Stanislas Wawrinka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tenista Stanislas Wawrinka
Stanislas Wawrinka at Olympics 2012.jpg
Wawrinka
País Suíça
Residência Saint-Barthélemy, Suíça
Data de nasc. 28 de março de 1985 (30 anos)
Local de nasc. Lausana, Suíça
Altura 1,83m
Peso 81kg
Profissionalização 2002
Mão destro, backhand a uma mão
Prize money US$ 15 008 858 Fonte
Simples
Vitórias-Derrotas 353–219 (61.71%)
Títulos 9
Melhor ranking 3.º (27 de janeiro de 2014)
Ranking atual simples 9.º (18 de abril de 2015)
Resultados de Grand Slam
Open da Austrália V (2014)
Open da França QF (2013)
Wimbledon QF (2014)
U.S. Open SF (2013)
Duplas
Vitórias-Derrotas 60–74 (44.78%)
Títulos 2
Melhor ranking 90.º (6 de novembro de 2006)
Open da Austrália 3R (2006)
Open da França 3R (2006)
Wimbledon 1R (2006, 2007)
U.S. Open 1R (2005)
Jogos Olímpicos Ouro (2008)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Pequim 2008 Duplas
Última atualização em: 166.º 19 de abril de 2015.

Stanislas "Stan" Wawrinka (Lausana, Suíça, 28 de março de 1985) é um tenista profissional suíço. Inicio sua profissionalização em 2002.

Durante muito tempo foi o segundo melhor tenista suíço, depois de Roger Federer. Embora em 27 de janeiro de 2014, após a conquista de seu primeiro título em um torneio do Grand Slam, o Open da Austrália, tenha se tornado o número 1 da Suíça, não demorou para que seu compatriota Roger Federer o ultrapassasse novamente.

Em 12 de maio de 2008, entrou pela primeira vez no top 10 do ranking mundial masculino da ATP ao alcançar a final do Masters 1000 de Roma, que perdeu para o sérvio Novak Djokovic. Mas, em janeiro de 2014 após vencer o Grand Slam do Open da Austrália de 2014, também conhecido como Aberto da Austrália, apareceu pela primeira vez no top 3 do ranking mundial.

Já venceu vários torneios ATP, incluindo um torneio do Grand Slam - o Open da Austrália de 2014 - onde bateu Rafael Nadal na grande final. Antes de vencer o Grand Slam do Aberto da Austrália, o seu melhor resultado em torneios do Grand Slam era a presença nas semifinais do US Open em 2013[1] . Em juniores, venceu o Grand Slam de Roland Garros em 2003.

Em 2008, em parceria com o compatriota Roger Federer, conquistou a medalha de ouro em duplas nos Jogos Olímpicos de Pequim, na China, vencendo o par sueco Simon Aspelin e Thomas Johansson por 6-3, 6-4, 6-7(4), 6-3.

Já fez três finais de simples em torneios ATP World Tour Masters 1000 e dessas ganhou uma, o Masters 1000 de Monte Carlo em 2014, onde foi campeão batendo o compatriota Roger Federer na final.

No ATP World Tour Finals de 2013 (antigo Tennis Masters Cup), Wawrinka chegou as semifinais, mas foi eliminado pelo sérvio Novak Djokovic. Já em 2014, também foi semifinalista do Finals, mas dessa vez foi impedido de chegar a decisão por ter perdido para o compatriota Roger Federer.

No final da temporada de 2014, levou seu país, que é a Suíça, ao título da Copa Davis, junto com Roger Federer, Marco Chiudinelli e Michael Lammer, ao derrotar a França na decisão por 3 a 1.

Durante a sua carreira como profissional é considerado como um dos mais completos tenistas do circuito ATP, batendo-se muito bem em todas as superfícies. O ex-tenista profissional norte-americano John McEnroe, que já foi número um do mundo e ganhou vários torneios do Grand Slam tanto em simples quanto em duplas, declarou que Wawrinka é um dos jogadores mais poderosos que viu e o melhor com o braço direito.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

2004[editar | editar código-fonte]

Em 2004, atuando ao lado do compatriota Marc Rosset, foi vice-campeão em duplas do ATP World Tour 250 de Gstaad na Suíça, perdendo a final para a dupla formada por Leander Paes e David Rikl por 6–4 e 6–2.

