Nicholas Winton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nicholas Winton
Winton em Praga em 2007
Nome completo Nicholas George Winton
Conhecido(a) por Salvar 669 crianças judias na antiga Checoslováquia ocupada pela Alemanha Nazi
Nascimento 19 de Maio de 1909 (105 anos)
Hampstead, Flag of the City of London.svg Londres,  Inglaterra,  Reino Unido
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Etnia Nórdico
Ocupação Humanitário
Religião protestante pentencostal
judeu

Sir Nicholas Winton, Kt., MBE (nascido Nicholas Wertheim; Hampstead,19 de maio de 1909) é um britânico que organizou o resgate de 669 crianças em sua maioria judias na antiga Checoslováquia, antes das suas deportações campos de concentração nazistas, salvando-as da morte certa em 1939, antes do início da Segunda Guerra Mundial. É muitas vezes chamado de Schindler britânico.

Nicholas Winton foi agraciado com a Ordem de Tomáš Garrigue Masaryk, Quarta Classe, pelo Presidente Checo em 1998.[1]

No aniversário da rainha, em 1983, foi nomeado membro da Ordem do Império Britânico por seu trabalho na instalação de asilos da sociedade Abbeyfield na Grã-Bretanha e, em 2002, elevado a cavaleiro pela rainha Elizabeth II em reconhecimento ao seu trabalho no salvamento das crianças.[2] [3] [4] [5]

Ele encontrou-se com a Rainha novamente durante sua visita de Estado à Eslováquia, em outubro de 2008.[6]

O asteroide 19384 Winton foi nomeado em sua honra pelo casal de astrônomos checos Jana Tichá e Miloš Tichý.[7]

Em 2008, Nicholas Winton foi homenageado pelo governo checo de várias formas: uma escola de ensino elementar em Kunžak recebeu seu nome [8] e foi agraciado com a Cruz do Mérito do Ministério da Defesa, Grau I.[8] Também foi indicado pelo governo checo para o Prêmio Nobel da Paz de 2008.[8] [9]

Por ter antepassados judeus, Winton não foi agraciado no quadro de Justos entre as Nações.

Winton está vivo e são, e não vê sua atitude como extraordinária.[10]

Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este artigo conforme o guia de tradução.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nicholas Winton nasceu em 1909 em Hampstead, Londres, filho de alemães judeus que haviam se mudado para Londres dois anos antes. O sobrenome da família era Wertheim mas mudaram para Winton como um esforço de integração. Eles também se converteram ao Cristianismo e Winton foi batizado.

Em 1923, Winton entrou na Stowe School[11] , mas saiu sem se formar. Ele continuou os estudos frequentando uma escola noturna enquanto era voluntário no Midland Bank. Também foi para Hamburgo e trabalhou no Behrens Bank, em seguida no Wasserman Bank, em Berlim.

Em 1931 mudou-se para França e trabalhou no Banque Nationale de Crédit, em Paris, onde adquiriu formação na área bancária. Quando retornou para Londres, tornou-se corretor na Bolsa de Valores de Londres.

Antes do natal de 1938, Winton foi até Praga e ajudou seu amigo Martin Blake, que havia lhe chamado para ajudar em trabalhos humanitários[12] aos judeus. Assim, viu de perto a situação dos judeus na parte da Checoslováquia que estava ocupada por nazistas.

Winton serviu a Força Aérea Real durante a Segunda Guerra Mundial.

Trabalho Humanitário[editar | editar código-fonte]

Pouco antes do Natal de 1938, Winton estava prestes a viajar para a Suíça para umas férias de esqui, quando decidiu viajar a Praga para ajudar seu amigo Martin Blake, que estava envolvido em trabalho humanitário com judeus. Ele ficou no Sroubek Hotel, na Wenceslas Square, e pouco tempo depois percebeu que não haviam planos específicos para salvar as vidas das crianças, criando a própria organização para ajudar crianças judias que corriam risco com nazistas.

Winton entrou em contato com Refugee Children's Movement (RCM), em Londres. A missão dessa organização era conseguir alojamento e a quantia de dinheiro que o governo Britânico requisitava como garantia para aprovar a entrada dos refugiados europeus perseguidos pelo nazismo.

Em novembro de 1938, pouco depois da Kristallnacht na Alemanha Nazista, a Câmara dos Comuns do Reino Unido aprovou uma medida que permitiu a entrada de refugiados com idade inferior a 17 anos, contanto que tivesse um lugar para ficar e £50 depositadas como garantia de pagamento de um tíquete para eventual retorno ao país de origem.

O boato do "Britânico da Rua Wenceslas" se espalhou e logo uma grande quantidade de famílias apareceram para tentar incluir seus filhos na lista que os colocaria fora do alcance nazista. "Era exasperador", Winton disse um dia, "como cada grupo se sentia mais urgente que o outro".

Durante nove meses ele tentou evacuar 669 crianças, por trem, de Praga para Londres. Entre eles estava Karel Reisz, que se tornaria uma renomada diretora de filmes, autora do premiado filme "The French Lieutenant's Woman". Hoje em dia, acredita-se que existam mais de 5.000 crianças das chamadas "crianças de Winton" que seriam descendentes das crianças que Winton salvou[13] .

Um nono trem com 250 crianças deveria ter partido em setembro de 1939, mas este foi o dia em que o Reino Unido declarou guerra contra a Alemanha. O trem não saiu da estação e as crianças não foram vistas novamente[14] .

Durante mais de cinco décadas Nicholas Winton não revelou esse trabalho humanitário para ninguém. A história foi a público quando sua esposa, Greta, descobriu no sótão de sua casa uma pasta que continha a lista das crianças salvas e cartas para os pais delas.

