação do conceito de Buffy, apenas a ideia de uma mulher que parece ser completamente insignificante que acaba por ser extraordinária. "[5] Esta ideia, no início, evoluíu para Buffy, que desenvolveu para inverter a fórmula de Hollywood " a garotinha loira que entra em um beco escuro e é morta em cada filme de terror."[6] Whedon queria "subverter essa ideia e criar alguém que seja um herói. " Ele explicou:" A missão primeira do show foi a alegria de poder feminino: tê-lo, usá-lo, compartilhá-lo. "[7]

O conceito foi visitado por meio de script de Whedon para o filme de 1992, Buffy the Vampire Slayer, que contou com Kristy Swanson no papel-título. O diretor, Fran Rubel Kuzui, viu-o como uma comédia "cultura pop sobre o que as pessoas pensam sobre vampiros." Whedon discordou: "Eu tinha escrito este filme assustador sobre uma mulher com poderes, e eles transformaram em uma grande comédia. Foi esmagador. " O script foi elogiado dentro da indústria , mas o filme não era .

Vários anos depois, Gail Berman, um executivo da Fox, se aproximou de Whedon para desenvolver o seu conceito de Buffy em uma série de televisão.[8] Whedon explicou que "Eles disseram, 'Você quer fazer um show? E eu pensei, 'High school como um filme de terror ". E assim, a metáfora tornou-se o conceito central por trás de Buffy, e foi assim que eu vendi ele. " Os elementos sobrenaturais na série manteviram-se como metáforas para angústias pessoais associadas com a adolescência e idade adulta[9] . Whedon passou a escrever e , e um fundo de vinte e cinco minutos foi dado para o piloto não exibido que foi mostrado para as redes e acabou sendo vendido à rede WB. Este último promoveu a estreia da série de clipes da Caça-Vampiros , e o primeiro episódio foi exibido em 10 de março de 1997.

O filme[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado cinco anos antes da série, em 1992. Foi escrito pelo mesmo Joss Whedon da série, porém ele mesmo afirma que estragaram seu roteiro, tornando o filme em uma comédia pastelão. Os eventos ocorridos nesse filme não são considerados canônicos, porém pode-se tirar algumas referências dele, como Buffy ser uma residente de Los Angeles, ser uma menina do ensino médio, e ser obviamente a Caça-Vampiros sob a tutela de um sentinela - Merrick Jamison-Smythe (Donald Sutherland), que também aparece no seriado, durante o episódio Becoming. No elenco estão Kristy Swanson, Donald Sutherland e Luke Perry.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

  • Buffy Anne Summers descobriu, quando ainda era uma adolescente, que não era uma menina comum. Buffy é uma das escolhidas para lutar contra o mal, forte e corajosa que tem um destino a cumprir: proteger o mundo de monstros. Assim, depois de ser treinada por seu Guardião, Giles, ela vai alternar sua vida entre matar vampiros e demônios e curtir sua vida em Sunnydale, uma cidade que abriga a Boca do Inferno, de onde saem os piores seres possíveis. Buffy conta ainda com a ajuda de seus amigos Xander e Willow.
  • Nascida em janeiro de 1981 em Los Angeles, filha única de Hank e Joyce Summers, Buffy descobriu ser uma Caça-Vampiros quando o Guardião Merrick (no filme Buffy - A caça vampiros) se apresentou a ela e lhe revelou seu destino como a Escolhida. E não demorou muito para que Buffy se desse conta de que sua vida realmente mudara e o fardo não seria fácil de carregar: logo na sua primeira grande vitória contra os vampiros, o ginásio de sua escola (Hemery High) acabou em cinzas.Os problemas acarretados pela filha acabaram resultando no divórcio de Hank e Joyce e, desde então, Buffy tem pouco ou quase nenhum contato com o pai.
  • Após a separação, Joyce se muda com a filha para Sunnydale (Califórnia), para uma bonita e espaçosa casa na Revello Drive 1630, e Buffy passa a estudar na Sunnydale High, onde conhece seus melhores amigos, Willow e Xander e é apresentada ao seu segundo Guardião, o inglês Rupert Giles.
  • Na primeira temporada,ironicamente, seu primeiro amor acaba sendo um vampiro — Angel — e na segunda temporada, tem com Angel um relacionamento complicado devido aos problemas dele com uma [maldição cigana, que perde sua alma após uma noite de amor com Buffy, tornando o terrível Angelus. Buffy acaba tendo que lutar contra seus próprios sentimentos e mandá-lo para o inferno (segundos depois de Willow ter conseguido devolver sua alma), a fim de salvar o mundo.
  • Na terceira temporada Angel retorna após ficar preso em uma dimensão demoníaca ((para ele se passaram 100 anos), porém não reata o relacionamento com Buffy, tentando ser apenas bons amigos. A desaprovação de Joyce em ver sua filha namorar alguém tão mais velho e imortal faz com que Angel decida deixar Buffy definitivamente. Nessa temporada Buffy luta com o prefeito, e uma nova caça vampiros que surgiu na cidade. Após a derrota do [Prefeito], Angel vai para Los Angeles,para o bem de Buffy, segundo o próprio vampiro.
  • Após o Nível Médio, Buffy frequenta a Universidade de Sunnydale por alguns meses — ela até mesmo se muda para o campus da Universidade, dividindo o quarto 214 do Stevenson Hall com Willow (após sua primeira companheira de quarto se revelar uma demônia). No entanto, Buffy logo é obrigada a voltar para casa quando sua mãe começa a ter problemas de saúde; mais tarde, larga definitivamente a Universidade por não poder conciliar os estudos com o trabalho exaustivo e perigoso de Caça-Vampiros.

Primeira temporada[editar | editar código-fonte]

Buffy the Vampire Slayer foi uma série de substituição da mid-season e sua primeira temporada foi de apenas 12 episódios: as restantes seis temporadas, tiveram 22 episódios. Devido o filme ter sido transformado em uma comédia pastelão, pouquíssimas características dele tem a ver com o seriado, óbvio; A 1° Temporada tem início com Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar) vindo a Sunnydale com sua mãe, Joyce Summers (Kristine Sutherland)

Após mover-se na esperança de deixar para trás os seus deveres como Caçadora, Buffy, inevitavelmente, entra em contato com seu observador, o bibliotecário Rupert Giles (Anthony Stewart Head), Buffy também faz dois amigos que se tornam inseparáveis: Xander Harris (Nicholas Brendon) e Willow Rosenberg (Alyson Hannigan) além da mesquinha Cordelia Chase (Charisma Carpenter), que apesar de muitas vezes atrapalhar , ajuda em quase todos os episódios a partir da 2° Temporada mesmo que seja reclamando; Cordelia é membro "involuntário" da turma de Buffy Summers, isso porque ela gosta de estar com eles e principalmente com Xander (os dois chegam a namorar na temporada seguinte) mas não assume publicamente para não perder o título de "Rainha do Colégio". Além desses amigos, Buffy conhece o misterioso Vampiro com alma Angel (David Boreanaz), por quem se apaixona mesmo sabendo que este é um "amor impossível". Com seus amigos e suas novas responssabilidades, Buffy começa a lutar contra os vampiros, bruxas e demônios ao longo da série. Eles logo percebem que a cidade Sunnydale está localizada sobre o Boca do Inferno, um portal para dimensões demoníacas que atrai fenômenos sobrenaturais para a área.

Os episódios da primeira temporada, exploram os problemas enfrentados pela população estudantil como um resultado da centralidade da Boca do Inferno. Dentre as questões exploradas incluem: antigos alunos que ficam invisíveis devido ao "gelo" em que são tratados pelos outros alunos e a energia mística da boca do inferno, as bruxas, demônios e professores; além da fonte infinita de vampiros e o mais poderoso de todos chamado de "O Mestre" (Mark Metcalf), que é o vilão principal da 1° Temporada

Anthony Head, que interpretou Giles, sentinela de Buffy na série

Com forte ênfase na angústia adolescente e da natureza metafórica dos episódios, o interesse amoroso inevitável, vem na forma de Buffy e Angel, que muitas vezes ocorre com avisos enigmáticos de Buffy. No entanto, o relacionamento é complicado quando a verdade sobre o passado de Angel é descoberto. Angel é um vampiro com uma alma que foi restaurada por ciganos, muitos anos antes da da garota chegar a cidade (muitos anos mesmo! O vampiro Angel tem 241 anos). A ênfase na incapacidade de Buffy de se aproximar Angel é mais explorado na segunda temporada.

O enredo geral fala em respeito aos esforços do Mestre para alcançar a superfície. Ele é um velho e poderoso vampiro que estava preso por um terremoto causado pela sua tentativa de abrir a Boca do Inferno décadas atrás. Buffy e seus companheiros têm de parar a cada ameaça sobrenatural, geralmente usando uma combinação de trabalho de detetive, a luta física frequente e uma extensa pesquisa de antigos textos místicos e registros acessíveis por computador.

Finalmente, o Messias profetizado (que é um garotinho que não aparenta perigo algum) leva Buffy para sua morte na prisão subterrânea do Mestre. Ele usou o sangue de Buffy para fugir para o telhado do Sunnydale High, mas ela é rapidamente revivida por Xander, que tinha a seguido com a ajuda de Angel. Buffy consegue lançar o Mestre para um pedaço pontiagudo de madeira, e a Boca do Inferno está temporáriamente fechada.

Segunda temporada[editar | editar código-fonte]

Esta é uma das Temporadas favoritas dos Fãs.

Composta por 22 episódios, a 2° Temporada estreou em setembro de 1997, e terminou em maio de 1998.

Buffy (Sarah Michelle Gellar) retorna à cidade depois de deixar seus amigos em Sunnydale para passar o verão com seu pai em Los Angeles e interrompe um momento de ternura entre Xander (Nicholas Brendon) e Willow (Alyson Hannigan). Ela está "trabalhando para superar seus sentimentos sobre sua morte ". Neste episódio, Buffy é mal-educada e chega a ser mais mesquinha que a própria Cordélia (Charisma Carpenter) que está evoluindo, sendo que esta, ainda lhe dá lições de moral, tentando avisá-la dos erros que está cometendo, quando acaba sendo sequestrada pelos capangas do Mestre.