2005[editar | editar código-fonte]

Em 2005, foi vice-campeão do ATP World Tour 250 de Gstaad na Suíça, perdendo a final para o argentino Gastón Gaudio por 6–4 e 6–4.

2006: primeiro título em simples da ATP[editar | editar código-fonte]

Em 2006, ganhou o primeiro título em simples nos torneios da ATP, ao ser campeão do ATP World Tour 250 de Umag na Croácia, batendo na final o sérvio Novak Djokovic.

2007[editar | editar código-fonte]

Em 2007, jogando pelo Grand Slam do Open da Austrália, o suíço Stanislas Wawrinka chegou à terceira rodada do torneio, mas foi derrotado pelo espanhol Rafael Nadal. Já no Torneio de Roland Garros alcançou a segunda rodada.

Foi vice-campeão do ATP World Tour 250 de Stuttgart na Alemanha, perdendo o título na final do torneio para o espanhol Rafael Nadal por 2sets a 0, com parciais de 6-4 e 7-5.

No Grand Slam do US Open conseguiu chegar a quarta rodada do torneio, mas foi eliminado da competição pelo argentino Juan Ignacio Chela, em uma partida que teve cinco sets.

Foi vice-campeão do ATP World Tour 250 de Viena na Austria, perdendo na final do torneio para o sérvio Novak Djokovic por dois sets a zero e pelas parciais de 6–4 e 6–0.

2008[editar | editar código-fonte]

Em 2008, foi vice-campeão do ATP World Tour 250 de Doha no Qatar, onde perdeu na final do torneio para o escocês Andy Murray por 3 sets a 0, com parciais de 6–4, 4–6 e 6–2.

Nesse mesmo ano, em 12 de maio, surgiu pela primeira vez no top 10 do ranking ATP ao alcançar a final do Masters 1000 de Roma na Itália que perdeu para o sérvio Novak Djokovic por 4–6, 6–3, 6–3.

Atuando ao lado do compatriota Stéphane Bohli, foi vice-campeão em duplas do ATP World Tour 250 de Gstaad na Suíça, perdendo a final para a dupla formada Jaroslav Levinský e Filip Polášek por 3–6, 6–2, 11–9.

Ainda em 2008, em parceria com seu amigo Roger Federer, conquistou a medalha de ouro em duplas nos Jogos Olímpicos de Pequim vencendo o par sueco Simon Aspelin e Thomas Johansson por 6-3, 6-4, 6-7(4), 6-3.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 2009, atuando ao lado do compatriota Jean-Claude Scherrer, foi vice-campeão em duplas do ATP World Tour 250 de Chennai na India, perdendo a final para a dupla formada pelos norte americanos Eric Butorac e Rajeev Ram por 6–3, 6–4.

2010[editar | editar código-fonte]

Em 2010, foi vice-campeão do ATP World Tour 250 de Chennai na India, perdendo na final do torneio para o croata Marin Čilić por 2 sets a 0, com parciais de 7–6(2) e 7–6(3).

Ainda em 2010, conquistou o ATP World Tour 250 de Casablanca no Marrocos, depois de vencer o romeno Victor Hanescu na final da competição por 2 sets a 0, parciais de 6–2 e 6–3.

2011[editar | editar código-fonte]

Em 2011, foi campeão do ATP World Tour 250 de Chennai na India, vencendo o belga Xavier Malisse na final do torneio por dois sets a um e pelas parciais de 7-5, 4-6 e 6-1.

Atuando ao lado do compatriota Roger Federer, foi vice-campeão em duplas do ATP World Tour Masters 1000 de Indian Wells, perdendo a final para a dupla formada por Alexandr Dolgopolov e Xavier Malisse por 6-4, 6-7, 10-7.

