Central Park

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para Central Park, veja Central Park (desambiguação).
Central Park
Registro Nacional de Lugares Históricos
Distrito Histórico Nacional dos EUA
Central Park está localizado em: Nova Iorque (cidade)
Localização: Delimitado pela Central Park S., 5th Ave., Central Park W., 110th St., Manhattan
Flag of New York City.svg Nova Iorque
 Nova Iorque
 Estados Unidos
Coordenadas: 40° 46′ N 73° 58′ W
Superfície: 3,410 km²
Construído/Fundado: 1857 (159 anos)
Arquiteto: Frederick Law Olmsted, Calvert Vaux
Visitas: cerca de 37,5 milhões (anualmente) (em )
Administração: Central Park Conservancy
Adicionado ao NRHP: 15 de outubro de 1966 (49 anos)[1] [2]
Nomeado NHLD: 23 de maio de 1963 (53 anos)[3] [4] [5]
Registro NRHP: 66000538

O Central Park (em português: Parque Central) é um grande parque dentro da cidade de Nova York. Possui uma área de 843 acres (341 ha) e está localizado no distrito de Manhattan. Foi inaugurado em 1857 com 778 acres (315 ha), e é considerado, por muitos nova-iorquinos, um oásis dentro da grande floresta de arranha-céus existente na região. É um lugar onde as pessoas podem diminuir o ritmo frenético de Nova Iorque.

Com os aproximadamente vinte e cinco milhões de visitantes anualmente, o Central Park é o parque mais visitado da cidade e aparece em muitos filmes e programas de televisão, tornando-o conhecido no mundo todo. É famoso por ser sede de grandes filmes e programas americanos famosos.

Em 1858, Frederick Law Olmsted e Calvert Vaux (que criou mais tarde o Brooklyn's Prospect Park) foram os vencedores do concurso de design "Greensward Plan" para melhoria e expansão do parque. A construção começou naquele mesmo ano e continuou, durante a Guerra Civil Americana, sendo completada em 1873.

Embora o parque pareça natural, ele é, na verdade, ajardinado quase inteiramente e contém diversos lagos artificiais, trilhas para caminhadas, duas pistas de patinagem no gelo, um santuário vivo e campos diversos. Considerado pelo Guiness Book o lado verde de Nova Iorque, o parque foi projetado para dar um clima aconchegante a cidade e esquecer os arranhas-céus espalhados por todos os lugares.

O parque foi designado, em 15 de outubro de 1966, um distrito do Registro Nacional de Lugares Históricos[1] [2] bem como, em 23 de maio de 1963, um Marco Histórico Nacional[3] [4] [5] . É atualmente gerido pelo Central Park Conservancy sob contrato com a prefeitura da cidade. O Central Park Conservancy é uma organização sem fins lucrativos que contribui com 83,5% da verba anual do parque (que totalizam 37,5 milhões de dólares por ano) e emprega 80,7% da equipe de manutenção do parque.

História[editar | editar código-fonte]

Planejamento[editar | editar código-fonte]

Entre 1821 e 1855, a cidade de Nova Iorque quase quadruplicou em população. Conforme a cidade expandiu-se para o norte de Manhattan, a população recorria às poucas áreas abertas para momentos de lazer. Ainda que não fizesse parte do Plano dos Comissários, a região onde hoje se encontra o Central Park foi levantada e mapeada pelo engenheiro John Randel, Jr., cujos vestígios deste levantamento ainda são visíveis e preservados no interior do parque.[6]

A demanda da cidade por um parque público de grande porte foi reforçada pelo poeta e editor do jornal Evening Post, William Cullen Bryant, e por Andrew Jackson Downing, pioneiro arquiteto que previu e alarmou a cidade sobre a necessidade de construção de áreas verdes em 1844. À época muitos nova-iorquinos influentes passaram a defender a criação de um espaço público de destaque aos moldes do Bois de Boulogne, em Paris ou do Hyde Park, em Londres. Após uma tentativa abortada em 1850 de desapropriar uma fazenda, a Legislatura do Estado de Nova Iorque designou uma área de mais de 700 acres (ou 280 hectares) para a construção do parque, com custo estimado em 5 milhões de dólares à época.[7] [8]