A segunda temporada continua com a turma resolvendo casos rotineiros, e a relação entre Buffy e o vampiro Angel (David Boreanaz) que estão ficando cada vez mais apaixonados. Enquanto isso, o novo vampiro Spike (James Marsters) está obcecado em encontrar uma cura para sua louca amante Drusilla (Juliet Landau) além de, é claro, querer destruir Buffy de uma vez por todas. Para complicar ainda mais a situação, uma nova caçadora, ativada após a morte de Buffy, chega a Sunnydale: Kendra Young (Bianca Lawson), ela vê Buffy beijando Angel em sua forma "Vampiresca", muito bem treinada, ela ataca Angel (pois não entende que ele é um bom vampiro) e o prende em uma "jaula" que fica bem de frente a uma janela que no amanhecer mostraria claramente a luz do sol sobre ele, matando-o; Logo depois, ela segue atrás de Buffy sem saber ao certo se ela é humana ou vampira, quando a encontra na casa de Angel ela a ataca e elas travam uma luta que termina com Buffy perguntando: "Quem é você?" e a resposta: "Eu sou Kendra, a caça Vampiros." Na metade da temporada, Buffy perde a virgindade com Angel. Sem que seus amigos saibam a princípio, e nesse momento de felicidade Angel perde sua alma por causa da maldição que reina sobre ele, e uma vez mais se torna Angelus - um assassino cruel, o que deixa as coisas ainda piores para Buffy, que de certa forma perdeu seu grande amor. Este é talvez o melhor exemplo de uma série de exploração metafórica dos medos dos adolescentes. É a alegria de uma garota que dorme com seu grande amor e descobre que ele mudou completamente depois por um motivo específico. Angelus se junta a Spike e Drusilla como um inimigo de Buffy e seus amigos.

Juliet Landau, a Drusilla em Buffy

Os tormentos de Angel se tornam mais sinistros quando ele mata Jenny Calendar, pois ela descobre uma maneira de restaurar a sua alma, ele ainda deixa o corpo da professora na cama de Giles, porque ele sabia que os dois estavam prestes a se envolver romanticamente, irado com a crueldade do vampiro, Giles vai atrás do vampiro, e por pouco não é morto, sendo salvo por Buffy, que em uma das melhores cenas da temporada, o consola dizendo que não poderia seguir em frente sem ele. Mas Jenny sabia que estava correndo perigo de vida, então ela grava as instruções do ritual em um disquete, que cai no chão no momento em que Angel a mata. Finalmente, Angelus descobre um antigo demônio que pode reviver para destruir o mundo sugando-o para o inferno, este demônio se chama Acathla. Buffy vai ao encontro de Angel com a intenção de matá-lo antes que ele liberte o demônio; os dois se encontram, porém, isso não passava de um plano de Angel para que Buffy se distraísse com ele, pois o vampiro precisava de Giles para concluir o encantamento. Enquanto isso, seus capangas iam para a biblioteca acompanhados da louca Drusilla, e a turma é surpreendida por muitos vampiros e começa então uma luta, mas Drusilla hipnotisa Kendra e logo depois a mata, e os capangas vampiros derrubam uma estante de livros em cima de Willow o que provoca um traumatismo craniano, Drusilla leva Giles com seus capangas para o ritual de libertação do demônio; Buffy percebe o plano de seu ex-namorado, e vai para a biblioteca tentar salvá-los, mas já é muito tarde: Kendra está morta, Xander, Willow e Cordélia estão feridos, além do fato de que Giles está desaparecido; depois de todas essas notícias ruins, o diretor Snyder (Armin Shimerman) ainda expulsa a garota da escola e a acusa de múltiplos assassinatos. Ritual de dados ditam que, uma vez que Angelus tenha aberto o portal, a única maneira de fechá-lo é matá-lo. Depois de se recuperar, Willow descobre a maneira de restaurar a alma de Angel graças ao disquete deixado por Jenny Calendar (Robia LaMorte)antes de morrer, depois de muitas interrogações a aprendiz de bruxa resolve conjurar o feitiço de restauração. A alma de Angel é restaurada por Willow (que começa a se interessar por magia). No auge da luta entre Buffy e Angel, o feitiço de Willow surte efeito, e a alma do vampiro é restaurada, porém o portal está quase aberto totalmente, o que libertaria Acathla e decretaria o fim da humanidade, Neste momento Buffy, novamente em uma das melhores cenas da temporada, diz "Eu te amo", dando tempo apenas de Angel retribuir com uma pergunta: "Buffy?", chorando, a caçadora apunhá-la seu namorado e põe fim a agonia do fim dos tempos que estava prestes a se realizar. Finalmente, depois de ser expulsa da escola, destruir Angel, e ter de lidar com o sentimento de culpa pelas mortes de Jenny Calendar (Robia LaMorte) e Kendra (Bianca Lawson) ela revela sua vida para a mãe que, incompreensiva, a expulsa de casa, depois de perder seu lar ser expulsa da escola e sem apoio de Joyce (Kristine Sutherland), Buffy deixa Sunnydale com a intenção de nunca mais voltar. Um ano terminado com lágrimas na série.

Terceira temporada[editar | editar código-fonte]

Uma das Temporadas favoritas dos Fãs.

Composta por 22 episódios, a 3° Temporada estreou em setembro de 1998, e terminou em maio de 1999.

Buffy (Sarah Michelle Gellar) retorna a Sunnydale depois de tentar começar uma nova vida em Los Angeles por alguns meses, deixando seus amigos presos na cidade perigosa. Só quando ela começa a aceitar a morte de Angel (David Boreanaz), que retorna do inferno após ser torturado, provavelmente, por séculos. O prefeito de Sunnydale acaba por ser um cara mau, de fato, seu nome é Richard Wilkins III aparece como o principal vilão da terceira temporada (uma vez descobertos, os vilões de cada temporada são carinhosamente conhecidos como "grandes inimigos" ou "Big Bad").

Charisma Carpenter, a Cordelia

A história é complicada devido à chegada de uma outra Caça-Vampiros, Faith (Eliza Dushku), que foi ativada depois da morte de Kendra (Bianca Lawson), no final da segunda temporada. Faith é instável, uma bad girl, que teve uma infância "infeliz". Obtem prazer da violência. Depois de acidentalmente matar um ser humano, algo proibido para uma caça-vampriros, ela se torna uma criminosa e junta-se ao prefeito do mal, que construiu a cidade de Sunnydale mais de um século atrás. Ele pretende ascender um demônio puro-sangue no dia da formatura, tornando-se um demônio muito maior do que os destruídos por Buffy.

Wesley Wyndam-Pryce apareceu como um Sentinela para substituir Giles (Anthony Head), que não passou no teste tradicional que é feito para o Caçador e seu Sentinela, no décimo oitavo aniversário da garota. Embora o General Wesley ter sido inepto ,era apenas um coadjuvante nesta série, e torna-se uma figura heróica como regular na série spin-off Angel. No episódio 9 desta temporada intitulado "The Wish" (No Brasil se chama "O Desejo"), Cordélia (Charisma Carpenter) pede para a demônia Annyanka fazer com que Buffy nunca tivesse existido, desejo este que transforma a vida de todos em um inferno. Ela fez esse pedido após descobrir que Xander Harris (Nicholas Brendon) a traiu com a amiga Willow Rosenberg (Alyson Hannigan). A atrapalhada demônia que realiza o pedido de Cordélia, Annyanka (Emma Caulfield), retorna mais tarde, como uma personagem principal da série, ela passa a se chamar Annya, e agora é mais uma integrante da Gangue dos Scoobies. Ela perde parcialmente seus poderes e se torna uma mortal em Sunnydale.

A temporada acaba com Buffy esfaqueando Faith, deixando-a em coma permanente. O Prefeito recebe sua Ascensão completa, mas a gangue consegue derrotá-lo com todos os alunos do Sunnydale High, alguns destruídos no processo. Sabendo que não tem futuro com Buffy, Angel deixa Sunnydale e vai para Los Angeles e será o protagonista de seu próprio spin-off. Embora na época não foi feita menção a esse respeito, Cordélia também foi para Los Angeles para trabalhar com Angel, mas não com esse objetivo específico, na verdade Cordélia estava sem dinheiro e resolve ir para Los Angeles para trabalhar como atriz e recuperar seus bens; mas ela acaba por entrar na equipe de Angel, e se torna protagonista secundária da série. E mais um ano terminado com lágrimas em Buffy. Na exibição original da série nos EUA, alguns episódios foram exibidos com mais de um mês de atraso, devido a acontecimentos parecidos aos que foram tratados tais episódios, por exemplo, os assassinatos e tiroteios que estavam ocorrendo nas escolas dos Estados Unidos, e também o fato de que Joss Whedon não queria que os fãs vissem Buffy tendo a formatura estragada após tais acontecimentos; devido a isso o final da 3° temporada foi ao ar com mais de um mês de atraso nos EUA.

Quarta temporada[editar | editar código-fonte]

Composta por 22 episódios, a 4° Temporada estreou em setembro de 1999 e terminou em maio de 2000.

A quarta temporada começa com Buffy (Sarah Michelle Gellar) e Willow (Alyson Hannigan) inscritas na UC Sunnydale, enquanto Xander (Nicholas Brendon) começa com a sua vida profissional. Enquanto nas primeiras três temporadas tentando metaforicamente resolver problemas na adolescência, a vida após a escola lida com questões de sair de casa, resolver as relações, e a atitude mais adequada para as responsabilidades e pressões sociais.

UC Sunnydale não é sobre a Boca do Inferno, mas sobre uma instalação militar secreta chamada de "A Iniciativa". Especiais soldados posando como professores, alunos e colegas de fraternidade. A iniciativa é liderada por Maggie Walsh, professora de psicologia da Buffy e Willow. Riley Finn, que mais tarde seria o namorado de Buffy, é o assistente da Professora Walsh e seu pupilo dia em noite na Iniciativa. Buffy e Riley estão trabalhando para proteger suas identidades secretas para os outros.

