Período dos Juízes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Período dos Juízes (em hebraico: שופטים, shôphaatîm ou shoftim), também chamado de Período dos Regentes é um período histórico do povo hebreu, que se estendeu entre 1390 a.C. a 1030 a.C.. Caracterizava-se pela liderança política, religiosa e militar de um líder, que por "instrução divina", unificava e dirigia as tribos hebréias principalmente em períodos de guerras.[1]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Foi precedido pelo regresso dos judeus outrora escavizados no Egito, que iniciaram a longa viagem de regresso com Moisés e que chegaram finalmente a Canaã com Josué, que venceu a batalha de Jericó.

Características do período[editar | editar código-fonte]

O Período dos Juízes é marcado pela influência de líderes como Débora, Gedeão, Jefté e Sansão, que mantiveram juntas as 12 tribos de Israel durante as várias Guerras e escaramuças.

Este período foi marcado por uma exacerbada instabilidade espiritual. Desde que houvesse um juiz, o povo servia a Deus. Caso não houvesse, o povo ia após os deuses de outros povos.

Instabilidades[editar | editar código-fonte]

No Período dos Juízes, os hebreus passaram por diferentes ciclos de instabilidade política e ecnômica, além de diversos períodos conturbação religiosa, submissão a outros povos e posterior libertação, ficando em cada ciclo, o povo mais corrupto e devasso. Repete-se seis vezes a seqüência de repouso, recaída, ruína, arrependimento, restauração e repouso. A fé do povo era mais fraca que a dos chefes.

Normalmente os juízes hebreus eram vistos e avaliados de acordo com sua determinação religiosa, sendo que os períodos de estabilidade e até mesmo properidade eram relacionados com a "fé fortalecida" destes líderes, e os períodos de dificuldade se relacionavam com queda espiritual ou "fracasso da fé". Os períodos de liderança dos juízes assim se classificam:

  • Líderes fortes na fé: Débora, Otniel, Jefté, Eúde, Sangar e Samuel (Juízes; I Samuel)
  • Líderes vacilantes na fé: Baraque, Gedeão (Juízes, capítulo 4-6)
  • Líderes fracos na fé: Abimeleque e Sansão (Juízes, capítulo 9-13)
  • Líderes fracassados na fé: Os dois levitas (Juízes, capítulo 17-19)

Período posterior[editar | editar código-fonte]

O último juiz do povo hebreu foi Samuel, e o primeiro dos profetas registados na história do seu povo. Terá ungido os seus dois primeiros reis, Saul e David. Poderá ter vivido algures por volta de 1095 a.C..

O período dos Juízes foi seguido pela formação do Reino de Israel, sendo seu primeiro rei Saul.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]