Grand Army Plaza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grand Army Plaza
Manhattan, Nova York,  Estados Unidos
Placas de identificação das ruas
Tipo Interseção/Praça
Inauguração 1916
Início 58th Street
Cruzamentos 59th Street
Fim 60th Street
Lugares que atravessa Plaza Hotel
Central Park Sul

O Grand Army Plaza fica entre a 58th Street e a 60th Street, a oeste da Quinta Avenida e a leste da East Drive. É dividido pelo Central Park Sul. A praça é delimitada ao norte pela Scholars Gate, uma vez que é uma das duas principais entradas para os vagões de carruagem do Central Park; a oeste pelo famoso Plaza Hotel; ao sul pela loja de departamentos Bergdorf Goodman, anteriormente o local da Casa de Cornelius Vanderbilt II, que outrora foi uma das maiores mansões da Era Dourada dos Estados Unidos.

A peça central da metade norte da praça (esculpida no canto sudeste do Central Park), é a estátua equestre de William Tecumseh Sherman esculpida por Augustus Saint-Gaudens,[1] enquanto a característica principal da metade sul da praça é a Fonte Pulitzer, que conta com uma estátua de bronze da deusa romana Pomona esculpida por Karl Bitter.

A ideia para um tratamento unificado da praça foi proposta pela primeira vez por Bitter em 1898. O layout atual foi projetado pela empresa de arquitetura Beaux-Arts Carrère e Hastings e concluída em 1916. O Conselho de Vereadores da Cidade de Nova York o nomeou Grand Army Plaza em 1923.[2] em homenagem ao Exército do Potomac.[3]

Design de 1913[editar | editar código-fonte]

Região do Grand Army Plaza com a Quinta Avenida em 1898.

O editor de jornais Joseph Pulitzer morreu em 1911, tendo deixado US$ 50.000 para a criação de uma fonte memorial que deveria ser como a fonte Place de la Concorde, que fica em Paris, França.[4] Em dezembro de 1912, os executores da propriedade de Pulitzer anunciaram que a cidade de Nova York havia aprovado a localização proposta da fonte, na praça entre a 58th Street e a 60th Street, a oeste da Quinta Avenida, a mesma praça onde ficava o monumento equestre de Sherman.

Os executores convidaram cinco empresas de arquitetura a participar de uma competição para determinar o projeto da fonte e fornecer projetos para um "bom tratamento arquitetônico de toda a praça".[5] Em janeiro de 1913, cinco projetos foram exibidos na Biblioteca Pública de Nova York, incluindo o vencedor, que foi elaborado por Carrère e Hastings. O desenho do arquiteto Thomas Hasting colocou a fonte na metade sul da praça, enquanto o Monumento Sherman permaneceu na metade norte (mas mudou-se a quatro metros para o oeste para ficar simetricamente oposto à fonte). A construção da nova praça começou em 1915, e em novembro um jornal noticiou: "A fonte Pulitzer ... está agora acabada e borbulhando com a mais pura água de Croton", observando que o trabalho na parte norte da praça foi atrasado pela construção do metrô.[6]

Preservação e restauração[editar | editar código-fonte]

Vista da fonte Pulitzer no Grand Army Plaza.

Restauração de 1933-1935[editar | editar código-fonte]

Em 1933, Herbert, Joseph e Ralph, filhos de Joseph Pulitzer, doaram U $ 35.000 para a restauração da Fonte Pulitzer, a ser feita sob a supervisão do arquiteto Dan Everett Waid. A obra, adiada por problemas trabalhistas, foi concluída em junho de 1935.[7] Como parte do trabalho, a bacia de calcário foi reconstruída em mármore italiano, e a balaustrada de calcário da praça, as colunas que circundavam a fonte foram demolidas.[8]

Restauração 1985-1990[editar | editar código-fonte]

Em 26 de março de 1985, a Central Park Conservancy e a firma de arquitetura Buttrick White & Burtis apresentaram planos à Comissão de Preservação de Marcos para uma completa restauração da praça, incluindo a Fonte Pulitzer. Os planos exigiam a restauração da balaustrada e das colunas removidas nos reparos de 1935.[9] O trabalho foi concluído em junho de 1990, incluindo uma reconstrução da fonte, desta vez em granito. Planos para restaurar a balaustrada e colunas foram abandonados por conta de custos. De acordo com o The New York Times: "Durante anos, essa fonte apenas pingava e pingava, mas agora cascata, e isso faz toda a diferença, pois agora a Fonte Pulitzer tem um som".[10] O trabalho de restauração incluiu um re-douramento do Monumento Sherman.[11]

Restauração 2013[editar | editar código-fonte]

A praça foi renovada novamente em 2013, incluindo um re-douramento da estátua de William Tecumseh Sherman.[12]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Central Park Conservancy Grand Army Plaza
  2. Landmark Preservation Commission (23 de julho de 1974). «LP-0860» (PDF). NYC Landmark Designation Reports. Consultado em 12 de março de 2012. 
  3. «Grand Army Plaza». centralparknyc.org. Central Park Conservancy. Consultado em 12 de março de 2012. 
  4. Landmark Preservation Commission (23 de julho de 1974). «LP-0860» (PDF). NYC Landmark Designation Reports. Consultado em 12 de março de 2012. 
  5. The New York Times, December 22, 1912.
  6. Chicago Daily Tribune, November 7, 1915.
  7. The New York Times, June 14, 1935.
  8. The New York Times, May 8, 1935.
  9. The New York Times, March 27, 1985
  10. The New York Times, June 28, 1990
  11. The New York Times, June 28, 1990
  12. Dunlap, David (18 de junho de 2013). «It's General Sherman's Time to Shine, but Not Too Much». The New York Times. Consultado em 19 de maio de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grand Army Plaza