Seth Green, o lobisomem Oz na série

Embora a iniciativa no início parecia um bem antidemônios, logo revelou que eles testam operações para o sobrenatural. Entre outras coisas, a iniciativa tem combinado demônios, os seres humanos e cibernética em uma criatura super protótipo, Adam. Involuntária Buffy tenta integrar seu trabalho com a iniciativa, na qual a Professor Walsh tentou matá-la usando diversas armadilhas. Adam mata Maggie antes de escapar da Iniciativa. Ele arquitetou um plano para criar um caos, com criaturas que se parecem com ele de forma frankensteiniana substituindo os humanos e demônios. Riley descobre que a iniciativa era inconfiável.

A quarta temporada viu o retorno do vampiro Spike como parte dos personagens regulares, neutralizado pela Iniciativa com um chip em seu cérebro que o impede de ferir humanos. Spike é agora um dos personagens mais moralmente ambíguos na série.

Enquanto isso, Oz deixa Sunnydale e Willow começa um romance com a também bruxa Tara Maclay. Faith acorda do coma e foge para Los Angeles. Enquanto Buffy e seus amigos estão cada vez mais distanciandos, finalmente se unem para derrotar Adam através de um feitiço que combina todos os seus poderes no corpo de Buffy. A iniciativa é destruída por demônios durante a batalha.

O episódio aclamado pela crítica "O Silêncio" da quarta temporada, ganhou uma nomeação para um Emmy.

Quinta temporada[editar | editar código-fonte]

Composta por 22 episódios, a 5° Temporada estreou em setembro de 2000 e terminou em maio de 2001.

Dawn aparece em Sunnydale como irmã de Buffy. Ninguém achou estranho, mas logo é revelado que a adolescente é uma energia mística chamada de "A Chave", que foi transformada por um grupo de monges, com a essência e sangue de Buffy, em forma humana. Falsas memórias foram implantadas para que todos possam protegê-la de Glory, uma deusa exilada de uma dimensão do inferno, que é deixada em um corpo humano em que está presa - Ben, um médico do hospital. Ela trabalha para localizar a chave, e cria um exército de doentes mentais, dos quais ela se alimenta dos cérebros. Buffy e seus amigos lutam para descobrir o seu plano, protegendo simultaneamente a inocente Dawn, tentando aceitar quem ela é, enquanto Spike se apaixona por Buffy. Joyce Summers morre de um aneurisma cerebral, tendo lutando há meses contra um tumor no cérebro em um dos melhores episódios da série, "The Body". No meio da quinta temporada, Riley Finn deixa a série e não faz mais parte do elenco de personagens.

Clare Kramer, a deidade vilã Glory

Glory finalmente descobre que Dawn é a nova forma para a chave, e a sequestra para realizar o ritual que iria abrir um portal para a sua dimensão do inferno, mas ao mesmo tempo, faria com que as paredes fosses rasgadas entre dimensões, trazendo o caos total para a terra. Enquanto Glory não pode ser morta, porque ela é uma deusa, Giles sufoca Ben (e, portanto, também a Glory), com suas próprias mãos para proteger Buffy e o mundo. Uma vez que o ritual foi iniciado por um demônio que veio para ajudar Glory, Buffy finalmente entende a mensagem codificada da Primeira Caça-Vampiros. Com partes de Dawn da mesma essência e sangue, Buffy salta para o vórtice e sacrifica a própria vida para salvar a sua irmã e o mundo. Buffy deixa Dawn com a mensagem: "Dawn, a coisa mais difícil deste mundo é viver nele. Sê corajosa. Vive por mim."

Sexta temporada[editar | editar código-fonte]

Composta por 22 episódios, a 6° Temporada estreou em setembro de 2001 e terminou em maio de 2002.

Esta foi a 1° temporada que não foi exibida na WB, mas sim na UPN. (As primeiras 5 temporadas foram exibidas no pequeno canal The WB Television Network, enquanto as 2 últimas foram exibidas na UPN.)

Como Buffy morreu a salvar a sua irmã Dawn, o grupo de amigos cria uma Buffy em versão robótica para substituir a verdadeira, para criar aos demónios a ilusão de que a Caçadora ainda está viva e que estes continuam a ter de se haver com Buffy. Mais tarde, Giles decide voltar para Inglaterra, mas, no mesmo dia, Willow e os outros preparam um ritual mágico para ressuscitar Buffy, mas são surpreendidos por um grupo de demónios em motas, que tinham descoberto que já não havia Caçadora, mesmo a meio do ritual de feitiços, e passam com os veículos por cima do único pote mágico no Universo necessário para o feitiço. Conseguem por pouco fugir e, todos de rastos, vão desiludidos para casa. Este grupo de amigos sentia uma enorme tristeza e culpa pois acreditavam que Buffy estava a sofrer no inferno. Os demónios causam o caos em Sunnydale e separam violentamente a robô Buffy aos bocados. Os amigos da Caçadora encontram-na cheia de dúvidas como "Para onde fui?" e nenhum deles faz caso, excepto Dawn que fica mais tempo e pergunta ao que resta da robô o que quer dizer, e a "Buffy" diz-lhe que tinha visto a outra Buffy e perguntava-se a ela mesma onde teria ido, fazendo confusões como as duas pessoas serem uma. Dawn fica muito transtornada e segue a direcção que a robô disse que tinha ido. Aí apercebe-se de uma coisa: o ritual tinha funcionado. A original Buffy Summers estava extremamente confusa e tinha acabado de instintivamente espancar um vampiro. Dawn foi contar ao outros mas Buffy foge, e percebem que foi porque afinal Buffy tinha ressuscitado no caixão onde estava enterrada depois do funeral, e tinha passado a experiência traumática de ter de sair de lá pelas suas próprias mãos - Buffy estava traumatizada. Ao longo do tempo, Buffy foi voltando ao normal, mas parecia infeliz. Spike confronta-a e ela acaba por lhe confessar que não tinha estado no Inferno como todos os outros pensavam, mas que na verdade tinha estado no Paraíso, onde sabia que era amada e estava feliz, até aos seus amigos a arrancarem de lá à força; Buffy acaba a confissão dizendo-lhe que o verdadeiro inferno era a vida na Terra e que Spike nunca poderia contar a verdade a Willow, Xander e aos outros. Voltando à rotina, Buffy encontra um emprego no Palácio DoubleMeat (um restaurante de "Fast-Food" de Sunnydale), onde passa uma estranha e perigosa aventura em que uma cliente velhinha tinha na verdade um demónio que lhe saía da nuca e devorava os empregados do restaurante. Spike com a sua obsessão amorosa por Buffy, quase que a viola, e ela deixa. Buffy, eventualmente sendo possuída pela culpa, forma uma relação violenta com Spike. Riley reaparece pedindo a ajuda de Buffy para capturar um demônio, mas ele está casado. Ele flagra Buffy e Spike em sua cripta, e Buffy fica constrangida, a partir de então decide que não vai mais se relacionar com Spike. Riley e a esposa (Sam, que também é agente) vão embora.

Buffy é constantemente atormentada pelo trio, três "geeks" do antigo Sunnydale High que se juntaram para tomar a cidade, em um esforço realmente estúpido para o mal. Jonathan, que em épocas anteriores era vítima, junta-se a Warren, o arquiteto da namorada-robô Buffybot da quinta temporada, e Andrew, cujo irmão Tucker enviou um cão como demônios dançando no final da terceira temporada.

Elizabeth Anne Allen a intérprete de Amy em 6 temporadas da série

A subtrama envolvendo Willow num persistente e crescente abuso de magia. Depois ela é forçada a enfrentar as consequências do seu vício, ela passa por um momento difícil quando sua amante Tara é morta acidentalmente por Warren. Willow desce para a escuridão e começa um tumulto destrutivo, num primeiro momento para a vingança, mas mais tarde para aliviar o seu sofrimento, trazendo um apocalipse. Xander demonstra seu amor incondicional por Willow que acaba voltando ao normal e salva o mundo.

Spike insiste em que Buffy finalmente admita que o ama. Quando ela se recusa, Spike tenta estuprá-la em uma tentativa de retomar seu caso sexual (como já está levemente descrito acima). Então Spike deixa Sunnydale aparentemente em busca de vingança, mas consegue ganhar a sua alma após testes dolorosos e difíceis. Nesta temporada, Giles não é mais um personagem regular da série em seguida aparece apenas como convidado especial.

Sétima temporada[editar | editar código-fonte]

Composta por 22 episódios, a 7° e última Temporada estreou em setembro de 2002 e terminou em maio de 2003.

Última temporada de Buffy gira em torno do Primeiro Mal, que pode aparecer na forma desencarnada com a aparência de qualquer pessoa morta. Está mais determinado do que quando ele tentou convencer Angel a matar Buffy e depois se matar na terceira temporada. Algumas meninas que são potenciais Caçadoras são recolhidos por Giles, com a ajuda de videntes, após o Conselho de Vigilantes ser destruído. Eles vivem com medo dos porteiros, os funcionários que estão a matar os caçadores em potencial em todo o mundo.

Nathan Fillion, o Caleb, que além de Buffy, trabalhou com Joss em Firefly

Grande parte da história ocorre no recém reconstruído Sunnydale High, para a série e seus personagens de volta às suas raízes: a boca do inferno. Spike agora vive com a culpa de uma alma. Começa enlouquecido pelo Primeiro e isolando-se na cave do instituto. O primeiro também desenvolve um gatilho "hipnótico" sobre ele, permitindo-lhe devolver os seres humanos para matar novamente. Finalmente, o "gatilho" e o chip que foram implantados no seu cérebro são removidos.

Ele revela que o exército de selvagens, vampiros primitivos conhecido como Turok-Han são mais poderosos e violentos do que os vampiros normais. O Primeiro tenta o desequilibrar Buffy, reunindo um exército de vampiros na Boca do Inferno. Quando o exército de vampiros excede o número de humanos na Terra, o primeiro tem um corpo novo.