Central Park nos dias de hoje[editar | editar código-fonte]

Central Park New York City.svg

O Central Park, que desde 1962 é um Marco Histórico Nacional, foi projetado pelo escritor e paisagista Frederick Law Olmsted e pelo arquiteto inglês Calvert Vaux in 1858, depois de vencerem uma competição. Eles também projetaram o Brooklyn's Prospect Park.[9] [10] [11]

O Central Park é limitado, ao norte, pela West 110th Street, ao sul pela West 59th Street, ao oeste pela Eighth Avenue. Ao longo das margens do parque, essas ruas são conhecidas como Central Park North, Central Park South, e Central Park West respectivamente. Somente a Quinta Avenida "Fifth Avenue" que margeia o parque ao leste, não muda de nome.

Visitantes[editar | editar código-fonte]

O parque, que recebe aproximadamente 35 milhões de visitantes por ano,[12] é o parque urbano mais visitado dos Estados Unidos.[13]

Pontos de interesse[editar | editar código-fonte]

Atrações turísticas[editar | editar código-fonte]

As principais atrações turísticas do Central Park são:

Monumentos[editar | editar código-fonte]

Um total de 29 esculturas de autoria de artistas como Augustus Saint-Gaudens, Emma Stebbins e John Quincy Adams Ward foram erguidas no Central Park desde sua fundação, sendo a maioria delas doações de indivíduos ou organizações. Grande parte do primeiro estatuário inaugurado no local foi de autores e poetas, que originou o Literary Walk ("Passeio Literário"). Algumas das mais notórias esculturas do parque são:

  • Strawberry Fields: O memorial foi inaugurado em 9 de outubro de 1985, dia em que John Lennon completaria 45 anos de idade. Vários países doaram mudas de árvores para compor os 2 acres de área do memorial, a Itália doou o famoso mosaico que é peça central da construção. Desde sua criação, o memorial tornou-se um local de encontros públicos entre fãs e admirados de Lennon.

Vida selvagem[editar | editar código-fonte]

Flora[editar | editar código-fonte]

Brácteas de Cornus florida, espécie nativa da região de Nova Iorque.
Área sudeste do Central Park durante o outono.

O Central Park abriga mais de 25 mil árvores, 1700 ulmeiros americanos, que compõem a maior reserva da espécie no nordeste dos Estados Unidos.

Outras espécies nativas e exóticas encontradas no Central Park:

 

Fauna[editar | editar código-fonte]

Pássaros
Búteo-de-cauda-vermelha, uma das espécies encontradas no Central Park.

A primeira listagem oficial de pássaros observados na região do Central Park foi publicada por Augustus G. Paine, Jr.. Paine era um ávido ornitologista e, juntamente com seu amigo Lewis B. Woodruff, publicou uma lista de 235 espécies de pássaros. O trabalho foi creditado como a primeira listagem oficial e publicado na revista Forest and Stream em 10 de junho de 1886. Um artigo do The New Yorker de 26 de agosto de 1974 chama a atenção para esta lista. Ao longo do tempo, os estudos têm sido aprimorados e aprofundados.

A região é frequentada por várias espécies migratórias durante sua migração de verão e outono na Rota Atlântica. Mais de um quarto de todas as espécies encontradas nos Estados Unidos foram avistadas no Central Park. Uma destas espécies é búteo-de-cauda-vermelha, que se restabeleceu no parque quando um falcão macho conhecido como "Pale Male" construiu seu ninho em um prédio da Quinta Avenida na década de 1990.

