As Quatro Estações (álbum de Legião Urbana)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
As Quatro Estações
Álbum de estúdio de Legião Urbana
Lançamento 26 de outubro de 1989 (1989-10-26)
Gravação Julho de 1988—Agosto de 1989
Gênero(s)
Duração 46:27
Idioma(s)
Formato(s)
Gravadora(s) EMI
Produção Mayrton Bahia
Cronologia de Legião Urbana
Que País É Este
(1987)
V
(1991)
Singles de As Quatro Estações
  1. "Há Tempos"
    Lançamento: 1989
  2. "Pais E Filhos"
    Lançamento: 1989
  3. "1965 (Duas Tribos)"
    Lançamento: 1989

As Quatro Estações é o quarto álbum de estúdio da banda de rock brasileira Legião Urbana, lançado em 1989. Foram vendidos mais de 2,6 milhões de cópias, sendo o disco mais vendido da banda.[1] O álbum cristalizou a formação que perduraria até o fim da mesma, após a saída do baixista Renato Rocha, por seu não comprometimento com o grupo.[2] A partir da turnê deste álbum, Renato, Dado e Bonfá passaram a contar com três músicos de apoio: Fred Nascimento (guitarra rítmica e violão), Bruno Araújo (baixo elétrico) e o produtor musical Mu Carvalho (teclados).

Contexto e produção[editar | editar código-fonte]

Saída de Renato Rocha[editar | editar código-fonte]

A Legião Urbana voltou aos estúdios prestes a atingir a marca de um milhão de cópias vendidas, levando em conta as vendagens de seus três primeiros discos. Apesar disso, o clima entre os membros era amargo, não só devido ao então recente incidente no Estádio Mané Garrincha, mas também porque a siuação do baixista Renato Rocha ia se tornando cada vez mais insustentável. Após comprar um sítio em Mendes, ele passou a levar cerca de duas horas para chegar ao estúdio no Rio de Janeiro. Faltava a muitos ensaios e, quando vinha, demorava a se integrar com o grupo, muitas vezes pedindo para levar as fitas para casa de modo a criar seus arranjos lá. Seis meses após o início da criação do disco, Renato foi demitido em uma reunião na sede da gravadora EMI-Odeon. Apesar disso, os membros remanescentes decidiram que ele receberia todos os direitos sobre o novo disco.[3]

Escrita e composição[editar | editar código-fonte]

O álbum levou um ano para ficar pronto, devido ao fato da banda não conseguir criar algo que a satisfizesse. A situação chegou a tal ponto que o vocalista e violonista Renato Russo considerou encerrar o grupo. Contudo, devido ao fato de gozarem de uma alta reputação na gravadora, a empresa lhes cedeu todo o espaço e tempo necessários para a concretização do produto. O único que saiu prejudicado pela demora foi o produtor Mayrton Bahia. Na época, ele atuava como freelancer, e não mais como funcionário da gravadora. Passou meses, portanto, trabalhando em um projeto que nunca terminava, o que o impedia de receber seu pagamento.[4]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Na letra de "1965 (Duas Tribos)", Renato cita "modelos Revell". Revell é uma empresa fabricante de peças em miniatura para montagem de réplicas. Também é citado na letra o estúdio de animação Hanna-Barbera, criador de desenhos como Os Flintstones, Zé Colméia, entre outros.[5]

A canção "Feedback Song for a Dying Friend" é uma homenagem a Robert Mapplethorpe, um ex-fotógrafo americano, a alguns amigos e a Cazuza, que sofria de Aids, doença que viria a matá-lo em 1990 e a Russo em 1996. O encarte do disco traz uma tradução da letra. Originalmente, deveria ser uma canção em português, intitulada "Rapazes Católicos". A letra, entretanto, foi reprovada e alterada para a versão em inglês conhecida hoje, uma vez que a original foi considerada pela própria banda como "impublicável".[6] Da ideia original, sobrou apenas a base instrumental.[5] De qualquer forma, o encarte traz uma tradução feita para o português por Millôr Fernandes.[5] Achando estranho, inicialmente Millôr Fernandes negou traduzir dizendo que não fazia traduções para o inglês, foi então que soube que era traduzir uma música que ele tinha feito em inglês para o português e resolveu traduzir depois de combinar um preço "altamente profissional". Millôr Fernandes achou mais estranho após ler a letra e verificar que foi tão bem escrita no inglês e que Renato Russo conversava em inglês perfeito e citava Shakespeare com certa precisão. Millôr Fernandes é considerado o maior tradutor de Shakespeare para o teatro.[7]

