Lista de produtos e serviços extintos da Amazon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Askville)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta é a lista de produtos e serviços extintos da Amazon, a Amazon é um empresa americana de atuação global, que foca em comércio electrónico, computação em nuvem, streaming digital, inteligência artificial, entre outros. Fundada por Jeff Bezos em julho de 1994, sua sede localiza-se na cidade de Seattle, estado de Washington, EUA.


43 Things[editar | editar código-fonte]

Jeff Bezos em visita a Robot Co-op em 2005.

43 Things foi uma rede social criada como uma comunidade de metas online.[1] Em vez de criar ligações interpessoais explícitas (como visto no Orkut), foi construído nos princípios de etiquetas virtuais. Lançado em 1 de janeiro de 2005, pela Robot Co-op, uma pequena empresa sediada em Seattle fundada por Erik Benson, Daniel Spils, e Josh Petersen ex-funcionário Amazon.com e Microsoft.

Os usuários podiam criar contas para listar uma série de metas ou esperanças; estes objetivos passavam por análise léxica e eram ligados a outros objetivos, da comunidade, com palavras ou ideias semelhantes. Este conceito é também conhecido como folksonomia. Os usuários poderiam definir até 43 metas, e foram encorajados a explorar as listas de outros usuários e "estimulá-los" para alcançar seus objetivos.[2] O site recebeu algumas críticas, como as deficiências a seguir: não ter uma área central que contenha a documentação sobre o site, baseou fortemente em RSS, que é desconhecido por grande parte dos usuários;[3] além de críticas sólidas em relação à capacidade de resposta e, sobre a integração por sugestão ao usuário. Em 15 de agosto de 2014, 43things tornou-se disponível somente para leitura, e encerrou permanentemente em 1º de janeiro de 2015.


Askville[editar | editar código-fonte]

Askville foi um site de perguntas e respostas, lançado em dezembro de 2006 pela Amazon; o site foi projetado para rodar muito parecido como um jogo de computador, os usuários ganhariam ou perderiam "pontos de experiência" em tópicos específicos se suas respostas fossem boas. Os usuários também receberiam "ouro de busca" fazendo e respondendo perguntas, e votando sobre o valor das respostas de outras pessoas. Essas moedas eram resgatadas por itens em uma loja de Askville.[4]

O site entrou em testes beta em outubro de 2006 e, foi lançado ao público em novembro de 2007[5]. As perguntas eram de no máximo 120 caracteres, com um campo de descrição que permitia 1000 caracteres para a explicação completa da questão. As perguntas foram marcadas para pesquisa baseada em tags. As perguntas foram associadas a 2 dos 6 tópicos abordados pelo site.[6] Em agosto de 2008, membros da comunidade de Askville reclamaram da falta de moderação e participação dos administradores do site. Em resposta, Askville nomeou um gerente comunitário para rastrear e lidar com o feedback dos usuários, e a gestão do site se comprometeu a aplicar de forma mais eficaz suas políticas. O sistema de votação passou por uma grande revisão, incluindo a adição de votação anônima.

Em 23 de março de 2012, a equipe anunciou que, após quase sete anos, as perguntas do Askville deixariam de ser oferecidas na Amazon Mechanical Turk no início de abril de 2012 devido a uma mudança nas estratégias operacionais. Em 13 de abril de 2012, a equipe de Askville postou um "Adeus da Equipe Askville". Em 25 de outubro de 2013, o site "askville.com" foi encerrado. O conteúdo histórico de Askville foi acessível em askville.amazon.com até o início de 2016.


Amapedia[editar | editar código-fonte]

Amapedia foi uma wiki dirigida pelo varejista Amazon.com, que existiu de janeiro de 2007 a junho de 2010, onde os usuários podiam editar artigos sobre os produtos da Amazon[7]. Qualquer pessoa com uma conta na Amazon.com poderia editar o conteúdo da Amapedia.

O nome de domínio amapedia.com foi registrado em 2005. Jonah Cohen, um programador que trabalhou no projeto nos verões de 2005 e 2006, descreveu-o como um "site de produtos inspirado na Wikipédia" em seu currículo, disse que foi desenvolvido com PHP e PostgreSQL.[8] A wiki foi lançada em meados de 2006 como "ProductWiki", então renomeada para Amapedia no início de 2007. [9]

A edição foi feita usando uma interface WYSIWYG, havia um editor de mesa separado. Páginas individuais de produtos em Amazon.com continham o texto: "Seja a primeira pessoa a adicionar um artigo sobre este item em Amapedia.com" se não existisse nenhum artigo sobre o produto. A Amazon retém os direitos autorais do conteúdo do site e licenciou a compilação apenas para uso pessoal.[10] Mesmo após o fechamento da Amapedia, uma página Amazon.com ainda se referia à wiki como "ProductWiki", a Amapedia não tinha relação com o site productwiki.com.[11]


