Eric Wieschaus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eric Wieschaus
Nascimento 8 de junho de 1947 (74 anos)
South Bend, Indiana
Nacionalidade estadunidense
Alma mater Universidade de Notre Dame
Universidade Yale
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1995)
Instituições Universidade de Princeton
Robert Wood Johnson Medical School
Campo(s) biologia

Eric Francis Wieschaus (South Bend, 8 de junho de 1947) é um biologista estadunidense.

Foi agraciado, junto com o seu conterrâneo Edward Bok Lewis e a bióloga alemã Christiane Nüsslein-Volhard com o Nobel de Medicina de 1995, por demonstrar que todas as faculdades das células são formadas, em última instância, por seu fator hereditário.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Nascido em South Bend, Indiana, ele estudou na John Carroll Catholic High School em Birmingham, Alabama, antes de frequentar a Universidade de Notre Dame para seus estudos de graduação (BS, biologia) e a Universidade de Yale (Ph.D., biologia) para seu trabalho de pós-graduação.

Carreira científica[editar | editar código-fonte]

Drosophila Melanogaster , o objeto da ciência de Wieschaus

Em 1978, ele mudou-se para seu primeiro trabalho independente, no European Molecular Biology Laboratory em Heidelberg, Alemanha , e mudou-se de Heidelberg para a Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, em 1981.[1][2]

Grande parte de sua pesquisa se concentrou na embriogênese na mosca da fruta Drosophila melanogaster, especificamente na padronização que ocorre no embrião inicial da Drosophila . A maioria dos produtos gênicos usados ​​pelo embrião nesses estágios já estão presentes no ovo não fertilizado e foram produzidos pela transcrição materna durante a oogênese. Um pequeno número de produtos gênicos, entretanto, é fornecido pela transcrição no próprio embrião. Ele se concentrou nesses "zigoticamente" genes ativos porque ele acredita que o padrão temporal e espacial de sua transcrição pode fornecer os gatilhos que controlam a sequência normal do desenvolvimento embrionário. A saturação de todas as mutações possíveis em cada cromossomo por eventos aleatórios para testar a letalidade embrionária foi feita por Eric Wieschaus.[3] Este corpo de ciência acabou sendo denominado Heidelberg screen.[2][4]

Em 1995, ele recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina com Edward B. Lewis e Christiane Nüsslein-Volhard como co-recipientes, por seu trabalho revelando o controle genético do desenvolvimento embrionário.[5][6][7][8]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1995». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 8 de junho de 2021 
  2. a b Wieschaus, E.; Nüsslein-Volhard, C. (2016). «The Heidelberg Screen for Pattern Mutants of Drosophila: A Personal Account». Annual Review of Cell and Developmental Biology. 32: 1–46. PMID 27501451. doi:10.1146/annurev-cellbio-113015-023138 
  3. Connor, S. (1995), «Nobel prize given for work on fruit flies» (publicado em 21 de outubro de 1995), BMJ, 311 (7012), PMC 2551360Acessível livremente, PMID 7580653, doi:10.1136/bmj.311.7012.1044 
  4. St Johnston, D. (2002). «The art and design of genetic screens: Drosophila melanogaster». Nature Reviews. Genetics. 3 (3): 176–88. PMID 11972155. doi:10.1038/nrg751 
  5. Gruenbaum, J. (1996), «[Nobel prize winners in medicine—1995]» (publicado em 2 de junho de 1996), Harefuah, 130 (11), pp. 746–748, PMID 8794677 
  6. Blum, H. E. (1995), «[The 1995 Nobel Prize for medicine]» (publicado em 22 de dezembro de 1995), Dtsch. Med. Wochenschr., 120 (51–52), pp. 1797–800, PMID 8549267, doi:10.1055/s-0029-1234219 
  7. Molven, A. (1995), «1995 Nobel Prize in physiology and medicine. The mystery of fetal development» (publicado em 10 de dezembro de 1995), Tidsskr. Nor. Laegeforen., 115 (30), pp. 3712–3, PMID 8539733 
  8. Cohen, B. (1995), «Nobel committee rewards pioneers of development studies in fruitflies» (publicado em 12 de outubro de 1995), Nature, 377, Bibcode:1995Natur.377..465C, doi:10.1038/377465a0 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Alfred Gilman e Martin Rodbell
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1995
com Edward Lewis e Christiane Nüsslein-Volhard
Sucedido por
Peter Doherty e Rolf Zinkernagel


Ícone de esboço Este artigo sobre medicina é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.