Holanda[editar | editar código-fonte]

Um obstáculo importante foi conseguir permissão oficial para cruzar a Holanda, pois as crianças estavam destinadas a embarcar em uma balsa que ficava em Hoek van Holland. Após Kristallnacht, em novembro de 1938, o governo holandês fechou oficialmente as suas fronteiras a todos os refugiados judeus. Os guardas de fronteira (Marechaussee) procuraram ativamente por refugiados judeus e, quando encontrados, eram mandados volta para a Alemanha, apesar dos horrores da Kristallnacht serem bem conhecidos nos Países Baixos (por exemplo, a partir da fronteira germano-holandesa na sinagoga de Aachen podia ser visto em chamas, a apenas 3 km de distância).

Winton, no entanto, teve sucesso graças às garantias de que ele tinha obtido dos britânicos. Após o primeiro trem, as coisas correram relativamente bem ao atravessar a Holanda. A holandesa Gertruida Wijsmuller-Meier salvou outras 10.000 crianças judias, principalmente de Viena e Berlim, mas não se sabe se ela e Winton se conheceram. Em 2012 uma estátua foi erguida no cais em Hoek van Holland para comemorar todos aqueles que salvaram crianças judias.

Winton encontrou casas na Grã-Bretanha para 669 crianças, muitas de cujos pais morreram em Auschwitz. [15] A mãe de Winton também trabalhou com ele para colocar as crianças em lares e albergues. Durante todo o verão, Winton colocou anúncios em busca de famílias para aceitá-los. O último grupo de 250 crianças, programado para sair de Praga em 1 de Setembro de 1939, não chegou com segurança; os nazistas invadiram a Polônia, marcando o início da Segunda Guerra Mundial, e as crianças foram enviadas a campo de concentração.[15]

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Com a chegada da guerra, Winton pediu o registo como um objector de consciência e servido com a Cruz Vermelha,[16] mas em 1940 ele rescindiu sua objeção para se juntar à FRA, Administrativo e deveres especiais Branch. Ele era inicialmente um aviador, subindo para sargento no momento em que ele foi contratado em 22 de junho de 1944, como um oficial piloto agindo em liberdade condicional. Em 17 de agosto de 1944 foi promovido a oficial-piloto em liberdade condicional. Ele foi promovido a o posto de diretor de vôo substantiva guerra em 17 de fevereiro de 1945. Ele renunciou a sua comissão em 19 de Maio de 1954, mantendo o título honorário de tenente de voo. Winton manteve o silêncio sobre suas façanhas humanitárias por muitos anos, até que sua esposa Grete encontrado um scrapbook detalhado em seu sótão, em 1988. Continha listas das crianças, incluindo os nomes de seus pais, e os nomes e endereços das famílias que tomou-los dentro Através do envio de cartas para estes endereços, 80 de "crianças de Winton" foram encontrados na Grã-Bretanha. O mundo descobriu sobre o seu trabalho, em 1988, durante um episódio do programa de televisão da BBC;That's Life! , quando ele foi convidado como um membro da platéia. Em um ponto recados de Winton foi mostrado, e suas realizações explicou. A apresentadora do programa, Esther Rantzen, perguntou se algum na platéia deviam suas vidas à Winton, e, em caso afirmativo, para ficar em pé. Mais de vinte pessoas ao redor Winton se levantaram e o aplaudiram.

Pessoas importantes salvas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. List of holders of the Tomas Garrigue Masaryk Order Prague Castle site Office of the President of the Czech Republic. Visitado em 3 September 2009.
  2. ^ a b c Lahav, Yehuda; Nir Hasson (2 September 2009). "Jews saved by U.K. stockbroker to reenact 1939 journey to safety". Haaretz.com. Ha'aretz..
  3. ^ London Gazette: (Supplement) no. 36633, p. 3562, 28 July 1944.. Visitado em 9 September 2009.
  4. ^ London Gazette: (Supplement) no. 36963, p. 1202, 27 February 1945.. Visitado em 9 de setembro de 2009.
  5. ^ London Gazette: (Supplement) no. 40315, pp. 6200–6205, 27 February 1945.. Visitado em 9 de setembro de 2009.
  6. Slovaks welcome Queen to capital BBC News (23 October 2008). Visitado em 3 September 2009.
  7. JPL Small-Body Database Browser JPL Small-Body Database Jet Propulsion Laboratory (2 October 2003). Visitado em 11 January 2009.
  8. a b c Sir Nicholas Winton in the Czech Republic, Ministry of Defense, Czech Republic, 2008-07-02, http://www.army.cz/scripts/detail.php?id=11598, visitado em 2009-09-05 
  9. "UK | UK's 'Schindler' awaits Nobel vote", BBC News, 2008-02-01. Página visitada em 2009-09-01.
  10. Nicholas Winton
  11. http://www.stowe.co.uk/news-and-events/news-archive/139/the-official-opening-of-stanhope-house
  12. http://www.theguardian.com/commentisfree/2013/may/17/salute-british-schindler-104-nicholas-winton
  13. http://www.raoulwallenberg.net/saviors/others/nicholas-winton-british-savior/
  14. http://www.raoulwallenberg.net/saviors/others/nicholas-winton-british-savior/
  15. a b Lahav, Yehuda; Nir Hasson (2 September 2009). Jews saved by U.K. stockbroker to reenact 1939 journey to safety Haaretz Ha'aretz. Visitado em 3 September 2009.
  16. Imperial War Museum Sound Archive, 17460