No final, Buffy traz a guerra para a Boca do Inferno em si. Willow invoca um feitiço que ativa todas as Caçadoras do mundo. Com seu exército de garotas agora equipado com plenos poderes, conseguiram conter o exército dos vampiros a tempo suficiente para que um poderoso amuleto usado por Spike funcionasse. O poder do amuleto vaporiza a Boca do Inferno, matando os Turok-Han e Spike no processo. No entanto, Spike está de volta ao spin-off de Buffy, Angel, como a contrapartida do vampiro Angel. É revelado que Anya foi morta por um portador. A Boca do Inferno entra em Colapso, e a cidade de Sunnydale vazia é sugado para dentro de uma grande cratera. "Boca do Inferno foi oficialmente fechada" e Buffy já não luta sozinha.

Dublagem[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde março de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Dublagem brasileira da série foi feita no estúdio Herbert Richers e dirigida pelo também dublador Newton da Matta, que interpretou a voz de Giles, enquanto Sylvia Salustti interpretava a voz de Buffy Summers. O elenco de dublagem nunca foi creditado nos DVDs originais nem nas exibições pelo canal Fox, sabe-se quem são os dubladores por divulgação da mídia comum. Dentre diversos trabalhos em séries em geral, a dublagem da série foi considerada excelente pelo público. Buffy a Caça Vampiros só teve sua exibição dublada no Brasil até a 5° Temporada, após a mesma, as dublagens foram interrompidas e a 6° e 7° Temporadas exibidas em áudio original, além disso, não foram lançados os DVDs das duas últimas temporadas. Ao ser frequentemente perguntada em eventos relacionados à dublagem, Sylvia Salustti (dubladora da protagonista) afirma que dublou todas as temporadas da serie. Em 2013, esse fato foi confirmado com a aquisição e exibição da serie, na página da internet de series e filmes por assinatura, Netflix, na qual a sexta e a sétima temporada se encontram com dublagem clássica!

Ator (Personagem) Brasil Dubladores
Sarah Michelle Gellar (Buffy Summers) Sylvia Salustti
Alyson Hannigan (Willow Rosenberg) Élida Lastorina
David Boreanaz (Angel) Maurício Berguer
Nicholas Brendon (Alexander "Xander" Harris) Marcus Jardym
Charisma Carpenter (Cordelia Chase) Iara Riça
Anthony Stewart Head (Rupert Giles) Newton da Matta
James Marsters (Spike / William) Ricardo Vooght / Júlio Chaves (01 Episódio)
Emma Caulfield (Annya Jenkins) Fernanda Fernandes (1° Voz) / Melise Maia (2° Voz)
Amber Benson (Tara Maclay) Izabel Lira
Seth Green (Daniel "Oz" Osborne) José Leonardo
Eliza Dushku (Faith Lehane) Gabriela Bicalho
Michelle Trachtenberg (Dawn Summers) Adriana Torres
Marc Blucas (Riley Finn) Hermes Barolli
Robia LaMorte (Jenny Calendar) Jane kelly
Juliet Landau (Drusilla) Guilene Conte
Alexis Denisof (Wesley-Windam Prize) Clécio Souto
Kristine Sutherland (Joyce Summers) Nádia Carvalho
Julie Benz (Darla) Carla Pompílio
Armin Shimerman (Diretor Snyder) Jorge Rosa
Bianca Lawson (Kendra Young) Lina Rossana
Elizabeth Anne Allen (Amy) Flávia Saddy
Mercedes McNab (Harmony Kendall) Flávia Saddy (1° Voz) / Fernanda Fernandes (2° Voz)
Clare Krammer (Glory) Márcia Morelli
Mark Metcalf (O Mestre) Paulo Flores

Estúdio de dublagem : Herbert Richers

Direção de dublagem : Newton da Matta

Personagens[editar | editar código-fonte]

Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar) é a "Caçadora", uma em uma longa linha de jovens mulheres escolhidas pelo destino para lutar contra as forças do mal. Este místico poder lhe-dá enorme aumento da força física, bem como a resistência, agilidade, cura acelerada, intuição, e um grau limitado de clarividência, geralmente sob a forma de sonhos proféticos.

Buffy recebe orientação de seu Sentinela, Rupert Giles (Anthony Stewart Head). Giles, raramente mencionado pelo seu primeiro nome, é um membro do Conselho de Sentinelas, cuja tarefa consiste em formar e ajudar as Caçadoras. Giles pesquisa as criaturas sobrenaturais que Buffy tem de enfrentar, oferecendo informações sobre as suas origens e conselhos sobre a forma de matá-los.

Amber Benson e Alyson Hannigan que interpretam Tara e Willow, as personagens gay na série.

Buffy é também ajudado por amigos que ela reúne no Sunnydale High: Willow Rosenberg (Alyson Hannigan) e Xander Harris (Nicholas Brendon). Willow é originalmente uma estudiosa garota; ela proporciona um contraste com a Buffy, de personalidade extrovertida, mas partilha o isolamento social que Buffy sofre após se tornar uma Caçadora. Como a série progride, Willow se torna um personagem mais assertivo, uma poderosa bruxa, e se descobre lésbica. Em contraste, Xander, sem habilidades sobrenaturais, proporciona alívio cômico e uma perspectiva fundamentada. É Xander que provê, muitas vezes, o coração para a série, e na Temporada Seis, se torna o herói, no lugar de Buffy e derrota o "Big Bad". Buffy e Willow são os únicos personagens que aparecem em todos os 144 episódios; Xander está ausente em apenas um.

O elenco de personagens cresceram ao longo da série. Buffy chega primeiro em Sunnydale com sua mãe, Joyce Summers (retratado por Kristine Sutherland), que funciona como uma âncora de normalidade na vida dos Scoobies "mesmo depois que ela descobre papel de Buffy no mundo sobrenatural (" Becoming, Part Two "). Irmã adolescente de Buffy, Dawn Summers (Michelle Trachtenberg) não aparece até a 5ª temporada.

Um vampiro com uma alma, Angel (interpretado por David Boreanaz), é o amor de Buffy das primeiros três temporadas. Ele deixa Buffy para reparar seus pecados e busca a redenção em seu próprio spin-off, Angel.

James Marsters e David Boreanaz que interpretam os vampiros Spike e Angel no Buffyverse

Em Sunnydale High, Buffy encontra vários outros estudantes dispostos a participar de sua luta para o bem (ao lado de seus amigos Willow e Xander). Cordelia Chase (Charisma Carpenter), a líder de torcida antípatica, relutantemente se torna envolvida, e Daniel "Oz" Osbourne (Seth Green), uma colega, o guitarrista de rock e lobisomem, junta-se a Scooby Gang através de seu relacionamento com Willow. Anya (Emma Caulfield), um ex-demônio vingança (Anyanka) que se especializou em vingar mulheres desprezadas, torna-se amante de Xander, depois de perder seus poderes, se junta ao grupo dos Scoobies na quarta temporada.

No último ano de Buffy na escola, ela encontra Faith (Eliza Dushku), a atual segunda-caçadora, que foi nomeada após a morte de Kendra (Bianca Lawson),morta pela vampira Drusilla (Juliet Landau), na segunda temporada. Embora inicialmente luta ao lado de Buffy e bom com o resto do Scooby Gang, ela vem a se colocar contra eles ao lado do prefeito Richard Wilkins (Harry Groener) depois de acidentalmente matar um ser humano na terceira temporada. Ela reaparece brevemente na quarta temporada, em busca de vingança, e se move para Angel, onde ela vai para a cadeia por seu assassinato. Faith reaparece na Temporada Sete de Buffy, com Angel e ajuda a equipe a lutar contra o primeiro mal.

Buffy reúne outros aliados: Spike (James Marsters), um vampiro, que é um velho companheiro de Angelus e um dos principais inimigos de Buffy nas primeiras temporadas, embora mais tarde se tornam aliados e amantes. No final da 6 ª Temporada, Spike recupera sua alma. Spike é conhecido por seu cabelo estilo Billy Idol e seu casaco de couro preto, roubado de uma Caçadora anterior, Nikki Wood; seu filho, Robin Wood (DB Woodside), se juntou aos Scoobies no final da temporada. Tara Maclay (Amber Benson) é um outro membro do grupo, e era colega de Willow no grupo Wicca durante a quarta temporada, e sua amizade transforma-se num relacionamento romântico. Buffy envolveu-se pessoalmente e profissionalmente com Riley Finn (Marc Blucas), um operativo militar na "Iniciativa", que caça demónios usando ciência e tecnologia. A temporada final tem o geek vilão Andrew Wells (Tom Lenk) que fica ao lado dos Scoobies, que inicialmente consideravam mais como um incómodo do que um aliado.

Buffy apresentou dezenas de personagens recorrentes, tanto maiores e menores. Por exemplo, os personagens "Big Bad" foram apresentados, pelo menos, por uma temporada (Glorificus por exemplo, foi um personagem que apareceu em 13 episódios, abrangendo grande parte da 5ª Temporada). Da mesma forma, personagens que se aliaram ao grupo de Scooby e personagens que participaram as mesmas instituições eram, por vezes apresentado em vários episódios.

