Faça-você-mesmo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de DIY ética)
Ir para: navegação, pesquisa

Faça-você-mesmo[1][2] (em inglês: do it yourself, DIY) é o método de construção, modificação ou reparação das coisas sem a ajuda direta de especialistas ou profissionais.

O termo tem sido associado com os consumidores, pelo menos desde 1912, principalmente no domínio das atividades de melhoramento ou manutenção da casa.[3] A frase "do-it-yourself" entrou em uso comum no inglês culto na década de 1950,[4] em referência ao surgimento de uma tendência das pessoas a realização de melhoramento da casa e vários outros projetos de artesanato e construção como ambos uma atividade criativa, recreativa e de redução de custos.

Posteriormente, o termo DIY assumiu um significado mais amplo que abrange uma vasta gama de conjuntos de habilidades. DIY é associado com o internacional nas cenas musicais de rock alternativo, punk rock[5] e indie rock, redes indymedia, estações de rádio pirata, e comunidades de zines.[6]

Subculturas[editar | editar código-fonte]

Os termos "DIY" e "do-it-yourself" também são usados para descrever:

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Faça-você-mesmo

Referências

  1. Martins, Eduardo (2006). Uso do hífen. [S.l.]: Manole. ISBN 9788520424575 
  2. Strayed, Cheryl (4 de abril de 2013). Livre: A jornada de uma mulher em busca do recomeço. [S.l.]: Objetiva. ISBN 9788539004829 
  3. Gelber (1997). Do-It-Yourself: Construction, Repairing and Maintaining Domestic Masculinity. American Quarterly. doi:10.1353/aq.1997.0007
  4. McKellar, S.; Sparke, P. (eds.). Interior Design and Identity.
  5. «O que foi o movimento punk?». Mundo Estranho 
  6. Estadão. «Movimento Maker | Estadão»