Diapers.com[editar | editar código-fonte]

Diapers.com
Atividade E-commerce
Fundação 2005
Fundador(es) Marc Lore e Vinit Bharara
Encerramento 2017
Sede Montclair, Nova Jérsia
Área(s) servida(s) Estados Unidos e, mais 67 países.
Proprietário(s) Amazon.com
Pessoas-chave Emilie Arel Scott, Randy Greben, Jennifer Clarke, Mike Scelzo, Cate Khan, David Czehut e Arlene Hong.
Produtos Varejo voltado a consumo de crianças
Significado da sigla Fraldas (em inglês)
Website oficial Diapers.com

Diapers.com foi uma varejista virtual especializado em produtos para bebês; foi fundada por Marc Lore e Vinit Bharara, no ano de 2005 em Montclair, Nova Jersey. Inicialmente denominada 1800DIAPERS, no lançamento, a empresa vendia materiais de consumo voltados para mães com filhos de até 3 anos, como fraldas, lenços umedecidos e fórmula. Em seu primeiro ano, a empresa vendeu US$ 2,5 milhões.[12] O site usou robôs Kiva para automação de armazém e uma combinação de entrega, através das empresas de frete UPS Ground e FedEx.

No final de 2008, Diapers.com expandiu sua seleção de produtos para bebês, incluindo, roupas, assentos de carro, carrinhos de bebê e brinquedos.[13] Originalmente criada como 1800Diapers em 2005, a empresa mais tarde se tornou Diapers.com e expandiu-se para incluir o site Soap.com, bem como outros sites; mudou seu nome para Quidsi Inc. em 2009.[14] A Amazon.com adquiriu a Quidsi, Inc. por US $ 545 milhões em 8 de novembro de 2010, a sede da empresa estava localizada no Exchange Place em Jersey City, Nova Jersey. No entanto, continuou a operar de forma independente e seguir um modelo de integração semelhante ao que a Amazon usa com Zappos.com até abril de 2017.[15]

Em março de 2017, a Amazon.com anunciou o desligamento de Diapers.com e de todos os outros sites da Quidsi Inc., a partir de 19 de abril de 2017, devido à falta de rentabilidade.[16] Em 20 de abril de 2017, Quidisi.com, Diapers.com, Soap.com, Wag.com, BeautyBar.com, Casa.com e YoYo.com foram redirecionados para o site Amazon.com, e suas respectivas URLs foram desativadas.


Endless[editar | editar código-fonte]

Endless.com foi um site de e-commerce americano de propriedade da Amazon, focado exclusivamente em sapatos e acessórios. O site Endless.com foi criado em dezembro de 2007 pela Amazon como sua primeira marca de e-commerce separada. Foi lançado sites no Japão, Reino Unido, França e Alemanha espelhando os negócios da Endless.com sob o nome Javari[17]. Foi anunciado em 22 de julho de 2009 que a Amazon compraria a varejista de calçados online Zappos por US$ 940 milhões em um negócio de ações e dinheiro[18]. A Amazon encerrou Endless.com em 27 de setembro de 2012 e direcionou seus clientes para Amazon.com/Fashion.[19]


Lexcycle[editar | editar código-fonte]

Lexcycle foi uma empresa de comércio virtual que desenvolveu software para leitura de livros eletrônicos. Eles foram responsáveis por Stanza, que decorreu nas plataformas de, iPhone, iPod Touch, Microsoft Windows e Apple Macintosh. Em abril de 2009, Lexcycle foi adquirida pela Amazon.com.[20][21][22][23] Em 2012, a Amazon.com removeu Stanza de todas as lojas de aplicativos.[24]


Shelfari[editar | editar código-fonte]

Shelfari
Razão social Shelfari
Slogan read.share.explore
ler.compartilhar.explorar
Atividade Comunidade online de leitores.
Fundação 11 de outubro de 2006 (13 anos)
Encerramento Junho de 2016
Sede Seattle, Washington
Proprietário(s) Amazon.com
Sucessora(s) Goodreads
Website oficial Shelfari

Shelfari foi uma rede social virtual voltada a catalogação de livros, lançado em 11 de outubro de 2006[25], em fevereiro de 2007, a Amazon.com investiu 1 milhão de dólares no site,[26] e adquiriu-o em agosto de 2008.[27] Foi fundido com o site Goodreads pela Amazon.com.[28] Usuários do Shelfari podiam construir estantes virtuais dos títulos que possuem ou tenham lido, avaliar e, discutir seus livros, os usuários também podiam criar grupos onde outros membros podiam participar, criar discussões e falar sobre livros ou outros tópicos; recomendações de leitura podiam ser enviadas para amigos no site.