Elenco Principal[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Ator (Personagem) Temporadas Condição Nota
Sarah Michelle Gellar como Buffy Summers 1° - 9° Viva 144 Episódios
Nicholas Brendon como Alexander "Xander" Harris 1° - 9° Vivo 143 Episódios, ausente apenas em "Conversas com Mortos" (Conversations With Dead People)
Alyson Hannigan como Willow Rosenberg 1° - 9° Viva 144 Episódios
Charisma Carpenter como Cordélia Chase 1° - 3° Morta Cordélia vai para LA com Angel, e é levada pelos "Poderes Que Valem" por suas boas ações na Terra
Anthony Stewart Head como Rupert Giles 1° - 8° Morto É morto por Angel na 8° Temporada (HQ). Na 9ª temporada, Angel (já recuperado) e Faith saem em uma jornada para reconstruir sua alma e ressuscitá-lo.
David Boreanaz como Angel/Angelus 1° - 3°~5º~8º Vivo Deixa Sunnydale e protagonisa seu Spinn-Off, Angel. Participa ativamente da 8ª como o super-vilão Crepúsculo.
Seth Green como Daniel "Oz" Osborne 2° - 4° ~ 8º Vivo Participa da 2° Temporada, mas torna-se regular na 3° Temporada. Também aparece na 8ª Temporada.
Eliza Dushku como Faith Lehane 3° - 4°~7° Viva Faith É a Caçadora ativada após a morte de Kendra
James Marsters como William Pratt/Spike 2° - 9° Vivo Só aparece em um episódio da 3° Temporada, "Casos de Amor". Torna-se regular na 4ª Temporada, permanecendo até o fim. Ressurge em Angel na 5ª Temporada daquela série. Depois retorna à Buffy em HQ.
Emma Caulfield como Anya Jenkins/Anyanka 3° - 7° Morta Recorrente na 3° Temporada, torna-se regular na 4ª, morrendo na batalha final da 7ª Temporada.
Amber Benson como Tara Maclay 4° - 6° Morta Surge na 4° Temporada, é assassinada na reta final da 6° Temporada
Michelle Trachtenberg como Dawn Summers 5° - 9° Viva Torna-se regular a partir do segundo episódio da 5° Temporada
Marc Blucas como Riley Finn 4°, 5ª~6ª Vivo Torna-se regular na metade da 4° Temporada, permanecendo até ir embora na 5° Temporada. Retorna para uma breve participação na 6° Temporada
Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco Recorrente[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Ator (Personagem) Temporadas Condição Nota
Kristine Sutherland como Joyce Summers 1° - 7° Morta Joyce morre de aneurisma cerebral na 5° Temporada. Na 6° e na

7° temporadas aparece em sonhos

Robia LaMorte como Jenny Calendar 1° - 2° Morta É morta por Angel no episódio "Paixão" (Passion) / 17° da 2° Temporada
Andrew J. Ferchland como Collin, o Messias 1° - 2° Morto O Mestre ressucita o jovem na 1° temporada, morto por Spike no começo da 2° Temporada
Juliet Landau como Drusilla 2° - 3°, 5° Viva Uma das vilãs da 2° Temporada, que reaparece na 5° Temporada e em Angel
Bianca Lawson como Kendra Young Morta Kendra é a 1° Caçadora ativada após a morte temporária de Buffy, é morta por Drusilla
Kenneth Lerner como Diretor Robert Flutie Morto Diretor que recebe Buffy na chegada a Sunnydale High. Morto pela gang de hienas no episódio 6 da 1° Temporada
William Monaghan como Dr. Stephen Gregory Morto Professor de Ciências e Biologia, primeira vítima da Louva-à-Deus gigante no episódio "Queridinho da Professora"
Armin Shimerman como Diretor Snyder 1° - 3°, 4° Morto Snyder se torna diretor do colégio após a morte de Flutie até ser morto na 3° Temporada. Reaparece em sonhos da Scooby Gang na 4° Temporada
Clare Kramer como Glory Morta A grande vilã da 5° Temporada
Elizabeth Anne Allen como Amy Madison 1° - 6° Viva Faz participações, se transforma em um rato, sendo adotada por Willow
Mercedes McNab como Harmony Kendall 1° - 5° Viva Faz participações, depois de virar vampira torna-se regular da 5° Temp. de Angel
Julie Benz como Darla 1° - 2° Morta Uma das vilãs da 1º temporada. Aparece em flashbacks no final da 2º temporada. É revivida pela Wolfram&Hart em Angel, e morre novamente para salvar o filho
Mark Metcalf como O Mestre Morto Grande vilão da 1° Temporada, retorna em episódios especiais na 2°, 3° e 7° temporadas
Brian Thompson como Luke Morto Recipiente do O Mestre na primeira temporada. Morto por Buffy durante a Colheita
Danny Strong como Jonathan Levinson 2° - 4°, 6° Vivo O "nerd" do colégio, participa de 29 Episódios da série
Eric Balfour como Jesse McNally Morto Amigo de infância inseparável de Xander, aparece nos dois primeiros episódios da 1º temporada, morre duarante a Colheita, vira vampiro e é morto definitivamente por Xander
Jeffrey Steven Smith como Adam Vivo Aluno da Sunnydale High School, faz aparições relâmpago na primeira temporada
Thomas Lenk como Andrew Wells / Cyrus 6° - 7° Vivo Era um dos vilões, mas se torna membro do grupo
Rudolf Martin como Drácula Vivo Participa apenas de seu episódio "Buffy vs. Drácula".
Saverio Guerra como Willy 2° - 4° Vivo Ele é o garçom de um bar frequentado por vampiros
Max Perlich como Whistler Vivo Demônio que aproxima Angel de Buffy no final da 2º temporada. Migra para Angel
Fab Filippo como Scott Hope Vivo É o quase não-namorado de Buffy depois da suposta morte de Angel no fim da 2º temporada.

Adam Busch como Warren 5ª - 6ª Morto Dark Willow o estripa com seu poder de "bored now" no episódio "Villians"

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Episódios[editar | editar código-fonte]

Crossovers com Angel[editar | editar código-fonte]

Crossovers são aqueles episódios em que duas séries interagem, tendo momentos importantes e relevantes em ambas. São esses:

  • "A Cruel Luz do Dia" (The Harsh Light of Day), crossover com "Na Escuridão" (In the Dark)
  • "Agonia" (Pangs), crossover com "Eu Vou Me Lembrar de Você" (I Will Remember You)
  • "O Fator Yoko" (The Yoko Factor), crossover com "Santuário" (Sanctuary)
  • "Garotas Sujas" (Dirty Girls), crossover com "Orpheus"
  • "Escolhida" (Chosen), crossover com "Convicção" (Conviction)

Créditos de abertura[editar | editar código-fonte]

A sequência de abertura de Buffy fornece créditos no início de cada episódio. A música foi executada pela banda de rock Nerf Herder. A música inclui uma melodia semelhante a uma canção pop austríaca dos anos 1980 chamada "Codo" pelo DOF, mas o Nerf Herder dieclarou que "nunca ouviu falar de DÖF", e que a semelhança foi mera coincidência. No comentário do DVD para o primeiro episódio de Buffy, Whedon disse que sua decisão de ir com o tema do Nerf Herder foi influenciado pela atriz Alyson Hannigan, do elenco principal da série, que lhe fez ouvir a música da banda. Janet Halfyard, em seu ensaio "Música, Gênero e Identidade em Buffy the Vampire Slayer e Angel", descreve a abertura: "Ela começa com o som de um órgão, acompanhados por um uivo do lobo, com uma imagem visual de um céu noturno cintilando revestida com script arcaico ininteligível: as associações com o estilo de filmes como Nosferatu são inconfundíveis. "

Mas as mudanças do tema: "A sequência de abertura retira-se da esfera de 1960 e horror dos anos 70, repetindo o mesmo motivo, o órgão agora suplantado por uma guitarra agressiva elétrica, localiza-se na cultura da juventude moderna." Essa música é ouvida sobre as imagens de um elenco de jovens envolvidos na ação e turbulência da adolescência. A sequência oferece uma pós-toque moderno no gênero de terror.

Os clips breves de personagens e eventos que compõem a sequência de abertura são atualizadas de época para época. As únicas imagem que persistem em todas as sete temporadas são as de um livro intitulado "Vampyr" e da cruz dada por Angel a Buffy no primeiro episódio. Cada sequência termina com uma cena longa de Buffy, que varia entre as temporadas, apesar de que nas duas últimas, embora a imagem seja a de Buffy, na verdade são sua versão robótica, e o vilão conhecido como "O Primeiro Mal", enfrentado na última temporada da série. A única exceção foi no início do episódio da quarta temporada, "O Super Astro" (Superstar), onde a cena que fecha a abertura, ao invés de ser Buffy, é a do personagem Jonathan Levinston,.

Créditos originais:

  • O episódio da quarta temporada "O Super Astro" (Superstar) teve a abertura tradicional da quarta temporada, mas com imagens adicionais do personagem Jonathan, figura central do episódio.
  • A abertura do episódio "Buffy vs. Drácula" teve o elenco regular com a omissão de Michelle Trachtenberg (Dawn) nas cenas da sequência do título. Ela foi creditada em segundo lugar na lista de elenco convidado.
  • O episódio da sexta temporada "Vendo Tudo Vermelho" (Seeing Red), acrescentou Amber Benson (Tara) como membro do elenco regular na abertura.
  • Na sexta temporada, no memorável episódio "Mais Uma Vez, Com Sentimento" (Once More, with Feeling), a abertura foi completamente modificada, transformada na abertura de um musical, tema explorado pelo episódio.

Música[editar | editar código-fonte]

Buffy apresenta uma mistura única de pop, rock e indie. Os compositores levavam cerca de sete dias para organizar entre quatorze e trinta minutos de música por episódio. O compositor Christophe Beck usou computadores e sintetizadores, embora seu objetivo era produzir uma trilha sonora que alcançasse o padrão de um filme.

A maioria dos episódios se refere à música indie rock, normalmente jogados no ponto de encontro dos personagens da série, o clube chamado Bronze. John King, supervisor da trilha sonora, explicou que "eles gostam de usar bandas pouco conhecidas" que "poderiam jogar de forma credível nesse espaço." Por exemplo, o grupo fictício de Dingoes Ate My Baby " que é encenada na tela.

Foi evitada o máximo possível a presença de conhecidas canções pop, mas em episódios de maior importância, há músicas de artistas famosos como Sarah McLachlan, Blink 182, Tianmu Blind, Aimee Mann (que também tinha uma linha de diálogo ), Cibo Matto, e Michelle Branch, a última cantou no Bronze, no episódio Tabula Rasa em uma emocionante cena. Devido à popularidade das músicas utilizadas na série, foram publicadas compilações de músicas da série.

Concepção & influências principais[editar | editar código-fonte]

Em termos de influências principais, denotam-se frequentemente entre fãs e críticos elementos como filmes de terror B, filmes de artes marciais e o universo das histórias em quadrinhos, ou banda desenhada (nomeadamente Homem-Aranha e Kitty Pryde, dos X-Men, como influências na personagem principal, em particular a segunda, cujos traços de personalidade Whedon reconhece como recorrentes nas suas personagens femininas). Whedon também foi influenciado por Xena, da série Xena: A Princesa Guerreira.