2013[editar | editar código-fonte]

No início da temporada de 2013, ao derrotar facilmente o esloveno Aljaz Bedene nas quartas de final do ATP 250 de Chennai na India, por 2 sets a 0 e parciais de 6/2 e 6/1, o suíço Stanislas Wawrinka entrou para a história do tênis de seu país. Ele se juntou a seleta lista de tenistas com 300 vitórias na carreira, que inclui também os conterrâneos Marc Rosset e Jacob Hlasek, além do gigante Roger Federer.

Atuando ao lado do francês Benoit Paire, foi campeão em duplas do ATP 250 de Chennai na India. Na decisão eles venceram a parceria alemã formada por Andre Begemann e Martin Emmrich por 6-2 e 6-1.

Já em fevereiro, foi vice-campeão do ATP 250 de Buenos Aires. Na final, ele perdeu o título para o espanhol David Ferrer, que o derrotou na decisão por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6 e 6/1.

No início de maio, o suíço, então 16º do ranking, sagrou-se campeão no ATP do Estoril Open ao bater o espanhol David Ferrer, então 4º do ranking, em apenas dois sets, com as parciais de 6-1 e 6-4.

Ainda em maio, o suíço alcançou a final do Masters 1000 de Madrid na Espanha. Porém, na decisão do torneio ele perdeu o título para o espanhol Rafael Nadal pelo placar de 2 sets a 0 e parciais de 2-6 e 4-6.

Depois, o suíço Stanislas Wawrinka fez boa campanha em torneios de Grand Slam e chegou as quartas de final no Torneio de Roland Garros, disputado em quadras de saibro, na França.

No ATP World Tour 250 de 's-Hertogenbosch nos Países Baixos, Stan Wawrinka chegou a sua primeira final em superfície de grama, mas em dois sets foi derrotado na final pelo francês Nicolas Mahut, com parciais de 6/3 e 6/4.

Em setembro, o suíço Stanilas Wawrinka venceu de virada o tcheco Tomas Berdych, em jogo válido pelas oitavas de final do Grand Slam do US Open, por 3 sets a 1 e parciais de 3-6, 6-1, 7-6 e 6-2, em 2 horas e 47 minutos de partida. Nas quartas de final, ele surpreendeu ao derrotar o escocês Andy Murray, que defendia o título do Grand Slam norte-americano, por 3 sets a 0, parciais de 6-4, 6-3 e 6-2, em duas horas e 15 minutos de partida. Já na semifinal, ele enfrentou o sérvio Novak Djokovic. E os dois tenistas travaram uma batalha repleta de vibrações, erros e ataques de irritação de ambos os lados. Mas, ao final de 4 horas e 09 minutos de partida, Djokovic levou a melhor. O sérvio foi buscar o empate duas vezes e derrotou Wawrinka de virada, por 3 sets a 2, com parciais de 2/6, 7/6(4), 3/6, 6/3 e 6/4. E com essa campanha em sua 35ª participação em um Grand Slam, o suíço Stanilas Wawrinka, então com 28 anos, alcançou pela primeira vez na sua carreira um melhor desempenho que seu compatriota, Roger Federer, em um torneio Grand Slam.

No final da temporada, ele estava entre os tenistas com melhor ranking do ano. E com isso disputou o ATP World Tour Finals de 2013, em Londres. E Wawrinka chegou as semifinais do torneio, mas foi eliminado pelo sérvio Novak Djokovic por um duplo 6/3.

2014: campeão do Grand Slam do Open da Austrália e do Masters 1000 de Monte Carlo[editar | editar código-fonte]

Iniciou a temporada de 2014 sendo campeão do ATP World Tour 250 de Chennai na India. Na final do torneio ele venceu o francês Édouard Roger-Vasselin pelas parciais de 7–5 e 6–2.