O Central Park foi abrigo do estorninho-comum, uma espécie nativa da Eurásia que acabou por se tornar um invasor. Em abril de 1890, oito pássaros foram soltos por Eugene Schieffelin, e no ano seguinte, mais oito; destes, 160 pássaros são progenitores das ninhadas que agora se espalham pelos Estados Unidos e Canadá.

Mamíferos

Atividades[editar | editar código-fonte]

Charretes[editar | editar código-fonte]

A Cidade de Nova Iorque têm mantida a tradição de passeios de charrete desde 1935. As charretes já foram captadas em muitos filmes, como a cocheira Maggie Coogan que apareceu em um cinejornal da Universal Studios em 1967. As charretes tornaram-se parte da imagem simbólica da cidade. Após os Ataques de 11 de Setembro, em um evento público, o então Prefeito Rudolph Giuliani visitou os estábulos pedindo aos charreteiros que retomassem suas atividades para apoiar a sensação de normalidade.[14]

Acesso[editar | editar código-fonte]

Transporte público[editar | editar código-fonte]

A Linha da Oitava Avenida do Metrô de Nova Iorque percorre o limite oeste do parque, com uma estação de transferência à Linha Broadway - Sétima Avenida, localizada em Columbus Circle. Adicionalmente, o parque é servido pela Linha da Avenida Lenox - servida pela estação Central Park North – 110th Street; dela partem as linhas ao sudoeste do parque, e levam até uma estação da Linha Broadway.

Vias públicas[editar | editar código-fonte]

O Central Park é circundado por quatro vias públicas: Oitava Avenida, Central Park Sul, Central Park Norte e Quinta Avenida. Em cada um dos entrocamentos do parque, há uma praça. São elas:

Quatro vias transversais culminam no Central Park: as ruas 65th, 66th, 86th e 96th. O parque possui ainda três vias que o cortam em sentido vertical.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

O Central Park é constantemente cenário de diversas produções para cinema e televisão, o que contribuiu grandemente para sua popularidade ao longo da história. Algumas destas produções em que o Central Park serviu como cenário:

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Documentação de designação para o NRHP» (PDF) (em inglês). Serviço Nacional de Parques. Consultado em 27 de julho de 2013. 
  2. a b «Fotos para documentação de designação para o NRHP» (PDF) (em inglês). Serviço Nacional de Parques. Consultado em 27 de julho de 2013. 
  3. a b «Angelus Temple» (em inglês). National Historic Landmarks Program. Consultado em 27 de julho de 2013. 
  4. a b «Documentação de designação para o NHL» (PDF) (em inglês). Serviço Nacional de Parques. Consultado em 27 de julho de 2013. 
  5. a b «Fotos para documentação de designação para o NHL» (PDF) (em inglês). Serviço Nacional de Parques. Consultado em 27 de julho de 2013. 
  6. De Graaf, Mia (28 de setembro de 2015). «Hidden bold of John Randel Jr in Central Park that is lone reminder of years spent laying out the grid system two centuries ago». Daily Mail. 
  7. «The Great Park Debate - 1850». Central Park History. 
  8. Dolkart, Andrew S. «The Architecture and Development of New York City». Universidade de Colúmbia. 
  9. «Central Park». National Historic Landmark summary listing. National Park Service. September 10, 2007. 
  10. «National Register of Historic Places Inventory» (PDF). National Park Service. August 14, 1975. 
  11. «National Register of Historic Places Inventory» (PDF). National Park Service. August 14, 1975. 
  12. «Central Park FAQ». 
  13. «America's Most Visited City Parks» (PDF). The Trust for Public Land. 2006. Arquivado desde o original (PDF) em 2006-07-25. Consultado em July 11, 2006. 
  14. Bennett, Jessica (25 de setembro de 2007). «Tradition or Cruelty?». Newsweek. 
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Central Park
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Central Park


Ícone de esboço Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Registro Nacional de Lugares Históricos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.