"Pais e Filhos" nasceu, segundo Mayrton, com várias camadas de guitarra e sons que "sobravam", como se fossem várias músicas dentro de uma só. Para resolver a questão, ele voltou a recortar e colar pedaços de fitas com adesivos.[8] Sua letra fala de suicídio. Em 1994, durante uma apresentação da banda no programa Programa Livre, do SBT, Renato Russo desabafou ao ver a reação alegre da plateia ao anúncio de que iriam tocá-la:[9]

Foi através de "Meninos e Meninas" que Renato Russo sugeriu pela segunda vez a sua bissexualidade[1][10] (sendo a primeira em "Daniel na Cova dos leões" do álbum Dois[carece de fontes?]).

Neste disco há as três músicas com os maiores títulos: "Feedback Song for a Dying Friend" (27 letras), "Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar" (30 letras) e "Quando o Sol Bater na Janela do Seu Quarto" (34 letras).

Com 2,6 milhões de cópias vendidas, sendo 730 mil em seu primeiro ano de existência,[11] As Quatro Estações é considerado um dos mais bem sucedidos discos de rock já vendidos no Brasil. Seis das onze faixas tiveram bom desempenho nas rádios.[12]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as letras escritas por Renato Russo, todas as músicas compostas por Legião Urbana, exceto "Monte Castelo", por Renato Russo.

N.º Título Duração
1. "Há Tempos"   3:17
2. "Pais e Filhos"   5:08
3. "Feedback Song for a Dying Friend"   5:25
4. "Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto"   3:13
5. "Eu Era um Lobisomem Juvenil"   6:45
6. "1965 (Duas Tribos)"   3:44
7. "Monte Castelo"   3:50
8. "Maurício"   3:17
9. "Meninos e Meninas"   3:23
10. "Sete Cidades"   3:25
11. "Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar"   4:56

Formação[editar | editar código-fonte]

Vendas e certificações[editar | editar código-fonte]

País Certificação Vendas
 Brasil (Pro-Música Brasil)

Diamante

2.000.000+[1]

Notas e referências

  1. a b c «21 HISTÓRIAS E CURIOSIDADES SOBRE O LEGIÃO URBANA». Maiscuriosidade. Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  2. Pimentel, Luiz Cesar (2002). «ex-baixista da Legião Urbana, brutalmente honesto». Você Tem que Ler Isso!. R7. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  3. Fuscaldo (2016), pp. 58-60
  4. Fuscaldo (2016), pp. 60-61
  5. a b c Maggio, Sérgio (19 de janeiro de 2019). «10 curiosidades sobre o disco As Quatro Estações, da Legião Urbana». Metrópoles. Consultado em 20 de janeiro de 2019 
  6. Fuscaldo (2016), p. 64
  7. «**Millôr Online - Enfim um Escritor sem Estilo**». www2.uol.com.br. Consultado em 19 de setembro de 2017 
  8. Fuscaldo (2016), p. 62
  9. «Vídeo: O dia em que Renato Russo deu um sermão na plateia do Programa Livre». Sistema Brasileiro de Televisão. Grupo Silvio Santos. 20 de agosto de 2015. Consultado em 18 de setembro de 2015 
  10. Fuscaldo (2016), pp. 63-65
  11. Fuscaldo (2016), p. 65
  12. Fuscaldo (2016), p. 63
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Legião Urbana é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.