Ainda no mês de janeiro, ele jogou o Grand Slam do Open da Austrália. E então cabeça de chave número 8 do torneio, o suíço em sua campanha ganhou na primeira rodada para Andrey Golubev (do Cazaquistão), que abandonou a partida em dois sets. Pela segunda rodada ele bateu o colombiano Alejandro Falla em quatro sets. Já na terceira rodada venceu por W.O. o canadense Vasek Pospisil. Na próxima partida ele derrotou o espanhol Tommy Robredo nas oitavas de final por 3 sets a 0, parciais de 6-3, 7-6(3) e 7-6(5). Nas quartas de final, ele protagonizou a grande surpresa do torneio ao eliminar o então atual tricampeão da competição e número 2 do mundo, o sérvio Novak Djokovic. Wawrinka venceu em duros cinco sets, parciais de 2-6, 6-4, 6-2, 3-6 e 9-7. Na semifinal, ele derrotou o tcheco Tomas Berdych por 3 sets a 1, com parciais de 6-3, 6-7(1), 7-6(3) e 7-6(4), e se classificou pela primeira vez à uma final de Grand Slam. Já na decisão ele derrotou o espanhol Rafael Nadal, então n° 1 do mundo, por 3 sets a 1 e parciais de 6-3, 6-2, 3-6, 6-3. E assim, o suíço foi campeão do Grand Slam do Open da Austrália,[3] popularmente conhecido como Aberto da Austrália. E esse foi o primeiro título de Grand Slam de Wawrinka.

Na superfície de saibro do Masters 1000 de Monte Carlo em Mônaco, foi campeão ao vencer o compatriota e amigo Roger Federer na final por 4-6, 7-6, 6-2. Esse foi o primeiro título de ATP Masters 1000 de Wawrinka.

Em maio o suíço Stan Wawrinka, então número três do mundo, foi eliminado na primeira rodada do Grand Slam do Torneio de Roland Garros, batido pelo espanhol Guillermo García-López, por 4-6, 7-5, 2-6 e 0-6.

Já no Grand Slam de Wimbledon chegou as quartas de finais e em um duelo de conterrâneos, Wawrinka e Roger Federer duelaram por uma vaga na semifinal do Torneio de Wimbledon, mas Federer bateu por 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 6/7 (5/7), 4/6 e 4/6.

Assim como em Wimbledon, Stan Wawrinka também caiu nas quartas de finais do Grand Slam do US Open, o suíço batalhou durante cinco sets, mas após 4h15 de jogo, acabou sendo eliminado do Grand Slam americano pelo japonês Kei Nishikori pelas parciais de 3/6, 7/5, 7/6(7), 6/7(5) e 6/4.

No ATP 500 de Tóquio foi o cabeça de chave número 1 do torneio, mas não conseguiu sequer passar da primeira rodada, pois amargou uma surpreendente derrota diante do convidado da casa Tatsuma Ito em sets diretos, com placar final de 5-7 e 2-6.

Já pelo Masters 1000 de Shanghai, apesar de ostentar a condição de cabeça de chave número 4 do torneio chinês, não conseguiu sequer passar da estreia e acabou surpreendido pelo francês Gilles Simon, perdendo de virada pelo placar final de 7-5, 5-7 e 4-6.

Jogando em casa, pelo ATP 500 da Basileia na Suíça, wawrinka caiu na estreia diante do cazaque Mikhail Kukushkin, que vinha embalado por uma boa campanha no ATP de Moscou. Em um jogo que ficou paralisado ainda no início por conta de uma queda de energia no ginásio, o suíço passou por altos e baixos e acabou eliminado do torneio pelo placar de 6/4, 6/7 (7-1) e 6/3 em 2h13 de jogo.

Depois de perder três estreias seguidas, o suíço Stan Wawrinka finalmente reencontrou o caminho das vitórias. Pois na estreia do Masters 1000 de Paris ele levou a melhor para cima do jovem austríaco Dominic Thiem em apertados dois sets, com placar final de 6/4 e 7/6 (8-6). Mas nas oitavas, o suíço então número 4 do mundo acabou derrotado, perdendo de virada para o sul-africano Kevin Anderson pelo placar final de 7/6 (7-2), 5/7 e 6/7 (3-7), em 2 horas e 50 minutos de batalha.