Outras influências que se apontam, no mundo televisivo em particular, em termos de formato, são Arquivo X, e My So-Called Life (Minha Vida de Cão no Brasil), o primeiro pela fórmula básica do chamado monstro da semana, tendo cada episódio um mal específico a combater ou um qualquer problema a resolver que serve como cenário para o avanço das linhas narrativas da personagem, e o segundo pelo retrato da vida adolescente e noção de feminismo segundo linhas menos óbvias e menos defeminizadas. Whedon em particular reconheceu a importância de Life.[10]

Escola que foi palco das 3 primeiras temporadas

Em termos, precisamente, dos conceitos feministas que os críticos frequentemente analisam e pelos quais a série é bastante discutida, Whedon afirma que a sua ideia básica para todo o seriado era precisamente a de pegar na típica "patricinha" (ou valley girl, como é conhecido o termo nos Estados Unidos), tonta, loira, e atraente, no seu papel de vítima recorrente em filmes de terror, e atribuir-lhe um papel ativo e poderoso de agressão e de defesa. Por esta inversão de poder, Buffy enquadra-se frequentemente, em ciclos críticos e acadêmicos em particular, na vaga dos anos 90 de novos símbolos televisivos femininos autoritários.

Para além da possibilitação da exploração da noção básica de feminismo que se atribui à série, os múltiplos demónios que surgem servem também como ferramenta metafórica para a condição social dos adolescentes no liceu/escola secundária, pretendendo os escritores frequentemente explorar temas associados a esta fase da vida através de analogias demoníacas, algo que contribuiu para a distinção da série dos seus pares, e, afirmam os fãs, para a sua identificação com a série e apelo da dita.

Emmys[editar | editar código-fonte]

A série chegou a receber uma nomeação, pela escrita no episódio "Inquietação" (Hush), caracterizado pela ausiência de diálogo durante uma grande parte do dito, por as personagens perderem as suas vozes.[11]

Outro notável episódio é o musical da sexta temporada, Mais Uma Vez, Com Sentimento, também recebeu indicações, e é considerado por Joss Whedon como uma sequencia de Hush.

O compositor Christopher Beck ganhou um Emmy devido a trilha sonora da série. Christopher ganhou o prémio devido à canção "Close Your Eyes", que é o tema de amor das personagens Buffy e Angel. Contudo, músicas de sua autoria são usadas apenas da primeira à quarta temporada, regressando no último episódio da quinta, O Dom, onde Buffy se sacrifica para salvar o mundo. Alguns dos scores mais importantes foram lançados em álbuns de Buffy.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Emmy Awards[editar | editar código-fonte]

  • Momento mais memorável em uma série de drama, The Gift (2008)
  • Maquiagem para uma série de TV, Surprise/Innocence (1998)
  • Composição musical para uma série (Drama), Becoming, Part One (1998)

Saturn Awards[editar | editar código-fonte]

Golden Satellite Awards[editar | editar código-fonte]

  • Elenco em série dramática (2002)

Hugo Awards[editar | editar código-fonte]

Indicações[editar | editar código-fonte]

Emmy Awards[editar | editar código-fonte]

  • Cabelos para Série, "Beer Bad" (2000)
  • Cinematografia para série em "Hush" (2000)
  • Melhor Roteiro de Série Dramática, "Hush" (2000)
  • Cabelos para Série, "Hell's Bells" (2002)
  • Melhor Maquiagem (sem prótese) para uma série, "Hell's Bells" (2002)
  • Melhor Maquiagem (prótese) para uma série, "Hell's Bells" (2002)
  • Melhor Direção musical, por "Once More With Feeling" (2002)
  • Efeitos especiais em uma série, "Chosen" (2003)

Golden Globe icon.svg Golden Globe Awards[editar | editar código-fonte]

Hugo Awards[editar | editar código-fonte]

Saturn Awards[editar | editar código-fonte]

Golden Satellite Awards[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Série de TV Drama (2003)
  • Melhor Performance de uma Atriz em uma Série-Drama, Sarah Michelle Gellar (2003)
  • TV Melhor Atriz Coadjuvante-TV Drama, Emma Caulfield (2003)
  • TV Melhor Atriz Coadjuvante-TV Drama, Alyson Hannigan (2003)
  • TV Melhor Ator Coadjuvante-TV Drama, James Marsters (2003)

Projetos não-realizados[editar | editar código-fonte]

O universo popular estabelecido pelas séries Buffy e Angel levou a tentativas do desenvolvimento de outros projetos comerciais relacionados ao Buffyverso. Entretanto, alguns deles permanecem engavetados por várias razões: em algumas, membros principais do elenco indisponíveis, em outras, estúdios que poderiam fornecer o necessário para a produção se mantém descrentes da possibilidade de tai projetos serem financeiramente viáveis. A seguir, uma lista de alguns deles:

  • Corrupt: O episódio seria o segundo da primeira temporada da série Angel, mas o roteiro do episódio que mostraria personagens viciados em drogas e assassinatos de prostitutas foi substituído por algo mais leve, dando então lugar a "Corações Solitários" (Lonely Hearts).
  • Buffy The Vampire Slayer: The Animated Series: O clipe de três minutos mostrando o que seria uma versão em desenho animado de Buffy foi enviado a diversas emissoras, entretanto, a produção parou quando a animação foi recusada por todas elas. Joss Whedon comandaria o projeto ao lado de Jeph Loeb e Jane Espenson, e vários episódios já haviam sido escritos para o desenho. Todo o elenco principao, exceto a atriz protagonista Sarah Michelle Gellar, dublariam seus personagens. Gellar fora substituída por Giselle Loren.
  • Faith The Vampire Slayer: Idealizada por Tim Minear, a série se passaria após a sétima temporada de Buffy, onde a personagem título, a caçadora anti-heróica Faith Lehane, lutaria contra o mal enquanto buscava seu lugar no novo mundo. Os anúncios de Faith e o do fim de Buffy foram feitos simultaneamente, mas a atriz Eliza Dushku "buscava tentar algo diferente", e logo em seguida protagonizaria a série Tru Calling. Alguns dos temas que seriam explorados na série Faith foram utilizados em algumas edições da Oitava Temporada de Buffy.
  • Ripper: Originalmente proposta para ser baseada no personagem Giles, o guardião de Buffy, a produção seria uma série, um filme para TV ou um lançamento diretamente em DVD. O seriado exploraria o tema da solidão do homem que, em sua juventude, trabalhava com forças ocultas e recebera o apelido de "estripador" (razão do título em inglês ripper). Vários outros projetos levaram ao adiamento da produção de Ripper, incluindo Dollhouse e a Oitava Temporada de Buffy. Questões envolvendo direitos autoriais e indisponibilidade do ator Anthony Head levaram o projeto a ser cancelado.
  • Spike: O vampiro que se popularizou nas séries Buffy e Angel ganharia sua adaptação cinematográfica, que seria um filme para DVD ou diretamente lançado em DVD, e que contaria com Amy Acker como Illyria e Alyson Hannigan como Willow. A indisponibilidade de Joss Whedon, razão de estar em outros projetos como Serenity e X-Men, acabou cancelando a ideia do filme que estrelaria James Marsters.

Citações[editar | editar código-fonte]

  • "Eu criei a série para provocar essa reação forte, criei 'Buffy' para ser um ícone, uma experiência emocional, para ser amada de um modo que outras séries não conseguiam ser. É sobre a adolescência, a fase mais importante, quando se amadurece e se torna um adulto, e a série mitifica isso de uma forma tão romântica, que basicamente diz: 'Todo mundo que sobreviver à adolescência é um herói'. E isso é bastante pessoal, que as pessoas sintam algo com a série que é tão real. Eu não poderia ser mais pomposo, mas eu tive essa intenção, eu queria que ela fosse um fenômeno cultural. Queria que houvesse bonecas, Barbies com faixas de kung-fu. Eu queria que as pessoas abraçassem a série de uma forma além do normal 'é um ótimo seriado sobre advogados, agora vamos jantar'. Eu queria que as pessoas a tornassem interior, que fantasiassem de estarem na série, que fosse mais do que um seriado de TV. E nós conseguimos isso". (tradução br) - Joss Whedon
  • "Algo que as séries sci-fi têm, e que nós não temos, é o poder de fazer algo só porque soa bacana. Cada ideia que colocamos, funcionando ou não, é baseada na ideia de que o público já passou por isso. Uma garota normal passa por isso. Um garoto normal lida com isso. Sabe, são questões de sexualidade, popularidade, empregos. Seja o que for, deve ser baseado na realidade." (tradução br) - Joss Whedon

