Santo Amaro da Imperatriz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santo Amaro da Imperatriz
Bandeira de Santo Amaro da Imperatriz
Brasão de Santo Amaro da Imperatriz
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 10 de julho de 1958 (56 anos)
Gentílico santamarense ou santo-amarense[1]
Prefeito(a) Sandro Carlos Vidal (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santo Amaro da Imperatriz
Localização de Santo Amaro da Imperatriz em Santa Catarina
Santo Amaro da Imperatriz está localizado em: Brasil
Santo Amaro da Imperatriz
Localização de Santo Amaro da Imperatriz no Brasil
27° 41' 16" S 48° 46' 44" O27° 41' 16" S 48° 46' 44" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Grande Florianópolis IBGE/2008 [2]
Microrregião Florianópolis IBGE/2008 [2]
Região metropolitana Florianópolis
Municípios limítrofes Paulo Lopes, Palhoça, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, São José, São Bonifácio
Distância até a capital 33 km
Características geográficas
Área 344 049 km² [3]
População 21,221 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade O denominador (divisor) tem que ser um número! hab./km²
Altitude 18 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,781 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 296.778.655,94 IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 13,985 14 IBGE/2008[6]
Página oficial

Santo Amaro da Imperatriz é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Sua população em 2008 era de 18.266 habitantes. Possui uma área de 344,049  km². Está a uma altitude média de 18 metros. Com uma economia basicamente da agricultura, o município vem se destacando também no turismo devido ao seu grande manancial natural de águas termais.

História[editar | editar código-fonte]

A colonização de Santo Amaro da Imperatriz está ligada à descoberta da fonte de águas termais, por caçadores, em 1813. O Governo Imperial destacou então um contingente policial para guarda do local, já que a região era habitada por nativos que defendiam a permanência na região. Em 18 de março de 1818, o rei Dom João VI determinou a construção de um hospital – foi a primeira lei de criação de uma estância termal no Brasil. Em outubro de 1845, Santo Amaro da Imperatriz recebeu a visita do casal imperial Dom Pedro II e Dona Teresa Cristina Maria de Bourbon, que mandou construir um prédio com quartos e banheiras para os visitantes em busca de alívio para suas dores. Em homenagem à Imperatriz, a localidade, nos arredores da cidade – que se chamava Caldas do Cubatão - foi rebatizada como Caldas da Imperatriz.

Santo Amaro da Imperatriz tem 338 km² de área territorial, dos quais 72% situados em área de preservação permanente. O Município está situado em posição geográfica privilegiada. Está ligado ao planalto e ao litoral catarinense pela BR-282 e é cortado pelo Rio Cubatão.

O Município oferece muitas opções de lazer, com suas águas termais, atrativos naturais e variadas festividades religiosas e culturais. As belezas naturais oferecidas pela natureza exibem um maravilhoso cenário. As águas termais presentes em Caldas da Imperatriz que brotam a 39 graus Celsius, foram qualificadas com uma das melhores do Mundo.

As montanhas imponentes da Mata Atlântica, um verdadeiro Santuário Ecológico, as belezas e os mistérios da Serra do Tabuleiro, contribuem para que o Município se torne cada vez mais atraente aos que praticam o Ecoturismo.

Pico do Tabuleiro - Parque Estadual da Serra do Tabuleiro
Igreja Matriz e, ao fundo, Morro Queimado.

Os esportes radicais: voo livre, motocross, canoagem em corredeiras dos rios, etc., estão presentes no calendário de eventos, proporcionando inclusive, em algumas modalidades, campeonatos a nível nacional.

A simplicidade, o espírito trabalhador e o companheirismo dos Santoamarenses contribuem também para realçar outra característica, e talvez a principal do povo do município, a hospitalidade. A hospitalidade realmente é marca registrada do povo Santoamarense, e muito encantam aos turistas que aqui chegam.

Arraial do Cubatão, foi denominado o arraial que começou a ser formado por famílias que emigraram do litoral e das Freguesias de São José e Enseada de Brito, no princípio do século XVIII, com a finalidade de estabelecer um entreposto comercial com a região serrana. O embrião inicial foi crescendo, pois havia a necessidade de se produzir farinha, açúcar e outros gêneros alimentícios de natureza agrícola, procurados pelos comerciantes da região serrana. Mais tarde fixaram-se no arraial cerca de 30 famílias de alemães, que se retiraram da Colônia de Teresópolis.