Em janeiro de 2016, o site hospedava uma notificação de anuncio "Shelfari se fundirá com Goodreads".[29] Em junho de 2016, o site é encerrado (todos os links redirecionados para Goodreads). Apesar da menção de uma fusão, os usuários se queixaram que as características mais importantes do Shelfari não foram fundidas (principalmente o sistema de comentários não permitir discussões detalhadas de livros e, informações básicas sobre os personagens principais, terem sido descartadas).[30]


Referências

  1. (em inglês) «43Things API Profile». programmableweb.com. 2012 
  2. (em inglês) «43things.com Site Info». Alexa Internet. 2014 
  3. (em inglês) «43 Things: A Community Study». mchabib.com. 2014 
  4. Rick Broida. «Get answers from Askville». Lifehacker.com  (em inglês)
  5. Sherman, Erik. «Is Amazon Resurrecting Questville, Its Q&A Online Game Concept?». CBS News  (em inglês)
  6. Pete Cashmore. «Amazon Launches Askville, Mysterious Questville Service Coming». Mashable.com  (em inglês)
  7. Scott Gilbertson, "Amazon Wikis On The Moon", Wired magazine (blog), January 26, 2007 (em inglês)
  8. "Jonah Cohen" (resume) (pdf)Arquivado em 2006-09-18 no Wayback Machine., retrieved February 29, 2008(em inglês)
  9. Steve Weber, "Amazon relaunches ProductWikis as Amapedia" Arquivado em 2008-03-05 no Wayback Machine., weberbooks.com blog, February 4, 2007, retrieved February 29, 2008(em inglês)
  10. Amapedia: Terms of Service(em inglês)
  11. "Help > Enhancing Your Shopping Experience > Our Site Features > Product Wiki", amazon.com page, retrieved December 20, 2010](em inglês)
  12. Coster, Helen. «Diapers.com Rocks Online Retailing». forbes.com  (em inglês)
  13. "Diapers.com | About Us - Archived Link " (em inglês)
  14. Mohan, Pavithra (8 de agosto de 2016). «What you should know about Jet CEO Marc Lore». Fast Company (em inglês). Consultado em 22 de fevereiro de 2019  (em inglês)
  15. «Confirmed: Amazon Spends $545 Million On Diapers.com Parent Quidsi». TechCrunch (em inglês). Consultado em 22 de fevereiro de 2019  (em inglês)
  16. «Quidsi FAQ». amazon.com  (em inglês)
  17. FT.com, Amazon launches accessories brand in Japan, Financial Times, (em inglês)
  18. McCarthy, Caroline. «Amazon to snap up Zappos». CNet News  (em inglês)
  19. Barr, Alistair. «Amazon.com Inc is closing its fashion website endless.com as the world's largest Internet retailer focuses on a new, upgraded apparel and accessories section of its main website.». Reuters  (em inglês)
  20. Stone, Brad (27 de abril de 2009). «Amazon Acquires Stanza, an E-Book Application for the iPhone». New York Times. Consultado em 27 de abril de 2009 
  21. Kharif, Olga (27 de abril de 2009). «Amazon Acquires Lexcycle». BusinessWeek. Consultado em 27 de abril de 2009 
  22. Dalrymple, Jim (27 de abril de 2009). «Amazon Acquires Lexcycle». PC World. Consultado em 27 de abril de 2009 
  23. Foresman, Chris (28 de abril de 2009). «Amazon.com acquires e-book software maker Lexcycle». Ars Technica. Consultado em 28 de abril de 2009 
  24. http://librarycity.org/?p=2461
  25. Cook, John (11 de outubro de 2006). «Shelfari an online meeting place for bibliophiles». Seattle PI (em inglês). Consultado em 1 de junho de 2007 
  26. Arrington, Michael (25 de fevereiro de 2006). «Social Networking for Bookworms». TechCrunch (em inglês). Consultado em 1 de junho de 2007 
  27. Kincaid, Jason (25 de agosto de 2008). «Amazon Acquires Shelfari: Moves To Corner Book-Centric Social Networks». TechCrunch (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2008 
  28. «Shelfari Closed» (em inglês). 26 de junho de 2016. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  29. jenp27 (12 de janeiro de 2016). «Amazon Kills Shelfari». The Reader's Room (em inglês) 
  30. «Goodreads Feedback: Shelfari Merger». Goodreads (em inglês). 2 de junho de 2016