Pelo ATP World Tour Finals de 2014, em Londres, Wawrinka ficou em segundo lugar no grupo A, com duas vitórias sobre (Tomáš Berdych e Marin Čilić) e uma derrota para (Novak Djokovic). Na semifinal ele enfrentou o compatriota Roger Federer, que passou como primeiro do grupo B. E após uma batalha de 2 horas e 48 minutos de partida, o suíço Roger Federer salvou quatro match-points, aproveitou a única chance no jogo e derrotou Wawrinka por 2 sets a 1, parciais de 6-4, 5-7 e 6-7 (6/8).

No final de novembro, Wawrinka levou seu país, que é a Suíça, ao título da Copa Davis, junto com Roger Federer, Marco Chiudinelli e Michael Lammer ao derrotar a França na decisão por 3 a 1.

No final do ano, em preparação para a temporada 2015 e sem a pressão de jogar pelo resultado, Stan Wawrinka e Roger Federer jogaram uma partida de exibição em Zurique. Intitulado como "Jogo pela África 2", a partida teve a renda revertida para a Fundação Roger Federer que atua em seis países do continente africano, além de auxiliar crianças também na Suíça. Em quadra, o jogo terminou com vitória de Roger Federer por 6/7 (4-7) e 4/6.

2015[editar | editar código-fonte]

Antes de jogar sua primeira competição oficial em 2015, o suíço participou de um torneio amistoso em Abu Dhabi, ao lado de Novak Djokovic, Rafael Nadal, Andy Murray, Nicolás Almagro e Feliciano López. Lá, ele venceu Almagro na estreia e acabou derrotado na sequência por Djokovic e Nadal.

Stan Wawrinka iniciou sua temporada em busca do tricampeonato do ATP 250 de Chennai. E ele estreou no torneio indiano com uma boa vitória por 6-4 e 6-1 sobre o tenista revelação de 2014, o croata Borna Coric. Logo depois, em jogo válido pelas quartas de final, ele derrotou o experiente luxemburguês Gilles Müller pelo placar de 6-2 e 7-6 (7/4). Na semifinal, ele superou o belga David Goffin em sets diretos e placar final de 7/5 e 6/3. Já na decisão do torneio disputado na Índia, Wawrinka venceu o esloveno Aljaz Bedene por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4. Esse foi seu terceiro título de simples no ATP 250 de Chennai, já que também foi campeão em 2011 e 2014.

Em seguida, o suíço Stan Wawrinka disputou o Aberto da Austrália como 4° cabeça de chave do torneio. E ele estreou com vitória fácil no Grand Slam Australiano, pois arrasou o turco Marsel Ilhan por 3 sets a 0 e parciais de 6-1, 6-4 e 6-2. Na segunda rodada, ele teve um pouco mais de trabalho, mas conseguiu avançar, após bater o romeno Marius Copil por 3 sets a 0 e parciais de 7-6 (7/4), 7-6 (7/4) e 6-3. Pela terceira rodada, ele superou o finlandês Jarkko Nieminen, por 3 sets a 0, com parciais de 6-4, 6-2 e 6-4. Pelas oitavas de final, ele superou o espanhol Guillermo García-López, por 3 sets a 1, parciais de 7-6(2), 6-4, 4-6 e 7-6(8) em uma partida que teve 3 horas e 02 minutos de duração. Nas quartas de final, o suíço jogou um tênis de altíssimo nível, com uma combinação de saques potentes, voleios precisos e um backhand calibradíssimo. E assim, ele passou sem dificuldades pelo japonês Kei Nishikori por 3 sets a 0, parciais de 6-3, 6-4 e 7-6 (8/6). Já na próxima partida, pela semifinal, ele foi superado pelo sérvio Novak Djokovic. Stan Wawrinka jogou durante 3 horas e 30 minutos e perdeu pelo placar de 3 sets a 2, com parciais de 7/6 (7-1), 3/6, 6/4, 6/4 e 6/0.