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

Buffy é tida como uma das séries que mais mudaram o rumo televisivo do drama norte-americano. Muitas que vieram depois sofreram grandes influências do seriado. Exemplos como: Dead Like Me,Supernatural, Smallville, Joan of Arcadia, as temporadas recentes deDoctor Who e seu spin-off Torchwood, Tru Calling,Veronica Mars, e até mesmo LOST. Em 2004 a série Veronica Mars foi caracterizada por série-irmã de Buffy, com diversos fatores e semelhanças em suas tramas. O próprio criador de Buffy, Joss Whedon disse que Veronica, era a "Harry Potter da TV", e participou de um episódio como convidado.[12] Em 2005, Supernatural recorreu de elementos presentes em Buffy, como personagens jovens, histórias familiares, legados, demônios, vampiros e lutas contra o mal. Em certos episódios, os mesmo temas são citados, inclusive. Outras séries depois de Buffy que usaram tema "amor entre vampiro e humano" são: Moonlight, True Blood e The Vampire Diaries, além claro da saga de livros e filmes de Stephenie Meyer, Crepúsculo. O universo prescrito tanto por Buffy quanto por seu spin-off Angel recebeu dos fãs o título, que logo se tornou oficial, de Buffyverso.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Joss Whedon e Sarah Michelle Gellar decidiram por terminar a série televisiva em sua 7° Temporada. A atriz que interpretava Buffy contou posteriormente que desejava aprofundar sua carreira cinematográfica, que na época era conhecida por estrelar filmes de suspense/terror como Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (I Know What You Did Last Summer) e o drama cômico Segundas Intenções (Cruel Intentions). Sarah também declarou que interpretar Buffy durante 7 anos acarretou em grande cansaço devido as diversas sequências de ação em meio ao drama central da série.
  • Em entrevista para uma revista americana, Sarah Michelle Gellar chegou a afirmar que odiava ser confundida pelo público pelo nome de sua personagem. Posteriormente, ela alegou que havia amadurecido, e que entendia o carinho dos fãs.
  • Joss Whedon e seus produtores não acreditavam no sucesso da série, (já que o filme de 1992 havia sido um fiasco), por isso a série estreou na mid-season de 1997, e com apenas 12 episódios, mas ao contrário do que pensava seu criador, a série foi um sucesso.
  • Depois de decidido que Smallville contaria a vida de Clark Kent ainda jovem, a The WB solicitou que a série fosse uma mistura de gêneros entre Buffy e Dawson's Creek (Outra série de sucesso do canal na época). Isto porque a ideia era juntar paranormalidade com dramas adolescentes. A ideia deu certo, e Smallville rendeu 10 temporadas de sucesso.
  • Existem boatos de que Amber Benson teria recusado participar do episódio "Conversas Com Mortos" (Conversations With Dead People). Isto porque ela teria ficado ressentida com o final de sua personagem Tara Maclay, durante a 6° Temporada. Para suprir sua falta no episódio, a atriz Azura Skye foi convidada para reprisar seu papel como Cassie Newton (A garota que Buffy tentou salvar episódios antes) na forma do Primeiro Mal (The Fist Evil), fazendo menção a Tara para persuadir Willow (Alyson Hannigan).
  • Recentemente a Fox Brasileira confirmou que não possui mais os direitos de publicação de Buffy a Caça Vampiros e seu spinn-off, Angel no Brasil, não podendo assim lançar as demais temporadas de ambas as séries.
  • A Netflix brasileira recentemente disponibilizou as temporadas de Buffy a Caça Vampiros, do 1° ao 7° ano com dublagem original brasileira.
  • Todos os episódios de fim de temporada foram escritos por Joss Whedon, exceto "O Túmulo" (Grave).
  • Buffy, Willow, Xander, Angel e Giles são os únicos personagens a aparecer no primeiro e no último episódio da série.
  • A personagem de Buffy foi inspirada na mutante Kitty Pride, de X-Men.
  • Sunnydale é uma cidade ficcional que fica na Califórnia, e Joss Whedon a criou pensando em Santa Bárbara.
  • Apesar do sotaque de Spike, James Marsters não é britânico, e sim, americano de Modesto, Califórnia.
  • Durante a exibição da série, e mesmo após o seu término, foi cogitada diversas vezes a possibilidade de serem criados mais dois sppin-offs de Buffy. Um deles estaria centrado na história do vampiro Spike (James Marsters), o outro, que teve até título cogitado (Ripper), estaria focado em contar a história de Rupert Giles antes de se tornar sentinela, durante sua fase rebelde em que tinha o apelido de "Extripador".
  • O nome da banda de Oz, Dingoes Ate My Baby, foi retirada de um episódio da série Seinfeld.
  • As músicas interpretadas por essa banda são na verdade do Four Star Mary.
  • Seth "Oz" Green finge bem, mas ele não sabe tocar guitarra.
  • A primeira vez que Dingoes Ate My Baby apareceu tocando no Bronze foi no episódio "A Múmia Inca" (Inca Mummy Girl), o quarto episódio da segunda temporada.
  • Cordelia Chase já "ficou" com o vocalista da banda, o que é mostrado no episódio "A Múmia Inca" (Inca Mummy Girl).
  • O termo "Scooby Gang", apelido da turma de Buffy, foi usado pela primeira vez na segunda temporada, no episódio "O Que é Que Eu Faço - Parte 1" (What’s My Line? - Part 1).
  • No filme Buffy, A Caça-Vampiros de 1992, a personagem título era uma garota mais velha, já no último ano do colegial, diferente do seriado, onde Buffy, apesar dos eventos que precedem o primeiro episódio serem basicamente os mesmos do filme, ainda está no primeiro ano.
  • Spike matou duas caça-vampiros em sua existência centenária.
  • O endereço da Buffy completo é 1630 Revello Drive, Sunnydale, California.
  • Durante as sete temporadas, foram mostradas as mortes de 143 vampiros, 74 demônios e 2 humanos, mortos por Buffy.
  • A temporada mais sangrenta foi a terceira, em que Buffy matou 43 vampiros e 17 demônios.
  • Buffy serviu de inspiração para diversos filmes pornôs; alguns dos títulos mais conhecidos são Buffy the Vampire Layer, Muffy The Vampire Slayer e uma paródia adulta e mais fiel à série e TV, com o mesmo título de Layer, prevista para ser lançada em 2011.
  • Os diversos personagens britânicos em Buffy se devem ao fato de Joss Whedon ter morado alguns anos na Inglaterra, e formado no Winchester College.
  • A atriz que interpreta Joyce Summers (a mãe de Buffy) se chama Kristine Sutherland, mas ela não tem nenhum parentesco com Kiefer "Jack Bauer" Sutherland. Seu nome real é Kristine Young. Fã do ator Donald Sutherland (pai de Kiefer), ela deu ao seu gato o nome de Donald. Como já existia outra atriz chamada Kristine Young, resolveu adotar o sobrenome Sutherland - em homenagem ao Donald e ao seu gato.
  • O termo "Buffyverse", ou "Buffyverso" foi criado pelos fãs como uma forma de se referenciar ao universo mostrado na série.
  • A tatuagem de David Boreanaz é falsa, feita apenas para o personagem Angel.
  • Sarah Michelle Gellar fez, inicialmente, o teste para ser Cordelia Chase. Mas decidiu tentar ficar com o papel de Buffy, pelo qual Joss Whedon a fez testar 11 vezes. Charisma Carpenter, Mercedes McNab, Julie Benz e Julia Lee fizeram o teste para ser Buffy e, embora nenhuma tenha ganhado o papel principal, receberam outros papéis de destaque nas séries Buffy e Angel.

Referências em outras séries[editar | editar código-fonte]

  • O episódio de Friends intitulado The One Where Chandler Can't Cry, mostra a irmã gêmea de Phoebe, Ursula Buffay, uma estrela de filmes pornôs que é confundida com a irmã por seus conhecidos; o nome de seu mais novo filme é "Buffay, a Traça Vampiros" (Buffy the Vampire Layer, aludindo as reais paródias adultas de Buffy). Ursula Buffay usa nome de sua irmã gêmea Phoebe para os créditos.
  • O especial de Halloween de Os Simpsons, Treehouse of Horror XVI, foi originalmente exibido nos EUA seis dias após o Dia das Bruxas. O último dos quatro segmentos foi intitulado I've Grown a Costume on Your Face, e possui semelhanças com o episódio "Halloween" (que havia sido exibido oito anos antes).
  • Em outro episódio de Simpsons, os cidadãos de Springfield se vestem em seus trajes de Halloween para um concurso de fantasias, que parodia o mesmo episódio de Buffy, onde um feiticeiro faz os residentes assumirem a forma de suas fantasias. Em uma cena do diretor Skinner na roupa do exército está ao lado de sua mãe, vestida com um grande, vestido rosa poofy vitoriana em um tiro que lembra dos personagens, Xander e Buffy vestindo roupas no "Halloween". Outro episódio, The Homer of Seville, mostra Marge Simpson mencionando um restaurante de buffet chamado "Buffet, o Caça-Fome" ("Buffy the Hungry Slayer" no original).
  • Na série cultuada Xena, A Princesa Guerreira, durante o episódio The Play's the Thing, um crítico de teatro diz, "Eu ouço Buffus o Caça-Bacantes brincando ao lado." Foi uma resposta à homenagem feita durante o mesmo episódio "Halloween"; Buffy assume uma personalidade fraca e indefesa, e Willow reclama dizendo que ela podia ter se vestido como Xena para assumir a personalidade guerreira dela.
  • Em um episódio de Charmed, enquanto Prue e Phoebe Halliwell estão investigando um mausoléu, Prue exclama que poderá haver zumbis ou vampiros presentes, e Phoebe brincando comenta, "onde está Buffy quando você precisa dela?".
  • Em um episódio de Smallville ( "Sede"), Lana Lang é transformada em vampira por uma garota loira da fraternidade chamada Buffy Sanders. O professor Milton Fine, interpretado por James Marsters (Spike) diz a Clark Kent que "Não existem coisas como vampiros."
  • Na série da CW Gilmore Girls, Rory vê que Paris teme sair de casa no escuro. Rory questiona se ela tem medo de correr de Drusilla e Spike. Outra vez, quando Paris sai tarde para ficar com alguém, Rory pergunta: "Com quem? Spike e Drusilla?"
  • Na série também da CW Supernatural, durante o episódio da 1 ª temporada intitulado "A Casa Do Inferno" (Hell House), os personagens do episódio perguntam, "WWBD?" referindo-se à frase, "O que Buffy faria?".
  • Em um episódio Farscape, uma das coisas que o astronauta John Crichton arrepende de ser pego em um buraco de minhoca e enviado para um lugar distante na galáxia é que, mesmo se ele consegue voltar à Terra, em seguida, Buffy teria acabado.
  • Em Will & Grace, Jack admite ser um fã do seriado, e de Willow, em particular.
  • Em Everybody Hates Chris, Drew diz a Tonya que em noites de lua cheia ele vira lobisomem; mais tarde no mesmo episódio, o narrador da série, Chris Rock, diz a seguinte frase:Antes da Buffy caçar vampiros, Tonia tentou caçar lobisomens,anteriormente a uma cena em que Tonya iria matar Drew com uma estaca de prata.
  • Na série da HBO True Blood, baseado nos livros da saga The Southern Vampire Mysteries escrita por Charlaine Harris, Sam Merlotte brinca com seu cachorro: "Você sabe quem eu gostaria que viesse a Marthaville? Buffy. Ou Blade".
  • No 1º episódio da 2ª temporada da série britânica Being Human, a personagem Annie (Lenora Crichlow) diz que "há tem um lobisomem chamado 'Nina' em Buffy". No entanto, o lobisomem chamado Nina aparece em Angel e não em Buffy.
  • No sexto episódio da terceira temporada de The Vampire Diaries, Damon chama Elena de "Buffy" ao vê-la malhando e se exercitando para se defender dos ataques de Stefan e talvez de outros vampiros.
  • Em "The news adventures of old Christine" Christine quer que seu ex marido se masturbe e ele alega não conseguir, então ela aconselha que ele coloque um dvd de Buffy, The vampire slayer e tudo dará certo.