Pelos anos de 1832 a 1839 foi levantada uma Capela em honra a Sant’Ana, no lugar denominado “Morro da Tapema”. Foi nesta Capela que, em outubro de 1845, os Imperadores do Brasil foram festivamente recebidos e onde foi cantado solene “Te Deum”, oficiado pelo Vigário de São José Padre Macário de Alexandria e Souza.

Em 1850, encontrando-se a Capela de Sant’Ana em precárias condições, foi iniciada a construção de uma outra, no mesmo local, que veio a ser a igreja matriz.

A povoação permaneceu na condição de Arraial, até 29 de maio de 1854, quando, pela Lei Provincial nº 371, foi elevada à categoria de Freguesia, com a consequente criação de Paróquia, sob a invocação de Santo Amaro. Serviu de igreja matriz a então Capela de Sant’Ana existente no Arraial. Por esta Lei foram também fixados os limites da nova Paróquia, desmembrada da Paróquia de São José.

Hino[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Hino do município de Santo Amaro da Imperatriz

O hino municipal de Santo Amaro da Imperatriz tem letra de Braz Campos Araújo e melodia por Narbal Anastácio de Càssio e Brasílio Machado.

Economia[editar | editar código-fonte]

O setor primário é o grande destaque do município, ou seja, é através da agricultura que a economia de Santo Amaro da Imperatriz se desenvolve, principalmente do cultivo do milho, do tomate e da batata.

O setor secundário é representado pelas pequenas indústrias de artefatos de cimento, envasadora de água mineral, moveleiras, madeireiras, serralherias, esquadrias de madeira e alumínio, além de uma indústria de fibras.

O setor terciário ocupa a segunda colocação na economia com o Turismo, Comércio e Prestação de Serviço.

Saúde[editar | editar código-fonte]

No município, está localizado o Hospital São Francisco de Assis, que atende parte da região da grande Florianópolis, além de outros municípios do interior do estado, com pequenas cirurgias. Porém o hospital é uma instituição filantrópica que vive de doações de empresas e pequenos recursos doados pela prefeitura.

Educação[editar | editar código-fonte]

Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes, o município possui em sua rede de ensino onze escolas municipais, quatro escolas estaduais, sete escolas particulares, seis escolas filantrópicas, uma de ensino profissionalizante e uma de ensino superior, totalizando 46 estabelecimentos de ensino na cidade[carece de fontes?].

Turismo[editar | editar código-fonte]

Habitada por cerca de 18 mil pessoas, a cidade de Santo Amaro da Imperatriz é calma e hospitaleira. As águas termais jorram da terra a uma temperatura de 41,5  °C, e suas propriedades terapêuticas têm fama internacional, atraindo visitantes de todo o mundo para tratamentos de saúde, descanso e rejuvenescimento.

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja matriz de Santo Amaro da Imperatriz

Com uma população na sua grande maioria católica, o município obtém uma das maiores paróquias da Arquidiocese de Florianópolis.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município é área da bacia hidrográfica do Rio Cubatão do Sul, que tem como seus afluentes principais o Rio Vargem do Braço e o Rio Matias. Dentre os principais problemas sofridos pelos rios locais estão o desmatamento, a erosão e uso de agroquímicos.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Jornais de cada sexta-feira
  • Jornal Vitrine Popular (VIP)
  • Jornal Regional
Rádios
  • Regional FM (106,5 MHz)
  • Termal FM (98,3 MHz)

Academia Santoamarense de Letras[editar | editar código-fonte]

Fundada em 7 de setembro de 2002, Academia Santoamarense de Letras, com sigla ASAL, é a entidade literária máxima da cidade de Santo Amaro da Imperatriz, estado de Santa Catarina, Brasil. Congrega os representantes das Letras nesta cidade.

Bibliografia relacionada[editar | editar código-fonte]

  • MARTINS, Celso - Tabuleiro das Águas - Resgate histórico e cultural de Santo Amaro da Imperatriz
  • JOCHEM, Toni Vidal - Uma Caminhada de Fé - História da Paróquia Santo Amaro: Santo Amaro da Imperatriz e Águas Mornas. Santo Amaro da Imperatriz: Ed. do Autor, 2005.
  • DE ABREU MICHELUTE, Maria Eliete - A Festa do Divino Espírito Santo em Santo Amaro da Imperatriz
  • BACK, Hugolino e GRISA, Pedro A. - A cura pela Imposição das Mãos

Referências

  1. Histórico de Santo Amaro da Imperatriz no site do IBGE.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 15 de fevereiro de 2014.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]