Em fevereiro, foi quarto cabeça de chave no ATP 500 de Roterdã. E Stan Wawrinka teve trabalho para confirmar seu favoritismo na estreia do torneio em quadras duras e cobertas. O suíço, então oitavo colocado do ranking mundial masculino, precisou de três sets para vencer o holandês Jesse Huta Galung, então 248º lugar do ranking, por 6/3, 3/6 e 6/3. Nas oitavas de final, o suíço venceu o espanhol Guillermo García-López, de virada, pelas parciais de 6/7 (2), 6/4 e 6/2. Pelas quartas de final, ele eliminou o luxemburguês Gilles Muller por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (3) e 6/3. Na partida seguinte, válida pela semifinal, ele garantiu sua vaga na decisão do torneio ao vencer o canadense Milos Raonic em dois tiebreaks por 7/6 (7-3) e 7/6 (9-7). Já na final, com uma grande virada, o suíço derrubou o tcheco Tomas Berdych e seu poderoso saque para ficar com o título do ATP 500 de Roterdã, na Holanda. O suíço Stan Wawrinka, então número 8 do ranking mundial, derrotou Berdych por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/3 e 6/4. Esse foi seu segundo título do ano e o nono troféu de nível ATP na carreira.

Na semana seguinte, Stan Wawrinka estreiou no ATP 250 de Marselha, na França, contra um de seus melhores amigos no circuito. Vindo de título em Roterdã, o suíço jogou contra o francês Benoit Paire e venceu em sets diretos por 6/2 e 6/3 em rápidos 58 minutos de partida. Mas, depois ele foi surpreendido nas quartas de final da competição francesa, pois o suíço não fez valer o favoritismo e se despediu do torneio em um duelo de três sets. Ele caiu diante do ucraniano Sergiy Stakhovsky, por 6/4, 3/6 e 6/4.

Em março, o suíço Stan Wawrinka esteve em um dia irreconhecível em sua estreia no Masters 1000 de Indian Wells nos Estados Unidos. Então número 7 do mundo, ele decepcionou e caiu diante do holandês Robin Haase, então 104º do mundo, com parciais de 6/3, 3/6 e 6/3.

Após ser surpreendido na estreia em Indian Wells, Wawrinka, então número 8 do mundo, voltou a mostrar um jogo inconstante em sua estreia no Masters 1000 de Miami, mas mesmo assim conseguiu sair vitorioso diante do argentino Carlos Berlocq, então 68º do mundo, pelas parciais de 6/7(9), 7/5 e 6/2, e após 2 horas e 50 minutos de jogo. Em seguida, não conseguiu avançar as oitavas do Masters 1000 de Miami, pois foi eliminado pelo canhoto francês Adrian Mannarino, então 32º do ranking e que até aquele momento jamais havia batido um tenista top 10 na carreira. A vitória do francês foi construída em dois tiebreaks, com parciais de 7/6(4) e 7/6(5).

Conquistas[editar | editar código-fonte]

Grand Slam[editar | editar código-fonte]

Títulos (1)

Ano Campeonato Oponente na final Resultado na final
Open da Austrália de 2014 Austrália Open da Austrália Espanha Rafael Nadal 6-3, 6-2, 3-6, 6-3

ATP World Tour Masters 1000 Finais[editar | editar código-fonte]

Finais (3)

Posição Ano Campeonato Piso Oponente na final Placar da final
Vice 2008 Roma saibro Sérvia Novak Djokovic 6–4, 3–6, 3–6
Vice 2013 Madrid saibro Espanha Rafael Nadal 2–6, 4–6
Campeão 2014 Monte Carlo saibro Suíça Roger Federer 4-6, 7-6(5), 6-2)

ATP Simples[editar | editar código-fonte]

Simples:[editar | editar código-fonte]