Buffy em Portugal[editar | editar código-fonte]

Buffy - Caçadora de Vampiros teve a sua estreia em Portugal em Janeiro de 1999 , na SIC onde foram exibidas as 2 primeiras temporadas. Na altura, o canal SIC adquiriu as duas temporadas e exibiu-as de forma seguida. A terceira temporada só chegou alguns anos depois, sendo exibida no late night. De salientar que a terceira temporada teve três episódios exibidos ao início da tarde, nomeadamente em dias de feriado. A quarta temporada chegou apenas à SIC em 2004, depois de já ter sido exibida em 2003, na Sic Radical batendo os recordes de audiência do canal nesse mesmo ano. Durante esta exibição, a SIC transmitiu três episódios ao início da tarde de domingo. Em Setembro de 2004, depois de várias repetições da série no canal generalista SIC, a Sic Radical começa a 30 de Setembro do mesmo ano a repetição das primeiras 4 temporadas, todas as quintas-feiras à noite, passando mais tarde, em Janeiro de 2005, para as sextas-feiras. A 30 de Setembro de 2006, a Sic Radical exibe pela primeira vez a 5ª temporada fazendo uma ante-estreia, acabando esta temporada já em 2007, sendo continuada pela 6ª e 7ª.

A transmissão de Buffy em Portugal foi feita de forma muito inconstante estando a série parada durante quase 3 anos e recomeçar no ano em que terminou nos EUA. A exibição das 3 últimas temporadas foi feita 3 anos depois do seu cancelamento nos EUA, acabando esta em Portugal 11 anos depois da estreia em 1997 nos EUA, e 4 anos quase 5 depois do seu fim lá.

Embora tenha tido uma exibição inconstante, os episódios da terceira e quarta temporada, transmitidos nas tardes de domingo, foram líderes no horário alcançando entre 500.000 e 700.000 espetadores.

Devido a todos estes eventos, o DVD da 1ª temporada foi lançado a 6 de Dezembro de 2007, 7 anos depois do primeiro DVD Buffy no mundo.

Actualmente a série completa está a ser emitida no canal FOX, de Segunda a Sexta- feira, às 12h39.

Buffy no Brasil[editar | editar código-fonte]

Buffy, a Caça-Vampiros, como é conhecida no Brasil, foi transmitida na íntegra e com áudio original no canal a cabo da Fox, com atrasos mínimos em relação a exibição original, enquanto a Rede Globo transimitiu de maneira conturbada as primeiras temporadas com atrasos relativos de um ano, mas após algum tempo sendo exibida aos sábados à tarde, a série passou a ser exibida pela emissora somente durante as madrugadas, como "tapa-buraco" da programação. A série rendeu boas audiências em ambos os canais, e tanto que em uma reprise promovida pela Rede TV! passou a ser exibida novamente, dessa vez, sem a mesma cronologia e totalidade da original. A série é atualmente exibida no canal Ulbra TV.

A série Buffy a Caça Vampiros nunca teve suas demais temporadas exibidas em totalidade na TV Aberta Brasileira, isso só aconteceu em sua emissora de origem, Fox, que por sua vez é um canal de assinatura (Canal Pago).

Os DVDs da série foram de responsabilidade da Fox Film, que apesar de ter posto no mercado as cinco primeiras temporadas, não lançou as duas últimas, deixando os fãs na espera desde 2007 por um novo lançamento de Buffy e sua 6° e 7° Temporada em DVD.

Campanha pelo lançamento completo das temporadas em DVD[editar | editar código-fonte]

A fim de resolver essa situação que já dura há um bom tempo, fãs da serie começaram a se mobilizar na internet. E como a FOX não possui mais os direitos da serie, uma petição online foi elaborada e direcionada para uma outra distribuidora (a Warner Bros Brasil), em que solicita que ela adquira no Brasil, os direitos tanto de Buffy, como do seu spin-off (Angel) para que lance as series em DVD com todas as temporadas dubladas e legendadas em Português do Brasil.

Relançamento pela Netflix[editar | editar código-fonte]

O site Netflix incluiu Buffy em seu catálogo brasileiro de séries a partir de 1º de julho de 2013.[13] . Ainda segundo o site, todas as sete temporadas estão à disposição dos assinantes, com opção tanto de áudio original como dublado em português [14] .

Audiência[editar | editar código-fonte]

Audiência nos EUA[editar | editar código-fonte]

Apesar de Buffy não ser uma série pertencente aos 4 Grandes Canais (ABC, CBS, Fox* e NBC) conseguiu alavancar a audiência do pequeno The WB fazendo dele um canal que atraía um público fiel. Buffy foi um dos show mais vistos da WB em toda sua curta história.

  • 1ª Temporada: 3,7 milhões
  • 2ª Temporada: 5,2 milhões
  • 3ª Temporada: 5,3 milhões[15]
  • 4ª Temporada: 5,1 milhões[16]
  • 5ª Temporada: 4,5 milhões[17]
  • 6ª Temporada: 4,6 milhões[18]
  • 7ª Temporada: 4,1 milhões[19]
  • Média da Série: 4,64 milhões[20]

Audiências notáveis[editar | editar código-fonte]

  • O episódio Innocence, o 14º da 2ª temporada rendeu a melhor audiência em toda a série, 8.2 milhões de telespectadores e marcou a mudança da exibição de segunda para terça, estabelendo-se como a mais assistida do canal, então.
  • O episódio Bargaining deu ao canal a segunda melhor audiência da série, atraindo 7.7 milhões de telespectadores e foi a partir desse episódio que a série passou a ser exibida pelo canal UPN.
  • O episódio Graduation Day foi o mais visto da 3ª temporada, com 6.5 milhões de espectadores.
  • O episódio Hush foi visto por 6.6 milhões, a melhor audiência da 4ª Temporada.
  • O episódio No Place Like Home garantiu a melhor audiência do 5ª ano, com 6.4 milhões de espectadores.

Audiência no Brasil[editar | editar código-fonte]

A série foi exibida nas tardes de sábado e nas madrugadas dos dias de semana na Rede Globo, garantindo uma boa audiência que chegava a mais de 20 pontos, enquanto na Fox, a audiência, rendia audiências mistas, ora altíssimas para um canal a cabo, ora baixas, mas manteve-se como série de sucesso durante suas 7 temporadas. Na exibição original da quinta temporada, em particular, foi a série de TV a cabo mais assistida.

Referências

  1. Wahoske, Matthew J., "Nielsen Ratings For Buffy The Vampire Slayer, Angel, And Firefly", Insightbb.com (2004).
  2. Kaiser Family Foundation", Generation M: Media in the Lives of 8–18 Year Olds", Kff.org (March 9, 2005). The article says that "Mr. Levin was a key player in establishing The WB's distinct brand and youth appeal through programming such as "Dawson's Creek," "Buffy the Vampire Slayer," "7th Heaven," "Charmed," "Felicity," "Smallville," "Gilmore Girls," "Everwood" and "One Tree Hill.""
  3. For example: Various DVD reviewers, Buffy: "First season reviews", "Third season reviews", "Fourth season reviews", "Fifth season reviews", "Sixth season reviews", "Seventh season reviews", Rotten Tomatoes (updated 2006). The series has positive reviews from numerous reviewers.
  4. Schneider, Michael & Adalian, Josef, "WB revisits glory days", Variety.com (June 30, 2006).
  5. "Buffy: Television with Bite" Buffy sixth season DVD set, Disc six (2003), two minutes, fifteen seconds onwards.
  6. Billson, Anne, Buffy the Vampire Slayer (BFI TV Classics S.). British Film Institute (December 5, 2005), pp24–25.
  7. Gottlieb, Allie, "Buffy's Angels", Metroactive.com (September 26, 2002).
  8. Golden, Christopher, and Holder, Nancy, Watcher's Guide Vol. 1. Simon & Schuster (October 1, 1998), pp249–250
  9. Wilcox, Rhonda V.; David Lavery. Fighting the Forces: What's at Stake in Buffy the Vampire Slayer. [S.l.]: Rowman & Littlefield, April 2002. xix pp.
  10. Joss Whedon: Executive Producer of Angel", Cityofangel.com (2006). Also see Flowers, Phoebe, "Sixth season was last great one for Buffy - Dvd Review", Tvshows.nu (June 16, 2004). Executive Producer Marti Noxon stated: "I'm basically trying to write My So-Called Life with vampires".
  11. name="awards">Various authors, "Awards for Buffy the Vampire Slayer", Internet Movie Database (updated 2005)
  12. Whedon, Joss (August 12, 2005). Joss Luvs Veronica Whedonesque.com. Visitado em 2008-09-17.
  13. Omelete. Buffy - A Caça-Vampiros: Netflix adiciona a série completa ao seu catálogo. Visitado em 10 de julho de 2013.
  14. Temporadas - Veja.com. Netflix Brasil estreia "Buffy", "Homeland" e mais dez séries e uma minissérie. Visitado em 10 de julho de 2013.
  15. Final ratings for the 1998-1999 TV season.
  16. Quotenmeter.de - US-Jahrescharts 1999/2000.
  17. "TV Ratings 2000-2001".
  18. USATODAY.com - How did your favorite show rate?.
  19. - 2002-2003 TV Ratings.
  20. - 1997-2003 TV Ratings.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Buffy the Vampire Slayer
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Buffy the Vampire Slayer