Vitórias (7)
Legenda (Simples)
Grand Slam (1)
Tennis Masters Cup /
ATP World Tour Finals (0)
ATP Masters Series /
ATP World Tour Masters 1000 (1)
ATP International Series Gold /
ATP World Tour 500 Series (0)
ATP International Series /
ATP World Tour 250 Series (5)
Títulos por piso
Duro (2)
Saibro (3)
Grama (0)
Carpete (0)
Vice (9)
Legenda (Simples)
Grand Slam (0)
Tennis Masters Cup /
ATP World Tour Finals (0)
ATP Masters Series /
ATP World Tour Masters 1000 (2)
ATP International Series Gold /
ATP World Tour 500 Series (0)
ATP International Series /
ATP World Tour 250 Series (7)
Títulos por Piso
Duro (3)
Saibro (3)
Grama (0)
Carpete (0)
Posição N. Data Torneio Piso Oponente na final Placar da final
Vice 1. 4 Julho 2005 Gstaad, Suíça Saibro Argentina Gastón Gaudio 6–4, 6–4
Campeão 2. 24 Julho 2006 Umag, Croácia Saibro Sérvia Novak Djokovic 6–6, ret.
Vice 3. 22 Julho 2007 Stuttgart, Alemanha Saibro Espanha Rafael Nadal 6–4, 7–5
Vice 4. 14 Outubro 2007 Viena, Austria Duro (i) Sérvia Novak Djokovic 6–4, 6–0
Vice 5. 5 Janeiro 2008 Doha, Qatar Duro Reino Unido Andy Murray 6–4, 4–6, 6–2
Vice 6. 11 Maio 2008 Roma, Itália Saibro Sérvia Novak Djokovic 4–6, 6–3, 6–3
Vice 7. 4 Janeiro 2010 Chennai, India Duro Croácia Marin Čilić 7–6(2), 7–6(3)
Campeão 8. 11 April 2010 Casablanca, Marrocos Saibro Roménia Victor Hănescu 6–2, 6–3
Campeão 9. 9 de Janeiro de 2011 Chennai, Índia Dura Bélgica Xavier Malisse 7-5, 4-6, 6-1
Vice 10. 12 de Maio de 2013 Madrid, Espanha Saibro Espanha Rafael Nadal 2-6, 4-6
Campeão 11. 26 de Janeiro de 2014 Aberto da Austrália Dura Espanha Rafael Nadal 6-3, 6-2, 3-6, 6-3

Duplas:[editar | editar código-fonte]

Vitórias (2)

Posição N. Data Torneio Piso Parceiro Oponentes na final Placar da final
Campeão 1. 16 Agosto 2008 Jogos Olímpicos, Pequim Duro Suíça Roger Federer Suécia Simon Aspelin
Suécia Thomas Johansson
6–3, 6–4, 6–7(4), 6–3
Vice (4)
Posição N. Data Torneio Piso Parceiro Oponentes na final Placar da final
Vice 1. 11 Julho 2004 Gstaad, Suíça Saibro Suíça Marc Rosset Índia Leander Paes
República Checa David Rikl
6–4, 6–2
Vice 2. 7 Julho 2008 Gstaad, Suíça Saibro Suíça Stéphane Bohli República Checa Jaroslav Levinský
Eslováquia Filip Polášek
3–6, 6–2, 11–9
Vice 3. 11 Janeiro 2009 Chennai, India Duro Suíça Jean-Claude Scherrer Estados Unidos Eric Butorac
Estados Unidos Rajeev Ram
6–3, 6–4

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

O sobrenome Wawrinka é do avô paterno que se radicou na Suíça após deixar a então Checoslováquia em 1946. O pai de Stan, Wolfram Wawrinka, é um produtor rural e assistente social e sua mãe, Isabelle, é uma ex-educadora que assumiu a gerência da fazenda da família, "Ferme du Chateau", próxima a Lausana. A fazenda além de produzir produtos agrícolas ajuda a recuperar pessoas com depressão e drogadição, seja de álcool ou substancias narcóticas[4] .

Referências

  1. Todos os jogos profissionais da carreira de Wawrinka
  2. BBC SPORT.
  3. Wawrinka exorciza 'fantasma' Nadal e conquista o Australian Open
  4. Michael Wehrle, "Stanislas Wawrinka: Der scheue Junge vom Bauernhof in Saint-Barthélemy" (Stan Wawrinka: The shy boy from the farm in Saint-Barthelemy), Basellandschaftliche Zeitung AG, 27 January 2014. Retrieved 29 January 2014.

Ligações externas e internas[editar | editar código-fonte]